356) APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS PARA ATIVIDADES EM SOLO GRAMPEADO

TREINAMENTO DE APR PARA ATIVIDADES GEOTÉCNICAS EM TALUDES COM SOLO GRAMPEADO

Data da Elaboração: 06/10/2021

Autores :

Eng. Civil e de Segurança do Trabalho - Eng. Luiz Antonio Naresi Júnior

Técnico de Segurança do Trabalho - Eric Vinícius Silva Martins

Eng. Marcos

Eng. Rodrigo Mendes

Técnico de Segurança Alexandro Botelho / Felipe Paula

A Análise de Risco da Tarefa (ART) é um método de análise de riscos que consiste em identificar, em cada passo dessa tarefa, as causas, situações de riscos ou perigos e medidas de controles que devem ser aplicadas para que um evento não ocorra ou para que as consequências desses eventos sejam mitigadas.

Uma vez estabelecidas e analisadas essas informações, realiza-se a classificação de risco em cada passo dessa tarefa, a partir da probabilidade e severidade.

Toda tarefa necessita de uma análise de risco de planejamento prévia que devido a nosa especialidade acaba sendo rotina.

Para atividades de rotina para as quais um procedimento seja elaborado, esse deve ser baseado em uma ART de planejamento prévia.

Além disso, nas obras de Projetos correntes, é obrigatório uma análise de risco local em todas as atividades, para identificação de mudanças nas condições de trabalho que podem não estar identificadas na ART temos de refazer o planejamento e reavalir a APR .

Campanha de divulgação do POTS

O que é a Análise Preliminar de Risco ?

A análise preliminar de risco consiste em uma avaliação prévia e aprofundada sobre os eventuais riscos envolvidos em um projeto ou atividade de trabalho.

Esse estudo deve considerar todas as fases de realização e, com base nelas, propor medidas apropriadas para prevenir acidentes.


PIT STOP DE SEGURANÇA - REFORÇANDO A IMPORTÂNCIA DA APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO

DISPOSIÇÕES GERAIS E ORIENTAÇÕES DE MEDIDAS DE CONTROLE

A Análise Preliminar de Risco deve ser divulgada diariamente para toda equipe, devendo permanecer na frente de trabalho com cópia da lista de presença devidamente preenchida e assinada por todos.

O encarregado deve orientar, acompanhar e exigir o uso dos EPIs de acordo com orientação da APR e Segurança do Trabalho;

Se surgir novas etapas na obra, não revistas inicialmente na execução do escopo principal do contrato, a mudança no método executivo ou oportunidade de melhoria a APR, deve ser revisada, incluindo o risco e medidas de controle usando o adendo da APR e divul-gando aos funcionários;

O encarregado junto com os funcionários deve observar efetivamente os riscos presentes na execução da atividade, avaliar todo o entorno, a fim de identificar novos riscos existentes

Utilizarf a ferramenta conhecida como observar a F: frente / A: atrás / L: lado; / A: acima / A: abaixo / D: dentro) e tomar as medidas necessárias.

Em dias chuvosos usar capa de chuvas para atividades de baixa intensidade e deslocamentos entre as frentes de serviço.

É proibido a realização de atividades na chuva de montagem, movimentação de carga, trabalho em altura;

Toda atividade crítica, só pode ter início após a emissão da PTP (Permissão para Trabalhos Perigosos ou especiais), como trabalho à quente, trabalhos em altura, trabalhos de escavação e perfuração, trabalhos com eletricidade, içamento de cargas, atividades que requeiram isolamento e bloqueio de energias. As atividades com eletricidade só poderem ser realizadas pelos próprios eletricistas;

Todo incidente e acidente deve ser comunicado de acordo com as orientações do PAE - Plano de atendimento a Emergencia.

As atividades devem ser realizadas tendo como premissa o cumprimento das normas e regras de conduta de cada obra.

Realizar pausas de 10 min (descanso) a cada hora trabalhada quando realizar a movimentação de materiais em longas distâncias, ou carga e descarga manual de materiais; para evitar esforço excessivo

É proibido o uso de adornos (anéis, alianças, brincos de argolas, correntes e pulseiras) bem como acondicionar, transportar e tomar água em garrafas PET.

Os funcionários devem interromper suas atividades exercendo o direito de recusa, quando orientados a realizar atividade que exponha a riscos graves e iminentes para sua segurança e deve comunicar a Segurança do Trabalho.

Devem atentar para atividades que exponham as mãos e outras partes do corpo a risco com partes móveis sem proteção ou risco de prensa-mento;

Seguir criteriosamente os protocolos de higiene, limpeza, distanciamento e uso de máscara para o enfrentamento a pandemia do COVID-19.

O que são agentes de risco:

Neste texto você irá conferir sobre o que são os agentes de risco e sua classificação dos agentes de risco ajudam na elaboração de programas de mapa de risco, PPRA entre outros.

A Portaria Nº 3.214 do Ministério do Trabalho e Emprego possui uma série de NR’s que consolidam a legislação trabalhista relacionadas à segurança do trabalho.

É ela que determinou a classificação dos agentes de risco ou riscos no ambiente de trabalho.

O que são agentes de risco:

Os agentes de risco são substâncias que quando expostas no limite de tolerância podem causar danos à saúde do trabalhador.

Por isso, os agentes de risco podem não ter consequências imediatas, pois podem depender de fatores como: tempo de exposição ao risco, intensidade, quantidade de agentes presentes no ambiente e mais.

Além disso, os agentes de risco podem ser agentes ou situações que de alguma forma possam trazer, comprometer ou ocasionar danos:

i) à saúde do trabalhador nos ambientes de trabalho, em função de sua natureza, concentração,intensidade e tempo de exposição;

ii) à qualidade do trabalho desenvolvido;

iii) aos animais;

iv) ao ambiente.

Os agentes de risco ou riscos ambientais são discutidos para elaboração e implementação de programas, como: Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional – PCMSO, Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA, Programa de Gerenciamento de Riscos – PGR, entre outros.

Tipos de agentes de risco

Os agentes de risco são classificados em 5 tipos, confira a seguir:

Riscos Físicos (Verde)

São diversas formas de energia a que possam estar expostos os trabalhadores, tais como: ruído, vibrações, pressões anormais, temperaturas extremas, radiações ionizantes, radiações não ionizantes, bem como o infra-som e o ultra-som.

Um exemplo das consequências do ruído como risco físico:

Consequências: Cansaço, irritação, dores de cabeça, diminuição da audição, aumento da pressão arterial, problemas no aparelho digestivo, taquicardia e perigo de infarto.

