Italian Grammar

Grammatica della Lingua Italiana

da Maurício Carvalho - Gennaio 1999

January 1999

Esse documento, impresso, tem cerca 28 páginas.

1. Pronúncia - pronunzia

(a pronúncia será indicada entre barras)

As vogais em italiano são pronunciadas como as vogais básicas do português brasileiro. Não há vogais nasalizadas, portanto uma vogal seguida de "m" ou "n" é pronunciada normalmente. Há pouca distinção entre "e" e "o" abertos ou fechados, ambos tendem a ser pronunciados nem muito aberto nem muito fechado, e nunca como /i/ ou /u/ como acontece no português em palavras como "caro" /karu/ ou "verde" /verdji/, que em italiano são pronunciadas /karo/ e /verde/.

A maioria das consoantes também é pronunciada como em português brasileiro, mas algumas diferem:

A letra "c" antes de "e" e "i" é pronunciada "tch": "certo" /tcherto/; "cinque" /tchinkwe/.

A letra "g" antes de "e" e "i" é pronunciada "dj": "gente" /djente/; "giro" /djiro/.

Para se obter os sons /ke/, /ki/, /gue/, /gui/, o italiano usa "ch" e "gh" antes de "i" e "e": "ghiaccio" /guiatcho/ (gelo); "anarchia" /anarkía/; "chiedere" /kiédere/ (pedir).

"Sci" e "sce" são pronunciados "chi" e "che": "scienza" /chéntza/; "disciplina" /dichiplina/

O "gn" é pronunciado "nh": "guadagnare" /gwadanhare/ (ganhar); "bagno" /banho/ (banho)

O "gli" é pronunciado como "lh": "pagliaccio" /palhatcho/ (palhaço); "scegliere" /chélhere/ (escolher)

Como em português, o "s" entre vogais é pronunciado /z/: "chiesa" /kieza/ (igreja)

O "gu" é pronunciado sempre /gw/ mesmo antes de "e" e "i": "guerra" /gwera/, "guida" /gwida/

O "l" nunca soa como "u", e sim sempre forte: "alto" /alto/ e não /auto/

"Qu" é sempre pronunciado /kw/ e nunca /k/: "questione" /kwestione/ (questão); "quindi" /kwindi/ (então)

O "z" é pronunciado "tz": "piazza" /piatza/ (praça)

O "x" existe em pouquíssimas palavras e é pronunciado "gz" antes de vogal e "ks" antes de consoante. "ex-amante" /egzamante/

As consoantes duplas são pronunciadas um pouco mais demoradamente do que as simples, mesmo "rr", que não é como português /h/. "Qu"duplo é "cqu": "acqua" /akkwa/ (água); "ch" e "gh" duplos são "cch" e "ggh".

Consoantes "moles" como "m", "n", "l" são pronunciadas inteiramente em qualquer posição: "alto" /alto/ e não /auto/; "ancora" (ainda) é /ankora/ e não /ãkora/

Note que "ci", "gi", "sci", "gli" seguidos de vogal o "i" átono não é pronunciado, pois está lá apenas para evitar que es consoantes sejam pronunciadas "mole": "scienza" /chéntza/; "botiglia" /botilha/ (garrafa); "viaggiare" /viadjare/.

Descubrir a sílaba tônica de uma palavra pela forma escrita é complicado. Para auxiliar a pronúncia do estudante, nessa gramática serão usados acentos agudos nas vogais tônicas de palavras proparoxítonas, mas no italiano normal apenas se usa acentos nas palavras oxítonas e em alguns monossílabos como diferenciação. Vogal junto de "i" conta apenas como uma sílaba, mas quando conta como sílaba tônica separada também será acentuado aqui: "Albanía", "bugía" (mentira). O italiano conhece dois sinais de acentuação, o grave (à, ò, ì...) e o agudo (é, ú. í...). A letra "a" pode receber apenas o grave. Sobre o "u" e o "i", pode-se usar indistintamente tanto o grave quanto o agudo: "più" ou "piú" (mais). Sobre o "e" e o "o" usa-se o grave para indicar som aberto e o agudo para som fechado- mas tal distinção é opcional. Na verdade, pode-se apenas usar o grave em todos os casos, reservando-se o agudo para uso opcional de acordo com a preferência da pessoa. Há normas a respeito do uso de acentos, mas não são observadas.

A orígem das consoantes duplas em italiano é, na maioria das vezes, a fusão de duas consoantes latinas de difícil pronúncia: lat. "factus" ital. "fatto" (fato); lat. "nocte" ital. "notte" (noite); lat. "administrare" ital. "amministrare"; lat. "adsumere" ital. "assúmere" (assumir). Uma palavra que ganha um prefixo tem sua consoante inicial duplicada: "vívere" (viver) "sopravvívere" (sobreviver); "rappresentare" (< "ra-"< lat. "re-" + "presentare"). O "x"latino virou "s" ou "ss": lat. "explódere" ital. "esplódere"; lat. "exiguus" ital. "esiguo"; lat. "exactus" ital. "esatto"; lat. "sexus" ital. "sesso".

2. Caracterísiticas da língua italiana - Caratterístiche della lingua italiana

O italiano é uma das línguas latinas modernas que mais preservaram traços do latim. Na verdade, a denominação "italiano" é recente, tem menos de duzentos anos, pois a Itália foi unificada politicamente entre 1861 e 1871. A língua italiana atual foi derivada da língua da cidade de Florença (Firenze), por sua influência cultural e econômica e também por sua língua preservar traços mais próximos ao do latim, possuindo um ar mais "clássico", agradando os ideiais renascentistas e iluministas. Até hoje, contudo, há diversas línguas regionais na Itália, algumas extremamente diferentes do italiano florentino, como o friulano, que está mais próximo do romanche (falado na Suíça), e o sardo, língua da ilha da Sardenha, além do siciliano, do vêneto e do piemontês (Milão). Porém todos italianos falam o italiano florentino (ou padrão), e praticamente não há analfabetos na Itália e nos cantões suíços onde se fala italiano.

As línguas modernas derivadas do latim (chamadas latinas ou românicas) são divididas pelos lingüistas em dois grupos principais, que refletem as primeiras divisões do latim popular do início da idade cristã: ocidental e oriental. Ocidentais são as línguas latinas da península ibérica e da França (português, castelhano, galego, catalão, ocitano, francês). Orientais são as línguas da Itália e da península balcânica. Essa divisão não reflete o grau atual de diferença entre as línguas, pois algumas como o francês e o romeno seguiram caminhos muito diferentes devido ao afastamento cultural e à influência não-latina, de modo que o português e o castelhano são hoje mais próximas do italiano do que do francês, enquanto que o romeno se distanciou muito do italiano também.

A principal divergência entre as línguas latinas ocidentais e orientais é a formação do plural. As línguas ocidentais o formam com "s", forma derivada do acusativo plural latino, enquanto que as orientais formam o plural com "i" para o masculino e "e" para o feminino, derivado do nominativo plural latino. As línguas orientais preservaram mais os verbos e o vocabulário latinos, enquanto que as ocidentais foram mais inovadoras.

