sou mestrando em ciências da comunicação no POSCOM-UFSM e bacharel em produção editorial. pesquiso sobre midiatização e tecnologias digitais, especialmente a partir de semióticas materiais e teorias ator-rede. no twitter, no medium, no facebook, no google scholar, no academia.edu, no lattes, mas eu prefiro e-mail: maufanfa@gmail.com

📌 meu principal interesse de pesquisa é a relação entre mídias, tecnologias e os cotidianos das pessoas. especialmente sobre como as tecnologias se relacionam com os múltiplos processos de midiatização da sociedade. assim, tenho estudado sobre a construção social da tecnologia, sobre filosofia da tecnologia, sobre as "novas mídias", entre outras temáticas

🔍 minha pesquisa atual, em nível de mestrado, busca compreender a relação de softwares de comunicação científica – como o Academia.edu, o Sci-Hub, o Portal de Periódicos da CAPES, entre outros – com o processo de midiatização da ciência

📝 reuni considerações sobre metodologia e estudo de software no texto Como estudar software?, apresentado, no II Simpósio Internacional de Comunicação, em 2018 na UFSM campus de Frederico Westphalen. é um apanhado das considerações metodológicas da minha dissertação em andamento. aqui, busco argumentar sobre a ideia de uma semiótica material (inspirada nas teorias ator-rede) para o estudo de softwares.

📝 estou buscando uma maneira de aprofundamento teórico sobre o estudo de softwares. no contexto de minha pesquisa de mestrado, escrevi Apontamentos sobre software e midiatização da ciência, resumo expandido enviado para o seminário internacional de pesquisa em midiatização e processos sociais. aqui, além da semiótica material, também argumento sua relação com a midiatização e a globalização pode ser entendida ao redor do conceito de tecnopaisagens de Appadurai

📝 também no contexto da minha dissertação escrevi, para o VII Encontro Regional Sul de História da Mídia, o texto Galileu Galilei e as configurações comunicativas da revolução copernicana: as publicações de Mensageiro das Estrelas (1610) e de Diálogo sobre os Dois Principais Sistemas do Mundo (1632). aqui tento aplicar um pouco dos meus estudos sobre tecnologia a outro contexto sócio-histórico: a prensa de tipos móveis.

📝 tenho a compreensão de que foram afundadas as expectativas sobre a internet enquanto tecnologia de emancipação. por isso, escrevi algumas compreensões num texto publicado na revista o qi: Apontamentos Sobre a Internet e a Diversidade de Opiniões. aqui, reflito um pouco sobre a decepção da internet como espaço para democracia, e sobre o conceito de aparelhos ideológicos de Althusser

📝 no meu trabalho de conclusão de curso, Colaboração, cultura livre e educação aberta na produção de vídeo e cinema, experimentei um método colaborativo e aberto para produção de documentários, inspirado nos fluxos de trabalho e na ética do software livre. o resultado foi a versão beta do documentário sobre espaços públicos Respeitável e Público. no texto teórico do relatório, faço reflexões sobre o conceito de excedente cognitivo de Clay Shirky e educação aberta de Ivan Illich. o trabalho foi orientado pelo professor Fernando da Silva Barbosa, com quem escrevi um artigo e apresentei no Intercom Nacional em 2016: A Possibilidade do Vídeo Livre e de Conteúdo Aberto. também desenvolvi um site que concentra várias informações e recursos sobre a ideia de produzir vídeos livres e open source, disponível aqui

📝 concentrei alguns rascunhos de pensamentos e reflexões sobre o conceito de cibercultura no texto Formas próprias no imaginário da cibercultura, memória e vaporwave, apresentado no Intercom Sul em 2017. nesse texto, trabalho analisando algum material empírico de fóruns que produzem arte gráfica no estilo vaporwave e com questionários aplicados com artistas. penso, através de conceitos como memória e imaginário, sobre como essa arte fala da relação que uma geração mais ou menos delimitada tem com a tecnologia

📝 trabalhei, junto de Emanuelly Vargas e nossas orientadoras, profª. Ada e profª. Juliana, num texto sobre Filmes como Organizadores Prévios na Aprendizagem Significativa de Teoria e Metodologia em Comunicação apresentado no Intercom Nacional em 2017. nesse trabalho, argumentamos sobre como filmes podem ter lugar nas práticas de ensino, especialmente de teoria e de metodologia na graduação em comunicação. trazemos como exemplo o filme A Chegada e as aulas sobre estruturalismo e semiótica