Viagem Ar/Ch

Viagem de moto ao Deserto do Atacama, passando pelos Andes nevado, praias do Pacífico, deserto de Antofagasta, salinas grande, pampas Argentinos...

Roteiro (10.171kms):



Mapa:


Blog:

22 Dia - Curitiba -> Rio de Janeiro

postado em 10 de dez de 2012 16:28 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:47 atualizado‎(s)‎ ]

Sem compromisso de acordar cedo, sai as 11h de Curitiba, e decidi não voltar pelo mesmo caminho (Regis BR116). Sendo assim, encarei a famosa sequência de curvas conhecida por rastro da serpente. Tenho que admitir, curvas de tirar o fôlego se feitas na velocidade certa.

(Apiaí - São Paulo - Brasil)

Mas depois de Apiaí, me arrependi de pegar esse caminho. E estrada é péssima! Até chegar na Castelo Branco e conseguir desenvolver uma velocidade razoável. O jeito foi assistir o último por do sol na estrada e chegar no Rio de Janeiro a noite:

(Divisa São Paulo | Rio de Janeiro - Brasil)

Depois disso, vim dormindo pela Dutra, literalmente. Para descer a Serra das Araras, coloquei o celular para tocar Iron Maiden Fear of the Dark no talo e fui cantando para me manter acordado!

E depois de 10171 km cravados, descubro que o odômetro HD zera quando chega no 9999,9 rs Eu não sabia disso, sendo assim, a foto que tenho é essa:

(10171,0 km rodados)

Obrigado por acompanharem, cada km foi muito bem rodado. Essa viagem foi foda!

Um abraço a todos os amigos que torceram por nós! 

Agora vamos realizar a contabilidade e ver a merda que fizemos... hahahaha

O que vcs acham de Machu Picchu no Peru? Vamos pensando...


21 Dia - Puerto Iguazu - Ar -> Curitiba - Br

postado em 10 de dez de 2012 15:49 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:47 atualizado‎(s)‎ ]

Quando sai do quarto para ver a luz do sol, Toninho me avisou que o Gilson tinha voltado ao Paraguay, para algumas compras adicionais. Não sei como ele fez com a bagagem, já que de longe foi o que mais levou "regalos" para casa.

Sendo assim, a missão de empurrar a moto do Toninho ficou apenas pra mim. Desde Pampa del Infierno, a FX do Toninho só pega no tranco. A bateria foi pro saco. Moto empurrada, tranco realizado, tramites de fronteira feitos, atravessamos a ponte entre os dois países, felicidade em voltar pra casa:

(Fronteira Puerto Iguazu - Argentina | Foz do Iguaçu - Brasil)

Andamos mais alguns km e por pura coincidência, encontramos o Gilson voltando. Fez a volta ali mesmo e partimos para Curitiba, sol entre nuvens e sem chuva, algo raro nesse estado que só faz chover:

(BR 277 - Paraná - Brasil)

A BR277 não tem muitos atrativos, ainda mais para quem volta de uma viagem dessas, mas o Toninho, como bom local, sacou uma cachoeira do nada:

(Guarapuava - Paraná - Brasil)

Mais um por do sol na estrada (fotos no Álbum) e chegamos em Curitiba, sãos e salvos! Toninho e Gilson em estado de euforia, fomos tomar uma no relógio das flores, e depois uma das melhores costelas que já comi na vida:

(Curitiba - Paraná - Brasil)

Valeu meus amigos, obrigado pela hospitalidade em Curitiba, e mais ainda pela cia na viagem! Foi 100%!

Agora, sozinho, retorno para o Rio de Janeiro.


20 Dia - Puerto Iguazu - Ar -> Ciudade del Este - Py -> Puerto Iguazu - Ar

postado em 10 de dez de 2012 13:24 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:48 atualizado‎(s)‎ ]

Ancorados em Puerto Iguazu, tiramos o dia para mais turismo, dessa vez no Paraguai. O Galo não aguentou mimimi turístico e pediu as contas, partiu em direção ao Rio de Janeiro, na tentativa de chegar no mesmo dia. O nome disso é Saddle Sore - Iron Butt, onde o piloto faz 1600km em menos de 24horas. Eu, Toninho e Gilson ficamos para fazer algumas compras no país vizinho.