Como houve muitas influências posteriores de uma língua latina sobre a outra, do latim, e de línguas não latinas como o árabe sobre as línguas ibéricas e o italiano; o germânico sobre estas e sobre o francês; o húngaro e o eslavo sobre o romeno, hoje a distinção entre línguas ocidentais e orientais é pouco visível para os não-lingüistas. No geral, as línguas ibéricas e o italiano são mais próximas entre si, o romeno se diferenciou muito, mas a língua mais próxima dele é o italiano, e o francês é a mais distanciada de todas, se levado em consideração a estrutura básica. Pode-se afirmar portanto que o italiano é a língua latina mais central de todas, tendo características comuns com todas outras línguas latinas.

Com o português, o galego e o castelhano, o italiano tem em comum a desinência masculina singular "o";

Com o catalão, o occitano (provençal) e o romeno, o italiano tem em comum a inserção de uma sílaba na conjugação presente do indicativo e subjuntivo dos verbos em -ir (catalão/ occitano)/ -ire (italiano) em todas pessoas exceto a 1a. e a 2. plurais: catalão "decidir; jo decideixo, tu decideixes, ell decideix, nosaltres decidim, vosaltres decidiu, ells decideixen"; italiano "capire (entender) io capisco, tu capisci, lui capisci, noi capiamo, voi capite, loro capíscono"; romeno "vorbi" (falar); eu vorbesc, tu vorbesti, el vorbeste, noi vorbim, voi vorbiti, ei vorbesc". No francês também há inserção, rara, de tal sílaba.

Com o francês, o catalão e o occitano, o italiano tem em comum a existência e partículas adverbiais significando "para lá" e "disso", em italiano: "ci" e "ne"; em catalão e em francês: "hi" e "en"; e o possessivo da 3a. pessoa plural: "loro" em italiano, "llur" em catalão e "leur" em francês.

Com o romeno, o italiano tem em comum as regras gerais da formação do plural (ver acima); a existência de um gênero neutro enfraquecido: no italiano algumas palavras originalmente neutras em latim são masculinas no singular mas ganham -a no plural (o plural neutro em latim era em -a) e então se tornam femininas, como "il braccio" ("o braço"do latim "bracchium", neutro), plural "le braccia" ("os braços", do latim "bracchia", plural de "bracchium"), com o qual os adjetivos e artigos vão para o feminino plural; em romeno o gênero neutro permanece mais forte e presente, mas na realidade as palavras neutras no singular são praticamente indistingüíveis das masculinas , terminando em consoante como as masculinas e levando artigo masculino "ul";no plural são como femininas plurais, ganhando a desinência "e" e o artigo feminino plural "le" (obs.: em romeno o artigo definido é posposto). Ambas as línguas preservam vários verbos irregulares latinos que ou se tornaram regulares ou desapareceram em outras línguas latinas. Na pronúncia, ambas tiveram o "c" latino antes de "e" ou "i" transformado em "tch", e o "g" em "dj".

Com todas as línguas latinas exceto o francês, o italiano tem em comum a desinência feminina singular "a".

Do latim, o italiano foi a única língua que manteve as quatro conjugações de verbos (mas o romeno mantém resquícios).

3. Os substantivos, adjetivos e artigos - I sostantivi, aggettivi e artícoli

Os substantivos, adjetivos (também chamados de nomes) e artigos são flexionados de uma maneira similar.

O artigo definido singulare é: IL ou LO (masculino) e LA (feminino). LO só se usa antes de palavra que comece com S+consoante, chamado de "S impura" (stato, squadro, specchio), PS, GN, Z ou vogal.

Il figlio- o filho; il campo- o campo; lo stato- o estado; lo spettácolo- o espetáculo; la strada- a rua/ estrada; la casa- a casa; il cattivo stato- o mau estado; lo stranno figlio- o estranho filho; lo psicólogo

A maioria esmagadora dos substantivos que terminam com O é masculina;

A maioria dos que terminam com A é feminina- há inúmeras exceções contudo;

Quanto aos substantivos terminados em E, alguns são femininos e outros masculinos, não há regra.

Raríssimos são os substantivos que não terminam com uma das vogais acima, como "tribù" (tribo), fem. Em consoante terminam apenas substantivos de origem estrangeira recente, como "il film".

Os adjetivos vêm na forma básica nos dicionários, que é a masculina singular. Os terminados em O formam o feminino em A; os terminados em E preservam o E no feminino: il buono paese (o bom país); la buona strada (a boa rua); "un uomo forte" (um homem forte); "una donna forte" (uma mulher forte); "un ragazzo francese" (um rapaz francês); "una ragazza francese" (uma garota francesa).

O plural dos artigos é IL= I; LO= GLI; LA= LE.

O plural dos substantivos e adjetivos que terminam em O é em I; os que terminam em A fazem plural em E; e os que terminam em E fazem plural em I. "il figlio i figli", "lo stato gli stati"; "la donna "le donne"; "il ragazzo forte i ragazzi forti"; "la ragazza forte le ragazze forti"; "il francese i francesi"; "la francese le francesi"; Mas os terminados em A masculinos levam I no plural: "il communista i communisti"; "la communista le communiste". Os que terminam em consoante ou em vogal acentuada não se alteram: "il film i film"; "la communità le communità". Alguns plurais são irregulares: "uomo uómini" (em latim "homo hómines"); "il bue i buoi" (boi).

Há algumas palavras masculinas em -o que formam plural normalmente em -a exceto se em sentido figurado: "il braccio (o braço) le braccia", mas "i bracci" se em sentido figurado como em "os braços da cadeira". Note que no plural em -a a palavra passa para o gênero feminino. Veja outras:

il ciglio le ciglia/ i cigli (borda, cílio)

il corno le corna/ i corni (chifre, corno)

il filo le fila/ i fili (fio)

il gesto le gesta/ i gesti (gesto)

il ginocchio le ginocchia/ i ginocchi (joelho)

il grido le grida/ i gridi (grito)

il labbro le labbra/ i labbri (lábio)

il lenzuolo le lenzuola/ i lenzuoli (lençol)

il membro le membra/ i membri (membro)

il muro le mura/ i muri (muro)

l'osso le ossa/ gli ossi (osso)

l'urlo le urla/ gli urli (urro)

il cervello le cervella/ i cervelli (cérebro)

il calcagno le calcagna/ i calcagni (calcanhar)

il frutto le frutta/ i frutti (fruta, fruto)

il pugno le pugna/ i pugni (punho)

il dito le dita/ i diti (dedo)

Alguns só têm o plural irregular:

il centinaio le centinaia (centena)

il migliaio le migliaia (milhar)

il miglio le miglia (milha)

il riso le risa (riso)

l'uovo le ouva (ovo)

il sopracciglio le sopracciglia (supercílio)

Os nomes femininos em "-ie" não mudam no plural: "la serie" (a série) "le serie"; "la specie le specie" (a espécie) (mas: la superficie - le superfici; la moglie (a esposa)- le mogli). Alguns femininos terminam em "-i" no singular, a maioria de origem grega: la tesi (a tese, do grogo "thesis"); la crisi (a crise, grego "krisis"), que também não mudam no plural: le tesi, le crisi.