Riscos Químicos (Vermelho)

São as substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases ou vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser absorvidos pelo organismo através da pele ou por ingestão;

Um exemplo das consequências de poeiras minerais (sílica, asbesto, carvão, minerais) como risco químico:

Consequências: Silicose (quartzo), asbestose (amianto) e pneumoconiose dos minérios de carvão.

Riscos Biológicos (Marrom)

São riscos oferecidos por diversos tipos de micro-organismos que possam infectar o indivíduo por vias respiratórias, contato com a pele ou ingestão. São as bactérias, fungos, bacilos, parasitas, protozoários, vírus, entre outros;

Um exemplo das consequências de vírus, bactérias e protozoários como risco biológico:

Consequências: Doenças infecto-contagiosas. Ex.: hepatite, cólera, amebíase, AIDS, tétano, etc.

Riscos Ergonômicos (Amarelo)

Esforço físico intenso, Levantamento e transporte manual de peso, Exigência de postura inadequada, Controle rígido de produtividade, Imposição de ritmos excessivos, Trabalho em turno e noturno, Jornadas de trabalho prolongadas, Monotonia e repetitividade, Outras situações causadoras de stress físico e/ou psíquico.

Um exemplo das consequências de esforço físico, levantamento e transporte manual de pesos, exigências de postura, como risco ergonômico:

Consequências: Cansaço, dores musculares, fraquezas, hipertensão arterial, diabetes, úlcera, doenças nervosas, acidentes e problemas da coluna vertebral.

Riscos Acidentes/Mecânicos (Azul)

Arranjo físico inadequado, Máquinas e equipamentos sem proteção, Ferramentas inadequadas ou defeituosas, Iluminação inadequada, Eletricidade, Probabilidade de incêndio ou explosão, Armazenamento inadequado, Animais peçonhentos, Outras situações de risco que poderão contribuir para a ocorrência de acidentes;

Um exemplo das consequências de ligações elétricas deficientes , como risco mecânicos:

Consequências: Curto-circuito, choque elétrico, incêndio, queimaduras, acidentes fatais.

A importância de se entencer o projeto :

VISTA EM SEÇÃO

VISTA FORNTA

PLANTA BAIXA

Após entender o projeto partiremos para a definição executiva da obra em solo grampeado.

ELABORAÇÃO DA APR - ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS

Fases de Execução :

  1. Mobilização e Desmobilização de Pessoas e Equipamentos, transporte de equipamentos, ferramentas e materiais (Compressor de ar, Bomba de concreto projetado, Perfuratriz PW5000, Conjunto de injeção , Container almoxarifado, Caminhão munck)

  2. Içamento e movimentação de cargas;

  3. Montagem de chumbadores;

  4. Instalação das Ancoragens de crista do talude para acesso por corda dupla;

  5. Perfuração em solo / rocha com perfuratriz manual (HILT TE - 70 / PW RH Pneumática)

  6. Perfuração rotopercussiva em solo / rocha com perfuratriz de esteira tipo PW - 5000;

  7. Transporte e Instalação de Chumbadores de aço em Aço CA-50 nos furos

  8. Preparo e Injeção de Calda de cimento para injetar os chumbadores

  9. Andaime tubular metálico

  10. Execução do Ensaio de Arrancamento

  11. Aplicação e execução de dreno fibroquímico de paramento no talude.

  12. Corte, montagem e instalação / aplicação da Tela Metálica Eletrosoldada Q138

  13. Aplicação de Concreto Projetado (exceto concreto), volume passado na bomba

Entendendo as fases execuctivas visualmente planejadas para permitir a análise dos Principais Riscos :

  1. Mobilização e Desmobilização de Pessoas e Equipamentos, transporte de equipamentos, ferramentas e materiais (Compressor de ar, Bomba de concreto projetado, Perfuratriz PW5000, Conjunto de injeção , Container almoxarifado, Caminhão munck)

1 - Mobilização e Desmobilização de Pessoas e Equipamentos, transporte de equipamentos, ferramentas e materiais (Compressor de ar, Bomba de concreto projetado, Perfuratriz PW5000, Conjunto de injeção , Container almoxarifado, Caminhão munck)

ETAPA : Mobilização de Pessoas e Equipamentos

PRINCIPAIS RISCOS:

1.1 - Torção de membros

1.2 - Queda em Mesmo Nível

1.3 - Atopelamento

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1.1 - Manter comunicação positiva e verificar onde o piso se encontra e se esta adequado, adequando um caminho seguro para a passagem de pessoas.

1.1.2 - Deslocamento sempre que possível utilizando o corrimão pelo caminho seguro indicado nas frentes de serviço.

1.1.3 - Não pegar peso acima de 25 kg e sempre que possível dividir as cargas com demais colaboradores

2. Içamento e movimentação de cargas;

2 - Içamento e movimentação de cargas;

ETAPA : IÇAMENTO E MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS E DESCARGA DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS EQUIPAMENTOS

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Atropelamento

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1.1 - Isolar a área de içamento e seguir os procedimentos;

1.1.2 -Não pemanecer próximo do raio de giração da carga, muito menos transitar sobre a carga suspença;

1.1.3 - Isolar a área de operação e sinalizar garantindo o isolamento


ISOLAMENTO DA ÁREA COM GRADIL METÁICO E OPERAÇÃO DE DESCARGA COM JOYSTIK E OPERADOR FORA DO RAIO DE ALCANCE DA CARGA IÇADA

TREINAMENTO DE OPERADORES E DESCARGA ACOMPANHADA PELOS TÉCNICOS DE SEGURANÇA E LIDERNÇA DA OBRA COM ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO

3 . Montagem de chumbadores;

3 . Montagem de chumbadores;

ETAPA : Montagem de Chumbadores

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Atropelamento

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1.1 - Isolar da bancada de montagem e seguir os procedimentos para a montagem dos chumbadores, transportar os chumbadores sempre com no mínimo 2 pessoas a fim de reduzir o esforço excessívo;

1.1.2 -Não pemanecer próximo do raio de giração da carga, muito menos transitar sobre a carga suspença quando receber os chumbadores;

1.1.3 - Isolar a área de operação e sinalizar garantindo o isolamento

4. Instalação das Ancoragens de crista do talude para acesso por corda dupla;


ANCORAGEM ATRAVÉS DE HASTE APLICADA DIRETAMENTE CONTRA O TERRENO

4. Instalação das Ancoragens de crista do talude para acesso por corda dupla;

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1.1 - Usar corda dupla para trabalho nas atividades sempre ancorado em pelo menos 2 pontos de atracação;