Deixamos as motos no hotel, bem escondidas e trancadas, visto que reza a lenda: se por algum motivo sumirem no Paraguai, nunca mais a veremos. Não pagamos para ver e fomos de taxi:

(Ponte da amizade - Brasil | Paraguai)

Em alguns minutos de andança, olha o que encontramos, debaixo de alguns papelões:

(Ciudad del Este - Paraguai)

O que vocês acham? Comprada legalmente no Brasil e levada pra lá, pra ficar debaixo de alguns papelões, perto de camelôs...? Estranho... Placa do Paraguay.

Vamos em frente, continuando o passeio, shopping diversos, casa China, camelôs...

(Ciudad del Este - Paraguai)

Resumindo, não está mais barato que o Brasil, exceto bebidas e perfumes. O resto com preços iguais, inclusive os eletrônicos, com os mesmos preços do Rio de Janeiro.

Retornamos ao Brasil, e depois Argentina, a tempo de ver o jogo de futebol entre os dois países, num bar legal.

(Puerto Iguazu - Argentina)

Deu Brasil. Nosso destino amanhã.



19 Dia - Pampa del Infierno Ar -> Puerto Iguazu Ar

postado em 8 de dez de 2012 02:35 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:49 atualizado‎(s)‎ ]

Acordamos cedo para terminar o aparentemente interminável retão do Chaco Argentino. Fomos com tanta sede ao pote, que a Boulevard do Gilson secou:

(Ruta 16 - Chaco)

Dessa vez foi tranquilo, pois tinhamos o restante da gasolina do dia anterior. Entretanto a situação ficou um pouco tensa quando chegamos no primeiro posto em Resistência e o cenário era esse:

(Resistência - Argentina)

Conversando com os hermanos na fila, nos contaram a situação argentina: Falta de gasolina, piquetes nas estradas, panelaços em pontes e viadutos, Buenos Aires com várias avenidas interditadas. Depois de abastecer, não enxeram nossos galões, pois eram menores que 20 litros, o mínimo permitido pela secretaria de segurança da cidade (?). Entramos na loja de conveniência Full para comprar algo, assistimos pela TV varios panelaços e uma ponte interditada. Como no nosso caminho havia a ponte entre Resistência e Corrientes, por cima do rio Paraná, ficamos preocupados.

O jeito foi mudar o trajeto e seguir ao máximo por estradas secundárias até a ponte, que torcíamos que estivesse aberta. Sem gasolina reserva, chegamos na ponte e foi tudo tranquilo:

(Ponte Gral. Belgrano - Resistencia | Corrientes - Argentina)

Passado o momento tenso, estavamos na ruta 12, seguindo pela região da terra "roja". Avermelhada pelo oxido de ferro:

(Ruta 12 - Argentina)

Como estamos voltando, não paramos em alguns lugares interessantes, apenas para abastecer/água/banheiro. Mas o por do sol na estrada não faltou:

(Ruta 12 - Missiones - Argentina)

Depois, estradinha muito boa na escuridão total, até Puerto Iguazu, onde pernoitamos.


18 Dia - Salta Ar -> Pampa del Infierno Ar

postado em 4 de dez de 2012 16:32 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:49 atualizado‎(s)‎ ]

Os trovões que iluminavam a estrada durante a noite do dia anterior sinalizavam chuva para nossa missão de atravessar a região do Chaco Argentino. Não deu outra, o dia amanheceu chuvoso. Seria o primeiro dia que pegaríamos chuva, depois de 2 semanas sem uma gota se quer.

Acertamos as bagagens na moto, fizemos o check-out no hotel e esse foi o tempo para a chuva parar e aparecer o sol entre nuvens. Beleza, vamos enrolar o cabo nesses retões intermináveis!

Antes, parada para fazer o cambio e sacar dinheiro na praça principal:

(Salta - Argentina)

Nunca os Argentinos foram tão simpáticos conosco como nessa praça. Muitos vinham conversar, tirar fotos com as motos, cumprimentavam de longe... Até o policial passou, olhou as motos estacionadas em local proibido, acenou com a cabeça e foi embora. Nesse meio tempo, recebemos a dica de pernoitar em Pampa del Infierno, algo fora do nosso planejamento. Seguimos viagem.

