DISCURSO A CLEVANE PESSOA NA AFEMIL

contato

Discurso de apresentação proferido por ANGELA TOGEIRO, cadeira 20 – ANITA GARIBALDI, quando da apresentação de CLEVANE PESSOA para ocupar a cadeira 05 – CECÍLIA MEIRELES na AFEMIL – ACADEMIA FEMININA MINEIRA DE LETRAS em 05 de novembro de 2008.

 

 

 

 

 

 

 

 

Clevane Pessoa -  poetisa aos 9 anos.

 

Senhora Presidente Maria Laura, senhoras presidentes eméritas, confreiras:

Minha fala nesta reunião eletiva é para apresentar às confreiras da AFEMIL Clevane Pessoa de Araújo Lopes, Clevane Pessoa, como é conhecida como candidata à cadeira 05, de Patrona Cecília Meireles.

Clevane é escritora de prosa e verso, psicóloga, artista plástica – ilustradora, palestrante, divulgadora cultural, revisora e uma série de outros comprometimentos ligados à arte em geral, incluindo oficinas literárias e também de psicologia. Além de ser uma pessoa generosa, amiga, com quem se pode contar nas horas alegres, tristes e nas mais inusitadas.

Nordestina, nasceu em São José de Mipibu/RN, em 16/07, mora em Minas Gerais desde os seus seis (6) anos de idade, tendo se ausentado durante de dez anos, quando morou no NE, em São Luiz/MA e N, em Belém/PA, levada pelo trabalho do seu marido, retornando à capital mineira em 1990. Seu pai Lourival Pessoa da Silva era paraibano, radicado em Natal, e a mãe Terezinha do Menino Jesus da Silva, rio-grandense-do-norte (potiguar ou norte-rio-grandense). Seu avô materno, Luiz Máximo de Araujo, era paraibano, jornalista, poeta e trovador da tradicional família Araújo, e a avô materna D. Theófila Theonila Câmara de Araújo, era prima de D. Helder Câmara pelo lado dos Câmara Leite. Ela era bisneta de índios potiguares. Seu avô paterno, da família paraibana Pessoa, foi o maestro Manoel Pessoa, e a avó paterna Maria Rodrigues de Sousa. A veia artística de veio dos dois lados da família.

O pai era telegrafista-militar e a mãe estudou enfermagem em Juiz de Fora, onde foi parteira e assistente obstetra. O pai, de espírito aventureiro, sempre que sabia de uma vaga no seu cargo, pedia transferência e Clevane teve uma infância peculiar, morou em Japurá/AM, na fronteira com a Colômbia, na Paraíba, em Natal, em Manaus e na Ilha de Fernado de Noronha, onde aos cinco anos fez a Primeira Comunhão. Como a mãe não tinha muito o que fazer em Japurá, alfabetizou a filha (a outra, Cleone tinha menos de dois anos). Clevane aprendeu a ler e escrever aos três anos.

A vinda para Minas Gerais foi motivada por um Tenente de JF que tecia muitos elogios à "Manchester Mineira", despertando o interesse do seu pai, que acabou mudando-se para cá. E aqui criaram raízes. Em Juiz de Fora estudou no Colégio Santa Catarina, da Congregação de Santa Catarina, e no Colégio Santos Anjos, depois parte do ginásio (hoje 1º grau) no Colégio Estadual, onde era a mascotinha pois entrou com 10 anos na primeira série. Aprendeu a desenhar em Juiz de Fora, Clério de Sousa, o Pimpinela, na Escola de Belas Artes Antonio Parreiras.

Com o avô Luiz Máximo de Araujo aprendeu a fazer trovas aos nove anos. Aos dez anos de idade, tem consciência de que começou a escrever poemas – sendo seu primeiro poema sobre o nascimento de Jesus. Com a mãe, aprendeu bem pequena a declamar e na adolescência começou participar de atividades teatrais como artista e autora.

Aos doze, morou no sul de Minas Gerais e estudou no Colégio Sagrado Coração de Jesus de Itajubá, da Irmãs da Providencia de GAP, quando morou na vila militar REPI – Rede Elétrica Piquete Itajubá, onde passou a adolescência. Quando do golpe militar, em março de 64, voltaram a Juiz de Fora onde terminou o segundo grau (curso de normalista), novamente no Colégio Santos Anjos.

Como não tinha idade para entrar na faculdade e naquele tempo precisava-se de licença da SEE, iniciou suas investidas na imprensa, trabalhando na Gazeta Comercial, onde assinava a coluna diária Clevane Comenta e a domingueira Gente, Letras e Artes. Assinou Carrossel e Ribalta Lítero Artística. Nessa época conheceu Messias da Rocha, redator chefe de A Tarde, que foi seu primeiro marido, com quem teve o filho, Cleanton Alessandro Pessoa Rocha, que é músico e desenhista.

Foi editora de Literatura e Arte do tablóide de vanguarda Urgente, entre outros, como A Voz de Rio Branco, de Visconde de Rio Branco/MG, onde mantinha a página A Voz da Mulher. Escreveu na revista o Lince e em outras. Ainda em Juiz de Fora foi empossada no Núcleo Mineiro de Escritores – NUME, com participação ativa, e com seus vinte anos assumiu a presidencia da UBT/Seção de Juiz de Fora pelo período de 68 a 72.