1.1.2 -Não pemanecer próximo aos dinamômetros e tifor, eventualmente utilizados nas provas de resisência dos pontos de ancoragem para evitar o chicoteamento da corda em caso de eventual ruptura;

1.1.3 - sempre ficar atento aos treinamentos de corda dupla referente a descensão para esta capaz de executar as atividades

5. Perfuração em solo / rocha com perfuratriz manual (HILT TE - 70 / PW RH Pneumática)

5. Perfuração em solo / rocha com perfuratriz manual (HILT TE - 70 / PW RH Pneumática)

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

1.4 - Torção

1.5 - Atropelamento

1.6 - Corte

1.7 - Projeção de Partículas

1.8 - Postura inadequada

1.9 - Prensamento

1.10 Torção de Membro

1.11 - Presamento

1.12 - Poeira

1.13 - Rompimento de Mangote

1.14 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível

1.15 - Esforço excessivo

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1 - Acidente : Isolar a área para atividaes, sinalização e definição de caminhos de serviço;

1.2 - Esmagamento : Trabalhar sempre na cabine de comando;

1.3 - Queda : Manter os caminhos de serviço e plataforma de trabalhos sempre em nível; adequar constantemente o local criando harmonia no ambiente de trabaljo;

1.4 - Torção : Sempre olhar adiante onde pisa ciente que ambiente de obra pode conter imperfeições e desníveis nos caminhos de serviço da obra e nos locais de execução da atividade,usar botinaanti torção e EPI´s;

1.5 - Atropelamento: Uso de caminho seguro devidamente delimitado e sinalizado para evitar a entrada na obra de pessoas não autorizadas;

1.6 - Corte: Uso de luva de segurança, uniforme de manga longa, capacete, protetor auricular e botina de segurança com biqueira de aço e dispositivo anti torção e mascara de proteção contra poeiras e particulas;

1.7 - Projeção de Partículas: Uso de óculos de segurança e até mesmo máscara de proteção;

1.8 - Postura inadequada: Atentar para ergonomia principalmente não carregando peso e não abaixando arqueando as costas;

1.9 - Prensamento: Não expor partes do corpo, principalmete membros superiores e inferiores onde ocorra risco de prensamento ;

1.10 Torção de Membro: Uso de caminho seguro, em nível e demarcado.

1.11 - Poeira

1.12 - Rompimento de Mangote: Instalar cabrestos de aço anti-chicoteamento para em caso de soltura do mangote não atingir membros superiores

1.13 - Ruído: Uso de abafador de ouvido de preferência tipo concha;

1.14 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível: Inspeção previa dos equipamentos, principalmente quando se for trabalhaar em altura

1.15 - Esforço excessivo: sempre distribuir a carga do corpo conforavelmente no cinto de segurança e corda dupla para evitar o esforço excessivo sempre trabalhando de preferencia em dupla


6 . Perfuração rotopercussiva em solo / rocha com perfuratriz de esteira tipo PW - 5000;

6 . Perfuração rotopercussiva em solo / rocha com perfuratriz de esteira tipo PW - 5000;

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

1.4 - Torção

1.5 - Atropelamento

1.6 - Corte

1.7 - Projeção de Partículas

1.8 - Postura inadequada

1.9 - Prensamento

1.10 Torção de Membro

1.11 - Presamento

1.12 - Poeira

1.13 - Rompimento de Mangote

1.14 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível

1.15 - Esforço excessivo

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1 - Acidente : Isolar a área para atividaes, sinalização e definição de caminhos de serviço;

1.2 - Esmagamento : Trabalhar sempre na cabine de comando;

1.3 - Queda : Manter os caminhos de serviço e plataforma de trabalhos sempre em nível; adequar constantemente o local criando harmonia no ambiente de trabaljo;

1.4 - Torção : Sempre olhar adiante onde pisa ciente que ambiente de obra pode conter imperfeições e desníveis nos caminhos de serviço da obra e nos locais de execução da atividade,usar botinaanti torção e EPI´s;

1.5 - Atropelamento: Uso de caminho seguro devidamente delimitado e sinalizado para evitar a entrada na obra de pessoas não autorizadas;

1.6 - Corte: Uso de luva de segurança, uniforme de manga longa, capacete, protetor auricular e botina de segurança com biqueira de aço e dispositivo anti torção e mascara de proteção contra poeiras e particulas;

1.7 - Projeção de Partículas: Uso de óculos de segurança e até mesmo máscara de proteção;

1.8 - Postura inadequada: Atentar para ergonomia principalmente não carregando peso e não abaixando arqueando as costas;

1.9 - Prensamento: Não expor partes do corpo, principalmete membros superiores e inferiores onde ocorra risco de prensamento ;

1.10 Torção de Membro: Uso de caminho seguro, em nível e demarcado.

1.11 - Poeira

1.12 - Rompimento de Mangote: Instalar cabrestos de aço anti-chicoteamento para em caso de soltura do mangote não atingir membros superiores

1.13 - Ruído: Uso de abafador de ouvido de preferência tipo concha;

1.14 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível: Inspeção previa dos equipamentos, principalmente quando se for trabalhaar em altura

1.15 - Esforço excessivo: sempre distribuir a carga do corpo conforavelmente no cinto de segurança e corda dupla para evitar o esforço excessivo sempre trabalhando de preferencia em dupla

CAVALETE DE MADEIRA COM RISCO DE PRENSAMENTO DE MEMBROS SUPERIORES ANTES E DEPOIS DA ELIMINAÇÃO DO RISCO

6.1 . Perfuração rotopercussiva em solo / rocha com perfuratriz acoplada em wagon drill

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

1.4 - Torção

1.6 - Corte

1.7 - Projeção de Partículas

1.8 - Postura inadequada

1.9 - Prensamento

1.10 Torção de Membro

1.11 - Presamento

1.12 - Poeira

1.13 - Rompimento de Mangote

1.14 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível

1.15 - Esforço excessivo

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1 - Acidente : Isolar a área para atividaes, sinalização e definição de caminhos de serviço;

1.2 - Esmagamento : Trabalhar sempre a equipe de alpinista treinada e qualificada para atividade sempre com um supervisor no comando aferindo todos os sistemas de apoio, estaiamneto, apoios do wagondrill, cabos de aço, ancoragens, cordas duplas, acessórios,

