Porque aprender é a constante preparação do próprio funeral.
                          Isaias Carvalho, "Aprendizado"




O Artigo Científico
Conceituação e Modelo de Apresentação – Padronização


Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC
Departamento de Letras e Artes - DLA
Prof. Isaías Carvalho


Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas para Trabalhos Acadêmicos: 
     NBR 6028 -  Resumo
     NBR 6023/2002 - Referência
     NBR 14724/2005 - Apresentação de Trabalhos Acadêmicos 
     NBR 10520/2002 - Citações

Normas para formatação de trabalhos acadêmicos em inglês

DEFINIÇÕES

O que é Artigo Científico?

Artigo Científico: Parte de uma publicação com autoria declarada, que apresenta e discute idéias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento (ABNT. NBR 6022, 2003, p. 2).
 
Artigo científico pode ser também definido como a discussão de uma idéia de forma resumida de um assunto mais amplo. Chamamos de artigo científico aquele texto que tem como objetivo comunicar resultados de pesquisas, publicados em revistas especializadas em uma área específica do conhecimento (MALHEIROS, 2008, online).
 
O objetivo fundamental de um artigo é o de ser um meio rápido e sucinto de divulgar e tornar conhecidos, através de sua publicação em periódicos especializados, a dúvida investigada, o referencial teórico utilizado (as teorias que serviam de base para orientar a pesquisa), a metodologia empregada, os resultados alcançados e as principais dificuldades encontradas no processo de investigação ou na análise de uma questão (BARBA, 2008, online).

Tem sido comum no meio acadêmico a solicitação de artigos que não necessariamente tratam de comunicações de resultados de pesquisas, mas textos com rigor científico que procedem a revisão de literatura disponível em uma temática. Tais textos devem seguir as orientações normativas dos trabalhos acadêmicos, observando-se em especial a NBR 6022/2003, que trata da apresentação de artigo em publicação periódica científica impressa.
 


   
Para os efeitos deste exercício de normatização/padronização, aplicam-se as seguintes definições:
 
1. anexo: Texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração.
2. apêndice: Texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho.
3. capa: Proteção externa do trabalho e sobre a qual se imprimem as informações indispensáveis à sua identificação. Não se usa capa para artigo científico!!
4. citação: Menção,no texto, de uma informação extraída de outra fonte.
5. elementos pós-textuais: elementos que complementam o trabalho.
6. elementos pré-textuais: elementos que antecedem o texto com informações que ajudam na identificação e utilização do trabalho.
7. elementos textuais: Parte do trabalho em que é exposta a matéria: introdução, desenvolvimento e conclusão
8. epígrafe: Folha onde o autor apresenta uma citação, seguida de indicação de autoria, relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho. No artigo científico, pode ser colocada logo após os títulos das seções e subseções, quando houver.
9. referências: conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual. 
10. resumo em língua estrangeira: Versão do resumo para idioma de divulgação internacional. Opcional nesse momento, mas altamente recomendado como prática para futuros trabalhos.
11. resumo em língua vernácula: Apresentação concisa dos pontos relevantes de um texto, fornecendo uma visão rápida e clara do conteúdo e das conclusões do trabalho.
 

ESTRUTURA

Para a elaboração do artigo científico, é necessário seguir orientações conforme adaptação das Normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas para Trabalhos Acadêmicos: NBR 6022/2002, NBR 6023/2002, NBR 14724/2005 e  NBR 10520/2002. Com base principalmente no Manual para elaboração de trabalhos técnico-científicos da UESC (PIRES, 2006), que não aborda especificamente a produção de artigos científicos, mas que se baseia nas normas da ABNT mencionadas acima, sugiro os seguintes critérios normativos para padronização desse tipo de trabalho no âmbito das disciplinas de Prática de Pesquisa do DLA:
 
