COORDENAÇÃO DE PESQUISA

PUCMINAS | SÃO GABRIEL

POLÍTICA DE PESQUISA - PUC MINAS / UNIDADE SÃO GABRIEL

Apresentação

A Coordenação de Pesquisa da unidade São Gabriel da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais é um órgão executivo da administração superior dessa unidade, responsável pela definição de políticas, elaboração de objetivos e condução de atividades relacionadas à pesquisa e à inovação tecnológica nos cursos de graduação dessa unidade. Ela está diretamente submetida à Diretoria Acadêmica da Unidade, e integra, enquanto área funcional, a Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da PUC Minas.

O presente documento visa formalizar as políticas institucionais dessa área na unidade, a partir das políticas nacionais de pesquisa e pós-graduação definidas pelo Ministério da Educação, em consonância com as propostas apresentadas pela universidade em seu Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI), publicado em 2017 para o período que vai até 2021, e amparadas pelo capítulo IV que se refere à pesquisa do Regimento da PUC Minas e o item 2.2.1.2 das Normas Acadêmicas da universidade.

Este documento explicita os princípios da política de pesquisa e sugere algumas atividades para sua operacionalização, possibilitando que, a partir de discussões com as instâncias superiores de decisão, as Coordenações de Pesquisa dos cursos de graduação da unidade, possam definir objetivos e formalizar mecanismos de execução para o pleno desenvolvimento da pesquisa acadêmica na unidade, ao mesmo tempo em que comunica para a comunidade acadêmica essas orientações.

1 Introdução

A produção de conhecimento científico na contemporaneidade associa a pesquisa científica tanto às demandas da própria evolução da ciência quanto às demandas da sociedade e do desenvolvimento econômico, permitindo a articulação das preocupações acadêmicas às questões sociais e ao mercado.

Trata-se de um modelo que, a partir das definições da CAPES, reconhece diferenças entre as áreas, algumas mais críticas e conceituais, e outras mais aplicadas e tecnológicas, e ainda, umas mais articuladas às demandas sociais e outras mais relacionadas às demandas econômicas do setor produtivo.

Além disso, a lógica institucional define que as atividades de pesquisa e produção de conhecimento devem se relacionar intimamente com o ensino e com a extensão universitária - isto é: a produção teórica ou técnica de conhecimento deve ter uma atenção constante à participação de discentes de todos os níveis do ensino, objetivando introduzi-los e envolvê-los nas práticas das atividades do conhecimento científico, e com o envolvimento da Universidade com as demandas da comunidade, que também geram possibilidades de pesquisa e inovação tecnológica ou organizacional.

2 Os Princípios da Política de Pesquisa Científica na PUC Minas São Gabriel

2.1 Criação de uma cultura de pesquisa na instituição

​A importância da atividade de pesquisa na instituição não deve ser associada simplesmente ao cumprimento de diretrizes institucionais; tampouco a busca da excelência acadêmica deve pautar-se somente pelo cumprimento de metas para a melhor colocação da universidade em rankings nacionais e internacionais.

O alcance dos objetivos definidos para a pesquisa deve ser visto, ao contrário, como o resultado final de uma cultura de valorização dessa atividade que, para ser implementada, deve considerar para docentes e discentes, aspectos estimulantes e desafiadores. Longe de ser uma obrigação acadêmica, a pesquisa deve ser vista como uma atividade prazerosa, e a criação e compartilhamento de conhecimento como algo inerente às práticas pedagógicas. Além disso, a liberdade de pensamento e a erradicação do preconceito são pré-condições para que essa atividade se desenvolva plenamente. Uma cultura de pesquisa significa que essa atividade deve permear todas as dimensões da gestão, e todas as atividades acadêmicas; os seus resultados devem ser valorizados e divulgados, e a necessidade do rigor dos métodos e das fontes tem de ser internalizada por cada indivíduo.

A Coordenação de Pesquisa deve propor iniciativas que aproximem a pesquisa do cotidiano acadêmico, como a inclusão da biblioteca na rotina dos alunos, atividades de aproximação entre alunos e professores pesquisadores, participação criteriosa nas redes sociais e em eventos e premiações (como para os melhores Trabalhos de Conclusão de Curso) - envolvendo-se, inclusive, em outras ações de caráter artístico/cultural que afastem a atividade da pesquisa da imagem de distanciamento que eventualmente ainda persiste, ligada ao isolamento, aos métodos complexos e à linguagem hermética.

