Gênero: Billbergia

Carousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesNome científicoBillbergia amoena (Lodd.) Lindl.Voucher766 Schwirkowski (MBM)SinônimosBillbergia amoena var. rubra M.B.FosterBillbergia pallida (Ker Gawl.) BeerBillbergia speciosa Thunb.Billbergia wacketii MezBillbergia wiotiana De Jonghe ex MezBromelia laevis Schult. & Schult.f.Bromelia pallida Ker Gawl.Tillandsia variegata Vell.FamíliaBromeliaceaeTipoNativa, endêmica do Brasil.DescriçãoERVA ca. 35 cm, epífita, terrestre ou rupícola, isolada ou formando touceiras; rizoma 2,5-6,0 cm × 48 mm, geralmente distinto, não ramificado. FOLHAS 8-16, as inferiores 6-17 cm, as superiores 18-90 cm, polísticas, eretas, recurvadas próximo ao ápice, rosuladas; bainha ca. 3,5-20 × 2,9-7,5 cm, ovalada, margem hialina, verde, muitas vezes roxa na face adaxial, lepidota em ambas as faces; lâmina 30-70 × 1,8-7 cm, ligulada, não canaliculada, margem lisa ou inconspicuamente espinescente, ápice cuspidado; espinhos com ca. de 0,1 cm, distanciados entre 0,5-1,4 cm. ESCAPO 20-30 × 0,08-1,46 cm, não excedendo a roseta foliar, carnoso, glabro, verde no terço inferior, avermelhado em direção ao ápice; brácteas do escapo 3-7, 5-10 × 1,5-2,7 cm, róseas, ovalado-lanceoladas, agudas, maiores que os entrenós, as inferiores foliáceas, as superiores vermelhas, glabras. INFLORESCÊNCIA 15-20 cm, racemo ou duplo-racemo, simples para o ápice, ereta ou pêndula, glabra; raque ca. 10 cm, geniculada, algumas vezes quase reta, vermelha ou esverdeada; brácteas florais 0,1-0,2 × 0,3 cm, menores que as sépalas, ovaladas, agudas, glabras ou pouco pilosas no ápice. FLORES 5-25, 6-8 × 0,4-0,6 cm, sésseis, com antese a partir do centro da inflorescência para a base e ápice; sépalas 2,5-3,0 × 0,3-0,4 cm, oblanceoladas, livres, amarelo-esverdeadas, eretas, glabras, ápice agudo; pétalas 5-6 × 0,6-0,8 cm, liguladas ou elípticas, margem inteira, esverdeadas ou amarelo-esverdeadas, glabras, livres até a base, com dois apêndices basais de ápice fimbriado, ápice obtuso, anilado, reflexo na antese; estames 4,0-4,5 cm, exclusos na antese; filetes ca. 3,5 cm, filiformes, livres, verdes; anteras ca. 0,3-0,6 cm, dorsifixas, versáteis, lineares, obtusas de ambos os lados, amarelas; ovário 1,5-2,3 × 0,16-0,22 cm, costelado, elíptico, com dobras longitudinais; tubo epigínico ca. de 0,2 cm; estilete 0,7-3,1 cm, 0,4-0,5 cm mais alto que as anteras, verde-claro; estigma ca. 0,4 cm; rudimentos seminais numerosos, a maioria obtusos. FRUTO baga, ca. 3,5 × 1,0 cm, elíptico, verde quando maduro, glabro. SEMENTES ca. 0,3 × 0,2 cm, com expansão gelatinosa. (Gaiotto, 2010).CaracterísticaPertence ao subgênero Billbergia e integra um complexo de espécies caracterizado pelas sépalas e pétalas esverdeadas com ápice azulado, brácteas do escapo vistosas e vivamente coloridas, com flores sésseis. (SANTOS, 2009).Billbergia amoena possui inflorescência racemo ou duplo-racemo, em geral menor que as folhas. Está estreitamente relacionada com B. distachya e B. nutans devido ao fato de todas ocorrerem no mesmo tipo de ambiente. Além disto, são semelhantes em certas características morfológicas como tamanho de flores e coloração dos ápices de sépalas e pétalas. (Gaiotto, 2010).Floração / frutificaçãoMarço à outubro.DispersãoHabitatCaatinga, Cerrado e Mata Atlântica.Distribuição geográficaNordeste (Bahia), Centro-oeste (Goiás), Sudeste (Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo), Sul (Paraná, Santa Catarina)EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaComentáriosBibliografiaForzza, R.C.; Costa, A.; Siqueira Filho, J.A.; Martinelli, G.; Monteiro, R.F.; Santos-Silva, F.; Saraiva, D. P.; Paixão-Souza, B.; Louzada, R.B.; Versieux, L. Bromeliaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Disponível em: <http://reflora.jbrj.gov.br/jabot/floradobrasil/FB5922>. Acesso em: 23 Jan. 2015Gaiotto, D. F.; Tardivo, R. C.; Cervi, A. C. O Gênero Billbergia Thunberg (Bromeliaceae) no estado do Paraná, Brasil. Fontqueria 56(11): 81-100 [seorsim:1-20] Madrid, 23-IX-2010. Disponível em: http://bibdigital.rjb.csic.es/PDF/Fontqueria_56_11.pdfSANTOS, A. L. Bromelioideae (Bromeliaceae) na Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil. Dissertação de Mestrado. Instituto de Botânica da Secretaria de Estado do Meio Ambiente. São Paulo, 2009.