1.3 - Queda : Manter os caminhos de serviço e utilizar a corda dupla, fazer o check list dos equipamento, visualizar os acessórios e os sistemas de controle, manter as cordas de trabalho alinhadas livres e desempedidas;

1.4 - Torção : Sempre olhar adiante onde pisa ciente que ambiente de obra pode conter imperfeições e desníveis nos caminhos de serviço da obra e nos locais de execução da atividade,usar botina anti torção e EPI´s adequados ao serviço de alpinista;

1.6 - Corte: Uso de luva de segurança, uniforme de manga longa, capacete alpinista, protetor auricular e botina de segurança com biqueira de aço e dispositivo anti torção, trava quedas, e mascara de proteção contra poeiras e particulas;

1.7 - Projeção de Partículas: Uso de óculos de segurança e até mesmo máscara de proteção;

1.8 - Postura inadequada: Atentar para ergonomia principalmente não carregando peso e não abaixando arqueando as costas, adotando as posturas adequadas aprendidas no curso de corda dupla;

1.9 - Prensamento: Não expor partes do corpo, principalmete membros superiores e inferiores onde ocorra risco de prensamento ;

1.10 Torção de Membro: Uso de caminho seguro, descer sempre com atividades de cima para baixo, e nunca executar trabalhos sobrepostos.

1.11 - Poeira: Utilizar mascaras adequadas quando da perfuração;

1.12 - Rompimento de Mangote: Instalar cabrestos de aço anti-chicoteamento para em caso de soltura do mangote não atingir membros superiores e colocar os mangotes distantes do corpo e fixados no solo;

1.13 - Ruído: Uso de abafador de ouvido de preferência tipo concha;

1.14 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível: Inspeção previa dos equipamentos, principalmente quando se for trabalhaar em altura, não deixar cordas sobrepostas

1.15 - Esforço excessivo: sempre distribuir a carga do corpo conforavelmente no cinto de segurança e corda dupla para evitar o esforço excessivo sempre trabalhando de preferencia em dupla

7. Transporte e Instalação de Chumbadores de aço em Aço CA-50 nos furos

TRANSPORTE DE CHUMBADORES FEITOS DE FORMA MANUAL E HARMONICA COM DISTRIBUIÇÃO HOMOGENEA DE PESO A FIM DE REDUÇÃO DO ESFORÇO EXCESSIVO

Vídeo mostrando a aplicação de chumbador no furo do talude perfurado

7. Transporte e Instalação de Chumbadores de aço em Aço CA-50 nos furos

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

1.4 - Torção de membro

1.5 - Corte

1.6 - Projeção de Partículas

1.7 - Postura inadequada

1.8 - Prensamento

1.9 Torção de Membro

1.10 - Presamento

1.11 - Poeira

1.12 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível

1.13 - Esforço excessivo

1.14 - Colisão

1.15 - Choque elétrico

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1 - Acidente : Isolar a área para atividaes, sinalização e definição de caminhos de serviço, cuidado pois o chumbador e grande e faz uma barriga no aço e dependendo do tamanho dispositivos como corda ou pessoas para apoio são necessários;

1.2 - Esmagamento : cuidado ao aplicar o chumbador no furo não ter membros superiores em contato direto com ochumbador, sempre utilizar uma corda para apoio e direcionamento no mesmo no furo com apoio de outras pessoas;

1.3 - Queda : Manter os caminhos de serviço e plataforma de trabalhos sempre em nível; adequar constantemente o local criando harmonia no ambiente de trabalho, principalmente deixando o atlude com acerto manual bem feito;

1.4 - Torção : Sempre olhar adiante onde pisa ciente que ambiente de obra pode conter imperfeições e desníveis nos caminhos de serviço da obra e nos locais de execução da atividade,usar botinaanti torção e EPI´s; cuidado na aplicação do chumbador para evitar o esforço excessico;

1.5 - Corte: Uso de luva de segurança, uniforme de manga longa, capacete, protetor auricular e botina de segurança com biqueira de aço e dispositivo anti torção e mascara de proteção contra poeiras e particulas;

1.6 - Projeção de Partículas: Uso de óculos de segurança e até mesmo máscara de proteção; pois durante a aplicação do chumbador poderá cair particulas do talude como até mesmo projeção de alguma particula proveniente do interior da perfuração;

1.7 - Postura inadequada: Atentar para ergonomia principalmente não carregando peso e não abaixando arqueando as costas;

1.8 - Prensamento: Não expor partes do corpo, principalmete membros superiores e inferiores onde ocorra risco de prensamento ;

1.9 Torção de Membro: Uso de caminho seguro, em nível e demarcado, utilizar luvas especiais e botina anti torsão;

1.10 - Ruído: Uso de abafador de ouvido de preferência tipo concha;

1.11 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível: Inspeção previa dos equipamentos, principalmente quando se for trabalhaar em altura

1.12 - Esforço excessivo: sempre distribuir a carga do corpo conforavelmente no cinto de segurança e corda dupla para evitar o esforço excessivo sempre trabalhando de preferencia em dupla

1.13 - Colisão: Na aplicação do chumbador isolar a área e ficar fora do raio de aplicação do chumbador para caso não conseguir ser colocado no furo não fazer o efeito chicote podendo atingir as pessoas no raio de ação da aplicação do chumbador;

1.14 - Choque elétrico: sempre atentar se existe presença de rede elérica de alta voltagem na aplicação dos chumbadores, pois msmo que o mesmo não encoste por contato na rede elétrica e comum a formação dearco voltaico correndo risco do funcionário durante a aplicação tomar uma descarga elétrica, isolar a área, utilizar isolante da rede elétrica e desligar as facas do trecho da rede de alta tensão caso não existe outro meio de intervenção ou solicitar o remanejamento de postes elétricos a operadora consessionária de energia elétrica;


Geralmente para chumbadores curtos e utilizado um funcionário para conduzir o chumbador na boca da perfuração e outro para apoiar o raio de curvatura e um terceiro funcionário na crista do talude para apoio com uma corda longa amarrada no terço medio superior do chumbador para reduzir o esforço para a aplicação no furo.

