10.4 O Juízo Final

Para ler, estudar e meditar

Mateus 25.31-46; João 5.28,29; Apocalipse 20.11-15

Vemos em toda a Escrituras que nosso Deus é um Deus justo, mas muitas vezes questionamos as prosperidades dos maus, assim como fez o Salmista no Salmo 73. Neste Salmo 73 o salmista observa que muitos homens maus parecem não receberem punição de Deus, parecem que vivem tranquilamente. No entanto, ao refletir sobre o fim dos homens maus, o salmista concluiu que “Como ficam de súbito assolados, totalmente aniquilados de terror! Como ao sonho, quando se acorda, assim, ó Senhor, ao despertares, desprezarás a imagem deles. ” (Salmo 73.19-20)

Na volta de Cristo, ele estabelecerá um tribunal e julgará a todos os homens e não haverá um homem mal que ficará sem seu justo juízo. Jesus exortou: “Quando vier o Filho do Homem na sua majestade e todos os anjos com ele, então, se assentará no trono da sua glória; e todas as nações serão reunidas em sua presença, e ele separará uns dos outros, como o pastor separa dos cabritos as ovelhas; e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos, à esquerda; então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo. [...] Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Aparta-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mateus 25.31-34, 41). Esse severo alerta de Cristo nos ensina que em sua segunda vinda, aqueles que não acolheram o evangelho de Cristo e os seus humildes servos, são os cabritos, e serão julgados e separados daqueles que creram no evangelho de Cristo, as ovelhas. As ovelhas do sumo Pastor entrarão para eterno e glorioso Reino de Cristo Jesus e os cabritos serão lançados no inferno, o fogo da eterna punição. Neste dia do Juízo Final, Satanás e seus anjos maus também serão lançados no inferno. (Leia também João 5.28,29 e Apocalipse 20.11-15)

Por toda as Escrituras encontramos menção ao Juízo Final, “o dia da ira e da revelação do justo juízo de Deus” Romanos 2.5 (Leia também 1 Ts 1.10; Jo 3.36; Rm 5.9; Ef 5.6; Cl 3.6; Ap 6.17; 19.15). O Juízo que será realizado por Cristo em sua segunda vinda será um juízo final, onde Deus julgará com perfeita justiça todas as ações dos homens e em sua santa Ira, punirá toda a injustiça e os pecadores impenitentes. (Leia Romanos 2.5-11) Aqueles que não receberam a Cristo como seu Senhor e Salvador, serão julgados por suas próprias ações, condenados pelos seus próprios pecados. Já aqueles que receberam a Cristo como seu Senhor e Salvador, foram justificados pela fé em Cristo, Deus computará as obras de Cristo em sua conta, de modo que pelas boas obras de Cristo, seremos salvos. Se fossemos julgados por nossas próprias ações, também seríamos condenados, mas nossa fé em Cristo nos salva da condenação no dia do Juízo, pois as boas, santas e perfeitas obras de Cristo são creditadas como se fossem nossas obras. Permanecemos firmes em Cristo, porque somente por meio dele, seremos salvos da ira de Deus contra toda a injustiça e pecado, a ser revelada no dia do Juízo final, na segunda vinda de Cristo.

Aguardemos “dos céus o seu Filho, a quem ele ressuscitou dentre os mortos, Jesus, que nos livra da ira vindoura” (1 Tessalonicenses 1.10)

N. Mascolo F.

O Juízo Final: Características e Consequências - por Rev. Leandro Lima