Gênero: Coix

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesCapim-rosário, biuri, capiá, capim-de-lágrima, lágrima-de-nossa-senhora , lágrimas-de-jóNome científicoCoix lacryma-jobi L.BasionônioSinônimosCoix agrestis Lour.Coix lacryma L.Coix pendula Salisb.Coix ovata StokesCoix exaltata Jacq.Coix arundinaceae Lam.Lithagrostis lacryma-jobi (L.) Gaertn.Sphaerium lacryma (L.) KuntzeFamíliaPoaceaeTipoSubespontânea, não endêmica do Brasil.DescriçãoCaracterísticaFloração / frutificaçãoEncontrada com frutos em outubro.DispersãoHábitatAmazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, PantanalDistribuição geográficaÉ originária da Ásia Tropical.No Brasil, ocorre no Norte (Acre), Nordeste (Piauí, Ceará, Paraíba, Pernambuco), Centro-Oeste (Mato Grosso, Goiás, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul), Sudeste (Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina) (FILGUEIRAS, 2010).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaGrãos - Composição por 100 g de parte comestível: Calorias, nutrimentos e mineraisCalorias 380, Proteínas 15,4(g), Lipídios 6,2(g), Glicídios 65,3(g), Fibra 0,8(g), Cálcio 25(mg), Fósforo 435(mg), Ferro 5,0(mg)Composição por 100 g de parte comestível: VitaminasVitamina B1 0,28(mg), Vitamina B2 0,19(mg), Niacina 4,3(mg)FitoterapiaOs frutos possuem também propriedades medicinais, sendo utilizados como antileucorréicos, antidiarréicos, analépticos, tônicos, depurativos, emolientes, anti-hidrópicos, sendo muito diuréticos. As folhas e colmos, usados externamente são anti-reumáticas e excitantes, e internamente antiasmáticos e diuréticos. Os frutos fortalecem o baço e são utilizados no tratamento de enterite crônica, edemas, inchaço e males dos rins, reumatismo, lombalgia, abcesso pulmonar, afecções catarrais, litíases urinárias, pneumonia lombar, apendicite, beribéri, disúria e acrodinia. A raiz, em infusão, constitui-se um poderoso diurético.FitoeconomiaAs sementes podem ser utilizadas em artesanato para a confecção de pulseiras, braceletes, cortinas, molduras, colares, esteiras e instrumentos musicais. Os frutos fornecem uma farinha muito nutritiva, pelo alto conteúdo de proteína e lipídeos, podendo ser utilizada na preparação de pães, biscoitos e mingaus. As sementes fornecem fécula opcional para a indústria da cervejaria, e também é possível produzir uma farinha de alto valor nutritivo, sendo própria para a alimentação de convalescentes e para a panificação. As folhas também servem como forragem.InjúriaÉ uma planta daninha, infestando terrenos baldios, beira de estradas e margens de canais.ComentáriosNa língua Guarani é chamada de ka’api’i’i a.BibliografiaCatálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -Rio de Janeiro : Andrea Jakobsson Estúdio : Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.COUTO, M. E. O. Coleção de Plantas Medicinais Aromáticas e Condimentares; Embrapa Clima Temperado; Pelotas, 2006. 91p. Disponível em: <http://www.cpact.embrapa.br/publicacoes/download/folder/plantas_medicinais.pdf>.FILGUEIRAS, T.S. 2010. Coix in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB013126).FONSECA, E. T. Indicador de Madeiras e Plantas Úteis do Brasil. Officinas Graphicas VILLAS-BOAS e C. Rio de Janeiro, 1922. 368 p. Disponível em: <http://www.archive.org/download/indicadordemadei00teix/indicadordemadei00teix.pdf>.KELLER, H. A. Plantas Usadas por los Guaraníes de Misiones (Argentina) Para la Fabricación y el Acondicionamiento de Instrumentos Musicales. Darwiniana 48(1): 7-16. 2010. Disponível em: <http://www2.darwin.edu.ar/Publicaciones/Darwiniana/Vol48(1)/7-16.Keller.pdf>.LINDENMAIER, D. S. Etnobotânica em Comunidades Indígenas Guaranis no Rio Grande do Sul. Universidade de Santa Cruz do Sul. Rio Grande do Sul, 2008. 44p. Disponível em: <http://www.scribd.com/doc/19857491/MONOGRAFIADiogo-Lindenmaier>.LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.OLIVEIRA, D. Nhanderukueri Ka’aguy Rupa – As Florestas que Pertencem aos Deuses. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2009. 182p. il. Disponível em: <http://www.pluridoc.com/Site/FrontOffice/default.aspx?Module=Files/FileDescription&ID=4402&lang=>.STURTEVANT, E. L. Edible Plants of The World. Edited by U. P. HEDRICK. The Southwest School of Botanical Medicine. 775p. Disponível em: <http://www.swsbm.com/Ephemera/Sturtevants_Edible_Plants.pdf>.TABELAS de Composição de Alimentos – ENDEF. 5ª ed.; Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE; Rio de Janeiro, 1999. 137p. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20RJ/Tabela%20de%20Composicao%20de%20Alimento-ENDF.pdf>.