Outros plurais curiosos ou irregulares são: la ala - le ali (a asa); l'arma - le armi (a arma); l'eco [fem] gli echi[masc] (o eco). Palavras abreviadas não se alteram: l'auto (la + auto) le auto (o carro, de "automóbile"); la foto - le foto. Outras palavras femininas em -o não se alteram: la dínamo- le dínamo; la radio- le radio. Mas "la mano" (a mão) faz "le mani". Algumas masculinas em -a não se alteram tampouco: il gorilla- i gorilla; il cínema- i cínema; outros assim são: paria (o pária), il sosia.

Palavras masculinas em "co" fazem plural em "ci": "amico" "amici" (amigo); "scientífico" "scientífici" (científico); Palavras em femininas em "ca" fazem "che": "amica" "amiche"; "scientífica" "scientífiche". Algumas palavras em "go" fazem plural "gi", outras em "ghi". Se a palavra tiver menos de três sílabas, faz em "ghi": "lago" "laghi".

Mas se o "co" ou "go" são precedidos de consoante, o plural é em "chi", "ghi": "arco" "archi", "letargo" "letarghi"; "grotesco" "groteschi".

Há algumas exceções: "porco, porci"; "antico, antichi"; "cárico, cárichi" (carga).

Algumas palavras tem duas possibilidades: "párroco "párroci/ párrochi" (pároco); "astrólogo astrólogi/ astróloghi"; "antropófago antropófagi/ antropófaghi"; "sarcófago sarcófagi/ sarcófaghi"; "mánico mánici/ mánichi" (cabo).

Há também diversas peculiaridades ortográficas na formação do plural. Palavras em "cio", "cia", "gio" ou "gia" fazem plural em "ci", "ce", "gi" e "ge", a menos que o "i" seja tônico: "la bugía" "le bugíe"; "la camicia" "le camice"; "la farmacía le farmacíe". Isso é porque o "i" átono entre "c" ou "g" e "a" ou "o" só serve para manter o som mole /tch/, /dj/. Palavras em masculinas em "io" fazem plural em "i", de novo apenas se "i" de "io" for átono: "lo specchio" (o espelho) "gli specchi"; mas "lo zio" (o tio) "gli zii"; "l'addío gli addíi" (o adeus)

O artigo indefinido é "un" para o masculino e "una" para o feminino; contudo antes de "s impura" o masculino é "uno": "un figlio"; "una donna"; "uno specchio" (um espelho).

O artigo definido, em algumas formas, sofre contração antes de palavra começada em vogal:

LO + UOMO= L'UOMO

GLI + ALTRI= GLI ALTRI (os outros; "altro"= outro)

LO + INVERNO= L'INVERNO (o inverno)

GLI + INVERNI= GL'INVERNI (os invernos)

LA + EUROPA= L'EUROPA

LA + UNGHIA= L'UNGHIA (a unha)

LA+ UNIVERSITÀ= L'UNIVERSITÀ (a universidade)

Mas femininas plurais só ganham LE: le università; le unghie; le altre. Palavra masculina plural começando em I ganha GL', em outra vogal GLI.

Há com os nomes (substantivos e adjetivos) italianos o fenômeno do "truncamento", que consiste na perda do final de algumas palavras em certas condições especialmente em poesia ou em linguagem formal. As palavras mais comuns que sofrem truncamento são: "bello" "bell"; "grande" "gran"; "bene" "ben" (bem); infinitivos verbais "andare" "andar", verbos em "ano"/ "ono" "an"/ "on".

4. Os verbos - I verbi

Para verbos irregulares, veja item 8.

Os verbos italianos são mais simples, em muitos aspectos, que os portugueses. Pertencem a uma de quatro conjugações:

1a. conjugação: terminados em -are: amare, cominciare, lodare (amar, começar, louvar)

A primeira conjugação, como em português, é a mais numerosa e raramente irregular. Veja o verbo "amare":

Particípio passado: amato

Muitos verbos da 1a. têm a sílaba tônica alterada no presente: "abitare" "io ábito, tu ábiti, lui ábita, noi abitiamo, voi abitate, loro ábitano". Como saber quais têm essa peculiaridade? A maioria dos dicionários não indica. Você tem que ver se há algum substantivo ou adjetivo do qual o verbo deriva. Se essa palavra for proparoxítona, então o presente do verbo derivado é como "abitare". Às vezez não há origem ou apenas o conhecimento do latim ajudaria.

terminare (terminar, de "términe", termo, término): io término, tu términi, etc.

abitare (habitar, morar, de "ábito", hábito): io ábito, tu ábiti, etc.

dimenticare (esquecer, sem origem italiana, mas vem do latim "de"+ "mente"): io diméntico, tu diméntichi, etc.

imaginare (imaginar, de "imágine", imagem): io imágino, ti imágini, etc.

considerare (considerar, do latim "sídere", astro): io consídero, tu consíderi, etc. (igualmente "desiderare", desejar)

imparare (aprender, sem origem): io ímparo, tu ímpari, etc.

Os verbos em -icare também: indicare, io índico, tu índichi...

Quando o -are do infinitivo é precedido de vogal (continuare, iniziare, etc) a sílaba tônica não vai para essa vogal como em português: io contínuo, tu inízii, lui contínua, noi iniziamo, voi continuate, loro iníziano, etc.

Há peculiaridades ortográficas em certos casos: "pagare" (pagar): io pago, tu paghi, lui paga, noi paghiamo, voi pagate, loro págano. O mesmo com verbos em "-care". Cuidado com verbos em "-ciare" ou "-giare", só mantêm o "i" se necessário para a manutenção do som mole de "c" e "g": cominciare (começar): io comincio, tu cominci, etc.

2a. conjugação: terminados em -ere paroxítonos: temere, godere (temer, gozar)

Contém poucos verbos, quase todos irregulares, pois a maioria dos verbos em -ere pertence à 3a. conjugação. Veja o verbo "temere":

Particípio passado: temuto

As formas entre parênteses são menos usadas.

3a. conjugação: terminados em -ere proparoxítonos: decidere, perdere, prendere (decidir, perder, pegar)

Contém muitos verbos e quase todos apresentam irregularidades em suas conjugações, especialmente no pretérito e no particípio passado (p.p.). É a conjugação mais deliciosa! Veja o verbo "préndere":

Particípio passado: preso

A 3a. conjugação inclui os verbos em -urre, como "tradurre"(traduzir); "condurre" (conduzir), etc., pois em latim eles eram "transdúcere", "condúcere". A conjugação é simples: io traduco, tu traduci, lui traduce, noi traduciamo, voi traducete, loro tradúcono; io traducevo; io tradurrò; io tradussi, tu traducesti; part. passado: tradotto.

O verbo "porre" (pôr), que é pouco usado (usa-se "méttere" mais comumente) também é da 3a., pois vem do latim "pónere". Mas apesar de raro, é importante por causa de seus derivados: "comporre" (compor); "disporre" (dispor); "esporre" (expor); "imporre" (impor), etc. Conjuga-se: io pongo, tu poni, lui pone, noi poniamo, voi ponete, loro pongono; io ponevo; io porrò; io posi, tu ponesti; part. passado: posto.

