352) Quadros Elétricos em Frentes de Serviço e obras

Como dimensionar um circuito em um projeto elétrico?

1- Calcule a corrente do seu circuito elétrico;

2- Tenha a informação do fator de potência do seu circuito.

3- Inicie o dimensionamento com a ciência de que, de acordo com a NBR 5410:2004, circuitos de iluminação podem ser no mínimo de 1,5mm² e circuitos de tomada 2,5mm².

4- Consulte a tabela 36 ou 37 da NBR 5410:2004.

5- Tenha informações do fator de agrupamento do circuito para poder calcular a capacidade de condução de corrente do cabo.

6- Compare a corrente do circuito com a capacidade de corrente real do cabo.

7- Calcule a queda de tensão para verificar se o circuito se enquadra aos parâmetros calculados.

Esta é uma aula completa de dimensionamento de condutores em um projeto elétrico para quadros elétricos em frentes de serviço de forma simples e objetiva.

O ideal é que você veja e reveja sempre que possível.

Esperando ter sanado bastante duvidas de vocês.

Um grande abraço e até a próxima.

Eng. Luiz Antonio Naresi Júnior


1. ÍNDICE

2. OBJETIVO

3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

4. DEFINIÇÕES

5. CONDIÇÕES GERAIS

5.1 HASTES DE ATERRAMENTO / RESISTÊNCIA

5.2 CONEXÃO ENTRE HASTES

5.3 PONTOS DE MEDIÇÃO

5.4 TERRA ELETRÔNICO

5.5 ATERRAMENTO DE PAINÉIS

5.6 INTERLIGAÇÃO HASTE - MALHA

ANEXOS: LISTA DE VERIFICAÇÃO DE PROJETO / LISTA DE VERIFICAÇÃO DE INSTALAÇÃO

2. OBJETIVO

Esta norma descreve as exigências mínimas para o aterramento elétrico e eletrônico de sistemas de automação.

3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

Na aplicação desta norma é necessário consultar:

Condições Gerais de Projeto e Sistemas de Automação

NBR 5410 – Instalações elétricas de baixa tensão

4. DEFINIÇÕES

5. CONDIÇÕES GERAIS

O Sistema de Aterramento deve ser implantado com as características apresentadas abaixo:

5.1 contato com a terra e através de diversas hastes do tipo “copperweld diam. 3/4 pol”. x 3000mm “, cujo número será o necessário para obter-se uma resistência de terra inferior a 3 ohms.

5.2 a conexão entre todas as hastes deve ser realizada através de condutor de cobre nu com bitola mínima de 50mm2.

5.3 o Sistema de Aterramento deve permitir testes e medições periódicas do mesmo e das hastes individualmente.

5.4 os terras eletrônicos (referências) do Sistema de Automação devem conectar-se através de condutores encapados com bitola Go inferior a 50 mm2, às barras de terminais isoladas eletricamente. Estas barras se interligam às hastes através de condutores, exclusivos, do mesmo tipo apresentado.

5.5 os pontos de conexão para o aterramento dos armários metálicos das unidades devem conectar-se através de condutores encapados com bitola não inferior a 50mm2, a barras de terminais isoladas eletricamente. Estas barras se interligam a malha de terra geral da planta e a malha de equalização de potencial, através de condutores, exclusivos, do mesmo tipo apresentado.

5.6 O conjunto de hastes interligadas devem se conectar à malha de terra geral da planta através de condutor de cobre nu com bitola não inferior a 50mm2.


ATERRAMENTO DE CONTAINER

LIGAÇÃO E INTERLIGAÇÃO DE

EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS, EXTENSÕES E QUADROS ELÉTRICO.

Vigência: 21/07/2020 a 21/07/2021

OBRA:


Execução de Obra: Contenção em LOCAL /MG Contrato: XXXXXX

Responsável técnico

CREA: Luiz Antonio Naresi Junior 55.488 / D-MG


1. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Empresa prestadora de serviço:

Endereço da sede:

Telefone da sede:

Email:

CNPJ:

Inscrição estadual:

CNAE:

Grau Risco (CNAE): 04;

Responsável Técnico: Luis Antonio Naresi Junior;

Gerente de Obras:

Preposto do Contrato:

Médico do Trabalho:

Objeto do contrato: Contenção de talude em LOCAL Contrato: XXXXXX

Empresa contratante:

CNPJ da contratante:

Endereço da contratante:

Número do contrato:

Carga Horária: 44 horas semanais


1. OBJETIVO

Este procedimento tem como objetivo preservar a saúde e integridade física dos colaboradores e o patrimônio da empresa, bem como estabelecer as responsabilidades e os requisitos de segurança para a realização de atividades em sistemas elétricos realizados pela empresa Progeo Engenharia Ltda, buscando a eliminação e/ou neutralização dos riscos e doenças ocupacionais e incidentes, visando à segurança dos colaboradores, a proteção do meio ambiente, e a integridade dos equipamentos.