1.         Mínimo de 6 e máximo de 15 páginas de texto (não incluindo aí os elementos pré e pós-textuais);
2.         Apresentação individual ou em co-autoria;
3.         Tipo de fonte ARIAL ou TIMES NEW ROMAN;
4.         Papel formato A4: 210mm X 297mm;
5.         Margens: Superior 3cm;  Inferior 2cm;  Esquerda 3cm; e  Direita 2cm;
6.         Espacejamento: entre linhas 1,5; Não utilizar espaços extras entre parágrafos;
7.         Parágrafos devem ser justificados e iniciados a 1,25 cm (ou recurso TAB), a partir da margem esquerda, exceto nas referências destacadas;
8.         Um novo parágrafo no final da página é constituído de, pelo menos, duas linhas. Se a página não o comportar, inicia-se no parágrafo da página seguinte;
9.         Numeração de páginas: no canto superior direito, não aparecendo na primeira página; recomenda-se iniciar na introdução, que deve estar na segunda página do trabalho;
10.      Não há capa ou folha de rosto oficialmente. Recomenda-se, entretanto, que haja uma folha de rosto que funcione como capa ou folha de identificação (Apêndice);
11.      Tamanho da fonte:
12.1 No título do artigo em negrito (em letras maiúsculas) = 12; dois espaços para separar título do texto;
12.2 No nome do(s) autor(es) = 11;
12.3 Na titulação (nota de rodapé) 10; mesma fonte para todas as notas de rodapé;
12.4 No resumo = 12 (apenas um parágrafo com entrelinhas simples); mínimo de 150 e máximo de 250 palavras;
125 Nas palavras-chave = 12 (escolher entre três e cinco palavras importantes sobre o tema que foi desenvolvido; espaço simples);
12.6 Na redação do texto (introdução, desenvolvimento e conclusão) = 12;
12.7 Nas citações longas = 10 (entrelinhas simples; recuo de 4cm da margem esquerda; não são  necessárias aspas, nem  negrito ou itálico);
12.8 Nas referências = 12, com espaçamento simples na mesma referência, mas com um espaço/uma linha entre diferentes referências;
12.9 Aos títulos das seções primárias: recomenda-se que sejam grafados em caixa alta, com fonte 12, precedido do indicativo numérico correspondente; nas seções secundárias, recomenda-se que os títulos sejam em negrito, grafados em caixa alta, com fonte 12, precedido do indicativo numérico correspondente; nas seções terciárias e quaternárias, utilizar somente a inicial maiúscula do título, com fonte 12, precedido do indicativo numérico correspondente (Recomenda-se, pois que todos os títulos destas seções sejam destacados em negrito); é importante lembrar que é necessário limitar-se o número de seção ou capítulo em, no máximo até cinco vezes; se houver necessidade de mais subdivisões, estas devem ser feitas por meio de alíneas; usar dois espaços para separar título do texto, bem como entre uma seção e outra seção ou subseção;
13. Citações (diretas e indiretas ou livres) / Sistema de chamada AUTOR-DATA:
13.1 Atentar para NBR 10520/2002; (anexo A)
13.2 Apor o sobrenome do autor em caixa alta, ano da publicação da obra e número da página; quando o nome do autor estiver fora dos parênteses, usar apenas a inicial em maiúsculo;
13.3 Quando a citação ultrapassar três linhas, deve ser separada com um recuo de parágrafo de 4,0 cm, em espaço simples no texto, com fonte menor;
13.4 Citação de citação deve ser evitada; mas se usá-la: AUTOR(A), CITADO(A) POR AUTOR – ou APUD (ANO, PÁGINA)
14. Referências:
14.1 A elaboração das referências deve obedecer a NBR 6023, da ABNT. (anexo B)
14.2 No momento da citação, transcreve-se fielmente o texto tal como ele se apresenta, e quando for usado o negrito para uma palavra ou frase para chamar atenção na parte citada usar a expressão em entre parênteses (grifo nosso). Caso o destaque já faça parte do texto citado usar a expressão entre parênteses: (grifo do autor).
15. Os termos em outros idiomas devem constar em itálico, sem aspas. Exemplos: a priori, on-line, savoir-faires, know-how, apud,. Para dar destaque a termos/expressões deve ser utilizado o itálico. Evitar o uso excessivo de aspas que “poluem” visualmente o texto;
16. Apêndices, Anexos e outros elementos pré e pós-textuais: ver NBR 14724/2005 e outras fontes nas Referências.
 


