entrada

«
Encontre os artigos que procura
clicando no nome do autor
na coluna da esquerda

«

Ligação a Underwater Cultural Heritage Research - Bay of Lagos, Portugal http://underwaterarchaeology.weebly.com/
(link inserido em Junho de 2013)
 .
 
UMA NOVA CASA
Porque o sitio anterior onde guardávamos as nossas publicações já ia ficando obsoleto e de difícil manutenção, e porque continuam a surgir novos artigos dando conta das pesquisas e investigações dos membros do CEMAL, impôs-se uma mudança de casa, para este novo espaço proporcionado pela plataforma Google. Sejam bem-vindos a esta nova estrutura do CEMAL.
Francisco Castelo, Abril de 2011

         
        
Até à realização das próximas eleições, mantêm-se em exercício os membros dos órgãos sociais eleitos anteriormente


Mesa da Assembleia

Presidente: Paulo Lourenço Tovar de Morais

Vice-Presidente: Carlos Duarte Nascimento

1º Secretário: Vítor Manuel Campos

2º Secretário: José Manuel Viegas

 

Direcção

Presidente: Francisco Conceição Maria Castelo

Vice-Presidente: José Francisco Ribeiro Paula Borba

Tesoureiro: Luís Carlos Carradinha Reis

Coordenador: Tolentino Riço Abegoaria

Secretário: Marco Paulo Silva

1º Vogal: José Carlos Vasques + 

2º Vogal: Joaquim Paleta Marreiros

 

Conselho Fiscal

Presidente: José Joaquim Dias do Carmo

1º Vogal: Jorge Manuel Pereira Vieira

2º Vogal: João José E. S. Velhinho

Vogal Suplente: José Manuel Vitória




 


DESIDERATO

 

A cultura é um processo dinâmico que envolve toda a comunidade. Quanto mais alargada a consciência do valor das experiências pessoais e colectivas que podem ser testemunhadas e transmitidas, mais forte será o elo cultural e mais efectiva se torna a sua defesa. Pelo que nos toca, tentamos reunir, e publicar, as histórias da História de Lagos. Ficam, assim, preservadas para a posteridade as memórias e os saberes de pessoas que vão desaparecendo do nosso convívio. Eis a razão do carácter urgente deste trabalho. 


O CEMAL convida os lacobrigenses, sobretudo os mais antigos, a prestarem o seu contributo para este registo da nossa história. Poderão fazê-lo escrevendo sobre as suas experiências e memórias ou disponibilizando-se para entrevistas versando o quotidiano da cidade ao tempo da sua juventude ou sobre a sua vivência profissional e social durante o séc. passado, com especial atenção ao relacionamento de Lagos com o mar. 


Sem prejuízo de publicação em jornais locais ou sob a forma de livro, aqui se divulgará todo esse espólio recolhido. O mesmo poderá ser utilizado por terceiros, integrado em trabalhos escolares, ou reeditado na imprensa ou na internet para fins de divulgação, bastando para tal dar conhecimento ao CEMAL ou aos respectivos autores. Em todo o caso será sempre imprescindível a identificação de autoria dos artigos. 


Lagos, Outubro de 2004

O Editor do CEMAL

Francisco Castelo
  
 
 
NOTA DE ABERTURA DA EDIÇÃO 1999/2000  DO ANUÁRIO DO CEMAL

 

"O CEMAL, Centro de Estudos Marítimos e Arqueológicos de Lagos, Associação sem fins lucrativos, foi criado em 1979 para dinamizar a Fortaleza Ponta da Bandeira, que pertencia nessa altura ao Ministério do Exército e estava praticamente abandonada. Nessas instalações, fez aquários com várias espécies marinhas, algumas raras, realizou exposições, adquiriu material para Arqueologia Subaquática, preparou mergulhadores e fez fotografia e filmes subaquáticos.

Pesquisou o fundo do mar, localizou várias peças, colaborou com o Museu de Arqueologia em pesquisas na Boca do Rio. Desenvolveu nesse tempo uma actividade que se pode considerar importante. Até que a Fortaleza foi entregue à Câmara e retirada ao CEMAL em fins de 1987. Não tendo encontrado outras instalações, a sua actividade foi prejudicada e acabou por tornar-se praticamente inexistente. Contudo, a Associação não morreu e está tentando sair do marasmo, porque uma Associação deste tipo podia ser da maior utilidade para a defesa do património arqueológico da região.

Foi o CEMAL que organizou a única Exposição que se fez em Lagos sobre Arqueologia Subaquática. Foi o CEMAL que fez Exposições sobre o Remexido, sobre o 6º Centenário da Aliança Luso-Britânica, sobre os Textos Constitucionais, sobre a Marinha Portuguesa do Séc. XVIII.

Foi o CEMAL que interveio junto da edilidade, evitando o aterro do Balneário Romano da Praia da Luz. O seu Departamento de História apresentou comunicações importantes em Congressos e foi ainda esta associação que se bateu, em várias frentes e em alturas diversas, pela implantação dum Museu do Mar em Lagos.

Mas, hoje em dia, o CEMAL limita-se a apresentar ao público um caderno ou um Boletim Informativo, uma página na Internet ou um filme Vídeo, uma Exposição Documental ou de objectos históricos, sem qualquer obrigação de periodicidade podendo, no entanto, e utilizando qualquer uma destas formas, em qualquer altura, apresentar as suas "novidades".

Fazemo-lo, neste momento, com este Anuário, cujo conteúdo de feição eminentemente histórica reúne alguns dos trabalhos executados pelos associados durante o ano ou, no caso de outros já elaborados há mais tempo, mas porque apresentam manifesta actualidade e relevante importância, encontraram aqui um espaço reservado à sua (re)publicação. Não foram incluídos assuntos relacionados com o meio marinho, nem com Arqueologia Subaquática, não significando, porém, o seu esquecimento no seio do CEMAL, o qual não deixará de lhes dispensar a devida atenção noutras oportunidades. Até lá!".


Texto de introdução do Anuário 1998, assinado pelo Presidente da Direcção do CEMAL Engº João Carlos Abreu Pimenta que, tristemente, desapareceu do nosso convívio em Outubro de 1999.