Fuligem Poética 

Colheita a partir da fuligem da linguagem cotidiana
A página de divulgação dos versos do ex-poeta Isaías Carvalho





Máscara
                                               Isaias Carvalho; Estes1999
Meu sono digere
a dor camuflada do dia. 
Meu sonho fantasia em sim 
o não das coisas. 



   Fuligem Poética   

Página que contém os versos do ex-poeta Isaias Carvalho, bem como outras produções suas. Pelos títulos de alguns dos poemas - "Adictos", "Para uma estética da defecação", "Negativos", "Desnecessidade", "Fogo", "Anjo novo", "Suicídio" e "Epitáfio a um músico" -, logo se entende a mensagem de abertura da página: "Fuligem poética é uma colheita a partir da fuligem da linguagem cotidiana".

Ou como diz outro de seus poemas: "Entre Deus e o Diabo, eu sou o D". Ou ainda: "Poetas são como putas e filhos da puta: todos podem ser". É também metapoesia e estranhamento do eu no mundo.

Seus dois livros de poemas publicados - Estes (1997) e (in)versos (1999) - estão disponíveis na íntegra nesta página (ver coluna à esquerda). Sua esparsa produção atual também é oferecida.

O próprio Isaías Carvalho é o editor do site, além de professor universitário (literaturas anglófonas e língua inglesa / Universidade Estadual de Santa Cruz; Ilhéus, Bahia, Brasil). Clique aqui para (des)conhecê-lo melhor.




Entre Deus e o Diabo, eu sou o D
                                          Isaías Carvalho (2007)

Este poema é dedicado a não se dedicar.
É do vento.

Certa feita, vislumbrei o nada,
minha obra.