Inventário dos Remanescentes Florestais

Instituição Responsável:

Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Coordenador:

Prof. Dr. Alexander Christian Vibrans

Objetivo

Avaliar a composição de espécies, estrutura (diamétrica, vertical e horizontal) e dinâmica florestal obtidos por meio do inventário contínuo de parcelas permanentes distribuídas pelo Estado.

O IFFSC adota uma metodologia compatível com a do Inventário Florestal Nacional (IFN), embora intensificada e com os critérios de inclusão ampliados para atender às especificidades estaduais.

Esta metodologia é baseada num inventário sistemático de múltiplas ocasiões, com repetição da amostragem feita a cada cinco anos, que visa fornecer informações e monitorar o estado de conservação dos recursos florestais, bem como as mudanças ocorridas ao longo do tempo.

Adotou-se para a definição de “floresta” o conceito da FAO (2009): terras com área mínima de 0,5 ha, árvores com altura > 5 m e cobertura das copas ≥ 10%.

O levantamento de dados consiste no acompanhamento de 1074 Unidades Amostrais (UA) que compõem uma rede de pontos sistematizados (grade) de 10 x 10 km que cobre todo o Estado e que é compatível com a grade 20 x 20 km do IFN. Excepcionalmente, na área de ocorrência da Floresta Estacional Decidual (Klein, 1978), a qual se encontra extremamente reduzida e fragmentada, a amostragem é adensada para uma grade de 5 x 5 km, possibilitando a medição de um número adicional e suficiente de Unidades Amostrais, totalizando ao final 1153 UA em acompanhamento pelo IFFSC.


Levantamento de Árvores Fora da Floresta

Também foram instaladas 148 parcelas para um levantamento das árvores “fora da floresta” realizado considerando a grade 20 × 20 km, para os quais os mapeamentos da cobertura florestal do estado, realizados em 2005 (SAR 2005) e 2008 (PPMA 2008), não indicaram a presença de florestas nativas. Dados sobre o uso do solo foram levantados nessas parcelas, independentemente se estivessem cobertos ou não por florestas (50 foram instaladas em florestas em estágio inicial de sucessão, 34 em reflorestamentos e 64 em agricultura, pastagem ou edificações).

Levantamento de Epífitos

Epífitos são plantas que crescem sobre outras, mas sem retirar delas qualquer nutriente, como, por exemplo, orquídeas, bromélias e samambaias. As plantas que retiram nutrientes são chamadas parasitas, como, por exemplo, a erva-de-passarinho (Struthanthus sp.).

Um levantamento independente foi conduzido na Floresta Ombrófila Densa com foco nos epífitos vasculares. Para isso foram selecionadas 33 parcelas do IFFSC e delimitado a partir delas uma área circular com raio de 80 metros, onde foram escaladas – por meio de técnicas de arvorismo – ao menos oito árvores (forófitos) por parcela, e todos os epífitos vasculares férteis foram coletados. Eventuais coletas de epífitos no solo foram realizadas quando esses estavam ao alcance – em galhos caídos, sobre arvoretas, lianas e samambaias arborescentes.


Resumindo:

O conjunto de Unidades Amostrais do IFFSC compreende diferentes finalidades:

  • 556 UA avaliadas unicamente por Sensoriamento Remoto: utilizadas para definir e quantificar o uso do solo através da interpretação de imagens de satélite;
  • 430 UA Regulares: avaliação em campo de florestas bem desenvolvidas (em estágio médio e avançado de sucessão), das quais 370 UA pertencem à grade de 10 × 10 km e 60 UA à grade 5 x 5 km. Em 33 UA da grade de 10 × 10 km, situadas na Floresta Ombrófila Densa, foi realizado também o levantamento de plantas epífitas;
  • 148 UA “fora da floresta”: instaladas em outros usos do solo, incluindo florestas pouco desenvolvidas (em estágio inicial de sucessão), reflorestamento, pastagens e áreas agrícolas com árvores esparsas.
  • 19 UA Complementares: situadas fora das grades sistemáticas e implantadas em florestas aparentemente bem conservadas de domínio público e privado.
UAs IFFSC_1074+5x5km.xlsx

A Unidade Amostral (UA), em forma de conglomerado, utilizada pelo IFFSC possui área total de 4.000 m² (0,4 ha); é composto por quatro subunidades de 1.000 m² cada (20 × 50 m), orientadas na direção dos quatro pontos cardeais (Norte, Sul, Leste e Oeste), mantendo, cada uma, 30 m de distância do centro do conglomerado.

A imagem abaixo mostra o layout atual do conglomerado utilizado pelo IFFSC, com a delimitação das subparcelas e transectos para a medição dos diferentes estratos.

Observação:

Segue abaixo metodologia atualizada e definitiva para o inventário de cada estrato, após adaptações metodológicas posteriores às publicações dos primeiros resultados.

Mais detalhes no manual de campo, em breve.

Critérios de inclusão na amostra

Arbóreo/Arbustivo: DAP ≥ 10 cm e altura ≥ 1,3 m;

Regeneração: DAP < 10 cm e altura ≥ 1,3 m;

Herbáceas: espécie herbácea dominante na subparcela;

Necromassa: galhos e troncos mortos com diâmetro > 2,5 cm que interceptam os dois transectos do centro da UA.