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesBroméliaNome científicoBillbergia distachia (Vell.) MezBasionônioTillandsia distachia Vell.SinônimosFamíliaBromeliaceaeTipoNativa, endêmica do Brasil.DescriçãoERVA ca. 30-40 cm, terrestre, epífita ou rupícola, isolada ou formando touceiras; rizoma 2-5 cm × 64 mm, geralmente distinto, não ramificado. FOLHAS ca. 10, as inferiores4,5-17,0 cm, as superiores, 18-60 cm, polísticas, eretas, recurvadas próximo ao ápice, rosuladas; bainha 3,1-4,5 × 2,9-5,0 cm, ovalada, esverdeada, face adaxial muitas vezesroxa, de margem hialina, lepidotas em ambas as faces; lâmina 20-55 × 3,0-5,1 cm, linear-lanceolada, ligulada, não canaliculada, membranácea, margem lisa ou inconspicuamente espinescente, ápice agudo; espinhos 0,1-0,3 cm, distanciados ca. 0,5 cm. ESCAPO ca. 21 × 0,64-1,11 cm, geralmente não excedendo a roseta foliar, glabro; brácteas do escapo 5-8, linear-lanceoladas ou elípticas, maiores que os entrenós, as inferiores foliáceas 7-14 × 1,0-1,5 cm, as superiores róseas 6,5-15,0 × 2,5-4,0 cm, alvo-lepidotas, glabras, ápice agudo. INFLORESCÊNCIA racemo, 10-16 cm, pêndula, glabra; raque 7-12 cm, em geral geniculada ou mais raramente ereta; brácteas florais ca. 0,15 × 0,15 cm, ovais, menores que as sépalas, glabras, ápice agudo. FLORES 5-12, 6 × 1,5-1,6 cm, curto-pediceladas, os pedicelos da base da inflorescência ca. 0,3 cm, os do ápice ca. 0,15 cm; sépalas 1,6-2,2 × 0,4-0,6 cm, elípticas, livres até a base, esverdeadas, eretas, glabras, ápice agudo, com mancha azul; pétalas ca. 5,2 × 0,4-0,6 cm, elípticas, glabras, livres, verdes, no ápice manchados de azul, reflexas na antese, ápice obtuso; apêndices basais dois, de ápice fimbriado; estames ca. 3,5 cm, exclusos na antese, mais curtos que as pétalas; filetes ca. 3,3 cm, filiformes, livres; anteras ca. 0,4-0,5 cm, dorsifixas, versáteis, lineares, obtusas de ambos os lados, amarelo-alaranjadas; ovário ca. 1,20-1,50 × 0,64 cm, glabro, elíptico, longitudinalmente sulcado, verde; tubo epigínico ca. 0,15 cm; estilete ca. 5 cm, igual ou menor que as pétalas, verde claro; estigma ca. 0,4 cm, glabro; rudimentos seminais em grande número, ápice curtamente apendiculado. FRUTO baga, ca. 3,5 × 1,0 cm, oval, verde quando maduro, glabro. SEMENTES ca. 0,3 × 0,1 cm, muitas, com expansão gelatinosa. (GAIOTTO, 2010, p.9).CaracterísticaVide GAIOTTO, 2010.Floração / frutificaçãoAbril a dezembroDispersãoAnemocórica.HábitatCerrado e Mata Atlântica, na Floresta Ombrófila Densa e Mista, Floresta Estacional Semidecidual e Restinga.Distribuição geográficaSudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Rio de Janeiro), Sul (Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul) (FORZZA, 2010).EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaFitoeconomiaInjúriaComentáriosBibliografiaCatálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 1 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. - Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 875 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol1.pdf>.FORZZA, R.C., Costa, A., Siqueira Filho, J.A., Martinelli, G. 2010. Bromeliaceae in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB005927).GAIOTTO, D. F.; CAPUANO TARDIVO, R.; CARLOS CERVI, A. O Gênero Billbergia Thunberg (Bromeliaceae) no Estado do Paraná, Brasil. FONTQUERIA, 56(11): 81-100 [seorsim: 1-20], Madrid, 23-IX-2010. Disponível em: <http://bibdigital.rjb.csic.es/PDF/Fontqueria_56_11.pdf>.PLANTAS DA FLORESTA ATLÂNTICA. Editores Renato Stehmann et al. Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2009. 515p. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_floresta_atlantica.zip>.