Tivemos dificuldade ao sair de Salta, e tivemos que olhar o GPS 3 vezes para acertar o caminho. Nesse dia agradeci ao GPS gratuito, porém ótimo, que baixei no celular, salvou-nos da roubada!

Depois de atingirmos a região do Chaco, pegamos a tal reta de 400km, que aterroriza os motociclistas. A maioria reclama do calor infernal de quase 50 graus que costuma fazer, mas como choveu, pegamos uma temperatura agradável.

O único problema eram os animais na pista:

(Ruta 16 - Chaco - Argentina)

A velocidade desenvolvida era alta, e geralmente travávamos o acelerador com a borboleta, para facilitar a pilotagem. Um perigo numa pista dessa, repleta de animais.

Aceleramos quanto deu, até o por do sol na estrada:

(Ruta 16 - Chaco - Argentina)

Como não chegariamos no destino sem pegar estrada a noite, o jeito foi aceitar a dica recebida em Salta e pernoitar em Pampa del Infierno:

(Pampa del Infierno - Argentina)

Ao contrário do nome, cidade tranquila. Pizza + Cerva + Cama.


17 Dia - San Pedro de Atacama Ch -> Salta Ar

postado em 26 de nov de 2012 07:25 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:50 atualizado‎(s)‎ ]

Após 3 dias sem andar de moto, abastecemos, carregamos e enrolamos o cabo subindo a cordilheira dos Andes, margeando o grande vulcão Licancabur, grandes salares, muitas llamas e flamingos (mais fotos no album):

(Cordilheira dos Andes - Chile)

A subida da cordilheira é puxada, chegamos a atingir 5000metros de altitude. Todos tinham as tais folhas de coca, que não servem de nada. O jeito foi parar bastante para tirar fotos e tentar se acostumar com o ar rarefeito. A paisagem também ajuda nessa tarefa, é quase impossível passar por aqui e não parar para admirá-la. A subida foi assim, até chegarmos na fronteira:

(Paso de Jama - Cordilheira dos Andes - Chile/Argentina)

A aduana fica do lado Argentino, onde fizemos os tramites de saída do Chile e entrada na Argentina. É uma novidade, pois antigamente os tramites de saída do Chile eram feitos na aduana de San Pedro de Atacama. Enquanto estava fazendo os dois tramites, no Paso de Jama, comecei a sentir os efeitos da altitude, uma dor de cabeça chata, indisposição, respiração forte... e mal humor (esse é por minha conta kkk) Depois dos tramites, paramos no posto YPF anexo a aduana, e tomamos um remédio para aliviar os efeitos da altitude: alfajor. rs

Tudo certo, seguimos viagem pelos retões dos Andes:

(Cordilheira dos Andes - Argentina)


até Susques, onde a paisagem começa a mudar um pouco, com llamas e muitos cactos gigantes:

(Cordilheira dos Andes - Argentina)

sem falar nos grandes salares, e nas tempestades de areia:

(Cordilheira dos Andes - Argentina)

a partir daqui começa uma cordilheira chamada de Quebrada de Humahuaca, paralela a Cordilheira dos Andes, no lado Argentino. Fizemos uma votação e a disputa Humahuaca X Caracoles foi unanime para Humahuaca. Essa "serrinha" é show:

(Quebrada de Humahuaca - Argentina)

Fizemos do Paso de Jama até Jujuy sem abastecer, e a Boulevard do Gilson não segurou. Teve pane seca. Como estava na frente, tratei de continuar até o primeiro posto, e levar gasolina para o grupo. Mas eu não contava com a grande fila do YPF:

(Jujuy - Argentina)

