O Parque‎ > ‎

Segurança na montanha


Perdido!


Porque as pessoas se perdem? São muitas as razões. No Marumbi, alguns não prestam atenção suficiente na rota durante a ida, de maneira que não conseguem encontrá-la na volta; outros confiam nas habilidades do seu companheiro, que se encontra em processo de "ficar perdido".


Porque as pessoas se perdem? Eles não perdem um tempo pensando onde estão indo porque estão com pressa. Perdem bifurcações e desvios nas trilhas. Descuidam-se e prosseguem, apesar da piora do tempo, da visibilidade ou da fadiga.

O que fazer se o seu grupo estiver perdido?

A primeira regra é parar. Evite a tentação de precipitar-se cheio de esperança. Tente determinar onde você está. Se não funcionar, lembre-se da última vez que o grupo sabia onde estava localizado. Se este ponto está perto, uma hora ou um pouco mais, retorne àquele ponto e então siga a rota correta. Mas se aquele ponto está horas atrás e você puder ao menos dar um palpite inteligente de onde o grupo localiza-se, então siga em frente, cautelosamente e com atenção aos pontos característicos da paisagem. Se o grupo cansar ou escurecer antes de você encontrar a rota, faça um bivaque.

Se o seu grupo preencheu corretamente o cadastro, o COSMO será mobilizado e as buscas ao seu grupo começarão a partir da data prevista de retorno.

Grupos de dois ou mais elementos raramente se perdem perigosamente, mesmo que não tenham experiência em ambientes selvagens. O perigo real ocorre com um elemento que se separa do resto do grupo. Por esta razão, tente sempre manter todo mundo junto e designe um "fecha-fila" para cuidar dos desgarrados.

O que fazer se você se perder sozinho

Novamente, a primeira regra é parar. Procure à sua volta outros membros do seu grupo ou de outros grupos, grite e ouça os gritos de resposta. Se a única resposta for o silêncio, sente-se, se acalme e combata o medo com a razão. Se você preencheu o cadastro corretamente, o COSMO, sairá a sua procura a partir da data prevista de retorno à sede do parque.

Exemplificando: se você anotou no cadastro que sairá hoje do parque, assim que escurecer os plantonistas ficarão alertas e procurando por você. Se no cadastro você indicou que só sairá amanhã do parque, então somente amanhã é que os plantonistas sairão no seu encalço! Por isso, acostume-se a comunicar diariamente a sua volta à base da montanha, após cada escalada. Se você não fizer o cadastro, o COSMO só vai começar as buscas quando a tua mãe ligar desesperada, pois não somos mágicos e não podemos adivinhar que você esteja no parque.

Uma vez que esteja mais calmo, comece fazendo as coisas certas. Olhe o mapa (se tiver um) procurando determinar a sua localização e planejar uma rota para casa, no caso de você não contatar com os outros colegas do grupo. Marque a sua localização com um montinho de pedras ou outros objetos e então explore em todas as direções, retornando cada vez à posição marcada. Bem antes de anoitecer prepare-se para a noite, buscando água e cobertura. Manter-se ocupado elevará a sua moral. Cante alguma coisa para ter o que fazer e as pessoas que porventura estejam procurando por você terão algo para escutar.

As probabilidades são de que você e o grupo se encontrem pela manhã. Se não acontecer, combata o pânico. Após passar a noite sozinho, você pode decidir caminhar para a linha de base traçada antes da viagem, uma aresta, rio ou estrada. Se o terreno é muito difícil para andar sozinho pode ser melhor concentrar-se e ficar onde você se encontra. É mais fácil para as equipes de socorro encontrarem um montanhista perdido que esteja em um lugar aberto e gritando periodicamente, do que um no mato fechado, histérico, a um passo das equipes de socorro.


Como proceder em caso de ACIDENTES

Grande parte dos acidentes ocorrem em itinerários fáceis, durante excursões, ascensões de vias clássicas e durante os rapeis, quando o cansaço e a falta de atenção estão presentes.
Uma análise de acidentes ocorridos é de grande valia, pois sempre se pode aprender com o erro dos outros.

As principais causas de acidentes são;

  • Ignorância;
  • Inconsciência e subestimação; saber dos perigos aos quais estamos expostos é a melhor forma de poder evitá-los, assim como o conhecimento de nossas próprias limitações e de nossos companheiros. Devemos sempre ter em conta que um grupo é tão forte quanto o seu elemento mais fraco.

