A Boca da Guerra

Capítulo 79: Frederico – Pipa

Frederico pensou que devia ser assim, exatamente assim, que uma pipa se sentia. Aprisionada ao mundo por uma haste de flor, envolta em atmosfera diferente, o mundo lá longe, indistinguível, frequentemente apagado por nuvens. Dessa forma, Frederico foi sendo arrastado pela Fronteira, por Baynard (tão parecida com Patire), até Tuen.

Ninguém chegava perto dele. Que divertido tanta gente ter medo dele, justo dele, incapaz de matar o homem que assassinou seu irmão. A estalajadeira loira colocou um caneco na sua frente. A cerveja borbulhava, minúsculas explosões brancas se libertando para o alto.

— Bem-vindo à Pluma — ela disse, com calor, mas sem alegria.

Pluma de quê? Ganso ou abutre? Se ao menos ele conseguisse matar Neville, vingar o irmão. E para quê? Que coisa horrível, a Guerra. Que sem sentido. Se fosse para viver assim, desprovido de significado, por que não o deixaram esquecer-se em cinza?

Frederico reconheceu um par de olhos na multidão. Castanhos. Púrpura. Sentiu coçar o braço onde estava amarrada a haste invisível daquela árvore que o mantinha acorrentado em cor e em dor.

— Eu já te vi — disse Líran. — Cheio de ideias, de esperanças.

— Mortas.

— Você não está completamente aqui. — Líran olhou para o braço dele.

— A parte presente veio contra a vontade.

O poder da haste impedia Frederico de afundar em trevas, mas era ele quem tinha de emergir para a vida, para a cor, para si mesmo. Se quisesse chegar até Líran, Frederico precisava cruzar um corredor que gania, uma porta sangrenta, uma adaga na mão.

— É preciso que volte — disse Líran.

— Para quê? — A única coisa concreta no mundo inteiro era o grito agudo da cadelinha de pelo baixo, branco, preto e marrom.

— Para ser completo.

— Um completo inútil.

Ele levantou a mão até o rosto de Líran, sentiu as pontas dos dedos formigarem com a proximidade. Não chegou a tocá-la.

— Talvez eu voltasse por você. Mas seus lindos olhos cor de violeta ficam castanhos quando pousam em mim. Se for para admirá-la à distância, posso vê-la muito bem daqui.

O que a Velha diria se o visse agora? Frederico evitou pensar a respeito.


Capítulo 80