Depois de 1 hora empurrando a moto, chegou a minha vez. Estava cansado, exausto, dia todo na estrada, sobe cordilheira, desce cordilheira, empurra moto... Quando parei a moto na bomba de gasolina, fui apoia-la no descanso é... Chão. O malandro aqui não armou o descanso.... É triste ver a moto de lado... Sozinho no posto, o frentista tentou ajudar, neguei a ajuda. Nessas horas muito ajuda quem não atrapalha, o procedimento para levantar a moto é um só, virar de costas, agachar, pegar a moto com as duas mãos e levantar. Com bagagem fica mais interessante ainda. Mas lá estava ela, de pé e sem nenhum detalhe importante, a não ser a capa do pisca. Nada que "La Gotita" não resolvesse:

(Jujuy - Argentina)

Partimos de Jujuy para salta a noite, mas a tempo de curtir um pouco da cidade, e esquecer o ocorrido tomando uma cerveza local:

(Salta - Argentina)


16 Dia - San Pedro de Atacama Ch

postado em 25 de nov de 2012 09:59 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:50 atualizado‎(s)‎ ]

Terceiro dia de Atacama, acordamos as 4 da matina para visitar os Geisers del Tatio. O relógio estava errado, mas o termômetro certíssimo, sente a friaca:

(Geisers del Tatio - Atacama - Chile)

A turistada se diverte ao redor dos Geisers, tentando se aquecer um pouco:

(Geisers del Tatio - Atacama - Chile)

Mas só conseguem com o mergulho na piscina aquecida naturalmente:

(Geisers del Tatio - Atacama - Chile)

O difícil é sair no frio e se vestir... Somente eu e Toninho, os corajosos.

Após, passagem rápida pelo Vilarejo de Machuca, para o churrasquinho de Llama:

(Machuca - Atacama - Chile)

Esse vilarejo tem 7 habitantes, e tive o prazer de viajar ao lado da Eduarda, que pegou carona na nossa van para San Pedro do Atacama. Fomos conversando sobre os povos Andinos, sua árvore genealógica e, claro, llamas! rs

(Machuca - Atacama - Chile)

Se a Dona Eduarda estava na van (diga-se de passagem muito cheirosa), sobraram apenas 6 pessoas em Machuca. Grande desfalque! rs

Tem mais llamas que pessoas:

(Machuca - Atacama - Chile)

E cactos:

(Machuca - Atacama - Chile)

Chegamos em San Pedro em clima de despedida, mas não antes de confraternizar com nossos companheiros de Van, um casal paulista, um casal chileno, e os 4 viajantes:

(San Pedro de Atacama - Chile)

Valeu pessoal, show de bola os passeios e a cia! Nos veremos numa próxima oportunidade! Ultimo dia de San Pedro, mas a viagem continua!



15 Dia - San Pedro de Atacama Ch

postado em 25 de nov de 2012 09:39 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:50 atualizado‎(s)‎ ]

Segundo dia de deserto, pegamos uma estradinha com visual incrível para as Lagunas Altiplanicas, lagunas que ficam a mais de 4000metros de altitude. Pena que andar de Harley por esses 100km de estrada de chão é algo inviável:

(Lagunas Altiplanicas - Atacama - Chile)

Primeira laguna, Miscanti, cercada por patos selvagens, vicuñas, vulcões congelados e região desertica. Aqui não se perde foto:

(Laguna Miscanti - Atacama - Chile)

Laguna anexa, Miñiques:

(Lagunas Miñiques - Atacama - Chile)

Passada rápida em Socaire, vilarejo muito pequeno, agricultura de subsistência:

(Socaire - Atacama - Chile)

Em seguida, Salar do Atacama:

(Salar do Atacama - Chile)

O salar nos surpreendeu pela quantidade de seres vivos que aqui sobrevivem. Os flamingos dão um show a parte. Mais fotos no Álbum.