O que levou Clevane Pessoa a estudar psicologia e não jornalismo foi à causa de um irmão com síndrome de Down que queria entender melhor. Iniciando seus estudos no CES – Centro de Ensino Superior, em Juiz de Fora até ao oitavo período, concluindo-o na FUMEC/Psicologia, em Belo Horizonte, pois, quando do seu casamento com o engenheiro civil Eduardo Lopes da Silva, mudou-se para Belo Horizonte. Com ele teve seu outro filho, Gabriel que é massoterapeuta.

Embora morando em São Luis ou Belém não deixou calar sua arte, sua palavra e sua missão como psicóloga de oferecer ao próximo o melhor de si.

Funcionária Pública Federal, trabalhou no antigo INAMPS. Como psicóloga, com seu caráter humanista, sempre lutou pela criança, família, mulher e adolescentes, sendo pioneira nas ações brasileiras pelo atendimento integral, multidisciplinar à criança e à adolescência. Pelo Ministério da Saúde, ministrou oficinas em vários estados brasileiros, quando trabalhava no Hospital Júlia Kubitscheck, no Barreiro de Cima, onde coordenou e criou a Casa da Criança e do Adolescente, com equipe multidisciplinar. A pedido do MS, organizou no HJK, o I Seminário Brasileiro de Saúde reprodutiva e Sexualidade na Adolescência. Gravou 48 horas de vídeos para o Projeto educativo "Saúde, Vida, Alegria, CECIP/Kellog", sendo responsável por Metodologia Participativa e pelas oficinas com adolescentes de várias classes sociais, institucionalizados, feirantes, mães–meninas, moradores de favelas, classe A etc. Em 2002 recebeu uma placa de aço pelos "relevantes serviços prestados aos menos validos", no Dia da Mulher, na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, por iniciativa da então deputada Elaine Matozinhos, que acompanhara seus trabalhos.

Como artista plástica, participou de exposições em colégios e faculdade. Na FUMEC/BH-MG, na I MOSTRA DE ARTES, expôs as telas: Pesadelo, A Alma da Mulher na Madrugada Finda, Praia Deserta e poster-poemas (estes declamados no sarau literário do evento). No Festival de Arte Biquense (anos 60), foi Menção Honrosa com o quadro PEQUENO MUNDO DO IRMÃO CAÇULA, desenhando em azul meu irmão Júnior, que tem Síndrome de Down. Nas Semanas da Mulher, da Criança e do Adolescente, expôs desenhos pertinentes aos temas, muitas vezes, poesia ilustrada.

De 2000 para cá, ilustrou "A MALDITA PERFEIÇÃO" (livro de Jairo Rodrigues-30 desenhos, em tecido), a mostra das poesias de Rogério Salgado, Completa Ceia, tornadas, por Virgilene Araújo, espetáculo teatral (Intinerarte), Brincando de representar (peças e esquetes de teatro infantil), de Virgilene Araújo e Rogério Salgado.Também criou o PPP, Projeto Poesia-no-Pano, desenhando a bico de pena em tecido, com poesias manuscritas, entre outros projetos em andamento. Em 2008, comparece com vinte e cinco desenhos distintos, a bico de pena, no ORIGINAL-"Livro de Artistas", organizado por Regina Mello, Diretora do Museu Nacional da Poesia-MUNAP, do qual é pesquisadora. Ilustrou os quatro primeiros exemplares de Estalo, a Revista. São de sua lavra as ilustrações de seus livros Asas de Água (poesia) e Mulheres de Sal, Água e Afins (contos).

Como escritora, participa em mais de 80 coletâneas, por mérito de classificação em certames, ou livro cooperado, entre autores, entre editor e autores. incluindo partes do livro "Adolescência, Aspectos Clínicos e Psicossociais", Edit Arte Med/RS. Artigos em revistas, mais recentemente, a Revista aBrace, do movimento Cultural aBrace, Brasil/Uruguai.

É autora dos livros:

Poesia: Sombras Feitas de Luz (editora Plurarts);

Asas de Água (Editora Plurarts);

A Indiazinha e o Natal (Ed.Haruko);

Partes de Mim ( RGD Ed.)

Prosa: Mulheres de sal, Água e Afins – de Contos, em editora do Rio de Janeiro (Urbana) e Libergráfica Editora em Belo Horizonte.

Na Internet, tem 19 (dezenove) e-books de ensaio, poesia, infantis, memórias etc.

 

 

Em novembro de 2007, foi agraciada com a Medalha do Grande Colar de Mérito da Câmara Municipal de Belo Horizonte, sendo na ocasião, a única representante dos poetas.