2. APLICAÇÃO

Este procedimento aplica-se a todas as de manutenção e instalação elétrica a ser executado pela Progeo Engenharia, durante os serviços executados ao longo da malha ferroviária da MRS, na Cidade de Barra Mansa/RJ.


3. DOCUMENTOS DE REFÊRENCIA

NR-06 Equipamento de Proteção Individual.

NR – 10 Segurança em Instalações e serviços em eletricidade

NR-18 Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da construção.

NR-35 – Trabalho em Altura.

PRO. BRA.SSO.044 - Procedimento de Bloqueio de Energias

PRO. BRA.SSO.045 - Procedimento de Segurança de Permissão de Trabalho

PRO. BRA.SSO.047 – Procedimento de segurança para trabalho em altura.

PRO. BRA.SSO.045 – Procedimento de Permissão de Trabalho

PRO. BRA.SSO.010 - PROCEDIMENTO DE GERENCIAMENTO DE PERIGOS, RISCOS E CONTROLES

PRO. BRA.SSO.044 - PROCEDIMENTO DE BLOQUEIO DE ENERGIAS

NBR-5410 da ABNT - Instalações Elétricas de Baixa Tensão


4. DEFINIÇÕES

Alta Tensão: tensão de corrente alternada acima de 600 volts, fase-a-fase. (Onde outros códigos governamentais estipulem tensões inferiores a 600 volts como alta tensão, a tensão especificada pelo código deverá ser usada como o limite mais baixo).

Aterramento: o ato de proporcionar “uma conexão intencional” a terra, através de uma conexão terra de impedância suficientemente baixa e tendo capacidade de conduzir corrente suficiente para impedir a elevação da tensão, o que poderia resultar em risco indevido para o equipamento conectado ou a pessoas.

Barricada: uma obstrução física tipo faixas, cordas, cones, gradeado de madeira ou estruturas metálicas, destinada a alertar e limitar a uma área de risco elétrico.

Bloqueio: sistemática adotada para impedir o acionamento de um dispositivo de isolamento de energia que esteja na posição "OFF" ou "segura", através do uso de cadeado ou outro dispositivo de bloqueio equivalente. Os dispositivos de isolamento de energia podem ter os meios de bloqueio embutidos ou exigirem adaptação para a colocação de cadeados. Quando mais de um funcionário estiver envolvido, o bloqueio deve ser feito com o uso de vários cadeados contendo a identificação pessoal de cada funcionário autorizado ou executante.

CCM: Central de Comando de Motores.

Circuito: um condutor ou sistema de condutores, através do qual uma corrente elétrica tem que fluir.

Condutor: um material, geralmente na forma de fio, cabo ou barra coletora adequados para condução de corrente elétrica.

Desenergizado: livre de qualquer conexão elétrica a uma fonte de diferença de potencial e de carga elétrica; não possui um potencial diferente da terra.

Dispositivo de Isolamento de Energia: um dispositivo físico que impede a transmissão ou a liberação de energia elétrica, do tipo: disjuntor, chave de desconexão ou outro dispositivo similar com uma indicação visível da posição do dispositivo.

Etiqueta: cartão a ser utilizado no bloqueio, próximo ao cadeado, afixado de forma visível, com finalidade de identificar o solicitante e o executor do bloqueio, o equipamento bloqueado, o motivo e a data do bloqueio.

Exposto: não isolado ou protegido.

Isolado: qualquer objeto que não esteja prontamente acessível a pessoas, a menos que seja usado um meio especial de acesso.

Profissional Autorizada: colaborador capacitado ou qualificado ou profissional habilitado que tenha participado com avaliação e aproveitamento satisfatórios dos cursos constantes do ANEXO II da NR-10 e que seja formalmente autorizado pela MFB a realizar atividades envolvendo eletricidade.

Profissional Capacitada: aquele que atenda às seguintes condições, simultaneamente:

receba capacitação sob orientação e responsabilidade de profissional habilitado e autorizado; e

trabalhe sob a responsabilidade de profissional habilitado e autorizado.

Profissional Legalmente Habilitado: colaborador previamente qualificado e com registro no competente conselho de classe.

Profissional Qualificada: colaborador que comprove conclusão de curso específico na área elétrica reconhecido pelo Sistema Oficial de Ensino.


5. RESPONSABILIDADES


Área de SSO da Progeo e da Obra


Definir as diretrizes deste processo e manter este documento normativo atualizado.