Após, passagem rápida para o "helado" no vilarejo de Toconao:

(Toconao - Atacama - Chile)

Descansamos um pouco na praça, e fomos para a Laguna cejar, que tem 75% de sal e dizem ser impossível afundar:

(Laguna Cejar - Atacama - Chile)

Sente a quantidade de sal:

(Laguna Cejar - Atacama - Chile)

O jeito foi dar um mergulho na lagoa seguinte, chamada de Ojos del Salar, que tem água doce congelante:

(Ojos del Salar - Atacama - Chile)

Após, mais sal na laguna Chaxa. essa não tem como mergulhar, pois diferente da Ojos del Salar que tem 6m de profundidade, essa tem 15cm. Olha lá o Gilson andando sobre as águas, quase um milagre:

(Laguna Chaxa - Atacama - Chile)

Depois de um dia repleto, o jeito foi esperar o por do sol ali mesmo:

(Laguna Chaxa - Atacama - Chile)

Valeu o segundo dia em San Pedro de Atacama. Amanhã tem mais!


14 Dia - San Pedro de Atacama Ch

postado em 25 de nov de 2012 09:06 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:51 atualizado‎(s)‎ ]

San Pedro do Atacama, Chile, é uma cidade-oasis aos pés da cordilheira dos Andes, mais precisamente na latitude do vulcão Licancabur:

(San Pedro de Atacama - Chile)

Cidade pequena e cosmopolita, tem uma arquitetura característica local contendo pedras vulcanicas e areia, e só sobrevive pois recebe a água do degelo dos Andes:

(San Pedro de Atacama - Chile)

É a cidade base para quem quer conhecer o deserto do Atacama, seja de bicicleta, a pe, de carro ou moto. Vale lembrar que são estradas de chão, e evitamos sair com as Harleys. Com isso, pagamos de turistas e contratamos passeios de van por vários lugares que vamos começar a apresentar agora:

Nesse primeiro dia, visitamos o Vale da Morte, que originalmente era Vale de Marte, pois se parece com o planeta. Entretando os locais entenderam Muerte ao invés de Marte:

(Vale da Morte - San Pedro de Atacama - Chile)

Andamos 35min pelo vale da morte, passeio show pelo deserto. Em seguida fomos para o Vale da Lua, que apresenta geografia parecida com o nosso satélite natural:

(Vale da Lua - San Pedro de Atacama - Chile)

Vale da lua é gigante, e muda a paisagem a todo instante:

(Vale da Lua - San Pedro de Atacama - Chile)

Fomos até a pedra do coiote para ver o por do sol no deserto. Os turistas se amarram:

(Pedra do coiote - San Pedro de Atacama - Chile)

Esses foram os passeios do primeiro dia. Amanhã vai rolar Lagunas Altiplanicas, Salar do Atacama, etc..

13 Dia - Mejillones Ch -> San Pedro de Atacama

postado em 24 de nov de 2012 14:14 por Road Garage   [ 15 de dez de 2012 02:51 atualizado‎(s)‎ ]

O hostel que ficamos em Mejillones (última opção disponível) era também o fornecedor de cebolas para a cidade. Dali saia o insumo para as famosas "empanadas", que segundo a dona, só no sábado eram vendidas 1500. Então imagine sacos e sacos de cebolas, pelos corredores, pelo quintal, nas portas dos quartos... Agora imagina o cheiro de cebola... Vamos passar um bom tempo sem conseguir comer.

Acordamos cedo e fomos abastecer no único Copel da cidade, que fica na rua da praia, que diga-se de passagem, é bem tranquila. Mas não deve ser assim todo o tempo:

(Mejillones - Chile)

Todas as praias do Chile tem essas placas, e outras tantas indicando a saída da cidade, como rota de fuga. O que torna nossa tarefa de acessar a ruta bem fácil! Nenhuma delas precisamos de GPS.

Dali foi estrada, em direção a Calama. Pensávamos que o deserto seria repetitivo e previsível, mas ficamos surpresos, a cada km uma paisagem de tirar o folego e curiosidades. Como a região é de mineradoras, pegamos muitas máquinas pesadas na pista. Olhe esse caminhãozinho:

(Ruta 5 - Chile)

Chegando em Calama, apenas a visão da mina, pois é preciso agendar visita. Fica para uma próxima oportunidade:

(Calama - Chile)

Depois, estrada para San Pedro de Atacama, nosso destino:

(Ruta 5 - Chile)

Um oasis em pleno deserto, aos pés do vulcão Lincancabur, onde ficaremos por mais 3 dias! 

(San Pedro de Atacama - Chile)

Acompanhem!

1-10 of 23