Curso de Campo 2014

ATENÇÃO

Informo que as inscrições para o curso de campo "Ecologia da Floresta Amazônica - 2014" estão abertas. Por favor, solicito que vocês repassem o endereço abaixo para possíveis interessados. Nele constam todas as informações necessárias para inscrição. Mais infprmações em: https://sites.google.com/site/ecologiadaflorestamazonica/

Atenção
Divulgado o resultado da seleção para o curso de campo Ecologia e Conservação da Caatinga - 2014

Por favor, enviem uma mensagem de correio eletrônico para eccaatinga@gmail.com confirmando a participação no ECCA 2014 até o dia a próxima quinta-feira, dia 3 de abril de 2014!!!

Ana Gabrielle Lubas Arruba        UFMS

Camila Miranda Barbosa        UFPE

Carlos Henrique Félix da Silva        UFPE

Daniela  Queiroz  de  Assis  Reis        UFPE

Diógenes Machado        UFRS

Eurico Sczesny-Moraes        UFMS

Fagner Daniel Teixeira        UFMG

Felipe Siqueira Campos        UB

Gisele Milaré        UFMS

Hugo Galvão Cândido        UFV

Jaire Marinho Torres    UFPE

Janaína Horta de Azevedo Lopes        UFMG

José Neiva Mesquita Neto        UFMG

Leila Janaina Brito Gonçalves        UFPE

Leonardo Chaves        UFRPE

Lilibeth Toledo Chelala        UNAM

Lina Adonay Urrea Galeano        UNAM

Lisieux Franco Fuzessy        UFMG

Marcela Masie Woolley de Melo Santos        UFPE

Silvia Caroline Farias Pereira        UFPE



Histórico

Os cursos de campo em ecologia e conservação são uma ferramenta adotada há muitos anos por todo o mundo por serem reconhecidamente a melhor maneira de formar ecólogos, biólogos da conservação e gestores de recursos naturais 'in loco'. Alguns dos mais reconhecidos são oferecidos pela Organização para Estudos Tropicais – OTS, na Costa Rica e Peru (http://www.ots.ac.cr/ ). Esses cursos consistem no treinamento intensivo de alunos em conceitos e ferramentas de ecologia e conservação da biodiversidade. No Brasil, alguns desses cursos já estão consolidados e existem há quase 20 anos como como é o caso do curso Ecologia da Floresta Amazônica (https://sites.google.com/site/ecologiadaflorestamazonica/home) oferecido pelo Instituo Nacional de Pesquisas da Amazônia-INPA. Outros, como o curso de campo Ecologia do Pantanal, já é oferecido ininterruptamente há mais de 10 anos (http://www.dbi.ufms.br/ecopan/index.htm). A Caatinga já contou com seis edições de um curso de campo organizado pelo Departamento de Botânica da Universidade Federal de Pernambuco - UFPE, auxiliando na formação de mais de 60 alunos de diversas universidades, cujos trabalhos constam em quatro livros já publicados com os resultados dos projetos desenvolvidos nos cursos (o quinto e sexto livros estão em fase final de preparação). Agora, a UFPE, a UNIVASF (Universidade Federal do Vale do São Francisco) e o Cepan (Centro de Pesquisas Ambientais do Nordeste) se uniram para oferecer a sexta edição do curso de campo Ecologia e Conservação da Caatinga (clique aqui para obter o cartaz de divulgação).

Objetivos

Proporcionar ao aluno capacidade para identificar questões, formular hipóteses, desenvolver metodologias e executar projetos em ecologia no ecossistema de Caatinga. Fornecer arcabouço teórico e experiência prática na análise de distribuição espacial, demografia e dinâmica populacional, bem como interações entre espécies, estrutura e função de comunidades. Ainda, oferecer treinamento em ferramentas e conceitos de biologia da conservação tais como: status de conservação da diversidade biológica, funcionamento do ecossistema e principais ameaças ao ecossistema Caatinga.

Localização, data e infraestrutura

O curso será realizado de 11 a 31 de maio de 2014, sendo que a primeira semana (11 a 17 de maio) ocorrerá no Parque Nacional da Serra da Capivara, São Raimundo Nonato, Piauí, e as duas semanas seguintes, no Parque Nacional do Catimbau, Buíque, Pernambuco.

Custos cobertos pelo curso

O curso é gratuito e fornecerá transporte Recife-São Raimundo Nonato-Buíque-Recife por via terrestre bem como alojamento e as três refeições diárias.

ATENÇÃO: O transporte até Recife dos alunos provenientes de outros estados ou cidades será responsabilidade dos próprios alunos e não são cobertos pelo curso.

Número de vagas

Serão abertas 20 (vinte) vagas para alunos de regularmente matriculados em programas de pós-graduação do Brasil.


ATENÇÃO: Será permitida a submissão ao "VII Curso de Campo Ecologia e Conservação da Caatinga" de estudantes com mestrado não matriculados em algum programa de pós-graduação. Entretanto, por ocasião da seleção, será dada prioridade aos estudantes regularmente matriculados em algum programa de pós-graduação.

Metodologia adotada no curso

-          Apresentação do curso;

-          Projetos orientados em grupo:  elaboração, execução e apresentação de projetos com duração de 1 dia (orientados por um dos professores).

-          Projetos livres em grupo: elaboração, execução e apresentação de um projeto (duração de 1 dia) elaborado por cada grupo de alunos;

-          Projetos livres individuais: elaboração e execução, apresentação e confecção do relatório de um projeto por cada um dos alunos. O prazo para o cumprimento dessas atividades é uma semana, sendo que o primeiro dia será dedicado à elaboração do projeto e o último será dedicado à apresentação oral dos projetos. Os cinco dias restantes devem ser utilizados para execução do projeto no campo e confecção do relatório.

-          Dinâmica de grupo:

-          Mostre e fale: saída ao campo onde o aluno encontra algo interessante para mostrar e comentar brevemente ao grupo;

-          Olhe e questione: ida ao campo (isoladamente) para formulação de questões levantadas através da observação do ambiente e organismos ao seu redor.

-          Palestras noturnas diárias apresentadas por cada professor.
 
Promoção
 
A sexta edição do Curso de Ecologia e Conservação da Caatinga está sendo organizada pela Universidade Federal de Pernambuco-UFPE em parceria com a Universidade federal do Vale do São Francisco - UNIVASF e é uma disciplina da grade curricular do Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal - PPGBV do Departamento de Botânica da UFPE.





Comments