Flecha do Tempo

Flecha do Tempo. A ideia errônea de que o tempo “flui” do passado para o futuro. Amiúde sustenta-se que processos irreversíveis, tais como a transferência de calor, a mistura de líquidos, o envelhecimento e a expansão do universo, exibem ou mesmo definem a flecha do tempo. Esta é a uma metáfora infeliz, pois a “flecha” ou direcionabilidade em questão é inerente aos processos irreversíveis, não ao tempo. Tanto assim que nada, exceto a praticidade e a tradição, nos impede de contar o tempo para trás. Se o tempo fluir, terá de mover-se com a velocidade de um segundo por segundo – uma expressão sem sentido. Se o tempo tiver uma flecha, ele será representado, como uma força, por um vector; mas, na realidade, o tempo é uma variável escalar. A verdade é que o intervalo de tempo entre dois eventos, isto é, entre o evento e e o evento e’, quando referido ao mesmo sistema de referência f, muda de sinal quando os eventos são permutados. Isto é, T (e, e', f) = –T (e’, e, f). Entretanto, isto não é uma lei, porém uma convenção útil par distinguir o “antes” do “depois”. (1)


(1) BUNGE, M. Dicionário de Filosofia. Tradução de Gita K. Guinsburg. São Paulo: Perspectivas, 2002. (Coleção Big Bang)