Membros‎ > ‎

Rodrigo Paes




Prof. Rodrigo de Barros Paes
Email: rodrigo arroba ic.ufal.br 
Coordenador do LDS 


Possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Alagoas (2003), mestrado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2005) e doutorado em Informática pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2007). Desde 2009 é professor adjunto da Universidade Federal de Alagoas.

Leciona as disciplinas de Introdução a Programação (Programação I), Programação Avançada e Testes de Software.

É o coach da UFAL das equipes que participam da Maratona de Programação.

Idealizador e coordenador do projeto The Huxley: www.thehuxley.com

Durante o doutorado, desenvolveu e estudou a aplicação de técnicas de agentes de software em projetos complexos. Alguns exemplos de domínios nos quais as técnicas foram aplicadas incluem controle de tráfego aéreo, negociação de títulos públicos do Banco Central e análise de risco de deslizamento de encostas no estado do Rio de Janeiro. 

Foi um dos fundadores da PrimeUp. A PrimeUp é uma consultoria que ajuda empresas na gestão e otimização de seus ativos de TI. A empresa.nasceu em 2005 no Laboratório de Engenharia de Software da PUC-Rio. Nesta época, junto com os sócios Gustavo Carvalho, Rafael Espinha, João Condack e Leandro Daflon, trabalhamos cerca de 14 horas diárias para colocar em andamento o desejo de oferecer um serviço focado em uma qualidade diferenciada em como gerir os processos de TI de uma organização. Desde o início, pensamos em modelos de negócio que fossem escaláveis, principalmente agregando produtos de software às consultorias que realizávamos. Em 2007, dando prosseguimento ao contato iniciado com a universidade, ligou-se à Incubadora Tecnológica Gênesis da PUC-Rio.  Em 2008 firmou importantes parcerias com a IBM e a Softex, instituição implementadora da MPS-Br. Em 2009, já havíamos construído uma grande carteira de clientes e a empresa já crescia em funcionários e em boa fama com a qualidade da execução de seus serviços. A linha de produtos próprio ainda não havia decolado, mas ao realizar a parceria com a IBM, começamos a vender os produtos deles, o que nos proporcionava os benefícios da venda em escala sem necessariamente aumentar os custos na mesma proporção. Deixei a empresa em 2009 para assumir um cargo de professor na UFAL. A empresa continuou e hoje é referência nacional em consultoria em TI. Durante o período de 03 anos, vivenciou os desafios de Engenharia de Software encontrados em empresas como:Andima, Banco Central, Bradesco Seguros, CISCEA, Caixa Econômica Federal, Contax, DBA, Eletronuclear, Fenaseg, Furnas, IBGE, ICATU, IPLAN-Rio, Ministério Público do Rio de Janeiro, Módulo Security, Mongeral, Proderj, Petrobrás, Petros, Prudential, Sulamérica, FGV Online, Globo.com, Landis-Gyr, RTM, Tema Sistemas, M4U e Webb.

Foi membro da assessoria científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas entre 2010 e 2011. 

Foi diretor do NTI da UFAL entre 2011 e 2013. Durante esse período, gerenciou investimentos de aproximadamente 15 milhões de reais. Foram instalados 12 quilômetros de fibra ótica no Campus A.C. Simões para melhorar o serviço de internet, o que garantiu rede wifi em quase todas as áreas do campus, melhoramos a qualidade e disponibilidade dos serviços de redes e sistemas e a melhoria de aproximadamente 90% na eficiência dos atendimentos realizados pelo NTI. Além disso, conseguimos prover conexão sem fio em todos os campi e melhorar a integração entre as unidades da capital com o interior e a comunicação interna da Ufal”. Em relação à telefonia, com a implantação do sistema VOIP a Ufal saiu de 430 ramais analógicos para 700 digitais, com previsão e mais 200. Ampliamos o serviço e reduzimos os gastos com telefone, em aproximadamente 700 mil reais, em menos de dois anos. Também entramos no fone@RNP e, hoje, a UFAL faz ligações gratuitas DDD para todos os estados brasileiros e 27 universidades estrangeiras. 

O professor coordena atualmente o Laboratório de Desenvolvimento de Software - LDS, vinculado ao Instituto de Computação da Universidade Federal de Alagoas. Atualmente, o Laboratório conta com 07 postos de trabalho, onde alunos de graduação e mestrado realizam suas pesquisas.