Crônicas Sobre o Sofrimento Crônico

Uma Conversa Pouco Convencional...

Obra: Édipo e a Esfinge de Gustave Moreau.

... Sobre Uma Narrativa Edipiana

Alguém: Deus; qual é o segredo do universo?

Deus: Todos seres vivos sentem a mesma quantidade de prazer e sofrimento.

Alguém: Mas algumas pessoas parecem tão felizes, são tão ricas, saudáveis, enquanto outras são o oposto... umas vivem tanto, e outras tão pouco...

Deus: Aparências... além disso, prazer e sofrimento podem ser compactados (tornado agudo) ou estendidos (tornado crônico) no tempo... são quantificáveis, e cada ser vivo recebe 50% de cada.

Alguém: Não importa o que eu faça terei 50% de prazer e 50% de sofrimento?

Deus: Exato.

Alguém: Então vou fazer nada!

Deus: A dor ficará cada vez mais aguda... até que você tenha que fazer alguma coisa produtiva, ou ajudar alguém a ser produtivo.

Alguém: Esse é o segredo do universo? O universo tem uma ética? A ética da produção?

Deus: Exato. Se você não sabe produzir ciência, produza arte. Ou ajude alguém a produzir.

Alguém: Mas... produzo nada! Somente ouço, talvez os que são surdos somente vejam! O que devo fazer?

Deus: Ouça e veja com amor, se não for possível, pelo menos com atenção, guarde com sigilo, quando falar ou escrever, somente a verdade.

Alguém: E quanto as coisas horríveis que saberei?

Deus: Restabeleça a capacidade de amar e aceitar ser amado. Intervenha em prol da saúde e da legalidade. Ajude a ser produtivo e a se responsabilizar.

Alguém: E se a pessoa for menor de idade, ou uma pessoa deficiente intelectual, com riscos de vida?

Deus: Se for menor de idade ou deficiente intelectual, ligue para o conselho tutelar. Caso não seja e houver risco de vida, responsabilize-se ou encaminhe.

Alguém: Não concordo Deus, não existem verdades absolutas, cada um tem a sua. Eu nem acredito em Deus... espírito mágico em cima das nuvens?

Deus: Deus são as regras, Deus é a ética universal, não um ser. Essas regras são as únicas capazes de gerarem uma existência que permitirá a criação dela mesma. Também sou escravo dessa verdade, e é o melhor que sou capaz de fazer.

Alguém: Se você não é um ser, com quem estou conversando então?

Regras: Com as regras.

Alguém: Não acredito, não existem verdades absolutas, nada nos une, portanto; não existe ética universal!

Diabo: me chamou? Vou deixar você escolher; quer que doa onde?


Projeto de Intervenção para AGAFAPEVladimir Figueiredo Fraga
Obra: La tormenta en el mar de Galilea de Rembrandt Harmenszoon van Rijn.

O Pragmatismo e os Dilemas

A situação é a complicada: um trem avança sem freios e está prestes a atropelar cinco pessoas que estão sobre a linha férrea. Você está ao lado da estrada, em frente a uma alavanca que, caso seja puxada, consegue desviar o trajeto da composição. No entanto, se você acionar o equipamento, o trem vai atropelar outra pessoa na linha ao lado. Você tem dez segundos para tomar uma decisão. Se não fizer nada, cinco pessoas morrem. Se você puxar a alavanca, elas serão salvas, mas, como consequência, outra pessoa vai morrer. O que fazer?

"O dilema do trem": o experimento que é um cenário clássico entre filósofos e sociólogos.

Comentário: Reflita sobre uma situação que não entende ou que lhe parece errada, compare-a com os fundamentos. É a mesma lógica da Experiência de Milgram. Se aceitar pressões, intervir, e o resultado for morte, teremos homicídio doloso, se você não intervir e resultar em mortes, teremos; omissão (ou homicídio culposo, na pior das hipóteses). Porém, o que está sendo avaliado é se você aceita ser colocado em uma situação social corrompida por alguém que aparenta ter algum poder sobre você.

Sobre Medicina e Ciências da Saúde

Tratamento que trabalha somente com a amenização de sinais e sintomas e não com a correção das causas... perpetua a epigenética da psicossomatização? A longo prazo, junto com as mutações e o uso abusivo de medicamentos, têm potencial para denegrir o ser humano? As ciências da saúde responsáveis por intervir nas causas são as que proveem aprimoramento a médio e longo prazos, portanto; sejamos humildes em relação ao quanto somos capazes de ajudar.

