348) Artigo para Recuperaçãoe Reforço de Túneis Ferroviários

OBRA DA PROGEO RECUPERA TRÊS TÚNEIS SIMULTANEAMENTE NA FERROVIA DA MRS EM SANTOS DUMONT E BARBACENA EM MINAS GERAIS SEM REGISTRO DE OCORRÊNCIA DE SEGURANÇA

MAIS TRÊS TÚNEIS PASSAM POR PROCESSO DE RECUPERAÇÃO ESTRUTURAL NA MRS

OBRAS FORAM CONCLUÍDAS NO PRAZO ESTIPULADO E SEM ACIDENTE PESSOAL OU FERROVIÁRIO

Mais uma importante etapa do plano de recuperação estrutural de túneis foi concluída neste mês de março. Iniciado em dezembro de 2018, o trabalho da equipe da Gerência Geral de Infraestrutura foi focado, desta vez, no município de Santos Dumont (MG), onde três túneis (25, 26 e 27) passaram pelos processos de hidrojateamento, fixação de tela, instalação de chumbadores tirantes, projeção de concreto com fibra e perfuração de novos drenos.

Equipe da Progeo na frente de serviço de um dos túneis agradecendo a toodos pelo trabalho em equipe

A Equipe da Obra TUNEL25 da PROGEO Engenharia, com cerca de 60 colaboradores no momento de pico da obra, acaba de concluir no período de 21 de dezemro de 2018 a 21 de Junho de 2019 a recuperação estrutural de três túneis de núemeros 26, 27 e 28 próximos a Barbacena - MG importantes para o cliente MRS nos túneis T-25 Km 342 + 812, T-26 km 345 + 503 e T-27 km 347 + 047 da Linha do Centro entre Juiz de Fora e Belo Horizonte, muito próximos a cidade de Barbacena conhecida terra das Rosas.

“É um trabalho bastante complexo, que demanda sempre um grande esforço, mas é extremamente importante para garantir a sustentabilidade do negócio da empresa, garantindo a confiabilidade dos ativos”, destaca o gerente de Infraestrutura MG, Vagner Emanuel. “Nas inspeções regulares da equipe técnica da engenharia de infraestrutura são analisadas as diversas patologias em túneis e, na sequência, classificadas de acordo com sua criticidade. A partir daí, é estabelecido em um plano plurianual de intervenção. Já na fase de obras, é sempre necessário um planejamento detalhado de cada etapa para garantir o melhor método de execução, com o mínimo de impacto operacional possível”, explica o gestor.

PLANEJAMENTO DA OBRA E FRENTES DE SERVIÇO

A sinergia com diversas áreas é imprescindível, por exemplo, para programar os intervalos consecutivos de seis horas diárias, de segunda a sexta-feira, que foram planejados para os meses de janeiro e fevereiro, inclusive em horário noturno, para minimizar o impacto à operação ferroviária.

O resultado final, segundo o engenheiro da PROGEO Luiz Antônio Naresi Júnior, que participou ativamente desde o início de todas as etapas da obra, entre a mobilização e a desmobilização focando além do planejamento e da técnica aprovada em pelo cliente a garantia da segurança do trabalho executando uma obra sem acidente e ainda agregando a garantia do respeito ao Meio Ambiente entregado a obra 100% no prazo e garantindo a segurança nas operações da obra durante a execução das atividades.

Dificuldade da obra foi a colocação de todos os recursos em curto espaço de tempo para trabalhar poucas horas por dia.

Durante a obra iniciada a principal preocupação foi garantir a melhoria das estradas vicinais, negociando e procurando os proprietários para executar a bem feitoria necessária nas estradas de acesso permitindo a chegada de nossa equipe para a montagem do canteiro de obras sustentável avançado e a garantia de que os materiais de reforço do túnel pudessem chegar a obra, permitindo a execução das intervenções programadas com restrição de horários em função de que os foram executadas sem qualquer paralisação no trânsito dos trens, ocorrendo, no entanto, uma redução de velocidade apenas nos trechos em obra supracitados.