Responsável pelo contrato


Ser qualificado e assegurar que todas as pessoas de sua equipe envolvidas em atividades com eletricidade sejam qualificadas;

Assegurar que todas as medidas preventivas para evitar acidentes com eletricidade, tais como, bloqueio, isolamento, aterramento, barreiras, testes, etc. foram tomadas para evitar acidentes;

Assegurar que os requisitos estabelecidos neste procedimento e procedimentos de segurança locais são observados pelos empregados sob sua supervisão;

Assegurar que todas as liberações necessárias ao trabalho (Permissão de Trabalho, Bloqueio de Energia, Trabalho em Altura, etc.) foram concedidas;

Somente permitir a presença de profissionais autorizados, identificados por crachá específico emitido pela área de recursos humanos local, nas áreas onde o trabalho elétrico está sendo executado;

Assegurar que as ferramentas ou dispositivos usados sejam adequados para o trabalho em questão e que as ferramentas aplicáveis tenham sido inspecionadas e testadas, conforme necessário;


Profissional Qualificado


Após realização de bloqueio elétrico, conforme o Procedimento de Bloqueio de Energias, verificar se o equipamento não pode receber partida novamente ou ser energizado;

Usar equipamento de teste apropriado para testar os elementos do circuito e peças elétricas do equipamento aos quais os empregados estarão expostos e verificar se todos os elementos e peças estão desenergizados. O teste deverá também determinar se existe alguma situação de energização, resultante de tensão inadvertidamente induzida ou retro-alimentação de tensão não relacionada mesmo que peças específicas do circuito tenham sido desenergizadas e assumidas como seguras. O equipamento de teste deve ser verificado quanto à operação correta, imediatamente antes e imediatamente após o teste;

Instalar conexões de aterramento.


PROFISSIONAL CAPACITADO


Possuir o conhecimento sobre os pontos de segurança em eletricidade aplicáveis, conforme apresentadas nestas orientações, ou outros padrões;

Considerar os riscos elétricos onde o trabalho com eletricidade não seja a tarefa principal, mas onde há a possibilidade de contato como, por exemplo, durante a operação de guindastes móveis, utilização de escadas, manuseio de material de construção, etc.

Cumprir os requisitos estabelecidos neste procedimento;

Utilizar todos os Equipamentos de Proteção Individual recomendados para a atividade.


6. CARGO EXECUTANTE

Eletricista e ou técnico em elétrica.

7. DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE


Eletricista e ou técnico em elétrica: Executa trabalhos rotineiros de eletricista, colocando fixando e montando quadros elétricos, caixas de fusíveis ou disjuntores. Efetuam ligações de fios e fonte fornecedora de energia, reparo e substituição de tomadas, alarmes, campainhas. Executam manutenção corretiva e preventiva em motores e bomba do sistema de transporte de água e outros equipamentos elétricos. Realiza serviços de aterramento em diversos sistemas. Executam correção de queda de fusíveis em transformadores de baixa tensão com recolocação de fusíveis e participa de planejamento de plano de prevenção de consumo elétrico. Realiza trabalho em altura.

8. INSPEÇÃO E CRITÉRIO DE ACEITAÇÃO

Inspeção a ser feita Meios e métodos

de inspeção Critérios de aceitação Registro Periodicidade

Ferramentas Manuais Inspeção visual Não aplicável Não aplicável

Ferramentas elétricas portáteis

Inspeção visual

Conforme check-List Check-List / diário

Ferramentas e dispositivos

Inspeção visual Não aplicável Não aplicável

Equipamentos de proteção contra quedas Inspeção visual

Conforme check-list

Check-list / diário

Trabalho em altura

Inspeção visual

Conforme check-List.

Check-List / diário.

Escadas

Inspeção visual

Conforme check-List.

Check-List / diário.

Equipamentos de proteção

Inspeção visual

Não aplicável Não aplicável




9. Critérios para Trabalhos em Rede Energizada


Para atividades que, por razões técnicas, somente é possível realizá-las com a utilização de Equipamento de Proteção Individual conforme especificação da NR 10 e NBR 5410, bem como as ferramentas manuais devidamente isoladas dentro dos padrões estabelecidos, sendo obrigatória a emissão da permissão de trabalho, conforme o Procedimento de Permissão de Trabalho, com a participação do responsável pela área elétrica.


Mesmo para pessoas qualificadas e autorizadas formalmente pela Progeo Engenharia Ltda. não podem realizar intervenções em equipamentos elétricos energizados.

10. Critérios para Trabalhos em Equipamentos Elétricos


Toda a atividade realizada em equipamentos elétricos somente poderá ser realizada com o mesmo bloqueado através da instalação de cadeado pessoal e etiqueta de identificação do responsável pela intervenção no equipamento, de modo que não seja possível liberar energia elétrica durante a intervenção.


