[Krugman] Friedman sobre o Japão

postado em 3 de nov de 2010 04:16 por Luiz Henrique Mourão Machado Machado

Estadão 29 de outubro de 2010 | 17h39

Paul Krugman

David Wessel tem um artigo no qual pergunta o que Milton Friedman diria sobre alívio quantitativo, e conclui que ele teria sido a favor. Mas eu fiquei chocado com as observações de Friedman sobre o Japão em 1998, nas quais ele disse basicamente que aumentar a base monetária faria o truque:

“O Banco do Japão pode comprar bônus do governo no mercado aberto…” ele escreveu em 1998, “a maioria dos rendimentos terminará em bancos comerciais, aumentando suas reservas e os capacitando a expandir… empréstimos e compras no mercado aberto. Mas quer eles façam isso ou não, a oferta monetária aumentará… Um maior crescimento da oferta monetária teria o mesmo efeito de sempre. Após aproximadamente um ano, a economia se expandirá mais rapidamente; a produção aumentará e, após outro atraso, a inflação aumentará moderadamente.”

Bem, eles fizeram isso: a partir de 2002, o Banco do Japão dobrou a base monetária num período de três anos.

E o dinheiro simplesmente ficou lá. O fato é que o bancos não aumentaram os empréstimos.

Aliás, a experiência do Japão é um elemento chave do caso contra o monetarismo. Simplesmente imprimir dinheiro não funciona quando se está numa armadilha de liquidez.

Comments