Como evitar os acidentes

  • Profundo conhecimento do meio e das técnicas;
  • Treinamento;
  • Equipamento adequado;
  • Bom estado de ânimo;
  • Sensatez: prudência e covardia, valor e temeridade, são atitudes que devemos saber distinguir.

Atuação frente a um acidente

Além de adotarmos as medidas de prevenção mencionadas, devemos estar preparados. As informações de primeiros socorros e auto resgate devem fazer parte da formação de todo montanhista, principalmente aqueles que gostam de se aventurar em locais isolados, onde a ajuda externa é difícil de se conseguir.

Princípios básicos de atuação:

  • Proteger;
  • Buscar ajuda;
  • Socorrer

Atenção! Caso tenha a mínima suspeita de fratura cervical, não mover o ferido até que disponha de meios adequados.

Buscar Ajuda

Quando temos pessoas disponíveis e a situação permitir, estas devem partir com equipamento suficiente para garantir a sua segurança. Devem conhecer o terreno e as técnicas para transpô-lo. Devem deixar marcado caso seja necessário. Mais importante que a rapidez é chegar ao local de socorro com segurança, exatidão nas informações, e garantir que o socorro chegue ao local correto.

Dados que devemos dispor para facilitar o trabalho de resgate:

  • Quem solicita o socorro?
  • O que ocorreu? Quantos feridos e gravidades das lesões;
  • Como, quando e aonde ocorreu o acidente?
  • Quantas pessoas estão no local aptas a prestar ajuda, e de que meios dispõem;
  • Condições do tempo?
  • Condições de acesso?

Um acidente em uma cordada de duas pessoas pode forçar a situação de ter que deixar o acidentado só para ir buscar ajuda, não é uma decisão fácil, pois temos de avaliar nossa situação, nossa capacidade e ter em contas diversos fatores:

Gravidade das lesões?

  • Em quanto tempo podemos retornar com ajuda?
  • Quais as condições meteorológicas para as próximas horas?
  • Dispomos de equipamento e capacidade técnica e física para resolvermos sozinhos?
  • Conhecemos o terreno para garantir que chegaremos à ajuda?
  • Quais as possibilidades de sermos vistos ou escutados nas próximas horas?


Caso a decisão seja de deixar o acidentado, devemos tomar as seguintes precauções:

  • Devemos deixá-lo a salvo de perigos objetivos;
  • Bem ancorado, de maneira que não possa soltar-se em um momento de crise;
  • Com os primeiros socorros possíveis e necessários realizados antes de partir;
  • Abrigado e visível, dentro das possibilidades;
  • Deixar ao seu alcance roupa e provisões disponíveis;

Na impossibilidade de buscar ajuda, devemos colocar todos os esforços para sermos vistos ou ouvidos.

Sinais De Socorro

Apitos;

Sinais luminosos: ...---...,...---...(morse)
Ou seis sinais espaçados regularmente por um minuto;

Sim, com os dois braços levantados;
Não, com um braço levantado;

Acidentes Em Conseqüência De Uma Queda

Se a queda do primeiro ou segundo provocarem lesões, a atuação posterior após o asseguramento pode ser muito variável, em função da gravidade, meios disponíveis e a situação na parede, podendo ser:

  • Nos comunicarmos com o ferido para saber quais as gravidades;
  • Trataremos de baixá-lo, se possível, para que fique pendurado o menor tempo possível, para evitar o choque ortoestático. Em último caso talvez tenhamos de suspendê-lo a algum local seguro.
  • Caso esteja inconsciente e apenas de cadeirinha, devemos chegar até ele o mais rápido possível, e colocar-lhe um peitoral;
  • Chegar a um local seguro para avaliar as lesões e garantir o Suporte Básico de Vida;
  • Analisar com calma a situação para decidir as medidas adotadas, dependendo das conseqüências do acidente;

Devemos levar em conta:


  • Gravidade das lesões;
  • Possibilidade de ajuda exterior;
  • Meios que dispomos;
  • Número de pessoas disponíveis e suas aptidões;
  • Condições do terreno e distância a percorrer;
  • Condições meteorológicas;
  • Horas de luz disponíveis;
  • Possíveis perigos que estaremos expostos na descida;
  • Meios de evacuação uma vez no solo;

Em qualquer situação de acidente, procure avisar o COSMO o mais rápido possível, tomando os cuidados necessários descritos acima e descendo até a estação para dar o aviso, ou ainda pedindo auxílio via rádio, nas frequências de 146.520 MHz e 160.090 MHz (sub-tom 100).