8. Preparo e Injeção de Calda de cimento para injetar os chumbadores

9. Andaime tubular metálico

9. Andaime tubular metálico

10. Execução do Ensaio de Arrancamento

10. Execução do Ensaio de Arrancamento

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

1.4 - Torção de membro

1.5 - Corte

1.6 - Projeção de Partículas

1.7 - Postura inadequada

1.8 - Prensamento

1.9 Torção de Membro

1.10 - Batida contra e Presamento

1.11 - Poeira

1.12 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível no talude

1.13 - Esforço excessivo

1.14 - Colisão

1.15 - Choque elétrico

1.16 - Atropelamento durante a mobilização para executar a atividade

1.17 - Esforço excessivo

1.18 - Queda de pessoas durante a atividade

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1 - Acidente : Isolar a área para atividaes, sinalização e definição de caminhos de serviço, cuidado pois o chumbador e grande e faz uma barriga no aço e dependendo do tamanho dispositivos como corda ou pessoas para apoio são necessários;

1.2 - Esmagamento : cuidado ao aplicar o chumbador no furo não ter membros superiores em contato direto com ochumbador, sempre utilizar uma corda para apoio e direcionamento no mesmo no furo com apoio de outras pessoas;

1.3 - Queda : Manter os caminhos de serviço e plataforma de trabalhos sempre em nível; adequar constantemente o local criando harmonia no ambiente de trabalho, principalmente deixando o atlude com acerto manual bem feito;

1.4 - Torção de membros: Sempre olhar adiante onde pisa ciente que ambiente de obra pode conter imperfeições e desníveis nos caminhos de serviço da obra e nos locais de execução da atividade,usar botina anti torção e EPI´s; cuidado na aplicação do chumbador para evitar o esforço excessico; Usar caminho seguro, verificar onde pisa e adequar o local sempre que for necessário apra eliminar o risco de escorregamento;

1.5 - Corte: Uso de luva de segurança, uniforme de manga longa, capacete, protetor auricular e botina de segurança com biqueira de aço e dispositivo anti torção e mascara de proteção contra poeiras e particulas, principalmente durante a fase final do ensaio pelo risco do chumbador poder se soltar do solo, ou a barra romper por errono calculo de protensão, e nunca permanecer próximo ou principalemte atrás do chumbador durante o ensaio pelo risco de projeção da barra. Uso de luvas de vaqueta e uniforme de manga longa;

1.6 - Projeção de Partículas: Uso de óculos de segurança e até mesmo máscara de proteção; pois durante a aplicação do chumbador poderá cair particulas do talude como até mesmo projeção de alguma particula proveniente do interior da perfuração;

1.7 - Postura inadequada: Atentar para ergonomia principalmente não carregando peso e não abaixando arqueando as costas; manter a postura correta e utilizar dispositivos de guindar de preferencia;

1.8 - Prensamento: Não expor partes do corpo, principalmete membros superiores e inferiores onde ocorra risco de prensamento ;

1.9 Torção de Membro: Uso de caminho seguro, em nível e demarcado, utilizar luvas especiais e botina anti torsão;

1.10 - Batida contra e prensamento: Verificar o espaço físico e seu entorno para a execução da atividade segura;

1.11 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível no talude: Inspeção previa dos equipamentos, principalmente quando se for trabalhaar em altura e no talude fazendo a descensão sempre utilizando o cinto de segurança paraquedista e as cordas duplas funcionando como sistema de apoio e proteção como linha de vida acoplando os talabartes duplos em locais fixos para garantir e evitar a queda inclusive criando dispositivos de segurança para evitar a queda de equipamentos isolando a área fcando proibida qualquer atividade sobreposta ou inferior a atividade;

1.12 - Esforço excessivo: sempre distribuir a carga do corpo conforavelmente no cinto de segurança e corda dupla para evitar o esforço excessivo sempre trabalhando de preferencia em dupla

1.13 - Colisão: Na aplicação do chumbador isolar a área e ficar fora do raio de aplicação do chumbador para caso não conseguir ser colocado no furo não fazer o efeito chicote podendo atingir as pessoas no raio de ação da aplicação do chumbador;

1.14 - Choque elétrico: sempre atentar se existe presença de rede elérica de alta voltagem na aplicação dos chumbadores, pois msmo que o mesmo não encoste por contato na rede elétrica e comum a formação dearco voltaico correndo risco do funcionário durante a aplicação tomar uma descarga elétrica, isolar a área, utilizar isolante da rede elétrica e desligar as facas do trecho da rede de alta tensão caso não existe outro meio de intervenção ou solicitar o remanejamento de postes elétricos a operadora consessionária de energia elétrica;

1.16 - Atropelamento durante a mobilização para executar a atividade: Utilizar o caminho seguro, respeitar a sinalização de segurança na área principalmente se existir interação homem x máquina.

1.17 - Esforço excessivo: Sempre colocar o conjunto macaco e bomba de protensão para o ensaio de arrancamento sempre com um colega de trabalho para redução do esforço excessivo;

1.18 - Queda de pessoas durante a atividade: Os funcionários que estiverem no talude durante a execução do ensaio de arrancamento sempre star atracados ao cinto paraquedista com os talabartes de apoio aderidos a locais fixos como as telas metálicas já instaladas no talude e sempre com apoio das cordas duplas e sistema de proteção contra quedas, inspecionando seus sistemas de EPI e EPC e equipamentos sempre quando estiverem praticando a atividade;


11. Aplicação e execução de dreno fibroquímico de paramento no talude.

11. Aplicação e execução de dreno fibroquímico de paramento no talude.

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

1.4 - Torção de membro

1.5 - Corte

1.6 - Projeção de Partículas

1.7 - Postura inadequada

1.8 - Prensamento

1.9 Torção de Membro

1.10 - Batida contra e Presamento

1.11 - Poeira

1.12 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível no talude

1.13 - Esforço excessivo

1.14 - Colisão

1.15 - Choque elétrico

1.16 - Atropelamento durante a mobilização para executar a atividade

1.17 - Esforço excessivo

1.18 - Queda de pessoas durante a atividade

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1 - Acidente : Isolar a área para atividaes, sinalização e definição de caminhos de serviço, cuidado pois o chumbador e grande e faz uma barriga no aço e dependendo do tamanho dispositivos como corda ou pessoas para apoio são necessários;

1.2 - Esmagamento : cuidado ao aplicar o chumbador no furo não ter membros superiores em contato direto com ochumbador, sempre utilizar uma corda para apoio e direcionamento no mesmo no furo com apoio de outras pessoas;

1.3 - Queda : Manter os caminhos de serviço e plataforma de trabalhos sempre em nível; adequar constantemente o local criando harmonia no ambiente de trabalho, principalmente deixando o atlude com acerto manual bem feito;

