9.1 A Santificação

Para ler, estudar e meditar

1 Pedro 1.13-25; Efésios 4.17-24; Gálatas 5.15-26

Mesmo regenerados pelo Espirito Santo, ainda resta em nós uma natureza pecaminosa, pois somente na Glorificação seremos revestidos de incorruptibilidade (1 Co 50 - 58). Até que Jesus volte, nosso velho homem de natureza corrupta luta contra a nova natureza em Cristo. Como nos exorta Apostolo Paulo: “vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos renoveis no espirito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.” (Leia Efésios 4.17-24).

A Santificação é a nossa separação para Deus e o abandono do pecado. Devemos nos despir do velho homem que se entregava as paixões pecaminosas e nos revestir do novo homem em Cristo Jesus. Em todos nosso procedimento, vontade e pensamento, devem ser segundos o padrões de Cristo. Nossa meta é a conformação da imagem de Jesus Cristo (Romanos 8.29). Na Santificação nasce uma guerra continua entre nossa velha natureza corrupta e a nossa nova natureza em Cristo. Paulo descreve em Gálatas 5.16-17 que nossa carne, se referindo a nossa natureza corrupta, guerreia contra o Espirito, se referindo a nossa nova natureza gerada em nós pelo Espirito Santo. “Porque a carne milita contra o Espirito, e o Espirito, contra a carne, porque são opostos entre si, para que não façais o que, porventura, seja do nosso querer.”

Paulo descreve as obras desta carne corrupta em contraste com as obras da nossa nova natureza no Espirito.

Obras da natureza pecaminosa:
“Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas… “(Gálatas 5.19-21)

Obras da nossa nova natureza no Espirito: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio…” (Gálatas 5.22-23)

A santificação é a luta para abandonarmos as obras da carne pecaminosa para produzir os frutos do Espírito Santo em nós. A regeneração é uma ato exclusivo de Deus e instantânea, no entanto, a Santificação é um ato de Deus e também nosso, é um processo continuo e gradual até que Jesus volte. A Santificação é como uma moeda de dois lados, por um lado Deus trabalha em nós e no outro lado, nós mesmos buscamos fazer a vontade de Deus e renuncia ao pecado. É importante destacar que só conseguimos lutar contra o pecado, se buscarmos em Deus as forças para isso, com uma vida de leitura e devoção a Sua Palavra, oração e vida regular na igreja. Na santificação a ação de Deus e a vontade humana de um coração regenerado, se combinam. 

Apesar da santificação ser uma luta, ela é na verdade a busca da felicidade. O pecado por mais atraente que possa parecer, seus frutos são profundas tristezas, desesperadas desgraças e amarguras. A santidade em Deus é a nossa pura e eterna alegria.

N. Mascolo F.

A Santificação - Programa em poucas Palavras - Rev. Augustus Nicodemus


A Santidade da Vida por Presb. Solano Portela


A santidade na prática por Rev. Augustus Nicodemus