Também o verbo "trarre" (puxar) e derivados (ritrarre, attrarre, etc.), que vêm do latim "tráhere", pertencem à 3a.: io traggo, tu trai, lui trae, noi traiamo, voi traete, loro trággono; io traevo; io trassi, tu tragesti; io trarrò; tratto; traendo.

Os verbos "fare" e "dire" (fazer, dizer; do latim "fácere" e "dícere") podem ser considerados dessa conjugação também.

A origem das irregularidades desses verbos é justamente o afastamento da sílaba tônica do final, somado à partícula "-su" ou "-tu" que o latim usava para formar o particípio passado dessa conjugação: em latim "prehéndere" ganhava "-su" no p.p.: "prehend"+ "-su": "prehensu". O italiano perdeu o "h" e o "n", assim como o português: preso. O latim também tinha irregularidades similares na formação do pretérito perfeito, de onde "io presi, tu prendesti, lui prese...".

Aqui está uma breve lista para esclarecer a terceira conjugação italiana e a sua origem:

Os verbos em "-gere" e "-cere", tanto da 2a. quanto da 3a. conjugação têm "g" e "c" duros na 1a. pessoa singular e 3a. pessoa plural: "víncere" "io vinco, tu vinci, lui vince, noi vinciamo, voi vincete, loro víncono".

4a. conjugação: terminados em -ire: aprire, udire, capire (abrir, ouvir, entender)

Subdvide-se em dois grupos: alguns poucos como "aprire", "uscire" (sair), "udire", etc., contêm às vezes irregularidades no presente mas se conjugam similarmente aos portugueses em -ir; a maioria contudo ganha no presente a sílaba extra "isc", exceto nas 1a. e 2a. pessoa plurais. Veja "aprire":

Particípio passado: aperto; particípio presente: aprendo

Mas a maioria dos verbos em -ire é conjugada como "capire":

Particípio passado: capito; part. presente: capendo

Obs.: algumas gramáticas consideram a 2a. e a 3.a conjugação como uma só.

A orígem dessa sílaba -isc- é a terminação latina -esc- que era adicionada a verbos para dar-lhes significado incoativo, ou seja, de começo de ação: latim "dormire" (dormir); "dormescere" (adormecer); Só que em latim os verbos incoativos eram totalmente independentes, já no latim vulgar a sílaba -esc- passou a ser inserida em muitos verbos cuja conjugação presente era difícil, como no caso dos verbos latinos em -ire. Por isso muitos verbos em português em -ir ou alguns que eram em "ir" são irregulares ou defectivos: caber, eu caibo (do latim "cápere, cápio", mas latim vulgar "capire, capio ou capesco", donde o italiano "capire, io capisco"); "dormir, eu durmo" (latim "dormire, durmio"), "polir, eu -" (do latim "polire, polio"). No português a terminação acabou sobrevivendo em verbos a parte, como adormecer, florecer; em italiano o terminação -esc passou a ser usada para driblar a dificuldade do presente dos verbos em -ire, que em português se tornaram defectivos como "polir" ou "abolir". A maioria dos verbos portugueses em -ecer corresponde em italiano a verbos sem esse sufixo: "estabelecer"= "stabilire"; "emagrecer"= "dimagrare" ou "dimagrire"; "adormecer"= "adormentare".

Os verbos acima estão conjugados no modo indicativo. O modo subjuntivo (congiuntivo) tem os tempos presente e imperfeito. O presente subjuntivo é diretamente derivado do presente do indicativo:

O imperfeito do subjuntivo é obtido através da sílaba -iss-:

Os verbos "éssere" (ser/ estar) e "avere" (ter/ haver) são auxiliares:

ÉSSERE

particípio passado: stato; particípio presente: essendo

AVERE

particípio passado: avuto; participio presente: avendo

O perfeito dos verbos vem sendo pouco utilizado na linguagem moderna. Em seu lugar utiliza-se o "passato próssimo", que é obtido através do presente do verbo "avere" (com verbos de movimento usa-se "éssere") mais o particípio passado do verbo principal: io ho amato= eu amei; tu hai temuto= tu temeste; lui ha preso= ele pegou; noi abbiamo aperto= nós abrimos; voi avete avuto= vós tivestes.

Com "éssere" se conjugam os verbos de movimento, o próprio "éssere" e alguns verbos de transformação como "diventare" (tornar-se): io sono stato= eu fui ou eu estive; tu sei diventato= tu te tornaste; "volare"= "voar", io sono volato= eu voei, etc. Mas com "éssere" os particípios passados concordam com o gênero do sujeito: io sono stata= eu fui (dito por uma mulher); la donna é diventata differente= a mulher tornou-se diferente; le ragazze sono state in Italia= as garotas estiveram na Itália. (obs.: o participio passado de "stare", ficar, é igual ao de "éssere"= stato).

Essa distinção entre o uso de "éssere" e "avere" bem como entre o uso do perfeito e do "passato prossimo" é quase idêntica à que ocorre em alemão. É possível que tenha surgido devido à influência da invasões bárbaras da Idade Média.

O perfeito contudo não pode ser evitado quando se reporta uma ação occorrida há muito tempo. Por exemplo: "la bataglia è stata difficile" significa que a batalha foi difícil, dito logo que ela acabou, a batalha então é um evento recente. Mas num livro de história que disser que uma batalha da Primeira Guerra foi difícil, você só poderá encontrar: la bataglia fu diffícile. Mas, como eu disse, em italiano do dia a dia o "passato prossimo" é cada vez mais comum, apesar de às vezes o perfeito ser inevitável.

O italiano não tem o infinitivo pessoal (para eu fazer, tu fazeres, nós fazermos...) nem o futuro do subjuntivo (se eu fizer, se tu fizeres...). Em lugar do primeiro se usa "para que eu faça"= "per che io faccia"; do segundo se usa "se eu faço"= "se io faccio" ou "se io dovessi fare" (se eu devesse fazer). Também falta o mais-que-perfeito, que em italiano é obtido como em português normal: io avevo fatto= eu tinha feito/ eu fizera.

O presente simples também corresponde ao nosso presente contínuo: io prendo= eu pego/ eu estou pegando. Em italiano só se diz "io sto prendendo" quando for absolutamente necessário expressar processo contínuo.

A voz passiva pode ser construída com o verbo "éssere" ou com o mais formal "venire" mais particípio passado: "la casa è ammirata da molti"= "a casa é admirada por muitos". "La legge viene approvata dal congresso"= "a lei é aprovada pelo congresso". A partícula "se" pode ser usada, como em português: "se approva la legge"= "aprova-se a lei/ a lei é aprovada" (observe que "se" pode vir em começo de frase em italiano).

O imperativo tem todas as pessoas, exceto, obviamente, a 1a. singular.

"Amare" faz (tu) ama; (lui) ami; (noi) amiamo; (voi) amate; (loro) amino

"Prendere" faz prendi, prenda, prendiamo, prendete, prendano; similarmente faz "temere"

"Aprire" faz apri, apra, apriamo, aprite, aprano

"Capire" faz capisci, capisca, capiamo, capite, capíscano

"Éssere" faz sii, sia, síamo, siete, síano

"Avere" faz abbi, abbia, abbiamo, avete, ábbiano

O imperativo negativo da 2a. pessoa singular é "non" + infinitivo: non amare, non aprire, non éssere, etc. As demais pessoas simplesmente adicionam "non" antes: non ami, non capite, etc.