1.4 - Torção de membros: Sempre olhar adiante onde pisa ciente que ambiente de obra pode conter imperfeições e desníveis nos caminhos de serviço da obra e nos locais de execução da atividade,usar botina anti torção e EPI´s; cuidado na aplicação do chumbador para evitar o esforço excessico; Usar caminho seguro, verificar onde pisa e adequar o local sempre que for necessário apra eliminar o risco de escorregamento;

1.5 - Corte: Uso de luva de segurança, uniforme de manga longa, capacete, protetor auricular e botina de segurança com biqueira de aço e dispositivo anti torção e mascara de proteção contra poeiras e particulas, principalmente durante a fase final do ensaio pelo risco do chumbador poder se soltar do solo, ou a barra romper por errono calculo de protensão, e nunca permanecer próximo ou principalemte atrás do chumbador durante o ensaio pelo risco de projeção da barra. Uso de luvas de vaqueta e uniforme de manga longa;

1.6 - Projeção de Partículas: Uso de óculos de segurança e até mesmo máscara de proteção; pois durante a aplicação do chumbador poderá cair particulas do talude como até mesmo projeção de alguma particula proveniente do interior da perfuração;

1.7 - Postura inadequada: Atentar para ergonomia principalmente não carregando peso e não abaixando arqueando as costas; manter a postura correta e utilizar dispositivos de guindar de preferencia;

1.8 - Prensamento: Não expor partes do corpo, principalmete membros superiores e inferiores onde ocorra risco de prensamento ;

1.9 Torção de Membro: Uso de caminho seguro, em nível e demarcado, utilizar luvas especiais e botina anti torsão;

1.10 - Batida contra e prensamento: Verificar o espaço físico e seu entorno para a execução da atividade segura;

1.11 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível no talude: Inspeção previa dos equipamentos, principalmente quando se for trabalhaar em altura e no talude fazendo a descensão sempre utilizando o cinto de segurança paraquedista e as cordas duplas funcionando como sistema de apoio e proteção como linha de vida acoplando os talabartes duplos em locais fixos para garantir e evitar a queda inclusive criando dispositivos de segurança para evitar a queda de equipamentos isolando a área fcando proibida qualquer atividade sobreposta ou inferior a atividade;

1.12 - Esforço excessivo: sempre distribuir a carga do corpo conforavelmente no cinto de segurança e corda dupla para evitar o esforço excessivo sempre trabalhando de preferencia em dupla

1.13 - Colisão: Na aplicação do chumbador isolar a área e ficar fora do raio de aplicação do chumbador para caso não conseguir ser colocado no furo não fazer o efeito chicote podendo atingir as pessoas no raio de ação da aplicação do chumbador;

1.14 - Choque elétrico: sempre atentar se existe presença de rede elérica de alta voltagem na aplicação dos chumbadores, pois msmo que o mesmo não encoste por contato na rede elétrica e comum a formação dearco voltaico correndo risco do funcionário durante a aplicação tomar uma descarga elétrica, isolar a área, utilizar isolante da rede elétrica e desligar as facas do trecho da rede de alta tensão caso não existe outro meio de intervenção ou solicitar o remanejamento de postes elétricos a operadora consessionária de energia elétrica;

1.16 - Atropelamento durante a mobilização para executar a atividade: Utilizar o caminho seguro, respeitar a sinalização de segurança na área principalmente se existir interação homem x máquina.

1.17 - Esforço excessivo: Sempre colocar o conjunto macaco e bomba de protensão para o ensaio de arrancamento sempre com um colega de trabalho para redução do esforço excessivo;

1.18 - Queda de pessoas durante a atividade: Os funcionários que estiverem no talude durante a execução do ensaio de arrancamento sempre star atracados ao cinto paraquedista com os talabartes de apoio aderidos a locais fixos como as telas metálicas já instaladas no talude e sempre com apoio das cordas duplas e sistema de proteção contra quedas, inspecionando seus sistemas de EPI e EPC e equipamentos sempre quando estiverem praticando a atividade;

12. Corte, montagem e instalação / aplicação da Tela Metálica Eletrosoldada Q138

12. Corte, montagem e instalação / aplicação da Tela Metálica Eletrosoldada Q138

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

1.4 - Torção de membro

1.5 - Corte

1.6 - Projeção de Partículas

1.7 - Postura inadequada

1.8 - Prensamento

1.9 Torção de Membro

1.10 - Batida contra e Presamento

1.11 - Poeira

1.12 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível no talude

1.13 - Esforço excessivo

1.14 - Colisão

1.15 - Choque elétrico

1.16 - Atropelamento durante a mobilização para executar a atividade

1.17 - Esforço excessivo

1.18 - Queda de pessoas durante a atividade

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1 - Acidente : Isolar a área para atividaes, sinalização e definição de caminhos de serviço, cuidado pois o chumbador e grande e faz uma barriga no aço e dependendo do tamanho dispositivos como corda ou pessoas para apoio são necessários;

1.2 - Esmagamento : cuidado ao aplicar o chumbador no furo não ter membros superiores em contato direto com ochumbador, sempre utilizar uma corda para apoio e direcionamento no mesmo no furo com apoio de outras pessoas;

1.3 - Queda : Manter os caminhos de serviço e plataforma de trabalhos sempre em nível; adequar constantemente o local criando harmonia no ambiente de trabalho, principalmente deixando o tlude com acerto manual bem feito; utilizar sempre o cinto paraquedista com talabarte duplo para alívio de forças e esforço excessivo durante a atividade e as duas cordas dupla apenas para descensão e o dispositivo na 2a corda de travamento de queda.

