Gênero: Sonchus

Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesSerralha-de-espinho, dente-de-leão, serraja, serralha, serralha-espinhenta, serralha-ásperaNome científicoSonchus asper (L.) HillBasionônioSinônimosSonchus oleraceus var. asper L.Sonchus spinosus Lam.FamíliaAsteraceaeTipoSubespontâneaDescriçãoPlanta anual, herbácea, glabra, lactescente, com as margens das folhas providas de pequenos espinhos, de caule estriado e não ramificado, com até 70 cm de altura, as flores são amarelas.CaracterísticaRamos e invólucros dos capítulos com tricomas glandulares são caracteres que a distinguem de S. oleraceus. Algumas vezes, é citada na literatura como S. oleraceus var. asper L.Floração / frutificaçãoFloresce e frutifica na primavera e verão, às vezes até o outono.DispersãoAnemocóricaHábitatPlanta ruderal que ocorre na Mata Atlântica e Pampa.Distribuição geográficaÉ originária do Continente Europeu, sendo subespontânea nas Américas, no Brasil, habita todas as regiões do país.EtimologiaPropriedadesFitoquímicaFitoterapiaÉ uma planta medicinal, e possui aplicações na medicina caseira.FitoeconomiaSuas folhas são comestíveis, e são preparadas geralmente em forma de saladas.InjúriaPlanta daninha mais freqüente no Sul do Brasil, onde infesta lavouras, pomares e outras culturas.ComentáriosAparece geralmente no período mais fresco do ano, com um ciclo de 120 dias.BibliografiaCatálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 1 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 875 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol1.pdf>.FERNANDES, A. C.; RITTER, M. J. A Família Asteraceae no Morro Santana, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. R. Bras. Bioci. Porto Alegre, v. 7, n. 4, p. 395-439, out./dez. 2009. Disponível em: <http://www6.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/viewFile/1220/897>.LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.SCHNEIDER, A. 2010. Sonchus in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB112277).
Carousel imageCarousel imageCarousel imageCarousel image
Nomes popularesSerralha, chicória-brava, chicória-lisa, ciúme, serralha-lisa, serralheiraNome científicoSonchus oleraceus L.Voucher860 Schwirkowski (MBM)SinônimosSonchus ciliatus Lam.Sonchus mairei H. Lév.FamíliaAsteraceaeTipoNativa, não endêmica do Brasil.DescriçãoPlanta anual, com 50-100 cm de altura. Caule ereto, glabro, pouco ramificado. Folhas inferiores runcinadas, com lóbulos dentados, de agudas e obtusas no ápice e longamente atenuada na base em pecíolo semi-amplexicaule, com 10-20 cm de comprimento e 5-8 cm de largura. Folhas superiores agudas, sésseis e semi-amplexicaules na base, com aurículas agudas, lobadas ou runcinadas na margem. Capítulos dispostos em cimas corimbiformes terminais, longamente pedunculados. Invólucro campanulado; brácteas lineares, glabras ou levemente lanuginosas. Flores amarelas; papus branco.CaracterísticaPossui ramos e invólucros dos capítulos completamente glabros, o que a distingue de Sonchus asper.Floração / frutificaçãoFloresce no verão e outono, com predominância no mês de março.DispersãoAnemocóricaHabitatPlanta heliófita, desenvolvendo-se em campos férteis e úmidos.Distribuição geográficaEspécie de origem européia, adventícia na América e em outras partes do mundo. No Brasil, está presente em todas as regiões.EtimologiaPropriedadesFitoquímicaComposição por 100 g de parte comestível: Calorias, nutrimentos e mineraisCalorias: 19, Proteínas 2,1(g), Lipídios 0,3(g), Glicídios 3,5(g), Fibra 0,4(g), Cálcio 112(mg), Fósforo 36(mg), Ferro 3,1(mg)Composição por 100 g de parte comestível: VitaminasVitamina B1 0,07(mg), Vitamina B2 0,12(mg), Niacina 0,6(mg), Vitamina C 5(mg)FitoterapiaPossui aplicações na medicina caseira.FitoeconomiaÉ uma boa planta forrageira e bem aceita pelo gado, inclusive de excelente qualidade bromatológica, podendo ser utilizada em períodos de escassez de pastagens. Possui o sabor um pouco amargo, mas é utilizada na culinária, principalmente mineira, em forma de saladas e refogados.InjúriaConsiderada planta daninha infestante de lavouras.ComentáriosAs sementes, facilmente dispersas pelo vento, permanecem viáveis no solo por mais de 8 anos.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ReceitaRefogado de serralhaIngredientesFolhas e galhos tenros de serralhaSal, alho, cebola batida e cheiro-verdeóleo, para refogarModo de fazerLave bem a serralha e deixe escolher. Doure a cebola e o alho no óleo, adicione a serralha cortada como couve e tempere com sal. Misture bem e junte o cheiro-verde picadinho. Sirva com arroz e feijão.---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------BibliografiaALIMENTOS REGIONAIS BRASILEIROS. Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Brasília, DF, 2002. 141 p. il. Disponível em: <http://dtr2001.saude.gov.br/editora/produtos/livros/pdf/05_1109_M.pdf>.Catálogo de Plantas e Fungos do Brasil, volume 1 / [organização Rafaela Campostrini Forzza... et al.]. -Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 2010. 2.v. 875 p. il. Disponível em: <http://www.jbrj.gov.br/publica/livros_pdf/plantas_fungos_vol1.pdf>.CITADINI-ZANETTE, V.; BOFF, V. P. Levantamento Florístico em Áreas Mineradas a Céu Aberto na Região Carbonífera de Santa Catarina, Brasil. Florianópolis. Secretaria de Estado da Tecnologia, Energia e Meio Ambiente. 1992. 160p.FERNANDES, A. C.; RITTER, M. J. A Família Asteraceae no Morro Santana, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. R. Bras. Bioci. Porto Alegre, v. 7, n. 4, p. 395-439, out./dez. 2009. Disponível em: <http://www6.ufrgs.br/seerbio/ojs/index.php/rbb/article/viewFile/1220/897>.LORENZI, H. Plantas Daninhas do Brasil: Terrestres, Aquáticas, Parasitas e Tóxicas. Instituto Plantarum. Nova Odessa, SP, 4ª ed. 2008. 672p. il.SCHNEIDER, A. 2010. Sonchus in Lista de Espécies da Flora do Brasil. Jardim Botânico do Rio de Janeiro. (http://floradobrasil.jbrj.gov.br/2010/FB016302).TABELAS de Composição de Alimentos – ENDEF. 5ª ed.; Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE; Rio de Janeiro, 1999. 137p. Disponível em: <http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/monografias/GEBIS%20-%20RJ/Tabela%20de%20Composicao%20de%20Alimento-ENDF.pdf>.