“Nos deparamos sempre com muitos desafios nesse tipo de obra”, pontua o especialista em Infraestrutura Antônio Deotti. “Há curto prazo para execução, grande quantidade de profissionais e equipamentos envolvidos e espaço limitado, por isso planejamos tudo minuciosamente, levando em consideração a correta entrada e saída de equipamentos. Cronometramos, também, cada tipo de atividade dentro do túnel e avaliamos sua performance horária para garantir a entrega do intervalo de forma aderente”, complementa.


A obra foi executada no período de 3 meses e logo após a conclusão das atividades a velocidade normal dos trens nesse trechos foi restituída ao normal.

O maior desafio foi o de trabalharmos em conjunto com a logística da MRS que envolveu um cronograma em harmonia com os trens que passam pela ferrovia; garantindo a comunicação junto com o CCO bloqueando a linha durante a atividade, quanto ao concreto projetado reforçado com fibras metálicas executado cerca de (360 m³) onde o traço foi ensaiado a fim de ajustar não apenas o processo de bombeamento a fim de não atrapalha a passagens dos trens a uma distância superior a 60 m onde antecipadamente fizemos os testes para dosar e melhorar a aplicabilidade do traço que mais aderisse à parede dos túneis minimizando a reflexão que no teto poderia chegar até 50 % e nas paredes laterais a 30%.

Foi elaborado um "PLANO DE EVACUAÇÃO", prevendo duas situações distintas:

a) Fora do túnel (canteiro) – Será feita forma coordenada, podendo ser parcial, envolvendo apenas a área em risco, já que uma evacuação geral pode não só ser desnecessária, como prejudicial às operações de controle da situação.

b) Dentro do túnel – Também será feita de forma coordenada mas sempre geral, envolvendo todos as pessoas que estiverem no local, no caso dentro do túnel.

Forão definidos caminhos de evacuação onde após comunicação informando uma situação de emergência ou qualquer outra ocorrência que por ventura ponha em risco a integridade física dos empregados, a equipe da PROGEO ENGENHARIA, internamente iria se comunicar com todos os empregados e evacuar a área, seguindo orientação das placas de saída de emergência e rota de fuga e se dirigir para o local pré-definido demarcado com placa de ponto de encontro na sua respectiva área.

Dentro do túnel, as rotas de fuga orientarão os funcionários a seguirem para o emboque mais próximo.

Foram instaladas cerca de 6.000 kg de tela metálica de alta resistência tipo Q-196 com chumbadores de aço CA-50 inetrcaladas com chumbadores de aço monobarr para permitir e enrijecer e reforçar o túnel.

Executados cerca de 925,00 m de drenos horizontais profundos a fim de drenar a água da freática aliviando as tensões do túnel.

O trabalho no TúnelConstituiu em selagem com limpeza com hidrojateamento e selagem das trincas com resinas especiais.

Na área trabalhada de 900 metros dos túneis 7 e 8 foi aplicado um total de 15000 metros de perfuração para instalação de grampos, 1600 metros para instalação de DHPs e 4200 m² de tela de alta resistência. Além disso, foi realizado tratamento e hidrojateamento das estruturas existentes nos emboques e outros recursos utilizados para drenagem e condicionamento da via.

O tratamento se deu em um trecho de 30 m externo ao túnel, onde ocorreu erosão abaixo da laje das paredes do túnel onde foi aplicado o concreto projetado com a instalação de tela metálica e chumbadores.

A obra, que foi executada de forma simultânea nos três túneis, começou e teve boa parte sendo executada pelo Edaurdo Galiac, tendo como engenheiro residente e acompanahmento do eng. Naresi onde foi extremamente desafiador visto que os trabalhos não tinham horários defnidos e parte deles ocorria a noite.

PLANO PARA RETIRADA DE EQUIPAMENTOS

“Elaboramos e testamos um plano emergencial para retirada de cada equipamento que vai ser usado no túnel, caso haja necessidade de retirá-los devido a possíveis avarias que os mesmos possam apresentar durante o funcionamento. O tempo de trabalho efetivo e de desmobilização também é rigorosamente planejado e calculado para garantir a entrega do intervalo dentro do tempo indicado pelo CCO”, reforça Deotti.

