Plural de Nomes e Sobrenomes


Os nomes próprios sendo na Língua Portuguesa ou aportuguesados — quer marcas, quer prenomes, quer sobrenomes (apelidos) — seguem regras dos nomes comuns, inclusive na sua flexão para o plural. Confira os exemplos.

  1. Os Alvins, os Andrades, os Cadilacs, os Josés, os Ômegas, os Rafaéis, as Ritas, os Sandovais. Dizia Padre Vieira: “As Madalenas, as Salomés, as Jacobes também se chamavam Marias.

2. Os prenomes terminados em s ficam invariáveis. Deste modo: os Domingos, as Mercedes, os Vinícius, os Marcos, os Lucas. Mas as Beatrizes! Em analogia com gravidez/ gravidezes; capaz/ capazes; audaz/audazes.

3. Sobrenomes portugueses também vão ao plural. Assim: Arrudas, Sampaios, Beltrões Fonsecas, Sobrais… E sempre “Os Maias”, como nos ensinou mestre Eça de Queiroz!


4. De maneira que, se naturalmente pluralizados, mantêm-se invariáveis: os Guimarães, os Lopes, os Magalhães, os Mendes, os Queiroz. ( Mas Camilo Castelo Branco escreveu os Monizes e os Queirozes!, o que tem lógica. Lápis é invariável (“ganhei dois lápis”) mas não gravidez (“tive três gravidezes”)

5. Os nomes próprios quer marcas, quer prenomes, quer sobrenomes seguem as mesmas regras dos nomes comuns, no que concerne a sua flexão para o plural: os Alvins, os Andrades, os Cadilacs, os Josés, Os Maias, os Ômegas, os Rafaéis, as Ritas, os Sandovais.Dizia Padre Vieira: "As Madalenas, as Salomés, as Jacobes também se chamavam Marias

2.º) Os prenomes terminados em s ficam invariáveis. Deste modo:


3.º) Sobrenomes e, Português também vão ao plural. Assim: Arrudas, Sampaios, Fonsecas, Sobrais... "Os Maias", como nos ensinou mestre Eça de Queiroz.


4º) De maneira que, se naturalmente pluralizados, mantêm-se invariáveis: os Guimarães, os Lopes, os Magalhães, os Mendes, os Queiroz. (Só Camilo Castelo Branco escreveu os Monises e os Queroses!)

5. Em havendo dois sobrenomes, somente o primeiro toma a forma plural: Soutos Maior, Castros Mesquita, Oliveiras Pereira, Almeidas Prado, Proenças Meireles, etc. Se entre os dois houver "de", "do", "da", a regra é a mesma: Lousadas de Albuquerque, Correias do Amaral, Rangéis da Fonseca.

2.º) Os prenomes terminados em s ficam invariáveis. Deste modo: os Domingos,


3.º) Sobrenomes portugueses também vão ao plural. Assim: Arrudas, Sampaios, Fonsecas, Sobrais... "Os Maias", como nos ensinou mestre Eça de Queiroz.


Nota: Para salvaguardar direitos individuais, quem desejar pode manter sua assinatura na forma de uso. Poderá também ser mantida a grafia original de quaisquer firmas, sociedades, títulos e marcas que se achem inscritos em registro público. Você pode ser Enrique, Izabel, Luiz, Heloiza, porque assim foi registrado, independente da norma gramatical.

Fontes: Ciberdúvidas da Língua Portuguesa
FIGUEIREDO, Cândido de. Falar e Escrever
AMARAL, Vasco Botelho de. Estudos Vernáculos.