Parceiros são importantes e sempre bem vindo!

PARQUE ESTADUAL DA ILHA GRANDE

Criação: Decreto Estadual nº 15.273, de 26 de junho de 1971

Decreto Estadual n° 2.062/1978 diminuiu em 2/3 a área protegida.

Em 1982, a Ilha Grande passou a integrar a Área de Proteção Ambiental de Tamoios; em 1987 foi tombada pela Secretaria de Estado de Cultura (Resolução nº 29, de 14/10/87);

Em 1988, a Ilha Grande passou a ser reconhecida como patrimônio nacional, pela Constituição Federal, por sua vegetação de Mata Atlântica e por sua localização na zona costeira;

Em 1989 foi declarada como Área de Relevante Interesse Ecológico pela Constituição Estadual;

e em 1991 recebeu status internacional de proteção ao ser reconhecida pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

O Decreto Estadual nº 40.602, de 12 de fevereiro de 2007, ampliou, ratificou e consolidou como parque a área total aproximada de 12.052 hectares, acrescentando todas as demais terras localizadas acima da cota de altimetria de cem metros, excetuando-se aquelas pertencentes à Reserva Estadual Biológica da Praia do Sul

Localização: Ilha Grande, Município de Angra dos Reis





Nascida em julho de 2013, a ITRA (International Trail Running Association) tem o objetivo de dar voz às partes envolvidas na corrida de trilhas para promover seus valores fortes, sua diversidade, a segurança das corridas e a saúde dos corredores, bem como o desenvolvimento do trail running e garantir um diálogo construtivo entre os organismos nacionais e internacionais com interesse no esporte.





¿En qué consiste?

What is it about?

Somos un circuito de carreras a lo largo de Sudamérica, enfocados en evolucionar en Trail Running en nuestra región, mejorando nuestros eventos para ser de clase mundial y generando mayor competencia para que nuestros atletas sean aún mejores.

We are a circuit of races across South America, focused on evolving trail-running in our region by improving our events to be world-class and bringing higher competition for our athletes to be even better.

Parque Estadual do Itacolomi

O Parque Estadual do Itacolomi, localizado nos municípios de Mariana e Ouro Preto, na região sudeste de Minas Gerais, a 100 quilômetros da Capital. Foi criado em 14 de junho de 1967, pela Lei nº 4.495 (.pdf - 46Kb).

A unidade de conservação abriga o Pico do Itacolomi. Com 1.772 metros de altitude, era ponto de referência para os antigos viajantes da Estrada Real que o chamava de “Farol dos Bandeirantes”. A palavra Itacolomi vem da língua tupi e significa “pedra menina”. Os índios viam o pico como o “filhote” da montanha ou “pedra mãe”.

Patrimônio Natural

O Parque possui uma área de 7.543 hectares de matas onde predominam as quaresmeiras e candeias ao longo dos rios e córregos. Nas partes mais elevadas, aparecem os campos de altitude com afloramentos rochosos, onde se destacam as gramíneas e canelas de emas. Abriga muitas nascentes, escondidas nas matas, que deságuam, em sua maioria, no rio Gualaxo do Sul, afluente do rio Doce. Os mais importantes são os córregos do Manso, dos Prazeres, Domingos e do Benedito, o rio Acima e o ribeirão Belchior.

Diversas espécies de animais raros e ameaçados de extinção podem ser encontrados na unidade de conservação, como o lobo guará, a ave-pavó, a onça parda e o andorinhão de coleira (ave migratória). Também podem ser vistas espécies de macacos, micos, tatus, pacas, capivaras e gatos mouriscos. Levantamentos identificaram mais de 200 espécies de aves, como jacus, siriemas e beija-flores.