Estes  (1997)


(in)versos (1999)







A poesia nunca está pronta,
mas sempre em prontidão:
morrer já não basta.
Tudo morre,
tudo bosta.
          Isaias Carvalho

Fuligem Poética 

Colheita a partir da fuligem da linguagem cotidiana
A página de divulgação dos versos do poeta Isaías Carvalho







Máscara
                                                              Isaias Carvalho; Estes1999

Meu sono digere
a dor camuflada do dia. 
Meu sonho fantasia em sim 
o não das coisas. 




Comments