A realização de qualquer atividade em equipamentos energizados sem o respectivo dispositivo de bloqueio é considerada falta grave e sujeita os envolvidos às medidas administrativas cabíveis.


O responsável pelo bloqueio deve instalar os dispositivos de bloqueio, sinalização e identificação necessários. Somente a pessoa que estiver realizando a intervenção no equipamento elétrico será a responsável pela remoção do seu respectivo dispositivo de bloqueio.


O bloqueio de energia deve ser realizado conforme o Procedimento de Bloqueio de Energias.



11. Ferramentas Manuais


Para trabalhos próximos de condutores energizados em peças de circuitos, somente poderão ser utilizadas ferramentas eletricamente isoladas.


Somente ferramentas para redes energizadas dieletricamente testadas podem ser usadas.


Ferramentas para redes energizadas devem ser inspecionadas visualmente quanto a defeitos e contaminação antes de cada utilização.


As ferramentas para redes energizadas não podem ser colocadas diretamente no chão.


Não é permitida a utilização de ferramentas molhadas. Se estas ferramentas estiverem molhadas, elas devem ser secas e somente poderão ser utilizadas após remoção de toda a umidade.


Ferramentas danificadas devem ser imediatamente removidas do serviço e substituídas.


As ferramentas devem ser armazenadas em local limpo e seco.



12. Ferramentas Elétricas Portáteis


A fonte de energia deve ser desligada antes que acessórios e proteções numa ferramenta de energia elétrica portátil sejam trocados ou ajustados.

Quando ferramentas elétricas forem projetadas para receber proteções, elas devem ser mantidas durante suas utilizações.

Se as proteções nas ferramentas elétricas portáteis forem removidas para ajuste, elas devem ser recolocadas na posição correta após os ajustes serem feitos.

Proteções aprovadas para os olhos ou blindagens faciais devem ser usadas durante utilização de ferramentas elétricas portáteis.

Estas ferramentas elétricas devem ser guardadas quando não estiverem sendo usadas. As ferramentas nunca podem ficar suspensas pelo cabo elétrico.

As ferramentas elétricas portáteis devem ser inspecionadas visualmente antes de cada utilização quanto a defeitos externos, como pinos faltando ou deformados ou danos no isolamento e quanto à indicação de possíveis danos internos. As ferramentas danificadas ou defeituosas devem ser etiquetadas com a expressão “DEFEITUOSA” e não usada até serem reparadas.

As ferramentas elétricas portáteis (exceto aquelas acionados por baterias, ou tipo isolamento duplo) devem ser aterradas por um fio terra que seja contido dentro do mesmo cabo que os condutores do circuito.

As ferramentas devem ser limpas e mantidas de acordo com as instruções do fabricante.



13. Zona Segura de Trabalho


Em alguns casos será necessário colocar barricadas apropriadas ou identificar de outra maneira uma área de trabalho alertando sobre riscos elétricos não encontrados normalmente durante a operação de rotina do equipamento e/ou condutores localizados na área em questão. Este seria, normalmente, o caso durante manutenção, renovações em instalações existentes e adições a instalações onde o equipamento elétrico e/ou condutores estiverem localizados.



14. Proteção da Área


Se o trabalho expõe peças móveis ou energizadas que normalmente ficam protegidas, sinais de perigo devem ser colocados. Barricadas adequadas devem ser montadas para restringir a entrada de outras pessoas na área.

Quando trabalhar numa seção onde houver uma multiplicidade de seções como uma parte de subestação, um painel de chaves ou um compartimento elétrico, um empregado qualificado deve marcar a área de trabalho de forma correta e colocar barreiras para impedir o contato acidental em peças energizadas nas seções adjacentes.

Quando determinar o tamanho da zona de segurança, devem ser feitas considerações relativas aos tipos e tamanho dos materiais condutores e do equipamento a ser usado na área (em relação aos prováveis movimentos verticais, laterais e de queda).

Onde o tráfego de veículos e de pessoas não qualificados próximo a equipamento elétrico de alta-tensão sob manutenção, operação, ou atividade de construção que possa comprometer a segurança desses veículos e pedestres, devem ser colocadas placas de advertência apropriadas e/ou barricadas.


15. Aterramento de Linhas e de Equipamentos


Antes de se realizar qualquer trabalho em equipamentos e linhas elétricas, estes devem ser bloqueados e testados quanto à ausência de tensão e serem aterrados corretamente.

Os terminais de aterramento de segurança devem ser capazes de conduzir a corrente de aterramento máxima que poderia fluir no ponto de aterramento durante o tempo necessário para remover a falha. Este equipamento deve ter capacidade igual ou maior do que o cobre Nº 2 AWG.

