Gênero: Melothria

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesMelancia-de-passarinho, pepininho-do-mato, taiuiá-doceNome científicoMelothria cucumis Vell.Voucher466 Schwirkowski (MBM)SinônimosFamíliaCucurbitaceaeTipoNativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoTrepadeira herbácea, preensil; gavinha simples, axilar, formando ângulo de 90º; monóica. Ramos sulcados, glabros. Folhas simples, alternas, inteiras a 3-5 lobadas; lâmina 3-4 × 4,2-5,2 cm, ovado-cordiforme; face adaxial estrigosa, tricomas brancos ou translúcidos; abaxial glabra; ápice mucronado; margem denteada; base cordada; sinus basal 8-15 × 21-23 mm; venação actinódroma basal; pecíolo 1,8-2,3 cm, estriado, viloso; estípula ausente. Flores díclinas; estaminadas em racemos; pedicelo pubérulo; sépalas triangulares, pubérulas, 0,5-0,8 mm compr.; pétalas oblongo-lanceoladas, 1-1,5 mm compr.; pistilódio inteiro. Flores pistiladas isoladas, axilares; hipanto fusiforme, 1,2-2 cm compr.; épalas triangulares, pubérulas, ca. 1 mm compr.; pétalas oblongas-lanceoladas, 1-1,5 mm compr.; estaminódios ausentes. Pepônios oval-oblongos, glabros, 3-4 × 2-3 cm. Sementes obovais, amarelas, seríceas. (VILLAGRA, 2011).CaracterísticaFloração / frutificaçãoDispersãoHabitatDistribuição geográficaNordeste (Bahia, Paraíba); Centro-oeste (Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul); Sudeste (Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo); Sul (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina) (GOMES-KLEIN, 2013).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaComentáriosBibliografiaGOMES-KLEIN, V.L.; Lima, L.F.P.; Costa, G.A.G.d. 2013. Cucurbitaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB17093.
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesPepino-do-mato, abóbora-do-mato, abobrinha-do-mato, guardião, melão-de-beija-flor, melão-de-morcego, pepinículo, pepininho-pintado, pepino-bravo, pepino-de-sapo, pepino-silvestre, taiuiá-miúdoNome científicoMelothria pendula L.BasionônioSinônimosMelothria fluminensis GardnerFamíliaCucurbitaceaeTipoNativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoTrepadeira herbácea, monóica-díclina, provida de gavinhas simples em forma de mola, com caule cilíndrico, sulcado, glabro ou levemente pubescente. Folhas com pecíolos delicados providos de tricomas, dando uma sensação aveludada ao toque, lâmina foliar levemente membranácea, cordiforme a ovada-cordiforme, penta angulada, às vezes, levemente trilobada, com margem esparsamente denticulada, face adaxial ou superior pilosa e áspera (escabrosa) e abaxial ou inferior mais clara e pubescente, com tricomas velutinos em relação à M. cucumis, diferenças estas marcantes, sobretudo no tocante aos pecíolos. Flores estaminadas amarelas reunidas em inflorescências racemosas paucifloras e as flores pistiladas amarelas, solitárias, axilares, com pedúnculo longo (4-8 cm de comprimento). Ovário fusiforme a oblongo. Frutos fusiformes a ovóide-oblongos, glabros, lisos, 1-2 cm de comprimento e 0,6-1 cm de largura, de coloração verde escuro com pontuações claras quando imaturos e purpúreos a atropurpúreos quando maduros; sementes claras com arilo mucilaginoso, ovais, 4-5 mm de comprimento e 2,5-3,5 mm de largura. (KINUPP, 2007, p. 522).CaracterísticaFloração / frutificaçãoFloresce e frutifica praticamente o ano todo.DispersãoZoocóricaHábitatAmazônia, Cerrado e Mata AtlânticaDistribuição geográficaMéxico, Antilhas até o Brasil e Paraguai.Norte (Pará), Nordeste (Maranhão, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Bahia), Centro-Oeste (Mato Grosso, Goiás),Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (KLEIN, 2010).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaOs frutos são comestíveis tanto in natura quando em saladas ou conservas, utilizando-se do mesmo preparo para o pepino cultivado. São saborosos, e, apesar de pequenos no tamanho, são muito nutritivos, possuindo um teor de manganês, fósforo e zinco superior ao do pepino comum.InjúriaComentáriosAs sementes possuem alto poder germinativo, geralmente ultrapassando os 90 %.BibliografiaCatálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 2 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. - Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 830 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol2.pdf>.KINUPP, V. F. Plantas Alimentícias Não-Convencionais da Região Metropolitana de Porto Alegre. Tese de Mestrado, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Porto Alegre, 2007. 590p. il. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12870>.KLEIN, V.L.G., Lima, L.F.P. 2010. Cucurbitaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB114680).