Passaporte para o Paraíso


Ivo Korytowski
Passaporte para o Paraíso
Editora Fragmentos

Passaporte para o paraíso desenrola-se em três planos: em primeiro plano, descrevem-se as vicissitudes de um judeu alemão que emigra para o Brasil com a família a fim de escapar ao nazismo; o segundo plano trata do romance entre seu neto e uma brasileira católica numa época em que o casamento de pessoas de religiões diferentes ainda era problemático; o terceiro plano consiste em uma reflexão sobre a crença no Messias. “O senso de humor, ironia e apreciável gama de conhecimentos filosóficos são responsáveis por uma trama singular e atraente.” Escrito trinta anos atrás, só agora tive a oportunidade de publicar. Menção honrosa do Prêmio Graciliano Ramos da UBE em 1992.

"Considero Passaporte para o Paraíso de Ivo Korytowski um romance de grande valor. Trata-se de um romancista arguto e denso. Ele tem cultura filosófica e uma visão extremamente lúcida da realidade. Seu livro – sobre o drama terrível dos judeus – é um desses livros intensos que a gente não esquece nunca mais."

Antonio Carlos Villaça

ONDE COMPRAR O PASSAPORTE PARA O PARAÍSO:

1. Por R$24,00 no site da Editora Fragmentos: clique aqui.

2. Na Livraria Cultura por R$24,00: clique aqui.


3. Na Estante Virtual

,

 com dedicatória do autor, por R$24,00: clique aqui.


ELOGIOS RECEBIDOS:


Estou lendo seu livro, você consegue colocar verve em trechos dramáticos. Auto referente e bom texto.

Esther Largman

 

Terminei de ler ontem à noite todas as 122 páginas (123, contando a “Nota do Autor”) do seu «PASSAPORTE PARA O PARAÍSO».

Conforme eu antecipava, teu livro é Opera Prima, quem conhece o autor, pessoa de alta qualidade, sabe que sua obra também vai ser de alta qualidade, muito culturalmente informativa. E mais que isso, eu passei a conhecer melhor as tuas origens (origens dos Korytowskis).


Merece ser elogiado:

1º) porque tem alta qualidade literária, e de sobra;

2º) permite ao leitor conhecer características/costumes do povo judeu não facilmente encontráveis em português em quaisquer outros lugares.

Erik José Steger

 

Estou aqui comovido com a leitura do seu "Passaporte". Comentei sobre ele com o ***, cujos pais também fugiram do nazismo, e ele me pediu um exemplar. Onde encontro?

Francisco Daudt

 

Realmente você é um bom escritor, nasceu para as Letras, o que se confirma nas suas outras obras e nos seus blogs.

Parabéns e sucesso.

Ronaldo Câmara

 

O livro do Ivo é maravilhoso, eu adorei, principalmente porque eu conheci a família. Ele escreve tão bonito que a gente fica emocionado.

Judith Berger

 

Ivo, eu li o livro Passaporte para o Paraíso, escrito por você, e achei-o sensacional! Parabéns!!!

Siomara De Cássia Miranda


Já me envolvi com o Passaporte para o Paraíso, que leitura boa, ainda que de momento, angustiante: estou nas considerações do Otto sobre a impossibilidade de que algo ruim vá acontecer. E, como sabemos, foi exatamente assim que milhões de nós foram ficando, até não haver mais qualquer alternativa. O Passaporte para o Paraíso promete outros movimentos, que continuarei agora a acompanhar.

Lucy Copstein


O artifício das narrativas paralelas mostra com humor e ironia a assimilação de culturas quase opostas (e tão parecidas). Se Sérgio fosse goy (é assim?) e Helena judia, como aconteceria o progresso do casamento?  O registro da já tradicional marmelada no Itamaraty e adjacências do poder dá um “flagra” bem a propósito. Histórias que muitos outros Ottos contariam.

Que o Passaporte tenha perene validade para outros romances, com humor, amor e ironia.

Helio Brasil


Gostei muitíssimo do seu livro, diverti-me a valer.

Alexei Bueno


Só agora pude terminar a leitura desse excelente romance, não me importando como classificá-lo. Confesso que não fiquei surpreso com a qualidade superior do texto e da trama. Muito interessante, completamente novo para mim, o processo de criação da obra. Esse processo merece um estudo a parte, já que há cortes abissais que se recosturam e retomam um "fio condutor", que seria, digamos, sub-reptício ou subterrâneo. Coisa de Mestre!

Seu Passaporte para o Paraíso, eu diria, para a Eternidade, já está acertado. Você já escreveu para dialogar com as gerações futuras. Falo sem medo de errar.

