Gênero: Brugmansia

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Trombeteira, cartucheira, saia-branca, trombeta, trombeta-de-anjo, zabumba-brancaNome científicoBrugmansia suaveolens (Willd.) Bercht. & Presl.BasionônioSinônimosDatura suaveolensFamíliaSolanaceaeTipoSubespontânea, não endêmica do Brasil.DescriçãoArvoreta. Ramos jovens cilíndricos, verde-claros, glabrescentes, raro tricomas simples, inermes. Folhas isoladas, pecíolo 1-6,1 cm compr., cilíndrico, piloso, tricomas simples; lâmina cartácea, (6,5)12-22,2 x (1)6,1-11,4 cm, oval a lanceolada, ápice agudo a acuminado, base assimétrica, margem inteira, levemente sinuosa, pilosa; face adaxial e abaxial verdes, pubescente a pilosa, tricomas simples, raro glandulares; presença de folhas estipuláceas, aos pares, 1,6-3 x 0,4-1 cm compr., estreitamente oblongas, ápice agudo, base aguda a redonda, margem inteira a ligeiramente revoluta, ciliada. Flores solitárias, terminais, pêndulas; pediceladas, pedicelo 3,5-4,1 cm compr., piloso, tricomas simples; bractéolas ausentes; cálice tubuloso, inflado, 1,8-2,6 cm diâm., 9,8-12,9 cm compr.; lacínias 2,6-3 x 1-1,6 cm, obtusas, ápice agudo, margem sinuada, glabrescente; face externa glabrescente a pubescente, tricomas simples, raro glandulares; face interna glabra; corola infundibuliforme, alva, 7-7,5 cm diâm., a 2/3 a partir da base, 25-29 cm compr., lacínias longamente caudadas; face externa pubescente; face interna glabrescente. Estames 4, isodínamos; filetes ca. 4,7 cm compr., pilosos da metade até a base, tricomas simples; anteras alvas, ca. 4 mm diâm., 3 cm compr., laminares, glabras, deiscência longitudinal. Ovário ca. 1-2 mm diâm., 7 mm compr., fusiforme, glabro, disco nectarífero ausente; estilete ca. 16,6 cm compr., reto, glabro; estigma oblongo a globoso; fruto cápsula, até 20 cm compr., fusiforme, liso e glabro (FELICIANO, 2008, p. 44).CaracterísticaBrugmansia suaveolens é facilmente distinta pelas grandes flores pêndulas com corola infundibuliforme, lacínias longamente caudadas e quatro estames com filetes longos, pilosos próximos a base e com anteras laminares (FELICIANO, 2008, p. 45).Floração / frutificaçãoPrimavera e verão.DispersãoHábitatAmazônia, Cerrado e Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Densa e Mista, Floresta Estacional Semidecidual ou como planta ruderal.Distribuição geográficaOcorre na América do Sul e África, sendo originária provavelmente do México.Norte (Pará, Amazonas, Acre), Nordeste (Bahia), Centro-Oeste (Distrito Federal), Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (STEHMANN, 2010).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaPlanta tóxica.FitoterapiaFitoeconomiaPlanta cultivada como ornamental, que eventualmente escapa do cultivo e torna-se invasora.InjúriaPlanta daninha tóxica aos animais, ocupa terrenos baldios e áreas úmidas.ComentáriosBibliografiaCatálogo de plantas e fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.FELICIANO, E. A. Solanaceae A. Juss. da Serra Negra, Rio Preto, Minas Gerais: Tratamento Taxonômico e Similaridade Florística; Instituto de Ciências Biológicas – UFJF. Minas Gerais, 2008. 154p. il. Disponível em: <http://www.bdtd.ufjf.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=274>.LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.SOARES, E. L. C. et al. A Família Solanaceae no Parque Estadual de Itapuã, Viamão, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista Brasileira de Biociências, Porto Alegre, v. 6, n.3, p. 177-188, jul./set. 2008. Disponível em: <http://www6.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/viewFile/969/820>.STEHMANN, J.R., Mentz, L.A., Agra, M.F., Vignoli-Silva, M., Giacomin, L. 2010. Solanaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB014592).