Projeto miúdos.com


Projeto da

ESCOLA BÁSICA de SOLUM SUL

*

BiBLiOTECA ESCOLA

[Centro Escolar de Solum Sul - Coimbra]




CONTEXTUALIZAÇÃO...


No sentido de incentivar o trabalho das Bibliotecas Escolares foi lançada, pela Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), em 2005, a Candidatura Ideias com Mérito, que visa selecionar e apoiar as experiências mais consistentes e divulgar as boas práticas daí resultantes.

A Biblioteca do Centro Escolar de Solum Sul (Coimbra) candidatou-se com o projeto “miúdos.com”, no Ano Letivo 2013/2014, tendo o mesmo sido objeto de aprovação pela RBE.

Norteámos a nossa ação pelos seguintes objetivos:

1. Encorajar o envolvimento afetivo das crianças com os distintos saberes, apoiado em diferentes formatos, privilegiando a sua participação ativa, individual e coletiva, em interação com outros parceiros, internos e externos à Escola.

2. Promover a interdisciplinaridade de saberes, através de distintos suportes, entre outros, o impresso, o artístico e o digital, bem como a consciência cívica e de responsabilidade social assente entre outros valores, nos de entreajuda, solidariedade e partilha.

3. Mobilizar os saberes adquiridos, resultantes da aprendizagem formal e informal, colocando-os ao serviço dos outros.



O Projeto desenvolve-se nestas 4 vertentes


Como nasceu este Projeto?

Este Projeto resultou de um trabalho desenvolvido com o 2º A, no âmbito de Projetos e/ou atividades em curso,
no Ano Letivo 2012/2013
 :

1. Projeto "Conhecer a Cidade" (da iniciativa da Biblioteca Escolar, em trabalho colaborativo com a Professora Titular de Turma, Conceição Nave).


Neste Projeto, foi feita uma parceria com o Arquitecto Pedro Providência, Investigador do CES (Centro de Estudos Sociais), que orientou a descoberta dos alunos sobre a importância das cores (com sessões formativas e uma visita ao Museu da Ciência) e da preservação do Património. O trabalho foi desenvolvido em articulação com as duas Bibliotecas Escolares - a de Coimbra e a de Penacova - e com as famílias dos alunos envolvidos, as quais foram desafiadas a construir, com aqueles, as casas que estiveram, depois, em Exposição, nas duas Bibliotecas. 

                                                                                                                                                                                                                      
 







Ambas as Bibliotecas fizeram todo um trabalho prévio, promovendo sessões sobre as origens das casas e a importância destas na vida das pessoas e vice versa

Uma das obras a partir da qual se trabalhou este último aspeto foi " A Casa" de Roberto Innocenti e J. Patrick Lewis.
 





2. Projeto Turma "Eu e a História da minha cidade": uma viagem no autocarro panorâmico da cidade de Coimbra (onde os alunos puderam ter uma vista geral e panorâmica da cidade)  e a Visita à Ordem Terceira de S. Francisco, em Coimbra (onde os alunos puderam, entre outros aspetos, visitar o espaço e conviver com os idosos do Lar - um encontro intergeracional e solidário). 




3. Atividade desenvolvida pela Biblioteca Escolar "Eu conto": a partir da leitura e análise da obra "Um lobo culto" de Becky Bloom e Pascal Biet, foi proposto aos alunos a construção de fantoches com materiais reutilizáveis (rolos de cozinha/papel higiénico vazios), uma vez que somos uma Eco-Escola. 


O reconto da história foi feita através da sua dramatização com aqueles fantoches, primeiramente na Biblioteca e, depois, em casa, à família. A avaliação, feita pela família e em família, encorajou-nos a aprofundar esta relação, por um lado, em articulação com os conteúdos programáticos a lecionar nos anos seguintes e, por outro, com os Projetos em que os alunos estiveram e estariam envolvidos: o Projeto "Conhecer a Cidade", o Projeto Turma "Eu e a História da minha cidade" e o Programa Eco-Escolas. Foi o início desta "aventura". 


E, como Sebastião da Gama...



Pelo sonho é que vamos,
comovidos e mudos.
Chegamos? Não chegamos?
Haja ou não haja frutos,
pelo sonho é que vamos.
Basta a fé no que temos.
Basta a esperança naquilo
que talvez não teremos.
Basta que a alma demos,
com a mesma alegria,
ao que desconhecemos

e ao que é do dia a dia.

Chegamos? Não chegamos?
– Partimos. Vamos. Somos.