A obra foi premiada como canteiro modelo

Os fiscais de obras Jonas Alves, Gilson Andrade e Donizetti Proença apontam desafios desde a própria mobilização, em função do difícil acesso aos locais e ao período chuvoso, que dificulta a execução do trabalho. Já durante a obra, impedir impactos na via durante as intervenções, trabalhar com grandes equipamentos e executar simultaneamente diversas atividades são unanimidade entre as superações. Mesmo diante de grandes desafios, não foram registrados acidentes durante as obras e o prazo foi cumprido, seguindo cronograma previamente definido.

Os fiscais de Obras Jonas Alves e Donizetti Proença comentam que os trabalhos de reforço estrutural foram desafiadores por conta de fatores como extensão dos túneis, espaço restrito, concentração de equipamentos e colaboradores e execução simultânea de etapas: hidrojateamento, fixação de tela, colocação de chumbadores tirantes, projeção de concreto com fibra e perfuração de novos drenos. Outra preocupação, segundo a dupla, foi garantir que não houvesse qualquer impacto na via durante as intervenções, desafio superado com a entrega das obras dentro do cronograma programado e com zero acidente pessoal.

Execução de DHP - Dreno Horizontal Profundo

Na semana de finalização da Obra com a MRS foi cumprido à risca todo o projeto, ou seja, obra entregue 100% limpa e com todos os itens de segurança e estruturais atendidos. “Nesta semana final houve bastante esforço pelo grande volume de material e de limpeza (por exemplo das canaletas e balastro) que tivemos que fazer

GEOMEMBRANAS especiais melhoram a eficácia e a proteção do lastro evitando a contaminação sempre com o cuidado da vistoria previa cautelar com registro fotográfico para devolver o lastro ao cliente na mesma condição encontrada, importantíssimo para o sucesso da obra.

Naresi acrescenta informações sobre a capacidade inventiva da equipe da Progeo dotada de uma equipe multidisciplinar sempre ativa em compartilhas organização, planejamento, sintonia, segurança do trabalho, respeito ao meio ambiente e reuniões semanais junto ao cliente garantindo a aderência junto a obra.

Na etapa final da obra no que se refere aos ajustes do desempenho do reforço do túnel executado bem como a drenagem das paredes laterais junto a instalação de drenos horizontais profundos.

Segundo Naresi, uma das sugestões da PROGEO para aprimorar o projeto passou pela limpeza das paredes dos túneis e utilização de equipamentos ferroviários especiais planejados para facilitar a entrada e a saída dos túnei, bem como a instalação das geomembranas no piso para a proteção do lastro, facilitando a limpeza todos os finais do dia.

Nos tetos dos túneis o objetivo de direcionar as águas para as laterais, de modo que elas passassem a cair nas canaletas.

Antes disso, a água caia em cima dos trilhos; fato que, com o tempo, provocaria o desgaste das estruturas do material dos trilhos.


O túnel tem vários drenos em seu projeto, contudo, além desses drenos identificamos vários pontos de fuga de água e, para dar a devida solução, instalamos geomembranas fixadas ao teto em comunicação com as canaletas, a mesma coisa aconteceu com a execução dos DHP – Drenos Horizontais Profundos que direcionaram a água para as canaletas laterais.

Outro ponto bastante desafiador que ocorreu durante toda a obra ficou por conta da complexidade das perfurações; questão também solucionada após intenso esforço e parceria entre PROGEO e MRS, buscando ferramentas leves e ideais para cada processo.

Superamos mais este desafio dispondo de equipamentos ideais e especiais ferroviários para perfuração nestes túneis estreitos (9,00 m de largura) e criamos equipamentos especiais produzidos na própria progeo trabalhando com os melhores materiais de perfuração para cumprir as normas e o caderno de encargos da MRS.

As imagens exibidas nesta reportagem comprovam que esta Obra é mais um caso de sucesso que é digno de registro no portfolio da PROGEO Engenharia.

Tags: recuperacaoestrutural; progeo; engenharia; reforçodetúneis

Trabalho e investimento pesados foram necessários para concluir essa obra. Conheça como é feita a recuperação estrutural dos túneis na ferrovia. O trabalho em equipe é fundamental e as ações são cronometradas para garantir a excelência do serviço.