A Área de Vigilância em Saúde (AVS) da Secretaria Municipal de Saúde (SES) é responsável, em âmbito municipal, por todas as ações de Vigilância Epidemiológica, Vigilância Sanitária, Zoonoses e Laboratório Municipal de Saúde Pública. Seguindo as políticas públicas estabelecidas pelas Secretaria Estadual de Saúde e Ministério da Saúde.

As funções da Área de Vigilância em Saúde (AVS) incluem:

Divisão de Vigilância Epidemiológica, que coordena os programas de prevenção e controle de doenças transmissíveis de relevância nacional, como aids, dengue, malária, hepatites virais, doenças imunopreveníveis, leishmaniose, hanseníase e tuberculose e do Programa Nacional de Imunizações (PNI); investigação de surtos de doença e gestão de sistemas de informação de mortalidade, agravos de notificação obrigatória e nascidos vivos, entre outras ações.

Coordenação do Laboratório de Saúde Pública cumpre os objetivos e funções da medicina preventiva, sendo que os serviços ofertados contribuem para oferecer à população resultados dos exames confiáveis e rápidos, emitindo periodicamente relatórios à área de Vigilância em Saúde.Nosso objetivo é fortalecer e promover maior qualidade aos exames já realizados e implantar exames estratégicos de acordo com a necessidade da área de Vigilância em Saúde.

Divisão de Vigilância Sanitária constitui-se em um conjunto de ações capazes de eliminar, diminuir ou evitar agravos à saúde da população pelo monitoramento da prestação de serviços de saúde (hospitais, clínicas, laboratórios, etc.) e a circulação de produtos relacionados à saúde (alimentos, medicamentos, saneantes, cosméticos, e produtos para saúde) em todas as etapas, ou seja, desde a fabricação, distribuição, transporte até o comércio. Esse monitoramento ocorre mediante a aplicação da legislação sanitária (federal, estadual e municipal), por meio de inspeções sanitárias, orientações técnicas e o cadastramento de estabelecimentos. Desde dezembro de 2015, a Divisão de Vigilância Sanitária assumiu a gestão plena das ações de Vigilância Sanitária, ou seja, todas as atividades passíveis de fiscalização sanitária, são de responsabilidade do município, desde um simples bar, até um complexo hospital necessitam da licença de funcionamento emitida pela Vigilância Sanitária, documento este, pré requisito para convênios, credenciamentos, financiamentos bancários e participação em licitações.

Divisão de Zoonoses, em cumprimento à Portaria Federal nº 1.138/14, e manuais específicos do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, promove as ações e serviços de saúde para a vigilância, prevenção e controle das zoonoses de maior relevância como as arboviroses, raiva, leptospirose, leishmaniose entre outras.

Treinamento desenvolvido para auxiliar os comerciantes e os manipuladores a preparar, armazenar e a vender os alimentos de forma adequada, higiênica e segura, com o objetivo de oferecer alimentos saudáveis aos consumidores através do cumprimento das regras da RDC nº 216/04 e Portaria CVS 05/2013, voltadas aos serviços de alimentação, como padarias, cantinas, lanchonetes, bufês, confeitarias, restaurantes, cozinhas industriais e cozinhas institucionais. O trabalho do manipulador de alimentos é fundamental para garantir alimentos mais seguros e proteger a saúde dos consumidores. Desta forma, oferecemos um treinamento totalmente EAD e gratuito para atender este público-alvo.

>>> Saiba mais...

A febre amarela é uma doença infecciosa grave, causada por vírus e transmitida por vetores. Geralmente, quem contrai este vírus não chega a apresentar sintomas ou os mesmos são muito fracos. As primeiras manifestações da doença são repentinas: febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos por cerca de três dias. A forma mais grave da doença é rara e costuma aparecer após um breve período de bem-estar (até dois dias), quando podem ocorrer insuficiências hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso. A maioria dos infectados se recupera bem e adquire imunização permanente contra a febre amarela.

>>> Saiba mais...

Zelar pela qualidade da água que a população consome no seu dia a dia é uma importante atribuição conferida ao Sistema Único de Saúde como meio de prevenir doenças de veiculação hídrica. No Estado de São Paulo tal responsabilidade cabe à vigilância sanitária. Por conta disto, o Centro de Vigilância Sanitária implantou e coordena desde 1992 o Programa de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano - Proágua. O Proágua consiste na coleta periódica de determinado número de amostra de água do abastecimento público, de amostras coletadas na torneira do cavalete de residências, para análise dos parâmetros bacteriológico, físico-químico, flúor, cloro e pH.

>>> Saiba mais...

Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue e da febre amarela urbana. Menor do que os mosquitos comuns, é preto com listras brancas no tronco, na cabeça e nas pernas. Suas asas são translúcidas e o ruído que produzem é praticamente inaudível ao ser humano. O macho, como de qualquer espécie, alimenta-se exclusivamente de frutas. A fêmea, no entanto, necessita de sangue para o amadurecimento dos ovos que são depositados separadamente nas paredes internas dos objetos, próximos a superfícies de água limpa, local que lhes oferece melhores condições de sobrevivência. No momento da postura são brancos, mas logo se tornam negros e brilhantes.

>>> Saiba mais...

VIGILÂNCIA EM SAÚDERua Nain, 57, Jardim Betânia (Esquina com Av. Ipanema 5001) CEP 18071-650 – Sorocaba – SPFone: (15) 3229.7333 / (15) 3229.7308 / (15) 3229.7307