2.2 Preocupação com a temática das pesquisas

É desejável que os professores e alunos desenvolvam pesquisas em variadas áreas do conhecimento, selecionando os objetos de pesquisa que julguem mais apropriados, e a política da Instituição inclui respeitar essas decisões. No entanto, algumas áreas do conhecimento, mais alinhadas ao conteúdo dos cursos da unidade e com preocupações pertinentes às orientações apontadas no PDI da PUC Minas terão foco privilegiado pela Coordenação de pesquisa da unidade, podendo a elas ser destinados prioritariamente recursos humanos, financeiros e logísticos - para sua consolidação como áreas do conhecimento adequadas ao desenvolvimento de pesquisas integradas.

Entre essas áreas temáticas incluem-se as pesquisas relacionadas à inovação e ao desenvolvimento e registro de patentes, tendo em vista a importância da inovação tecnológica para o desenvolvimento econômico do país e as decorrências sociais desse desenvolvimento. Proporcionar condições e apoiar iniciativas que visam a inovação, o desenvolvimento de produtos com patentes e a proteção do conhecimento científico produzido implica em valorizar essa área como objeto de pesquisa.

Além disso, dada a gravidade da questão ambiental no mundo contemporâneo, essa temática também deve ser buscada com ênfase. Isto significa valorizar as pesquisas direcionadas à conservação e uso sustentável dos recursos naturais, à viabilização de alternativas energéticas, às preocupações com o consumo consciente, entre tantas outras da temática ecológica também na dimensão social e organizacional.

As pesquisas orientadas aos aspectos sociais e culturais também estão entre as temáticas privilegiadas. A diversidade cultural local hoje, em qualquer parte do mundo, inclui cada vez mais aspectos nacionais e globais, e, portanto, esse campo de pesquisa na unidade deve compreender cada vez menos os aspectos históricos, e mais os contemporâneos – e isso inclui o comportamento dos indivíduos com relação à tecnologia, ao consumo, ao trabalho, e às mudanças que afetam as relações pessoais e familiares.

2.3 Integração entre as atividades de ensino/pesquisa/extensão

O desenvolvimento da pesquisa científica integrada ao ensino e às atividades de extensão é importância fundamental para o avanço do conhecimento científico, incluindo a dimensão da aplicação do conhecimento produzido.

O estímulo ao desenvolvimento integrado destas atividades deve ser buscado pela construção de ações conjuntas junto ao corpo docente e discente. Os eventos da Coordenação de Extensão já institucionalizados na unidade São Gabriel devem merecer esforços de integração junto à Coordenação de Pesquisa, assim como a inclusão cada vez mais intensiva da pesquisa nessas atividades deve ser buscada.

2.4 Ampliação da infraestrutura de pesquisa

A infraestrutura de pesquisa é um dos alicerces para o desenvolvimento da pesquisa científica em qualquer instituição. O fortalecimento dessa infraestrutura deve ser, portanto, um dos princípios da política de pesquisa, e para isso devem ser buscadas formas de consolidação e ampliação dessa base, considerando as especificidades de todos os cursos da instituição, mas também as possibilidades de uso compartilhado.

No próprio ambiente institucional devem ser disponibilizadas cada vez mais ferramentas de pesquisa, como softwares de estatística, apoio à impressão de questionários e a cessão de salas para reuniões e elaboração de trabalhos, como a organização de grupos focais e outras técnicas de coleta de dados.

2.5 Fortalecimento e criação de grupos de pesquisa

A pesquisa científica no ambiente contemporâneo ocorre em muitos casos pelo trabalho de equipes e pela formação de grupos de pesquisadores em contextos locais, nacionais ou internacionais. A institucionalização dos grupos de pesquisas e o monitoramento do seu funcionamento é um dos fundamentos para o funcionamento adequado dessa área, com relação ao cumprimento de diretrizes do MEC e da Universidade. Assim, o fortalecimento dos grupos de pesquisa já existentes e a criação de novos grupos é um dos princípios que norteiam a política de pesquisa da instituição. A Coordenação de Pesquisa da unidade deve fomentar a criação de novos grupos nas áreas temáticas entendidas como prioritárias.