Se a linha ou equipamento puder ser isolado no local de trabalho, os terras devem ser instalados no local de trabalho entre todas as fontes de alimentação e o trabalho que está sendo executado.

Se a instalação do equipamento de aterramento no local de trabalho não for viável, os terras devem ser instalados o mais próximo possível do trabalho, entre todas as fontes de alimentação e o local de trabalho.

Ponto único de aterramento (aterramento equipotencial) é um meio aceitável de aterramento.

Quando aterrar linhas ou equipamentos, o dispositivo de aterramento deve ser fixado primeiro a uma boa conexão terra e então ao circuito ou equipamento. Na remoção dos terras, remova primeiro a conexão ao circuito ou equipamento e então conexão do terra.

Uma ferramenta para rede energizada aprovada deve ser usada para fazer ou remover a conexão do circuito ou equipamento.

Equipamentos de proteção individual, como vestimenta apropriada, luvas de borracha com protetores, capacete e óculos de segurança, devem ser usados ao testar a tensão, colocar e remover dispositivos de aterramento.

Capacitores estáticos devem ser aterrados antes que se possa trabalhar neles, mesmo que não haja possibilidade de se tornarem energizados. Um período de espera mínimo de cinco minutos é necessário entre a desenergização do capacitor e a aplicação do terra.



16. Tampas de Proteção para Equipamentos Elétricos


Todas as instalações de equipamentos elétricos (centros de controle de carga, caixas de painel, caixas de junção, etc.) devem ter tampas de proteção no lugar durante todo o tempo, a menos que outra proteção equivalente seja fornecida. Tais equipamentos não devem oferecer qualquer possibilidade de contato inadvertido de trabalhadores ou itens que eles possam estar usando enquanto trabalham (chaves de fenda, etc.). Esta exigência inclui a cobertura de todos os “extratores” nas caixas de junção. Quando houver necessidade de remoção de tampas de proteção, o local deverá ser isolado e sinalizado.



17. Manuseio de Cabos Elétricos


Para o manuseio de cabos elétricos devem ser levadas em considerações as variáveis relativas a cada tipo de instalação.

As cinco maneiras principais de instalar cabos de força e comando são bandejas ou (leitos), canaletas, eletrodutos, bancos de dutos e diretamente ao solo.

Cuidados especiais devem ser tomados antes e durante a instalação para garantir a integridade e característica de fabricação dos cabos, quanto ao revestimento de proteção ou camada de isolação, carga de ruptura, alongamento de ruptura, resistência à abrasão, resistência a golpe e resistência a agentes físicos.

No manuseio da bobina de cabo deve-se identificar o sentido para desenrolar o cabo e manter a selagem ou isolação das pontas para proteção contra umidade.

O puxamento de cabo, embora possa ser considerada uma operação simples, deve ser realizado com esforço constante, evitando variações bruscas e evitar curvaturas com raio muito acentuado.

Na hipótese de troca, remoção ou movimentação de cabo de média tensão na qual o mesmo sofreu esforços ou instalação de cabo novo, deverão ser feitos testes de isolação para garantir as características do fabricante.


18. Proteção de Peças Energizadas


As proteções devem ser colocadas em volta de todas as peças energizadas, onde as exigências de afastamento não possam ser satisfeitas.

Peças energizadas instaladas sobre ou próximas de locais de trânsito de pessoas devem ser protegidas de modo a impedir o contato acidental de pessoas com partes energizadas. As proteções devem ser substanciais, totalmente blindadas e sem aberturas de forma a envolver completamente as peças energizadas.

Cada conjunto de peças de potencial indeterminado, como fios telefônicos expostos à indução de linhas de alta-tensão, conexões neutras não aterradas ou supressores de tensões súbitas, ou caixas de instrumentos não aterradas ligadas diretamente a um circuito de alta-tensão, devem ser protegidas conforme a tensão máxima que possa estar presente na superfície daquele conjunto.

As tampas ou proteções que precisam ser removidas enquanto as peças que protegem estão energizadas, devem ser projetadas de forma que não possam fazer contato facilmente com as peças energizadas.

É proibido aos empregados trabalhar em peças não isoladas e expostas de linhas e equipamentos enquanto energizados. No caso das atividades de manutenção e operação exigir que um empregado se aproxime de peças energizadas, a distância mínima de aproximação deve ser respeitada.

Um condutor revestido deve ser considerado como se não estivesse nenhuma resistência isolante e deve ser tratado como não isolado.



19. CONDIÇÕES DE SEGURANÇA


RISCOS PARA ELETRICISTAS E OU TÉCNICOS EM ELÉTRICA

Físicos: – Ruído,

Químicos: – Poeira

Biológico:- Não foram detectados.

Ergonômico: Exigência de postura inadequada / incorreta; levantamento manual de peso.