5. Os pronomes- i pronomi

io mi me- eu me mim

tu ti te- tu te ti

As formas oblíquas de "io" e "tu", assim como em português, se usa quando não são sujeito da oração. "Mi" e "ti" se usa como objeto direto sem preposição após verbos; "me" e "te" se usa depois de preposição ou antes de verbos e outras parículas (ci, ne, lo, la...). Mas "mi" e "ti" tranformam-se em "me" e "te" se vierem antes de "se" (pronome reflexivo) ou "ne" (pronome adverbial= disso) ou outros pronomes oblíquos (lo, la, le, li, gli...); pronomes oblíquos além disso podem vir no início da frase em italiano correto. "Mi hanno preso"= "pegaram-me".

noi ci noi- nós nos nós

voi vi voi- vós vos vós

Seguem as mesmas regras de uso que "io" e "tu". A origem da forma "ci" é-me um mistério, já que em latim é "nos". "Ci" e "vi" viram "ce" e "ve" antes de "ne" e outros pronomes (vide "me" e "te")

Quando os pronomes têm que vir imediatamente após os verbos, não há hífen, ao contrário do português, sendo que com particípio presente e infinitivo os pronomes têm que vir após: préndermi (pegar-me); temerti (temer-te); aprirci (abrir-nos); amándovi (amando-vos); arrivederci (até nos revermos). Note que o infinitivo perde o "e" final.

Os pronomes de terceira pessoa são "lui" (ele), "lei" (ela) e "loro" (eles/ elas). "Esso" pode ser usado como "isso" do português, mas "ciò" é mais comum. Os pronomes "egli" (ele) e "ella" (ela) caíram em desuso. A forma antiga plural "essi" e "esse" (eles/ elas) também é pouco usada.

As formas oblíquas de "lui" e "lei" são "lo" e "la", que seguam as mesmas regras de contração que os artigos. "Loro" masculino faz "li" e feminino "le". Mas com preposição permanecem "lui", "lei" e "loro". Como objeto indireto, "lui", "lei" e "loro" ainda têm as formas "gli", "le" e "loro" (=lhe/ lhes): "Le abbiamo dato il regalo"= "Lhe demos o presente"; "non voglio darle niente"= "não quero lhes dar nada".

O pronome "Lei", sempre escrito com maiúscula e declinado como "lei", é o pronome de tratamento formal em italiano, requerendo a terceira pessoa, e seu plural é "Loro": "Lei già è arrivato?" (o senhor já chegou?).

Os pronomes adverbiais "ne" e "ci" significam "de+pronome qualquer de 3a. pessoa", e "in+pronome qualquer de 3a. pessoa" ou "lá, para lá".

Como se usa "di" (de) mais artigo para indicar uma certa quantidade de algo (o “partitivo”, como francês), como em "non ho delle melle" (não tenho maçãs), o pronome "ne" entra em lugar de "di+artigo"= "non ne ho".

"Ci" é simples: "ci vado"= "vou para lá"; "ci eravamo"= "estávamos lá"; "non ci credo"= "não acredito nisso". Note a expressão "c'è" (< ci + è) e "ci sono" significando existência, como o português "há". "Ci sono" é usado quando há mais de uma coisa: "c'è un ragazzo lì"= "há um rapaz ali"; "ci sono tre ragazzi lì"= "há três rapazes ali". Mais formalmente se usa "vi è"/ "vi sono".

Os determinativos são: questo (este/ esse)/ questa (esta/ essa); quello (aquele)/ quella (aquela). "Quello" é declinado como o artigo definido: quell'amico, quella donna, quello stato, quegli stati, quegl'inverni, quelle università.

O nosso pronome interrogativo/ relativo "o que" é normalmente correspondido pelo italiano "cosa" ou "che cosa": "Che cosa fai?"= "O que fazes?". "Non so che cosa vedo"= "não sei o que vejo". "Cosa" não é considerado feminino: "Che cosa è successo?"= "o que aconteceu?" ("succédere"= acontecer), e não "che cosa é successa".

O pronome "cui" é a forma relativa de "che" ou usada com preposições: "La casa in cui ábito" ("a casa em que moro"; "abitare"= morar); mas "la casa che vedo" ("a casa que vejo").

6. Preposições e outras partículas - preposizioni e altre partícelle

di (de); da (de=proveniência; por= agente; para [com verbos]); a (a, para); in (em), per (para, por); con (com); senza (sem); fino a (até); contro (contra); tra/ fra (entre); soto (embaixo de, sob); su (sobre, em); a causa di (por causa de); durante (durante); invece di (em vez de); presso (junto a); oltre a (além de); malgrado (apesar de); salvo (salvo); secondo (segundo, conforme); sino a/ fino a (até); trámite (por meio de)

As palavras italianas "dentro", "fuori" (fora); "dietro" (atrás); "traverso" (através); "davanti" (em frente) não precisam de preposição "di" (de) para se ligarem às palavras: io sono dentro la casa= eu estou dentro da casa; lui è indietro l'auto= ele está atrás do carro; portanto podem ser consideradas preposições.

Algumas preposições se ligam aos artigos:

"di"+ "il"= "del"; +"la"= "della"; +"lo"= "dello"; +"gli"= "degli"; +"i"= "dei"; +"le"= "delle", etc.

"in"+ "il"= "nel"; + "la"= "nella"; + "lo"= "nello"; +"gli"= negli"; +"i"= "nei", +"le"= "nelle", etc.

"a"+ "il"= "al"; + "la"= alla; +"i"= "ai", etc.

"su"+ "il"= "sul"; +"la"= "sulla"; +"lo"= "sullo", etc.

"da"+"il"= "dal", etc.

"con" (ligação com essa preposicão é pouco comum)+ "il"= "col" ou "con il"; + "la"= "colla" ou "con la", etc.

A preposição "a" (<latim "ad") pode ganhar um -d antes de vogal: ad imminenti casi (a casos iminentes)

A preposição "di" é usada também em uma função chamada "partitivo", em que se expressa uma quantidade indeterminada de algo: "ho mele" (tenho maçãs); mas "ho delle mele" (tenho [algumas] maçãs). O significado do partitivo é mais discreto e seu uso é mais freqüente que o de "alguns" (=qualche), por isso o "di" partitivo nem sempre pode ser traduzido.

"Da", com nomes, pode significar "de" (origem); "por" (agente da passiva), e até, mais raramente, "para, a": "Io vengo dal Brasile" (eu venho do Brasil); "Questa léttera è stata scritta da me" (esta carta foi escrita por mim); "Vado dal medico" (vou ao médico). Indica "de" com verbos: "Ciò è fácile da fare" (isto é fácil de fazer). Mas "para fazer" seria "per fare".

"Su" pode ser traduzido como "em" mas indicando "sobre" (como inglês "on"): "Sono sulla strada"= "estou na rua".

