Quem Somos
----------


  • O Grupo Coral da Justiça [GCJ] é uma Associação Cultural que iniciou a sua actividade em 1984 no Palácio da Justiça do Porto e que tem por objectivos, entre outros, a interpretação e a difusão da música coral e instrumental e do canto e dança populares.


  • Um pequeno grupo de Juízes, hoje Conselheiros Jubilados do Supremo Tribunal de Justiça, descobriu na música, como que por encanto, a arte de suavizar a dureza das suas absorventes profissões. Sentiu necessidade de criar um espaço onde não se falasse de processos, acções, sentenças, acórdãos, tribunais... e que nesse espaço florescesse a "descompressão", a solidariedade, a tolerância, o entretenimento, a amizade. Criou esse espaço e encheu-o de música. E foi, assim, que no Porto "Justiça" e "Música" passaram a andar de mãos dadas. Foi, assim, que no Porto nasceu o GCJ, hoje constituído por Magistrados Judiciais e do Ministério Público, Advogados, Notários, Solicitadores e Funcionários Judiciais.


  • O Coro actuou pela primeira vez em 1984 na abertura solene do Ano Judicial no Palácio da Justiça do Porto. E, de então para cá, o GCJ nunca mais parou. Do Minho ao Algarve, passando pelos Açores e por alguns países da União Europeia, a todos tem levado um abraço amigo e, com ele, o canto, a música, a poesia, a dança, a amizade, a alegria, por vezes, um tanto irreverente [ou não fossem os seus componentes jovens dos 30 aos 70, muitos dos quais passaram pela Academia de Coimbra e pelos seus Organismos Culturais!


  • O GCJ tem quatro componentes; Coro, Grupo Instrumental, Grupo de Cantares e Danças Regionais, Declamação de Poesia, que atuam em conjunto [fazendo espetáculos completos] ou com alguma ou algumas das suas componentes. Tem colaborado com Instituições Culturais e de Assistência, Autarquias [Pelouros da Cultura] e em diversas Manifestações Culturais, como Congressos [Advogados, Solicitadores, Médicos], apresentações de livros etc.


  • O GCJ tem recebido apoio de muitas Entidades. Mas o seu grande apoiante, quer em estímulos, convidando-o para intervir em algumas Sessões Culturais, quer em meios materiais, que muito têm facilitado o desenvolvimento da sua atividade cultural, tem sido o Ministério da Justiça, através dos seus sucessivos Ministros. O mesmo tem acontecido com a Procuradoria-Geral da República. O Tribunal da Relação do Porto, a Procuradoria Distrital e a Administração do Palácio da Justiça têm facultado também os meios necessários para a sua instalação e funcionamento.


  • Até 1993 o GCJ, pelas suas características próprias, era único no país. Nesse ano formou-se em Lisboa, e no Tribunal da Relação desta cidade, o "CORELIS" [Coro da Relação de Lisboa] o que muito nos satisfez por vermos que a semente disseminada havia germinado e dado frutos. São muito cordiais as relações entre os dois organismos que já atuaram, mais do que uma vez, em conjunto. Força Corelis!


  • O desânimo não nos conhece. É que, no nosso dia a dia, temos sempre presente um pensamento do grande historiador Alberto Sampaio que adotámos como lema do Grupo e que aparece em todas as páginas: "nunca se perde tempo com aquilo que amamos". Todos nós sentimos que não perdemos tempo quando dedicamos os nossos tempos livres ao canto, à música instrumental, à poesia, à dança popular. Todos sentimos que não estamos a perder tempo quando convivemos uns com os outros, quando fazemos da amizade a nossa grande riqueza.


  • O GCJ editou em meados de 2001 um CD que constitui um marco histórico na vida da Associação. A ele dedicamos uma página deste "site".


  • Em 2009 o GCJ comemora o seu 25º Aniversário. A este acontecimento festivo dedicamos também, neste site, um "cantinho".
PRIMEIRA ATUAÇÃO - 19.10.1984

Sala de Audiências do Tribunal da Relação - Palácio da Justiça - Porto

MAESTRO

Dr. José Pereira Girão

SOPRANOS

Filomena Parada, Germana Ferreira, Laura Gouveia, Lurdes Monteiro, Lurdes Praça, Maria do Carmo Pacheco.

CONTRALTOS

Ana Maria Correia, Hermínia Carvalho, Ida Ferreira Pinto, Mafalda Rosa Valério Soares, Maria José Lopes Cardoso, Maria Júlia Oliveira Ferreira.

TENORES

Domingos Costa, Domingos Reis, Dr. Gonçalo Senhorães Senra, Dr. Ilídio José Pereira da Silva, Dr. Mário de Araújo Ribeiro.

BAIXOS 

António Graciliano Rosário Guimarães, António da Silva Pereira Leal, Avelino Pereira de Almeida, Dr. João José Coelho Dias, Dr. José Pereira da Graça, Dr. Mário Cruz, Dr. Manuel Nuno Sampaio da Nóvoa. Dr. Marco Lacomblez Leitão