Acidente: _ Queda de Materiais sobre o crânio e artelhos, Atropelamento, Cortes e perfuração, Queda de mesmo nível e superior; Projeção de Partículas Sólidas, choque elétrico.


MEDIDAS DE SEGURANÇA.

PRÉ REQUISITOS PARA EXECUÇÃO DA ATIVIDADE

Antes de iniciar as atividades, todos os colaboradores deverão participar do DDS - Diálogo diário de saúde e segurança e registrar a sua participação na lista de presença.

Preencher a APR – Análise Preliminar de Risco, verificar os riscos da atividade a ser desenvolvida, indicar e implementar as ações de controle dos riscos.

Na realização de trabalho em altura, deve-se possuir treinamento específico – NR-35 autorização formal – CRACHÁ DE RISCO CRÍTICO, exame pré-funcional;

Na utilização de ferramentas elétricas portáteis, deve-se possui treinamento específico –NR-12, e autorização formal – CRACHÁ DE RISCO CRÍTICO.

Inspecionar o local de trabalho, bem como as ferramentas, equipamentos e acessórios.

Para realização de atividades em locais onde haja ausência ou deficiência de iluminação, deve-se providenciar iluminação adequada.

Portar todos os EPI´s necessários conforme riscos identificados.

É proibido trabalhar sob a influência álcool e drogas ilícitas.

Ao utilizar veículos, e obrigatório o uso do cinto de segurança.

É expressamente proibido realizar qualquer atividade em potência superior a 1000 Volts em

corrente contínua e 1500 Volts em corrente alternada. “Alta tensão”.



REQUISITOS PARA EXECUÇÃO DA ATIVIDADE

ETAPA: Deslocamento até o local de trabalho.


Ao embarcar e desembarcar de um veículo utilizar 03 pontos de Apoio.

Ao deslocar-se para as frentes de trabalho, utilize os caminhos seguros.

Ao efetuar o transporte manual de equipamentos, ferramentas, materiais e acessórios, adote postura adequada.

Não realize levantamento ou transporte manual de cargas acima de 23 Kg, caso necessário solicite auxílio de outros empregados ou um veículo para a realização do transporte.

Fique atento a sinalizações, respeite áreas isoladas / segregadas.



ETAPA: Preparar e inspecionar materiais, ferramentas e equipamentos.


Não realize levantamento ou transporte manual de cargas acima de 23 Kg, caso necessário solicite auxílio de outros empregados ou um veículo para a realização do transporte.

Ao manusear ferramentas, equipamentos e materiais, utilize luvas de segurança, isole pontos passivos de prensamentos, corte e ferimentos.

Armazene os materiais e ferramentas de maneira adequada, e em locais apropriados.

Caso necessário solicite auxílio para manusear ferramentas e equipamentos.

Ao manusear ferramentas, equipamentos e materiais, utilize luvas de segurança, isole pontos passivos de prensamentos, corte e ferimentos.

Certifique-se que as pontas cortantes e/ou perfurantes das ferramentas, dispositivos estejam devidamente protegidas.


ETAPA: Sinalização e isolamento da área.


Certificar que o isolamento não irá prejudicar os acessos aos equipamentos de combate a incêndio, não obstruir portas ou saídas de emergência.


Atropelamento

Ao realizar travessias em vias com movimentação de veículos, máquinas e equipamentos, observe a sinalização visual e sonora, atravesse somente locais adequados.

Fique atento a sinalizações, respeite áreas isoladas / segregadas.

Mantenha-se afastado das áreas de movimentação de veículos, máquinas e equipamentos, respeite áreas segregadas.

Não realize atividade em locais onde haja movimentação de máquinas e equipamentos, respeite a segregação das áreas.



Animais Peçonhentos


Inspecione visualmente os locais, antes retirar ou armazenar materiais, verifique a possível existência de animais peçonhentos.

Verifique a presença de insetos e animais peçonhentos, evite o contato, utilize perneira de segurança.

Caso identifique a presença de animais peçonhentos ou silvestres acione o setor de meio ambiente conforme o fluxo de atendimento a emergências.


Contato com superfície perfurante


Ao manusear ferramentas, equipamentos e materiais, utilize luvas de segurança, isole pontos passivos de prensamentos, corte e ferimentos.

Para o transporte das formas deve-se verificar previamente as condições do percurso, assim como, evitar queda de painéis, e pensamento de mãos e dedos e condições favoráveis a desequilíbrio, escorregamento e choque;

Certifique-se que as pontas cortantes e/ou perfurantes das ferramentas, dispositivos estejam devidamente protegidas.

Utilize ferramentas de boa qualidade e em perfeitas condições de uso.

Para realização do transporte das ferramentas deve-se realizar a proteção das partes cortantes.