1.4 - Torção de membros: Sempre olhar adiante onde pisa ciente que ambiente de obra pode conter imperfeições e desníveis nos caminhos de serviço da obra e nos locais de execução da atividade,usar botina anti torção e EPI´s; cuidado na aplicação do chumbador para evitar o esforço excessico; Usar caminho seguro, verificar onde pisa e adequar o local sempre que for necessário apra eliminar o risco de escorregamento;

1.5 - Corte: Uso de luva de segurança, uniforme de manga longa, capacete, protetor auricular e botina de segurança com biqueira de aço e dispositivo anti torção e mascara de proteção contra poeiras e particulas, principalmente durante a fase final do ensaio pelo risco do chumbador poder se soltar do solo, ou a barra romper por errono calculo de protensão, e nunca permanecer próximo ou principalemte atrás do chumbador durante o ensaio pelo risco de projeção da barra. Uso de luvas de vaqueta e uniforme de manga longa;

1.6 - Projeção de Partículas: Uso de óculos de segurança e até mesmo máscara de proteção; pois durante a aplicação do chumbador poderá cair particulas do talude como até mesmo projeção de alguma particula proveniente do interior da perfuração;

1.7 - Postura inadequada: Atentar para ergonomia principalmente não carregando peso e não abaixando arqueando as costas; manter a postura correta e utilizar dispositivos de guindar de preferencia;

1.8 - Prensamento: Não expor partes do corpo, principalmete membros superiores e inferiores onde ocorra risco de prensamento ;

1.9 Torção de Membro: Uso de caminho seguro, em nível e demarcado, utilizar luvas especiais e botina anti torsão;

1.10 - Batida contra e prensamento: Verificar o espaço físico e seu entorno para a execução da atividade segura;

1.11 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível no talude: Inspeção previa dos equipamentos, principalmente quando se for trabalhaar em altura e no talude fazendo a descensão sempre utilizando o cinto de segurança paraquedista e as cordas duplas funcionando como sistema de apoio e proteção como linha de vida acoplando os talabartes duplos em locais fixos para garantir e evitar a queda inclusive criando dispositivos de segurança para evitar a queda de equipamentos isolando a área fcando proibida qualquer atividade sobreposta ou inferior a atividade;

1.12 - Esforço excessivo: sempre distribuir a carga do corpo conforavelmente no cinto de segurança e corda dupla para evitar o esforço excessivo sempre trabalhando de preferencia em dupla

1.13 - Colisão: Na aplicação do chumbador isolar a área e ficar fora do raio de aplicação do chumbador para caso não conseguir ser colocado no furo não fazer o efeito chicote podendo atingir as pessoas no raio de ação da aplicação do chumbador;

1.14 - Choque elétrico: sempre atentar se existe presença de rede elérica de alta voltagem na aplicação dos chumbadores, pois msmo que o mesmo não encoste por contato na rede elétrica e comum a formação dearco voltaico correndo risco do funcionário durante a aplicação tomar uma descarga elétrica, isolar a área, utilizar isolante da rede elétrica e desligar as facas do trecho da rede de alta tensão caso não existe outro meio de intervenção ou solicitar o remanejamento de postes elétricos a operadora consessionária de energia elétrica;

1.16 - Atropelamento durante a mobilização para executar a atividade: Utilizar o caminho seguro, respeitar a sinalização de segurança na área principalmente se existir interação homem x máquina.

1.17 - Esforço excessivo: Sempre colocar o conjunto macaco e bomba de protensão para o ensaio de arrancamento sempre com um colega de trabalho para redução do esforço excessivo;

1.18 - Queda de pessoas durante a atividade: Os funcionários que estiverem no talude durante a execução do ensaio de arrancamento sempre star atracados ao cinto paraquedista com os talabartes de apoio aderidos a locais fixos como as telas metálicas já instaladas no talude e sempre com apoio das cordas duplas e sistema de proteção contra quedas, inspecionando seus sistemas de EPI e EPC e equipamentos sempre quando estiverem praticando a atividade;

13. Aplicação de Concreto Projetado (exceto concreto), volume passado na bomba

13. Aplicação de Concreto Projetado (exceto concreto), volume passado na bomba

1.1 - Acidente

1.2 - Esmagamento

1.3 - Queda

1.4 - Torção de membro

1.5 - Corte

1.6 - Projeção de Partículas

1.7 - Postura inadequada

1.8 - Prensamento

1.9 Torção de Membro

1.10 - Batida contra e Presamento

1.11 - Poeira

1.12 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível no talude

1.13 - Esforço excessivo

1.14 - Colisão

1.15 - Choque elétrico

1.16 - Atropelamento durante a mobilização para executar a atividade

1.17 - Esforço excessivo

1.18 - Queda de pessoas durante a atividade

MEDIDAS DE CONTROLE

1.1 - Acidente : Isolar a área para atividaes, sinalização e definição de caminhos de serviço, cuidado pois o chumbador e grande e faz uma barriga no aço e dependendo do tamanho dispositivos como corda ou pessoas para apoio são necessários;

1.2 - Esmagamento : cuidado ao aplicar o chumbador no furo não ter membros superiores em contato direto com ochumbador, sempre utilizar uma corda para apoio e direcionamento no mesmo no furo com apoio de outras pessoas;

1.3 - Queda : Manter os caminhos de serviço e plataforma de trabalhos sempre em nível; adequar constantemente o local criando harmonia no ambiente de trabalho, principalmente deixando o atlude com acerto manual bem feito;

1.4 - Torção de membros: Sempre olhar adiante onde pisa ciente que ambiente de obra pode conter imperfeições e desníveis nos caminhos de serviço da obra e nos locais de execução da atividade,usar botina anti torção e EPI´s; cuidado na aplicação do chumbador para evitar o esforço excessico; Usar caminho seguro, verificar onde pisa e adequar o local sempre que for necessário apra eliminar o risco de escorregamento;

1.5 - Corte: Uso de luva de segurança, uniforme de manga longa, capacete, protetor auricular e botina de segurança com biqueira de aço e dispositivo anti torção e mascara de proteção contra poeiras e particulas, principalmente durante a fase final do ensaio pelo risco do chumbador poder se soltar do solo, ou a barra romper por errono calculo de protensão, e nunca permanecer próximo ou principalemte atrás do chumbador durante o ensaio pelo risco de projeção da barra. Uso de luvas de vaqueta e uniforme de manga longa;

1.6 - Projeção de Partículas: Uso de óculos de segurança e até mesmo máscara de proteção; pois durante a aplicação do chumbador poderá cair particulas do talude como até mesmo projeção de alguma particula proveniente do interior da perfuração;

1.7 - Postura inadequada: Atentar para ergonomia principalmente não carregando peso e não abaixando arqueando as costas; manter a postura correta e utilizar dispositivos de guindar de preferencia;

1.8 - Prensamento: Não expor partes do corpo, principalmete membros superiores e inferiores onde ocorra risco de prensamento ;

1.9 Torção de Membro: Uso de caminho seguro, em nível e demarcado, utilizar luvas especiais e botina anti torsão;

1.10 - Batida contra e prensamento: Verificar o espaço físico e seu entorno para a execução da atividade segura;