Regras gerais para apresentação dos elementos textuais (NBR 6022)

1 Introdução   (ou: com um titulo relacionado ao tema do artigo)
A introdução expõe o tema do artigo, relaciona-o com a literatura consultada, apresenta os objetivos e a finalidade do trabalho. Trata-se do elemento explicativo do autor para o leitor. É a apresentação do assunto e permite ao leitor que tenha uma visão de conjunto do tema, para tanto deve:
a) especificar qual foi o assunto, objeto de estudo;
            b) esclarecer sobre que ponto de vista o assunto foi abordado;
            c) apresentar trabalhos anteriores que abordem o mesmo tema;
            d) apresentar as justificativas que levaram o autor a escolher o tema, o problema de pesquisa, a hipótese de estudo, o objetivo pretendido, o método proposto, razões de escolha do método e principais resultados;
            A introdução tem a função de despertar o interesse do leitor em ler o texto. Recomenda-se que a introdução seja a última parte do trabalho a ser redigida.
2 Desenvolvimento ou Corpo  (com um titulo relacionado ao tema do artigo)
O desenvolvimento ou corpo, como parte principal e mais extensa do artigo, visa a expor as principais idéias. É, em essência, a fundamentação lógica do trabalho. Dependendo do assunto tratado, existe a necessidade de se subdividir o desenvolvimento nas etapas que seguem.
2.1 Revisão de Literatura: Deve demonstrar conhecimento da literatura básica sobre o assunto, interpretando os trabalhos feitos por outros autores. Refere-se somente aos assuntos que tenham relação direta e específica com o trabalho. Deve ser apresentada, preferencialmente, em cronológica e do geral para o específico do artigo.
2.2 Metodologia/ Método: Este item descreve as etapas de definição de termos e de variáveis, a delimitação do universo estudado (população e amostra), a técnica de coleta de dados, as limitações da pesquisa. Deve sempre ser escrito com o verbo no tempo passado, pois descreve o que já foi feito, (selecionou-se, pretendeu-se...). Nesta parte do trabalho podem ser usados subtítulos para as partes ou seções. É a descrição precisa dos métodos, materiais, técnicas e equipamentos utilizados.
2.3 Resultados: Parte designada a apresentar os resultados alcançados após a aplicação do método, de forma direta, objetiva, sucinta e clara, apontando sua significância e sua relevância.
            Normalmente são utilizadas, quando houver necessidade, tabelas, fotografias e figuras nessa parte do artigo. O texto que explica as tabelas e figuras deve ser breve, claro, utilizando o verbo no tempo passado e na forma impessoal.
2.4 Discussão: Restringe-se aos resultados do trabalho e ao confronto com dados encontrados na literatura. Tem a finalidade de mostrar as relações existentes entre os dados coletados na pesquisa. Aqui se interpreta, critica, justifica e enfatiza os resultados encontrados. Discute os resultados encontrados na pesquisa realizada e os compara com os resultados de pesquisas anteriores, levantados na revisão de literatura. É a parte da argumentação.
3  Conclusão OU Considerações Finais (ou: com um titulo relacionado ao tema do artigo)
A conclusão destaca os resultados obtidos na pesquisa ou estudo. Não é uma idéia nova, é uma síntese do que foi apresentado anteriormente. Uma boa conclusão possui:
a) essencialidade - síntese marcante e interpretativa dos principais argumentos do estudo;
b) brevidade - concisa, enérgica, exata, firme e convincente, arrematando o que se descreveu;
c) personalidade - define o ponto de vista do autor.
            É o fecho do estudo, mas deve abrir perspectivas para novas pesquisas, sem lançar nenhuma idéia exatamente nova.

