Cuidados com sua Flauta Transversal

Tendo em vista que moramos num país tropical, de altas temperaturas, nunca deixe seu instrumento exposto ao sol, mesmo que dentro de seu estojo, isso causaria grandes danos às sapatilhas (partes vedantes da flauta), calços e demais peças sensíveis.

Jamais o deixe no carro, além da temperatura elevada, você corre o risco de roubarem o carro e conseqüentemente a flauta. Ao término do estudo ou concerto, enxugue perfeitamente o interior da flauta com o auxílio da vareta de limpeza e um pano absorvente (tipo fralda de algodão), isso evitará que a umidade deteriore as sapatilhas e oxide o instrumento. Limpe-o por fora (de preferência com outro pano, seco) para retirar o excesso de suor e gordura presentes em nossas mãos. Isso evitará que o instrumento descasque rápido (se for banhado ou niquelado) e prolongará o brilho sem a necessidade de produtos abrasivos. Limpe sempre na direção do mecanismo para evitar que desregule ou empene uma peça.

NUNCA use qualquer tipo de produto (mesmo que seja especialmente desenvolvido por um fabricante de instrumentos), pois além da corrosão do instrumento, poderá encharcar ou ressecar as sapatilhas e calços. Deixe esse cuidado para um especialista. Guarde-o sempre em seu estojo (e capa, se houver) e mantenha em local que só você tenha acesso, para evitar que "curiosos" venham a danificar seu instrumento.

NUNCA deixe sua flauta sobre um assento (cadeira, sofá, etc.). Você corre o risco de alguém (ou até você mesmo) sentar-se nela!

Como montar/desmontar a flauta? Coloque o estojo em local seguro, onde não possa cair (uma mesa ou balcão), evite apoiá-lo no colo. Retire as peças da flauta (bocal, corpo e pé) uma a uma, à medida que for montando. Evite pegar no mecanismo (chaves), pois é muito frágil e pode empenar. Com a mão direita segure firmemente o corpo por cima (onde está escrito a marca) e com a mão esquerda encaixe o bocal girando sempre para o mesmo lado (não segure o bocal pelo porta-lábio, pois em caso de pressão ele pode vir a descolar). Não force! Se o encaixe estiver difícil, Não passe qualquer tipo de lubrificante, pois isso pioraria ainda mais a situação. Leve seu instrumento a um técnico e relate o ocorrido. Continue segurando a flauta com a mão direita e com a mão esquerda encaixe o pé usando o mesmo procedimento. Alinhe o parafuso do pé com o meio das chaves do corpo e o furo do porta-lábio com a chave de dó sustenido, ligeiramente inclinado para dentro. Ao desmontar tenha o mesmo cuidado para não tocar o mecanismo e coloque a flauta bem encaixada no estojo para que não arranhe nem amasse durante o transporte. Evite guardar paninhos e outros objetos dentro do estojo, isso poderia apertar as chaves e danificar o mecanismo e as sapatilhas, ao menos que a flauta esteja com folga. Procure detectar os locais de folga e calce com pequenos pedaços de espuma macia ou um pano limpo e seco.

Por que tantos cuidados com as sapatilhas? Por serem confeccionadas com materiais sensíveis e delicados (pele de peixe, feltro, etc...) o menor descuido pode ocasionar um corte ou o desgaste prematuro dessas peles, ocasionando vazamentos no seu instrumento. Evite a ingestão de doces (sucos, balas, café, etc) antes de tocar. A umidade da saliva em contato com as sapatilhas, além de provocar um barulho incômodo (as sapatilhas colam nas chaminés), pode rasgar as peles e causar vazamentos. Para limpar as sapatilhas, use papel de seda do tipo para fazer cigarros (sem cola) que são finos e absorventes. Coloque-o embaixo da chave e pressione-a sem muita força. Faça isso em todas as chaves sempre que tocar por um longo período. Assim você prolongará a vida útil das sapatilhas. Ao passar o pano por fora de sua flauta, tenha o cuidado de não encostar nas sapatilhas pois isso poderia cortar as peles.

O Bocal O bocal, ou cabeça é a parte mais importante de uma flauta, ou melhor, leva a parte mais importante: o porta-lábio. O porta-lábio e a chaminé (parte que liga o tubo da flauta ao porta-lábio) são responsáveis pelo corte do ar e pela projeção do som. Ao limpar o bocal de sua flauta, evite movimentos bruscos no pota-lábio, isso poderia descolá-lo do tubo. Não limpe a chaminé enfiando o pano ou ainda o dedo mínimo coberto pelo mesmo. Com o passar do tempo isso poderia deformar o corte da chaminé e alterar o som de seu instrumento. Use de leve um cotonete embebido em álcool. Assim, além de retirar as impurezas e a sujeira aculada, você ainda estará desinfetando seu bocal. Esses conselhos são apenas um resumo de como podemos conservar melhor um instrumento para que ele dure o maior tempo possível, obedecendo às expectativas.

Autor: Sérgio Morais
Copyright&copia; por Esquina da Música - Todos os direitos reservados.
www.esquinadamusica.mus.br - Publicado em: 2004-01-09

Ċ
Nilson Mascolo Filho,
12 de nov de 2009 09:54