[Bradesco] Política Fiscal - Expansão das receitas e das despesas explicou o superávit de 2,8% do PIB em 2010

postado em 2 de fev de 2011 02:51 por Luiz Henrique Mourão Machado Machado

- O setor público consolidado apresentou superávit primário de R$ 101,7 bilhões em 2010, o que equivale a 2,8% do PIB, superior aos 2,0% do PIB registrados em 2009, conforme os indicadores divulgados hoje pelo Banco Central. Para o resultado fechado, o Governo Central atingiu a meta de 2,15% do PIB, enquanto que os governos regionais e estatais apresentaram resultado pouco abaixo do esperado, com superávits de 0,56% e 0,06% do PIB, respectivamente. Excluindo-se as receitas resultantes do processo de capitalização da Petrobras em setembro, que contribuíram com 0,9 p.p. do total, obtivemos um superávit primário próximo de 1,9% do PIB no ano passado.

 
- Especificamente em dezembro, o resultado fiscal de R$ 10,9 bilhões representou um recorde para os últimos meses do ano e foi impulsionado pelas contas do Governo Central - somando Tesouro Nacional, Previdência e Banco Central – chegando ao superávit de R$ 15,8 bilhões, refletindo o crescimento de 8,7% e 8,4% das receitas líquidas e das despesas totais, respectivamente, em termos reais em relação a 2009. Esse saldo positivo, por sua vez, foi compensado pelo desempenho dos governos regionais (estaduais e municipais) cujo resultado ficou negativo em R$ 3,9 bilhões no período, e pelo saldo levemente negativo das empresas estatais (-R$ 0,6 bilhão).

 
- De forma geral, para que superávit alcance a meta de 3,1% do PIB em 2010, seria necessário um desconto equivalente a 0,32 p.p. das despesas do PAC (de um total de 0,9 p.p. passíveis de serem utilizados). Já para 2011, esperamos que o resultado primário do setor público fique em 2,7% do PIB, o que já leva em conta uma desaceleração tanto das receitas totais, em linha com o crescimento mais moderado do PIB, quanto das despesas totais, resultante do comprometimento da União com o controle das despesas.

Octavio de Barros
Diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos - BRADESCO

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Comments