As conjuções: e (e), ma (mas), però (mas), nonostante (apesar de), tuttavia (todavia), quindi (então), appena (assim que), affinché (a fim de que), mentre (enquanto), oppure (ou, ou então), perché (porque), prima che (antes que), se (se), sia... che (seja... seja), sebbene (embora), visto che (visto que, já que)

A conjunção "e" (< latim "et") pode ganhar -d antes de vogal: ed io? (e eu?)

7. Vocabulário - vocabolario

As palavras latinas sofreram mutações diferentes ao passar ao italiano e ao português. No geral, o italiano foi mais conservador.

A orígem das consoantes duplas em italiano é, na maioria das vezes, a fusão de duas consoantes latinas de difícil pronúncia: lat. "factus" ital. "fatto" (fato); lat. "nocte" ital. "notte" (noite); lat. "administrare" ital. "amministrare"; lat. "adsumere" ital. "assúmere" (assumir); lat. "exceptio"> ital. "eccezione"- a menos que esse grupo consonantal esteja precedido de consoante: lat. "sculptura"> it. "scultura" (e não "sculttura"). Uma palavra que ganha certos prefixos tem sua consoante inicial duplicada: "vívere" (viver) "sopravvívere" (sobreviver); "rappresentare" (< "ra-"< lat. "re-" + "presentare"< lat. "praesentare" < "praesens", presente). O "x"latino virou "s" ou "ss": lat. "explódere" ital. "esplódere"; lat. "exiguus" ital. "esiguo"; lat. "exactus" ital. "esatto"; lat. "sexus" ital. "sesso".

Os grupos iniciais latinos "pl-", "cl-" e "fl" viraram em italiano "pi-", "chi-" e "fi-" e em português "ch": lat. "clamare"> it."chiamare", port. "chamar"; lat. "flama"> it. "fiamma", port. "chama"; lat. "planus"> it. "piano", port. "chão"; lat. "plenus"> it. "pieno", port. "cheio".

O que era "-tiu", "-tia", "-tio", "-tie" em latim virou "-zio", "-zia", "-zie" em italiano e "-cio/ ço", "-cia/ ça", "ce" em português: lat. "initius"> it. "inizio", port. "início"; lat. "scientia"> it. "scienza", port. "ciência", lat. "patientia"> it. "pazienza", port. "paciência".

O italiano, mantendo-se mais fiel ao latim, evita homófonos perigosos como "sessão", "cessão" e "seção", que em italiano são "sessione" /sesione/, "cessione" /tchesione/ e "sezione" /setzione/. Em latim essas palavras soavam /sesio/, /kesio/ e /sektio/ (sessio, cessio, sectio).

O latim, assim como as línguas germânicas modernas, conhecia a distinção entre vogais longas e curtas. Em algumas palavras mais comuns, o "o" e o "e" longos passaram para o italiano como "uo" e "ie": lat. "nouus"> "it. "nuovo"; lat. "venit"> it. "viene"; lat. "homo"> it. "uomo".

O "h" latino aspirado desapareceu na pronúncia e na escrita italianas: lat. "hospes"> it. "óspite"; lat. "hodie"> ital. "oggi" (hoje); lat. "hydráulicus"> it. "idráulico". As únicas palavras italianas começando com "h" são "ho", "hai", "ha" e "hanno", formas do presente do verbo "avere" (ter, do latim "habere")- mas esse "h" obviamente não é pronunciado.

8. Verbos irregulares

O sinal # indica que o auxiliar do verbo é "éssere".

PRIMEIRA CONJUGAÇÃO

A primeira conjugação têm apenas três verbos básicos irregulares: dare, andare e stare (dar, ir, estar):

Note que alguns imperativos monossilábicos são seguidos de apóstrofe: "da' " para distinguir de "lui dà", que por sua vez recebeu a acento para ser distinguido da preposição "da"...

DARE:

(1)pres.: do, dai, dà, diamo, date, danno

(2)imp.: davo, davi...

(3)perf: diedi (detti), desti, diede (dette), demmo, deste, diédero (déttero)

(4)fut: darò...

(5)imp.: da' (dai, dà), dia, diamo, date, diano

(6)subj. pres.: dia, dia, dia, diamo, diate, díano

(7)subj.imp.: dessi, dessi, desse, déssimo, deste, déssero

(8)part. pres.: dante

(9)part. pass.: dato

(10) gerúndio: dando

O verbo "ridare" (dar de novo) se conjuga como "dare". A 3a. pessoa singular do presente, "dà", recebe a crase para se diferenciar da preposição "da".

ANDARE:

1: vado, vai, va, andiamo, andate, vanno

4: andrò, andrai, andrà...

5: va' (vai, va), vada, andiamo, andate, vádano

6: vada, vada, vada, andiamo, andiate, vádano

STARE:

1: sto, stai, stiamo, state, stanno

3: stetti, stesti, stette, stemmo, steste, stéttero

4: starò, starai...

5: sta' (stai, sta), stia, stiamo, state, stíano

6: stia, stia, stia, stiamo, stiate, stíano

7: stessi, stessi, stesse, stéssimo, steste, stéssero

Como "stare" se conjugam: ristare (ficar), soprastare (superar), sottostare (estar em baixo). Mas cuidado, pois os seguintes são regulares: constare, contrastare, costare, prestare, restare, sostare, sovrastare (constar, contrastar, custar, prestar, restar, sustar, superar).

FARE:

1: faccio, fai, fa, facciamo, fate, fanno

2: facevo, facevi, faceva...

3: feci, facesti, fece, facemmo, faceste, fécero

4: farò, farai, farà...

5: fa' (fai, fa) faccia, facciamo, fate, fácciano

6: faccia, faccia, faccia, facciamo, facciate, fácciano

7: facessi, facessi, facesse...

8: facente

9: fatto

10: facendo

Como "fare" se conjugam: assuefare (acostumar), contraffare (falsificar, cf. inglês "counterfeit"), disfare (desfazer), liquefare (liquefazer), mansuefare (amansar), putrefare (putrfazer), rarefare (rarefazer), rifare (refazer), soddisfare (satisfazer), sopraffare (oprimir, dominar), stupefare (espantar), tumefare (entumecer).

SEGUNDA CONJUGAÇÃO

ACCADERE (acontecer, ocorrer) #

1: accade, accádono

3: accadde, accáddero

4: accadrà, accadranno

5: accada

9: accaduto

10: accadendo

BERE (beber)

1: bevo, bevi, beve, beviamo, bevete, bévono

3: bevvi, bevesti, bevve...

4: berrò, berrai...

5: bevi, beva, beviamo, bevete, bévano

9: bevuto

10: bevendo

CADERE (cair) #

1: cado, cadi, cade, cadiamo, cadete, cádono

3: caddi, cadesti, cadde...

4: cadrò, cadrai...

5: cadi, cada, cadiamo, cadete, cádano

9: caduto

10: cadendo

DOLERSI (queixar-se)

1: mi dolgo, ti duoli, si duole, ci doliamo (dogliamo), vi dolete, si dólgono

3: mi dolsi, ti dolesti, si dolse...

4: mi dorrò, ti dorrai...