Geraldo Reis


Comecei a ler o seu livro (Passaporte para o Paraíso) dentro do avião, no voo do Rio para BH. Li até a p. 30, apreciei muito e quando o avião aterrissou, senti-me frustrado, querendo que o voo durasse mais tempo. Agradaram-me imediatamente a redação, o estilo e o conteúdo. Agora vou continuar a ler um pouco mais devagar, curtindo todos os detalhes. Acho que o menino na capa é você.

Osmar Brina Corrêa-Lima


Já terminei seu livro há algum tempo, li aos poucos, um capítulo por dia, degustando. Seu texto é muito bom, a narrativa flui de forma bem agradável e os toques de humor são uma das suas principais características. É interessante refletir sobre como o povo judeu jamais poderia imaginar que um país culto como a Alemanha poderia se render a um psicopata como Hitler. Aliás, ninguém poderia imaginar isso, essa é que é a verdade. Fica a vontade de ler mais, acho que a história poderia ser bem maior, centrada no casal, achei que terminou de uma forma que a gente fala assim: poxa, já?

André Luis Mansur Baptista


Ivo, terminei de ler o teu livro ontem à noite: UMA OBRA PRIMA! PARABÉNS! ESCREVA MAIS LIVROS!


Márcio Steinbruch


Tive dificuldade, no início, de entender um “romance” no qual o autor entra no texto e faz comentários, traz dados históricos e esclarecedores sobre a questão tratada. Felizmente, no andar da leitura fui me acostumando e gostando
!


Nireu Cavalcanti


Sim eu recebi o livro, inclusive fiz uma menção no fcb do seu livro. Obrigada eu gostei imensamente (eu li em uma noite quase!) gostei da comparação a Tiradentes... fica mais fácil explicar para quem não se conhece com a história do povo judeu.


Martha Meneses (Munique)


Agora, quanto a seu livro, gostei muito mesmo.  Sou da área de Educação e, com tudo que já foi escrito sobre o Holocausto, identifico uma abordagem interessante e esclarecedora sobre a questão dos judeus alemães.  Mostrou emoções e dificuldades muito raramente explicadas.  E de uma maneira tão enxuta!  

Adorei o seu tipo de senso de humor irônico - só mesmo um ieque consegue - inclusive descrevendo situações nada engraçadas.

Muita sensibilidade perpassa todas as suas narrativas.  Emocionará a muitos que forem ler o seu livro.

Para não deixar dúvidas que gostei, o livro foi recebido ontem à tarde e já está lido. 

Mas, como vc convida a críticas, o meu reparo está no assunto Messias.  Aqui vc perdeu a oportunidade de colocar as diferenças básicas entre o pensamento messianico judaico e o cristão.  Não se trata de discutir Jesus ou não Jesus mas sim teria sido interessante mostrar que o Messias judeu não corresponde à visão cristã.   Lamento que nesse assunto vc não aproveitou a sua capacidade de síntese.

Jeanette Bierig Erlich

Já tem um tempinho que acabei de ler o "Passaporte para o paraíso" e no momento quem está lendo é a Sonia, minha irmã. Muito legal. Gostei, e aquela jogada de alternar o tipo da letra conforme o enfoque do capítulo, ficou interessante. Serve para desligar temporariamente do fio geral da história, sem sair da história.

Manoel Rodrigues


Ma femme a déjà lu Passa Porte, e realmente a-do-rou!! Moi, je n´ai lu que quelques passages jusqu´ici, mais c´est vraiment prometteur... Bravo.

Richard Beer

Muito prazerosa a viagem pela boa Literatura, de posse do seu "Passaporte para o paraíso ".
O passeio/leitura por três narrativas distintas,  bem articuladas, flui vigorosamente, informa, diverte e faz pensar,  não fosse vc um estudioso de Filosofia e nem um pouco pretensioso  (sem falsa humildade), ao apontar questões importantes à reflexão. 

Conceição Albuquerque

Meu caro

Como pode imaginar já li o livro.

À parte uns termos que não sou de usar (punheta e mais um ou outro !) achei o livro muito bem delineado, sarcástico, cheio de humor.

Gostei e dei algumas risadas.

Parabéns

Um abraço

Francisco Amorim


Parabéns pelo livro! Gostei muito!!

Jordi (agência literária Mertin)


RESENHAS:


No blog Poesia, Arte e Literatura de Salomão Rovedo. Para acessar clique aqui.

Na edição de setembro/outubro de 2017 do Jornal da Associação Nacional de Escritores (ANE). Para acessar clique aqui.

 

Comments