Obra: Guernica de Pablo Picasso.

Sobre o Bem e o Mal

Se até a dor pode ser justificada quando os objetivos forem nobres...

Se até o prazer pode ser condenado quando inflige dor a outrem...

... e sobre a mentira, quando salva uma vida, passa a ser uma virtude?

... e quando a verdade faz sofrer... ou faz morrer?

... e quanto ao altruísmo, quando utilizado como alívio de consciência?

... e quanto a piedade e compaixão, seria um complexo de Deus?

... e sobre a boa intenção conjugada com a ignorância, é errada ou certa?

Dívidas sócio históricas... genética... caráter, temperamento e intenção... que fórmula complexa!

... para determinar o que é o mal, e o que é o bem.

Atingir a maturidade é saber que não existe bem e mal... existem apenas consequências?

... e é possível que leve uma vida... mas o que fazemos para outrem retorna para nós?

Esperemos que sim, pois é a única condição de justiça possível, se considerarmos que cada um tem uma diferente noção...

... sobre o que é o mal, e o que é o bem.

Concepções de Universo

Nascemos, interagimos, morremos.

... e se ao morrermos, retornarmos ao passado, justamente nas peles daqueles com quem interagimos?

A dor e o prazer que infligimos, infligimos a nós mesmos, em diferentes tempos?

Seríamos mais cuidadosos uns com os outros?

... pois não existiriam uns e outros... existiria apenas nós mesmos...

... vivendo diferentes vidas, em diferentes tempos?

Obra: O baile no moulin de la Galette de Pierre-Auguste Renoir.

Sociedade, Nietzsche e Karl Marx

Qual papel social você assumiu?

Do profissional ateu renomeado; professor, doutor, empresário?

... para quem Deus não só está morto, mas nunca existiu?

Do trabalhador crédulo e honesto; vítima da mais-valia e confiante em Deus?

... que será vingado quando for para o paraíso, enquanto os demais queimarão no fogo do inferno?

Tiremos todas nossas máscaras... por detrás de todas elas estará apenas um ser...

... que sente dor e prazer... frágil e a mercê...

... da causa e consequência.

As Implicações do Reconhecimento Social

Um técnico de elevador, de escada rolante. Um motorista de ônibus, de caminhão. Um piloto de avião. Um programador de sistemas para saúde. Um engenheiro ou um pedreiro, que levanta vigas e pilares, constrói tetos e telhados... alguém ainda acha que somente alguns merecem salários dignos, títulos de doutor sem doutorado, e um sono tranquilo? Quais são as implicações econômicas da equidade social?

Obra: Narcissus de Michelangelo Merisi (ou Amerighi), conhecido como Caravaggio.

Ódios e Amores

Sobre as pessoas que encontra pela frente...

... e se elas não forem outras pessoas, mas partes de você... partes da sua psiquê?

... isto faria alguma diferença?

Desafios da Contemporaneidade

Especialistas, mestres, doutores, professores – alguns pertencentes a instituições centenárias – com currículos invejáveis, destoando quanto a propostas de intervenção... criando suas próprias instituições, escolas, cursos, métodos infalíveis... tudo em tempo recorde, barato e sem profundidade? Teremos: Um Novo Nome nos Diagnósticos e Tratamentos, ou, Psicanálise Pós-Contemporânea; Um Retorno aos Grandes Mestres?

Freud: para o inconsciente não existe tempo... e os conceitos básicos como fundamentos. Jung e o mistério das sincronicidades; coincidências significativas. Winnicott e a mãe suficientemente boa; a mãe que deveria proteger o bebê de um excesso de coincidências. Lacan: o inconsciente é estruturado em linguagem.

Se a psicanálise pós-contemporânea fosse um prato de comida; Freud seria o prato principal, Jung o acompanhamento, e Lacan o tempero? Os conceitos fundamentais da psicanálise Freudiana, conjugada com as sincronicidades de Jung, e o inconsciente em linguagem de Lacan – relidos e conectados – respaldados pela neurolinguística e neuropsicologia, têm potencial para revolucionar não somente a psicanálise, mas o entendimento sobre nosso universo e a psiquê humana, através de intervenções cientificamente respaldadas? A escrita científica de Freud finalmente se tornará ciência escrita?

Obra: Wheatstacks (End of Summer) de Oscar-Claude Monet.

Melancolia

O que resta quando tudo é resolvido... quando tudo é pacificado... quando se é responsável?

... por vezes um sutil prazer, por vezes um leve sofrimento... crônico...

... em forma de crônicas.