ETAPA: Bloqueio de energia


Queda de mesmo nível ou nível diferente.


03 postos de apoio para subir e descer de escadas.

Utilização de cinto de segurança atracado a linha de vida em atividades acima de 2,0 metros ou pontos de ancoragem estabelecidos e aprovados;

Preenchimento de check-list dos equipamentos a ser utilizado (cinto, talabarte em Y e escadas).

Utilizar os EPI especifica para atividade (cinto de segurança tipo paraquedista com duplo talabarte, capacete com jugular, luva de segurança, óculos de segurança, botina com biqueira de PVC e uniforme anti chamas);

Isolamento e sinalização de área (segregação)


Contato com redes energizadas


Toda a atividade realizada em equipamentos/instalações elétricas somente poderá ser realizada com os mesmos bloqueadas através da instalação de cadeado pessoal e etiqueta de identificação do responsável pela intervenção no equipamento, de modo que não seja possível liberar energia elétrica durante a intervenção.

A realização de qualquer atividade em equipamentos/instalações energizados sem o respectivo dispositivo de bloqueio é considerada falta grave e sujeita os envolvidos às medidas administrativas cabíveis.

Devem-se utilizar vestimentas de trabalho adequadas às atividades a serem desenvolvidas, estas devem estar isentas de fechos, tachas, rebites, botões metálicos e outros objetos metálicos.



Bloqueio inadequado


Deve-se realizar e testar o bloqueio, da fonte de energia antes de iniciar as atividades de instalações e manutenções elétricas.


Incêndio


(Uso de EPI especifico para atividade capacete com jugular, luva de segurança óculos de segurança, botina com biqueira de PVC e uniforme anti chamas);

Uso de extintor de incêndio (exceto água pressurizada);


ETAPA: Marcação de pontos para instalação de tubulação/lançar fiação


Atrito, abrasão, perfuração, corte.


Manter a área limpa, organizada, livre de obstáculos, interferências, buracos.

Isolar pisos com vestígios de substâncias escorregadias.

Mantenha suas mãos fora do alcance das partes móveis, cortantes ou perfurantes das ferramentas ou equipamentos. Substitua a ferramenta defeituosa por uma ferramenta boa.

Avise seu encarregado para que seja feita uma avaliação do defeito da ferramenta.

Utilizar EPI especifica para função (luva de segurança, óculos de segurança e botina com bico de plástico).


Exposição ao ruído


Utilizar protetor auricular tipo concha ou plug.


Esforço excessivo ao empurrar, erguer ou puxar objetos.


Supervisão da atividade;

Manter a coluna ereta durante o levantamento e transporte de pesos, e durante as demais atividades.

Evitar posturas inadequadas.

Fazer pausas necessárias durante a jornada de trabalho para evitar fadiga/stress


Queda de pessoas (mesmo nível e nível diferente)

03 postos de apoio para subir e descer de escadas.

Utilização de cinto de segurança atracado a linha de vida em atividades acima de 2,0 metros ou pontos de ancoragem estabelecidos e aprovados;

Permissão de trabalho.

Preenchimento de check-list dos equipamentos a ser utilizado ( cinto, talabarte em Y e escadas.

Uso de EPI especifico para atividade (cinto de segurança tipo paraquedista com duplo talabarte, capacete com jugular, luva de segurança óculos de segurança, botina com biqueira de PVC e uniforme ante chamas)


ETAPA: Instalação e manutenção elétrica em circuitos de baixa tensão.


Somente profissional, Qualificado, capacitado e autorizado poderá realizar instalações e manutenção elétrica.

As atividades de instalação e manutenção elétrica somente poderão ser realizadas com o circuito totalmente desenergizado conforme o item 10.5 na NR-10.

Para atividades de manutenção e instalação elétrica, utilize equipamentos, dispositivos e ferramentas elétricas compatíveis com a instalação elétrica existente, preservando-se as características de proteção, respeitadas as recomendações do fabricante e as influências externas.

É proibido a utilização adornos tais como anéis, correntes, brincos, relógio, óculos etc., durante atividades que envolvam o risco elétrico, ou em suas proximidades.

Não guarde ou armazene qualquer objeto em compartimentos de painéis ou quadros elétricos, invólucros de equipamentos elétricos e locais de serviços e instalações elétricas.

Ao utilizar ferramentas eletro portáteis utilizar protetor auricular, óculos de proteção, luvas multitato, casos onde houver poeira excessiva utilizar também mascara PFF2.

Realize a inspeção do equipamento / ferramenta elétrica antes de sua utilização, verifique as condições dos cabos e tomadas

Ao realizar inspeção e transportes nas ferramentas utilize luvas apropriadas para atividade. Mantenha a área organizada. Isole o local onde for ser acondicionado o material a ser utilizado.