2.6 Estímulo ao ingresso discente nos programas de iniciação científica

Os programas nacionais de fomento – como o PIBIC e PIBIT - que visam a formação de iniciantes na carreira científica cumprem também a função de estimular os docentes a se dedicarem mais às atividades de pesquisa. Os trabalhos científicos dos bolsistas de Iniciação Científica estão também associados ao aprendizado de conteúdos importantes de cada campo do conhecimento, e no domínio dos aspectos metodológicos próprios ao desenvolvimento tecnológico e aos processos de inovação organizacional. Além disso, têm um importante papel na capacitação de discentes para o seu ingresso nos cursos de pós-graduação.

Portanto, buscar, divulgar e facilitar o acesso aos recursos institucionais e externos para custear o maior número possível de bolsas nestas modalidades dever fazer parte do esforço da Coordenação de Pesquisa para estimular o ingresso dos discentes nessas atividades.

2.7 Valorização de projetos interdisciplinares

As pesquisas de cunho interdisciplinar já se constituem, em algumas dimensões, em um importante item de avaliação da universidade junto ao MEC e às agências de fomento. Os conceitos de multi, inter e transdisciplinaridade abrem, além disso, mais possibilidades de pesquisa, e a integração entre as áreas humanas e técnicas.

O incentivo e o apoio aos projetos de pesquisas envolvendo simultaneamente vários campos científicos é, dessa forma, um dos princípios basilares da política de pesquisa que a Coordenação de Pesquisa da unidade São Gabriel apresenta, e deve estar na base da criação de grupos de pesquisa, e também dos canais de divulgação dos resultados dos trabalhos científicos.

2.8 Estimulo ao intercâmbio de pesquisadores

O compartilhamento de conhecimentos e experiências nas diversas atividades de pesquisa contribui de forma significativa para o incremento da pesquisa nas universidades. O intercâmbio de pesquisadores – docentes e discentes - possibilita o uso compartilhado de infraestruturas, aumentando o acesso a novas possibilidades não existentes na unidade; além disso, o incremento de parcerias institucionais com outras instituições nacionais e internacionais cria mais possibilidade de publicação dos resultados.

A política institucional de pesquisa deve, por isso, visar a intensificação dos intercâmbios entre os docentes das mais variadas instituições de ensino e pesquisa nacionais e internacionais.

Cabe lembrar que a busca da internacionalização é um dos objetivos da PUC Minas, e a Coordenação de Pesquisa da unidade São Gabriel deve buscar facilitar e intermediar os acordos interinstitucionais visando o aumento das relações internacionais nesse campo.

O estímulo ao intercâmbio e o acompanhamento da gestão dos programas institucionais e externos, nacionais e internacionais, de mobilidade docente e discente, é, portanto, mais um dos princípios da política da unidade São Gabriel.

2.9 Promoção da divulgação dos resultados das pesquisas

A publicação científica em livros, artigos e eventos científicos é um elemento fundamental da avaliação institucional no mundo acadêmico. Ela deve incluir também a divulgação desse conhecimento na comunidade acadêmica, através de fóruns, eventos e publicações eletrônicas e impressas. Também com relação à sociedade essa divulgação deve ser uma preocupação, visando a democratização do conhecimento rigoroso e aumento da visibilidade dos resultados desse esforço nos canais de comunicação tradicionais e na internet, consolidando a imagem institucional.

O seguinte princípio expressa de forma resumida essa ideia: a política de pesquisa institucional deve ter especial cuidado no estímulo à publicação científica bem como no apoio à socialização dos resultados tanto para o público acadêmico interno quanto para as comunidades locais.

Uma revista eletrônica, de caráter interdisciplinar, com seções para publicação de docentes e discentes, mas também aberta aos pesquisadores externos à instituição, e pautada pelo rigor na seleção dos trabalhos, vai coroar os esforços que a Coordenação deve perseguir para atender de forma adequada esse princípio.

2.10 Gerenciamento das atividades de pesquisa

O monitoramento das atividades de pesquisa permite a quantificação, a qualificação e o direcionamento dessa atividade, gerando mais informações para o processo decisório na administração superior da universidade, o que deve ter efeito na valorização da unidade e nas concessões de carga horária para realização de pesquisas. Esse monitoramento deve gerar também um aumento da visibilidade das pesquisas desenvolvidas na Instituição e junto aos meios de comunicação de massa, propiciando um aumento da socialização de resultados colocada no princípio anterior.