5: duóliti, si dolga, doliámoci, dolétevi, si dólgano

6: mi dolga, ti dolga, si dolga, ci doliamo (dogliamo), vi doliate (dogliate), si dólgano

9: doluto

10: doléndosi

DOVERE (dever)

1: devo, devi, deve, dobbiamo, dovete, dévono

3: dovei (dovetti), dovesti, dové (dovette), dovemmo, doveste, dovérono (dovéttero)

4: dovrò, dovrai...

6: deva, deva, deva (=debba), dobbiamo, dobbiate, dévano (débbano)

9: dovuto

10: dovendo

GIACERE (jazer) #

1: giaccio, giaci, giace, giac(c)iamo, giacete, giácciono

3: giacqui, giacesti, giacque, giacemmo, giaceste, giácquero

4: giacerò...

5: giaci, giaccia, giaciamo, giacete, giácciano

6: giaccia, giaccia, giaccia, giac(c)iamo, giac(c)iate, giácciano

9: giaciuto

10: giacendo

GODERE (gozar)

4: godrò, godrai...

9: goduto

10: godendo

PARERE (parecer) #

1: paio, pari, pare, paiamo, parete, páiono

3: parvi, paresti, parve, paremmo, pareste, párvero

4: parrò, parrai...

6: paia, paia, paia, paiamo, paiate, páiano

8: parvente

9: parso

10: parendo

PERSUADERE (persuadir)

3: persuasi, persuadesti, persuase...

9: persuaso

PIACERE (agradar) #

1: piaccio, piaci, piace, piacciamo, piacete, piácciono

3: piacqui, piacesti, piacque...

5: piaci, piaccia, piacciamo, piacete, piácciano

6: piaccia, piaccia, piaccia, piacciamo, piacciate, piácciano

9: piaciuto

10: piacendo

POTERE (poder)

1: posso, puoi, può, possiamo, potete, póssono

3: potei (potetti), potesti, potè (potette)...

4: potrò, potrai...

6: possa, possa, possa, possiamo, possiate, póssano

9: potuto

10: potendo

RIMANERE (ficar)

1: rimango, rimani, rimane, rimaniamo, rimanete, rimángono

3: rimasi, rimanesti, rimase...

4: rimarrò, rimarrai...

5: rimani, rimanga, rimaniamo, rimanete, rimángano

6: rimanga, rimanga, rimanga, rimaniamo, rimaniate, rimángano

9: rimasto

10: rimanendo

SAPERE (saber)

1: so, sai, sa, sappiamo, sapete, sanno

3: seppi, sapesti, seppe, sapemmo, sapeste, séppero

4: saprò, saprai...

5: sappi, sappia, sappiamo, sappiate, sáppiano

6: sappia, sappia, sappia, sappiamo, sappiate, sáppiano

9: saputo

10: sapendo

SEDERE (sentar)

1: siedo (seggo), siedi, siede, sediamo, sedete, siédono(séggono)

3: sedei. sedesti...

4: sederò. sederai...

5: siedi, sieda (segga), sediamo, sedete, siédano (séggano)

6: sieda, sieda, sieda (=segga), sediamo, sediate, siédano (séggano)

9: seduto

10: sedendo

TACERE (calar)

1: taccio, taci, tace, tacciamo, tacete, tácciono

3: tacqui, tacesti, tacque...

5: taci, taccia, tacciamo, tacete, tácciano

6: taccia, taccia, taccia, tacciamo, tacciate, tácciano

9: taciuto

10: tacendo

TENERE (segurar)

1: tengo, tieni, tiene, teniamo, tenete, téngono

3: tenni, tenesti, tenne...

4: terrò, terrai...

5: tieni, tenga, teniamo, tenete, téngano

6: tenga, tenga, tenga, teniamo, teniate, téngano

9: tenuto

10: tenendo

VALERE (valer)

1: valgo, vali, vale, valiamo, valete, válgono

3: valsi. valesti, valse...

4: varrò, varrai...

5: vali, valga, valiamo, valete

9: valso

VEDERE (ver)

1: vedo, vedi, vede, vediamo, vedete, védono

3: vidi, vedesti, vide, vedemmo, vedeste, vídero

4: vedrò, vedrai...

5: vedi, veda...

6: veda... vediamo, vediate, védano

9: veduto / visto

VOLERE (querer)

1: voglio, vuoi, vuole, vogliamo, volete, vógliono

3: volli, volesti, volle, volemmo, voleste, vóllero

4: vorrò, vorrai...

5: vogli, voglia, vogliamo...

6: voglia... vogliamo, vogliate, vógliano

9: voluto

TERCEIRA CONJUGAÇÃO

Os verbos irregulares da 3a. se conjugam normalmente como "préndere", ou seja, têm irregularidades na 1a. e 3a. pessoas singulares e3a. pessoa plural do perfeito (io presi, lui prese, loro présero), irregularidade a qual é similar à que forma o particípio passado (preso). Portanto apenas indicarei a 1a. pessoa singular do perfeito, o particípio passado, e às vezes o presente, se for irregular. Os verbos derivados que se conjugam exatamente como o básico não estão mostrados, nem os verbos em -urre, -arre,- orre, que estão explicados na seção de verbos.

accéndere (acender): accesi; acceso

acclúdere (incluir): acclusi; accluso

accórgersi (perceber): mi accorsi; accórtosi

allúdere (aludir): allusi; alluso

anéttere (anexar): annettei (annessi); annesso

appéndere (pendurar): appesi; appeso

árdere (arder): arsi; arso

aspérgere (aspergir): aspersi; asperso

assístere (assistir): assistei; assistito

assólvere (absolver): assolsi; assolto

assúmere (assumir): assunsi; assunto

atténdere (atender): attesi; atteso

attíngere (atingir): attinsi; attinto

chiédere (pedir): chiesi; chiesto

chiúdere (fechar): chiusi; chiuso

cíngere (cercar): cinsi; cinto

cógliere (colher): io colgo, to cogli, lui coglie, cogliamo, cogliete, cólgono; colsi; colto

coincídere (coincidir): coincisi; coinciso

comprímere (comprimir): compressi; compresso

concédere (conceder): condedei (concessi); conceduto (concesso)

confíggere (cravar): confissi; confitto

conóscere (conhecer): conobbi; conosciuto

consístere (consistir): consistei; consistito

contúndere (contundir): contusi; contuso

convérgere (convergir): conversi; converso

corréggere (corrigir): corressi; corretto

córrere (correr): corsi; corso

costríngere (contringir): costrinsi; costretto

créscere (crecer): crebbi; cresciuto

cuócere (cozinhar): io cuocio, cuoci, cociamo, cocete, cuóciono; cossi; cotto (cociuto)

decídere (decidir): decisi; deciso

devólvere (devolver): devolsi; devoluto

diféndere (defender): difesi; difeso

dipíngere (pintar): dipinsi; dipinto

dirígere (dirigir): diressi; diretto

discútere (discultir): discussi; discusso

dissólvere (dissolver): dissolsi/ dissolvei; dissolto/ dissoluto

distínguere (distinguir): distinsi; distinto

divídere (dividir): divisi; diviso

eccéllere (superar-se): eccelsi; eccelso

emérgere (emergir): emersi; emerso

érgere (erguer): ersi; erto

erígere (erigir): eressi; eretto

esígere (exigir): esigei; esatto (do latim "ex"+"ágere"= "exígere"; "ex"+ "actus"= "exactus")