 
 
REFERÊNCIAS
 
ALVES, M.; ARRUDA, S. M. Como elaborar um artigo científico. Disponível em: <http://www.bu. ufsc.br/ArtigoCientifico.pdf>. Acesso em: 05 maio 2008.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT.
NBR 10520: informação e documentação:- citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT.
NBR 6022: informação e documentação:- apresentação de artigo em publicação periódica científica impressa. Rio de Janeiro, 2003.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT.
NBR 6023: informação e documentação:- referências:- elaboração. Rio de Janeiro, 2002.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS – ABNT.
NBR14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2005.
BARBA, Clarides H. Orientações básicas na elaboração do artigo científico. Disponível em: <
http://www.unir.br/html/pesquisa/Pibic/Elaboracao%20de%20Artigo%20Cientifico2006.doc>. Acesso em: 09 maio 2008.
CERVO, A. L. BERVIAN, P. A.
Metodologia científica. 3.ed.São Paulo: McGraw- Hill do Brasil, 1983. 249p.
D’ONOFRIO, Salvatore.
Metodologia do trabalho intelectual. 2a.ed. São Paulo: Atlas, 2000.
GONÇALVES, Hortência de Abreu.
Manual de projetos de pesquisa científica. São Paulo: Avercamp, 2003.
EDUQUENET. As normas da ABNT. Disponível em: <
http://www.eduquenet.net/abnt.htm>. Acesso em: 10 maio 2008.
LAKATOS, Eva Maria; MARCONI, Marina de Andrade.
Fundamentos de metodologia científica. 4a. ed. São Paulo: Atlas, 2001.
MALHEIROS, Márcia R. T. Leite. Artigos: NBR 6022/2003. Disponível em: <http://www.profwillian. com/_diversos/download/prof/marciarita/ARTIGOS.doc>. Acesso em: 03 maio 2008.
MIRANDA, J. L. C. de. GUSMÃO, H.R.
Como escrever um artigo científico. Niterói, R.J.:EDUFF, 1997.27p.
PIRES, Mônica de Moura (org.).
Manual para elaboração de trabalhos técnicos-científicos. 4. ed. Ilhéus: UESC/Editus, 2006.
SANTOS, Antônio Raimundo dos.
Metodologia científica: a construção do conhecimento. 4a.. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2001
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Odontologia de Bauru. Serviço de Biblioteca e Documentação.
Artigos científicos. Bauru. 1992. 38p. (Manual instrucional n.5).

 
MODELO
Vá para “Artigo Científico”. Trata-se de um modelo que ilustra passo a passo a apresentação de um artigo científico por ALVES; ARRUDA, 2008, online. Caso algum eventual detalhe seja contrário aos itens explicitados acima, desconsiderá-lo. Em caso de dúvidas, consulte as normas da ABNT listadas no topo da página.
 
RECOMENDAÇÃO
Leitura de revistas e periódicos acadêmicos: Gragoatá; Anpoll, Delta, portal Scielo, Litterata...

LINKS
EDUQUENET: orientações e links para a totalidade das normas da ABNT

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas - site oficial

Vilson J. Leffa - Normas da ABNT - Citações e Referências














 poéticos     acadêmicos     parentéticos


Neste sítio, esta lavra: palavras 
Quase todos os direitos reservados  © 2009
isaiasfcarvalho@gmail.com
Itabuna/Ilhéus, Bahia, Brasil


Imagens-tema no final desta página por: Wellington Mendes da Silva Filho





Ċ
Isaias Carvalho,
27 de set de 2009 07:36
Ċ
Isaias Carvalho,
27 de set de 2009 07:02
Ċ
Isaias Carvalho,
27 de set de 2009 07:50
Ċ
Isaias Carvalho,
27 de set de 2009 12:50
ĉ
Isaias Carvalho,
13 de mai de 2009 03:55
Ċ
Isaias Carvalho,
13 de mai de 2009 04:14
Ċ
Isaias Carvalho,
13 de mai de 2009 04:57