Esse monitoramento será tanto mais eficaz quanto mais for possível ser feito de forma não invasiva, respeitando as especificidades de cada curso, e sem as tradicionais pressões do tipo “publish ou perish” - mas incluindo informações sobre a quantidade e qualidade da produção e publicação das pesquisas, para que medidas possam ser tomadas para a correção de eventuais deficiências.

2.11 Gestão do ambiente externo para as atividades de pesquisa

Além das agências de fomento no âmbito local, regional, nacional e internacional, muitas empresas públicas e privadas têm projetos e premiações de trabalho de pesquisa em diversas áreas do conhecimento. Em alguns casos o fomento é direcionado para projetos individuais e, em outros, a projetos institucionais. Além disso, a universidade pode atender demandas específicas de instituições externas e isto pode significar o engajamento de docentes e discentes em atividades de pesquisa associadas a essas demandas.

A importância do aporte de recursos externos à instituição não pode ser minimizada e, portanto, a política institucional deve incentivar a criação de canais de divulgação para estimular mais iniciativas dos pesquisadores nas chamadas públicas, ou atender às solicitações de apresentá-las às empresas para facilitar o apoio externo necessário à sua realização.

2.12 Inclusão de todos os discentes nas atividades de pesquisas

O ingresso de discentes das classes C, D e E na universidade deve ser acompanhado do cuidado com relação à criação de mecanismos para assegurar a participação deste público nas atividades de pesquisa. Além disso, pessoas com deficiência, e outras com necessidades especiais também devem merecer atenção. Alguns mecanismos associados a essa preocupação já existem, como a bolsa PIBIC de ações afirmativas (PIBIC-AF), que é um dos elementos criados pelas políticas de inclusão do governo federal.

Estudar novos mecanismos nesse sentido deve ser uma das preocupações nessa área; a inclusão social nas atividades de pesquisa é mais um dos princípios da política de pesquisa na unidade.

2.13 Aspectos éticos

​Cumprindo o disposto no PDI 2017/2021, a preocupação com os princípios da ética é um dos pilares de todas as atividades e iniciativas acadêmicas, e a pesquisa científica deve pautar suas ações pelo extremo cuidado nesse quesito. Projetos que envolvam seres humanos e animais devem ser submetidos aos Comitês de Ética da instituição (CEP e CEUA) antes do seu início, para que possam ser validados. Além disso, como orienta o PDI, além dessa preocupação quanto aos projetos de pesquisa, a Coordenação deve realizar palestras e outras atividades educativas, no intuito de orientar e promover o tema da ética em pesquisa na unidade.

3 Considerações Finais

Os princípios da politica de pesquisa que constam nesse documento foram elaborados considerando as grandes discussões sobre a produção científica nacional, a orientação básica para essa área descrita no Regimento da universidade, nas normas acadêmicas e no Plano de Desenvolvimento Institucional da instituição, reafirmando as preocupações e o histórico da PUC Minas nesse campo. Ao final, fica claro que os esforços da unidade do São Gabriel quanto à pesquisa científica devem apoiar tanto as investigações de cunho social quanto aquelas direcionadas à inovação tecnológica, dando ênfase aos projetos de cunho interdisciplinar desenvolvidos no âmbito dos grupos de pesquisas da instituição.

A orientação da política de pesquisa visa, além disso, o desenvolvimento e a consolidação de uma cultura de investigação científica na instituição, que suporte o desenvolvimento e a inserção de pesquisadores em redes de investigação científica nos âmbitos local, nacional e internacional, e que venha a gerar resultados significativos tanto na avaliação da instituição quanto nas atividades práticas de ensino e extensão.

Para finalizar, cabe a consideração de que a pesquisa científica constitui um eixo básico do funcionamento da universidade brasileira e, por isso, a articulação institucional da Coordenação de Pesquisa com todas as instâncias da unidade São Gabriel torna-se necessária para o pleno desenvolvimento dos mecanismos operacionais de viabilização dos princípios explicitados, fundamentando a política de pesquisa na instituição.


Coordenação de Pesquisa

PUC Minas / São Gabriel