Certifique-se que as pontas cortantes e/ou perfurantes das ferramentas e dispositivos estejam devidamente protegidas.


Ergonomia

Adote postura adequada para realização da atividade, evite dores lombares.

Trabalhar com a coluna ereta, evitando flexionar a coluna em excesso, dobrar os joelhos e mantê-los em frente à objeto a ser movimentado.

Para realizar o levantamento e transporte manual de carga, aproxime a carga do seu corpo, flexione os joelhos, mantenha a coluna ereta com contração do abdômen, segure a carga com as duas mãos e a levante.



Risco de incêndio


Manter cabos elétricos e extensões protegidos contra danos mecânicos, livres de óleo, solventes, abrasivos, contatos com cantos vivos ou ferramentas pontiagudas.

Antes de utilizar equipamentos elétricos, verifique a compatibilidade da tensão do equipamento e a fonte de alimentação.

Verifique se próximo ao local de execução da atividade de manutenção e instalações elétricas possui extintor de incêndio compatível, carregado, inspecionado, lacrado e dentro da validade.


20. EPI – Equipamentos de Proteção Individual


EPI de Uso Obrigatório: Capacete com jugular; Óculos de segurança; Perneira; Botina de segurança para eletricista;


EPI de Uso Eventual: Protetor auricular tipo plug; Respirador PFF2; Bloqueador solar; Luva de vaqueta; Colete refletivo; Capa de Chuva; Cinto de segurança com talabarte duplo.


21. EPC – Equipamentos de Proteção Coletiva.

EPC – Equipamento de Proteção Coletiva: Bloqueio das fontes de energia; Guarda - Corpo, Instalações com SPDA, Linha de vida.


22. ATENDIMENTO A EMERGÊNCIAS


Em caso de emergência o identificador da ocorrência deverá comunicar imediatamente a ocorrência, por rádio, telefone ou outro meio de comunicação adequado.

Incidente pessoal com ou sem vitima: SSO PROGEO 31-99151-4528



23. TREINAMENTOS


Público Alvo: Empregados da Progeo Engenharia que executam e auxiliam as atividades de Manutenção e Instalação Elétrica (eletricista).

Carga Horária do Treinamento: 01 hora.

Frequência: Os empregados devem receber o treinamento deste procedimento, na implementação, na admissão, na revisão e anualmente.


24. DESENVOLVIMENTO DO PROCESSO


O procedimento visa garantir a conscientização e comprometimento de todos com os padrões de Segurança e Saúde Ocupacional, considerando o potencial de perda (gravidade) dos desvios e condições inseguras observadas a qualquer momento, durante inspeções planejadas ou ocasionais.

O procedimento estabelece critérios básicos e detalhados para a atividade de elétrica, para que haja aderência e comprometimento com os padrões corporativos da empresa Progeo Engenharia e também do cliente de modo que mantenha altos padrões de Segurança e Saúde, evitando assim a possibilidade de perdas e lesões.


25. DISPOSIÇÕES GERAIS


A equipe de SSO Progeo Engenharia e cliente MRS Logistica podem e devem realizar inspeções de segurança, a qualquer momento, sem prévio aviso.

O princípio é encontrar e sanar desvios antes que a energia se materialize em um incidente pessoal ou material.


26. ETAPAS DA IMPLEMENTAÇÃO


As seguintes etapas devem ser seguidas para a implementação deste procedimento:


Apresentação deste procedimento para todos os ELETRICISTAS;

Apresentação da APR e treinamento de preenchimento



27. SEVERIDADE DE DESVIO COMPORTAMENTAL


Os executantes da atividade devem estar cientes que desvios podem ocasionar incidentes graves, devido a natureza da atividade, portanto qualquer desvio cometido deverá ser relatado imediatamente ao Encarregado, ao preposto e ao SSO Progeo e este deverá tomar as medidas administrativas cabíveis.


28. CONTROLE DE REGISTROS


Todos os registros relacionados a este procedimento e revisões devem ser mantidos no site/obra durante o contrato, após deve ser enviado para arquivo na Sede da empresa Progeo.



29. EM CASO DE SITUAÇÕES DE EMERGÊNCIA


No caso de qualquer emergência, o Preposto deve acionar o Fiscal MRS Logistica e o SSO Progeo acionar o SSO MRS imediatamente.


30. ENCERRAMENTO

O signatário dá por concluído o presente Programa digitado em 18 (dezoito) folhas rubricadas e a última assinada pelo responsável pelo cumprimento do programa e pelos profissionais da área técnica.


Belo Horizonte,22 de agosto de 2019.


Luiz Antonio Naresi Junior

Responsável Técnico do Programa

CREA 55488 / D-MG