1.11 - Queda em mesmo nível e em diferença de nível no talude: Inspeção previa dos equipamentos, principalmente quando se for trabalhaar em altura e no talude fazendo a descensão sempre utilizando o cinto de segurança paraquedista e as cordas duplas funcionando como sistema de apoio e proteção como linha de vida acoplando os talabartes duplos em locais fixos para garantir e evitar a queda inclusive criando dispositivos de segurança para evitar a queda de equipamentos isolando a área fcando proibida qualquer atividade sobreposta ou inferior a atividade;

1.12 - Esforço excessivo: sempre distribuir a carga do corpo conforavelmente no cinto de segurança e corda dupla para evitar o esforço excessivo sempre trabalhando de preferencia em dupla

1.13 - Colisão: Na aplicação do chumbador isolar a área e ficar fora do raio de aplicação do chumbador para caso não conseguir ser colocado no furo não fazer o efeito chicote podendo atingir as pessoas no raio de ação da aplicação do chumbador;

1.14 - Choque elétrico: sempre atentar se existe presença de rede elérica de alta voltagem na aplicação dos chumbadores, pois msmo que o mesmo não encoste por contato na rede elétrica e comum a formação dearco voltaico correndo risco do funcionário durante a aplicação tomar uma descarga elétrica, isolar a área, utilizar isolante da rede elétrica e desligar as facas do trecho da rede de alta tensão caso não existe outro meio de intervenção ou solicitar o remanejamento de postes elétricos a operadora consessionária de energia elétrica;

1.16 - Atropelamento durante a mobilização para executar a atividade: Utilizar o caminho seguro, respeitar a sinalização de segurança na área principalmente se existir interação homem x máquina.

1.17 - Esforço excessivo: Sempre colocar o conjunto macaco e bomba de protensão para o ensaio de arrancamento sempre com um colega de trabalho para redução do esforço excessivo;

1.18 - Queda de pessoas durante a atividade: Os funcionários que estiverem no talude durante a execução do ensaio de arrancamento sempre star atracados ao cinto paraquedista com os talabartes de apoio aderidos a locais fixos como as telas metálicas já instaladas no talude e sempre com apoio das cordas duplas e sistema de proteção contra quedas, inspecionando seus sistemas de EPI e EPC e equipamentos sempre quando estiverem praticando a atividade;

14. IMPLANTAÇÃO DE EPC ESCADA DE ACESSO PROVISÓRIA PARA OBRAS PARA DIFERENÇA DE NÍVEL

NR 18 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO

18.12 Escadas, Rampas e Passarelas

18.12.1 A madeira a ser usada para construção de escadas, rampas e passarelas deve ser de boa qualidade, sem apresentar nós e rachaduras que comprometam sua resistência, estar seca, sendo proibido o uso de pintura que encubra imperfeições.

18.12.2 As escadas de uso coletivo, rampas e passarelas para a circulação de pessoas e materiais devem ser de construção sólida e dotadas de corrimão e rodapé.

18.12.3 A transposição de pisos com diferença de nível superior a 0,40m (quarenta centímetros) deve ser feita por meio de escadas ou rampas.

18.12.4 É obrigatória a instalação de rampa ou escada provisória de uso coletivo para transposição de níveis como meio de circulação de trabalhadores.

18.12.5 Escadas.

18.12.5.1 As escadas provisórias de uso coletivo devem ser dimensionadas em função do fluxo de trabalhadores, respeitando-se a largura mínima de 0,80 (oitenta centímetros), devendo ter pelo menos a cada 2,90m (dois metros e noventa centímetros) de altura um patamar intermediário.

18.12.5.1.1 Os patamares intermediários devem ter largura e comprimento, no mínimo, iguais à largura da escada.

18.12.5.2 A escada de mão deve ter seu uso restrito para acessos provisórios e serviços de pequeno porte.

18.12.5.3 As escadas de mão poderão ter até 7,00m (sete metros) de extensão e o espaçamento entre os degraus deve ser uniforme, variando entre 0,25m (vinte e cinco centímetros) a 0,30m (trinta centímetros).

18.12.5.4 É proibido o uso de escada de mão com montante único.

18.12.5.5 É proibido colocar escada de mão: a) nas proximidades de portas ou áreas de circulação; b) onde houver risco de queda de objetos ou materiais; c) nas proximidades de aberturas e vãos.

18.12.5.6 A escada de mão deve: a) ultrapassar em 1,00m (um metro) o piso superior; b) ser fixada nos pisos inferior e superior ou ser dotada de dispositivo que impeça o seu escorregamento; c) ser dotada de degraus antiderrapantes; d) ser apoiada em piso resistente.

18.12.5.7 É proibido o uso de escada de mão junto a redes e equipamentos elétricos desprotegidos.

18.12.5.8 A escada de abrir deve ser rígida, estável e provida de dispositivos que a mantenham com abertura constante, devendo ter comprimento máximo de 6,00m (seis metros), quando fechada.

18.12.5.9 A escada extensível deve ser dotada de dispositivo limitador de curso, colocado no quarto vão a contar da catraca. Caso não haja o limitador de curso, quando estendida, deve permitir uma sobreposição de no mínimo 1,00m (um metro).

18.12.5.10 A escada fixa, tipo marinheiro, com 6,00 (seis metros) ou mais de altura, deve ser provida de gaiola protetora a partir de 2,00m (dois metros) acima da base até 1,00m (um metro) acima da última superfície de trabalho.

18.12.5.10.1 Para cada lance de 9,00m (nove metros), deve existir um patamar intermediário de descanso, protegido por guarda-corpo e rodapé. 18.12.6 Rampas e passarelas.

18.12.6.1 As rampas e passarelas provisórias devem ser construídas e mantidas em perfeitas condições de uso e segurança.

18.12.6.2 As rampas provisórias devem ser fixadas no piso inferior e superior, não ultrapassando 30º (trinta graus) de inclinação em relação ao piso.

18.12.6.3 Nas rampas provisórias, com inclinação superior a 18º (dezoito graus), devem ser fixadas peças transversais, espaçadas em 0,40m (quarenta centímetros), no máximo, para apoio dos pés. 18.12.6.4 As rampas provisórias usadas para trânsito de caminhões devem ter largura mínima de 4,00m (quatro metros) e ser fixadas em suas extremidades.

18.12.6.5 Não devem existir ressaltos entre o piso da passarela e o piso do terren.º

18.12.6.6 Os apoios das extremidades das passarelas devem ser dimensionados em função do comprimento total das mesmas e das cargas a que estarão submetidas.


Revisão : Inclusão trabalho em Wagon drril em 22-04-2022.