Em de 2007, completou 50 anos de Poesia, pois começou a fazer poemas aos dez. Pela "excelência da obra", foi agraciada com o título de "Poeta Honoris Causa, do Clube Brasileiro de Língua Portuguesa, para oito países lusófonos" .O título foi concedido por sua Presidenta, a poeta Silvia de Araújo Motta e entregue por Conceição Piló, curadora do Palácio da Liberdade, e diretora em MG da IWA, no evento "Poesia é Ouro", havido em sua homenagem no Centro de Cultura Belo Horizonte, em março de 2007.

Cargos decorrentes de atuação na arte e literatura.

·         Pertence à Academia de Trovas do RN desde 1968

·         Nos Anos 60/70, foi nomeada Delegada Ad Honoren, "com todas as honras de representação distinguida", do Instituto de Cultura Americana, registro 5041-França, Paris, UNESCO, pela filial do Uruguai e da ARIEL (Associação de Livres Pensadores), pela filial de Portugal.

·         Diretora Regional do InBrasCi (Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais), em Belo Horizonte

·         Membro da AVBL, Academia Virtual Brasileira de Letras (Patrono Lindolf Bell), AVSPE, Academia Virtual Sala dos Poetas e Escritores.

·         Embaixadora Universal da Paz, pelo Cercle de Les Ambassadeurs de La Paix-Genebra, Suíça.

·         Cônsul Zona Central de Belo Horizonte, da entidade Internacional "Poetas del Mundo".

·         REBRA – Rede Brasileira de Escritoras

·         Vice-presidente do Instituto Imersão Latina – OCIP

·         Membro Correspondente da Academia Dorense de Letras – Boa Esperança/MG

·         Membro Correspondente da ANELCARTES – Academia Nevense de Letras, Ciências e Artes – Ribeirão das Neves/MG

·         Membro Correspondente Da Academia de Letras de Itajubá – Itajubá/MG

·         Pesquisadora do Museu Nacional da Poesia-MUNAP.

·         Organizou e mantém o Projeto Paz e Poesia com os poetas Marco Llobus e Cláudio Márcio, com evento de âmbito internacional havido em 31 de março (do qual eu participei e várias confreiras), em Belo Horizonte.

·         Integra a rede Catitu no Núcleo de Entrevistas (Clevane Pessoa entre Pessoas).

·         Representante do Movimento Cultural aBrace (Uruguai Brasil), na capital mineira

·         Delegada da ALPAS XXI por MG e BA.

 

Além dessas atividades, está desenvolvendo o Projeto POIETISA, um livro-álbum aprovado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura, de âmbito municipal.

Mantém blogs de divulgação cultural estadual, nacional e internacional de entrevistas, e para crianças, indígenas, artistas, escritores e artistas de terceira idade, referentes à paz e à poesia etc.

HTTP://poietisa.blogspot.com.br – é um blog destinado à divulgação das Poetisas contempladas pelo Projeto POIETISA, um livro-álbum aprovado pela Lei Municipal de Incentivo à Cultura.

HTTP://clevanepessoaeoutraspessoas.blogspot.com

HTTP://clevanepessoa.net/blog.php

HTTP://clevanepessoaentrevista.blogspot.com; HTTP://achamarteblogspotcom.blogspot.com

HTTP://chamarteblogspotcom.blogspot.com; HTTP://itaquatiara.blogspot.com

http://ocasoespetacular.blogspot.com; HTTP://poetaspoesiaepaz.blogspot.com

HTTP://erotissima.blogspot.com; HTTP://trovaspequenasnotaveis.blogspot.com

 

Entre muitos dos seus poemas, quero ler apenas um, apesar de a candidata escrever versos livres ou clássicos, escolhi este soneto, pois neste mundo humano de corrupção ela traz nele a mensagem da integridade e da esperança, para patentear a verve da candidata.

 

CONTATO SACRO

Mesmo quando as tempestades são duras

minha alma quer manter-se pura e intocada

erguendo-se, qual condor, nas alturas

de energia, gastando quase nada...

 

De costas para o vento, vai flutuando

conduzida pelas bolsas de ar quente

não há desgastes nem cansaço: voando

faz-se parte do Cosmos, resiliente...

 

Alvo de fechadas, tiros, pedradas,

proteje-se subindo mais e mais

além das nuvens, no azul absoluto

 

E acha, asas abertas, não rasgadas,

em átomos infinitesimais,

Deus, que mesmo sendo tudo, é impoluto...

 

(soneto menção Honrosa no Concurso Von Breisky, do site www.notivaga.com. Integra a Coletânea de papel: Antologia dos Poetas Notívagos)

 

Após apresentar este rico currículo, traçado durante toda uma vida em torno da arte e da literatura, do ser humano como um todo é que peço a vocês o voto para Clevane Pessoa, pois sei que é merecedora de ocupar a cadeira 05, cujo patronato pertence a notável Cecília Meireles.

Agradeço e conto com vocês.

 

Observações: quando disse de CLEVANE PESSOA ‘com quem se pode contar nas horas alegres, tristes e nas mais inusitadas.’ no início do discurso eis que ela ratificou minha palavra: subitamente levantou-se e foi defender uma candidata à mesma vaga que ela estava se candidatando.

CLEVANE PESSOA foi eleita para a cadeira 05-Cecília Meireles.