esístere (existir): esistei; esistito

espéllere (expelir): espulsi; espulso

esplódere (explodir): esplosi; esploso

evádere (evadir): evasi; evaso

féndere (fender): fendei; fenduto/ fesso

fíggere (fincar, cravar): fissi; fisso/ fitto

fíngere (fingir): finsi; finto

fléttere (dobrar, curvar): flessi; flesso

fóndere (fundir): fusi; fuso

frángere (quebrar): fransi; franto

insístere (insistir): insistei; insistito

intrídere (ensopar): intrisi; intriso

invádere (envadir): invasi; invaso

lédere (ofender): lesi; leso

léggere (ler): lessi; letto

méscere (servir líquidos): mescei; mesciuto

méttere (pôr): misi; messo

mórdere (morder): morsi; morso

múngere (mungir, ordenhar): munsi; munto

muóvere (mexer): mossi; mosso

náscere (nascer): nacqui; nato

nascóndere (esconder): nascosi; nascosto

neglígere (negligenciar): neglessi; negletto

nuócere (prejudicar): io noccio, nuoci, nociamo, nocete, nócciono; nocqui; nociuto

percuótere (espancar): percossi; percosso

pérdere (perder): persi; perso/ perduto

piángere (chorar): piansi; pianto

pióvere (chover): piovve; piovuto

pórgere (estender, dar): porsi; porto

predilígere (preferir): predilessi; prediletto

préndere (pegar): presi; preso

prométtere (prometer): promisi; promesso

protéggere (proteger): protessi; protetto

púngere (picar, espetar): punsi; punto

rádere (barbear): rasi; raso

redígere (redigir): redassi; redatto

redímere (redimir): redensi; redento

réggere (segurar): ressi; retto

réndere (devolver, tornar): resi; reso

resístere (resistir): resistei; resistito

rídere (rir): risi; riso

rifléttere (refletir): riflessi; riflesso/ riflettuto

rifúlgere (refulgir): rifulsi; rifulso

risólvere (resolver): risolsi; risolto

rispóndere (responder): risposi; risposto

ródere (roer): rosi; roso

rómpere (quebrar, romper): ruppi; rotto

scégliere (escolher): io scelgo; scegli, sceglie, scegliamo, scegliete, scélgono; scelsi; scelto

scéndere (descer): scesi; sceso

scíndere (cindir, cortar): scissi; scisso

sciógliere (derreter): io sciolgo; sciogli, scioglie, sciogliamo, sciogliete, sciólgono; sciolsi; sciolto

sconfígere (derrotar): sconfiggei; sconfitto

scrívere (escrever): scrissi; scritto

scuótere (sacudir): scossi; scosso

sórgere (surgir): sorsi; sorto

spándere (derramar, espalhar): spansi; spanto

spárgere (espalhar): sparsi; sparso

spégnere (apagar): io spengo, spegni, spegne, spegniamo, spegnete, spéngono; spensi; spento

spéndere (gastar): spesi; speso

spíngere (empurrar): spinsi; spinto

sténdere (estender): stesi; steso

stríngere (apertar): strinsi; stretto

strúggere (derreter): strussi; strutto

succédere (acontecer, suceder): sucesse; sucesso (suceduto= suceder, seguir)

svéllere (arrancar): io svello (svelgo), svelli, svelle, svelliamo, svellete, svéllono (svélgono); svelsi; svelto

svólgere (desenvolver, desenrolar): svolsi; svolto

téndere (tender, esticar): tesi; teso

térgere (limpar): tersi; terso

tíngere (tingir): tinsi; tinto

tógliere (tirar): io tolgo, togli, toglie, togliamo, togliete, tólgono; tolsi; tolto

tórcere (torcer): torsi; torto

uccídere (matar): uccisi; ucciso

úngere (ungir, untar): unsi; unto

víncere (vencer): vinsi; vinto

vívere (viver): vissi; vissuto

vólgere (virar): volsi; volto

"Dire" (dizer), apesar de terminar em -ire, pertence à 3a., pois provém do latim "dícere":

1: dico, dici, dice, diciamo, dite, dícono

3: dissi, dicesti, disse, dicemmo, diceste, díssero

4: dirò, dirai...

5: di', dica, diciamo, dite, dícano

6: dica..., diciamo, diciate, dícano

7: dicessi, dicessi, dicesse, dicéssimo, diceste, dicéssero

8: dicente

9: detto

10: dicendo

Como "dire" se conjugam: benedire (benzer), contraaddire (contradizer), disdire (desdizer), indire (anunciar, convocar), interdire (interditar, proibir); maledire (amaldiçoado), predire (predizer); ridire (repetir).

QUARTA CONJUGAÇÃO

APPARIRE (aparecer): ou regular em -isc ou quase como "parere".

1: appaio (apparisco), appari (apparisci), appare (apparisce), appariamo, apparite, appáiono (apparíscono)

3: apparvi (apparii), apparisti, apparve (apparí)...

4: apparirò, apparirai...

5: appari, appaia, appariamo, apparite, appáiano

6: appaia..., appariamo, appariate, appáiano

9: apparso

Como "aparire": comparire (comparecer), disparire (desaparecer; mas 9: disparito/ disparso)

ASSALIRE (assaltar)

1: assalgo (assalisco), assali (assalisci)...

3: assalsi (assalii), assalisti...

9: assalito

ASSORBIRE (absorver)

1: assorbisco (assorbo), assorbisci (assorbi)...

9: assorbito, assorto

COMPIRE (ou COMPIERE) (cumprir)

1: compio, compi, compie, compiamo, compite (compiete), cómpiono

2: compivo (compievo)...

7: compissi (compiessi)...

9: compito/ compiuto

10: compiendo

MORIRE (morrer)#

1: muoio, muori, muore, moriamo, morite, muóiono

4: morrò, morrai...

5: muori, muoia, moriamo, morite, muóiano

6: muoia..., moriamo, moriate, muóiano

9: morto

OFFRIRE (oferecer)

3: offersi/ offrii, offristi, offerse/ offrí, offrimmo, offriste, offérsero (offrírono)

8: offerente

9: offerto

SALIRE (subir)#

1: salgo, sali, sale, saliamo, salite, sálgono

5: sali, salga, saliamo, salite, sálgano

6: salga..., saliamo, saliate, sálgano

8: salente, saliente

9: salito

UDIRE (ouvir)

1: odo, odi, ode, udiamo, udite, ódono

5: odi, oda, udiamo, udite, ódano

6: oda..., udiamo, udiate, ódano

9: udito

USCIRE (sair)#

1: esco, esci, esce, usciamo, uscite, éscono

5: esci, esca, usciamo, uscite, éscano

6: esca..., usciamo, usciate, éscano

9: uscito

VENIRE (vir)#

1: vengo, vieni, viene, veniamo, venite, véngono

3: venni, venisti, venne, venimmo, veniste, vénnero

4: verrò, verrai...

5: vieni, venga, veniamo, venite, véngano

6: venga..., veniamo, veniate, véngano

8: veniente

9: venuto