Cobertura florestal

No primeiro ciclo do IFFSC, para o conhecimento da cobertura florestal do Estado quatro mapeamentos foram disponibilizados e analisados. Estes mapeamentos foram executados por diferentes instituições e elaborados entre 2005 e 2009, a partir da interpretação de imagens orbitais multiespectrais.

1. Levantamento da Cobertura Florestal Remanescente de Santa Catarina (LCF/SAR), executado por Secretaria de Agricultura e Abastecimento de Santa Catarina;

2. Levantamento da Cobertura Vegetal Nativa do Bioma Mata Atlântica (PROBIO), executado por Ministério do Meio Ambiente;

3. Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica (Atlas 2008), executado por SOS Mata Atlântica;

4. Mapeamento Temático Geral do Estado de Santa Catarina, realizado no âmbito do Projeto de Proteção da Mata Atlântica (PPMA/FATMA), executado pela Fundação de Meio Ambiente de Santa Catarina.

As análises estatísticas demonstraram melhor desempenho do mapeamento Atlas 2008 (Fundação SOS Mata Atlântica 2009) com relação à verdade de campo do IFFSC.

Segundo análises realizadas na época, Santa Catarina apresenta, aproximadamente, 30% de cobertura florestal remanescente. Sendo a FOD a fitofisionomia detentora da maior cobertura remanescente (~40%) e também dos maiores maciços florestais no Estado; seguida pela FOM (~24%) e pela FED (~16%).

Todos os mapeamentos indicam que mais que 80% dos remanescentes encontram-se na classe de tamanho até 50 ha (LCF/SAR 87%; PPMA 90%; Atlas 2008 81%, PROBIO 85%).

As maiores áreas contínuas de floresta são encontradas, principalmente, em Unidades de Conservação ou locais de relevo acentuado, como por exemplo a região de cadeias montanhosas da Serra Geral.

Baseado no mapeamento PROBIO, com imagens captadas entre os anos 2000-2003, foi possível identificar os seguintes resultados:

A agropecuária foi o tipo de uso da terra predominante em SC, ocupando uma área de 4,9 milhões de ha (51% do território). Em seguida, os usos da terra predominantes foram florestas nativas (2,6 milhões de ha), Campos Naturais (933.723 ha) e florestas plantadas (515.319 ha). As áreas urbanas correspondem a 128.116 ha, corpos d’água a 80.403 ha e demais usos, áreas degradadas e solo exposto a 408.147 ha.

Mapeamento PROBIO: mapa temático baseado em imagens multiespectrais do satélite Landsat-7 ETM+ de 2000 a 2003.

Projeto MonitoraSC

O Projeto MonitoraSC é parte integrante do IFFSC, teve início em 2016 e pretende complementar as informações obtidas em campo com dados obtidos por técnicas de sensoriamento remoto (SR). Será possível o acompanhamento atual da dinâmica espacial de cobertura e uso da terra e sob uma perspectiva temporal. Os dados de SR utilizados são provenientes de diversos sensores montados em satélites orbitais, os quais fornecem continuamente imagens da superfície terrestre, permitindo, por exemplo, observar as mudanças da cobertura florestal, das áreas agrícolas e pastoris ou monitorar o processo de urbanização.

O Projeto está em processo de testes metodológicos, no entanto alguns resultados preliminares podem ser observados em:

Perspectives on remote sensing monitoring applied to forest inventory and land cover mapping for management purposes in Santa Catarina (Brazil); Leia -Texto e Painel