Patrona

PATRONA DESTA EDIÇÃO: THEREZINHA ROCHA POLES

A partir de uma indicação do Espaço Literário Nelly Rocha Galassi, a 2ª FLAAM (Feira Literária e Artística de Americana) terá como sua patrona a escritora Therezinha Rocha Poles, que reside em Americana. A homenagem ocorrerá durante a feira que está programada para os dias 10 e 11 de novembro, no CIVI (Centro de Integração e Valorização do Idoso), com entrada franca.

De acordo com a presidente do Espaço Literário, Maria Lúcia Capozzi, a escolha se deu a partir dos trabalhos literários desenvolvidos por Therezinha. “Isso se deve ao reconhecimento da boa semente plantada pela família Rocha no solo aparentemente árido de Americana, cidade de vocação industrial. Assim, pode-se contar com os talentos da palavra inspirada das irmãs Therezinha e Nelly Rocha, além da amiga Ivanise Pântano para criar o Espaço Literário, que cresceu e se fortificou nestas quase quatro décadas”, ressaltou.

Para a homenageada, Therezinha, foi com muita felicidade que recebeu a notícia que seria patrona da FLAAM. “Para mim, foi um honra. Trata-se de uma forma de, inclusive, recordar as pessoas que estiveram ao meu lado desde o início da minha carreira na escrita. É uma forma de se sentir valorizada”, ressaltou.

BIOGRAFIA DE THEREZINHA ROCHA POLES

Por Mari Lira

Therezinha nasceu em São Paulo, em 11 de novembro de 1928, onde passou a primeira infância. É filha de Maria Angelina Rocha e Joaquim Rocha Júnior, poeta, escritor e jornalista. Eles mudaram-se para Araras (SP) onde ela fez o curso primário e, em 1941, fixou residência em Americana, onde constituiu família e reside até hoje.

Fez o curso de contabilidade na Escola de Comércio Dom Pedro II. Foi casada com David Poles e tem quatro filhos. Tem acompanhado o crescimento e desenvolvimento da cidade de Americana durante todos estes anos e a considera sua cidade.

Filha do escritor e poeta Joaquim Rocha Júnior, desde cedo conviveu com a literatura e nela se iniciou ainda adolescente. Sempre esteve envolvida com arte e dedicou-se à pintura em tela durante sete anos. Na música, estudou violão popular e clássico, teclado e mantém os estudos de música há muitos anos.

Pertenceu à UBT (União Brasileira dos Trovadores) e no biênio 1972/74 foi delegada deste grupo, por Americana . Participou do IV Concurso de Poesia de Piracicaba em 1981, tendo sua poesia classificada e incluída em Antologia daquela cidade. Seu nome também está incluído na obra “A Literatura Possível”, Antologia de Autores de Americana, de 2000.

Em 1982 fundou, com sua irmã Nelly Rocha Galassi e Ivanise Pântano, o Grupo Espaço Literário, hoje Espaço Literário Nelly Rocha Galassi, de Americana, que presidiu até 1990. Integra a diretoria deste grupo até hoje e participou de todas as antologias publicadas por ele.

Sempre foi uma colaboradora atuante dos jornais e revistas de Americana. Participou e teve muitas classificações em concursos literários. Conquistou, por duas vezes, o troféu “Lulu Benencase”, instituído pela União Estudantil de Americana

Em 1992 publicou seu primeiro livro “Túnel do Tempo - poesias, contos e crônicas”, pela João Scortecci Editora, SP; em 2004 publicou “Quatro Estações - contos, crônicas e outras prosas”, pela Caminho Editorial, Americana (SP); em 2008 “De Canto e de Sonho”, Via Palavra Editorial, Americana (SP); além da obra finalizada “Evolução da Música Popular Brasileira: do Descobrimento do Brasil aos Nossos Dias”. Em andamento livro didático sobre poesia. Em 2011 recebeu o título de Cidadã Americanense.