Efeitos da urbanização em comunidades de macroinvertebrados bentônicos

A partir do conhecimento da magnitude dos efeitos da antropização em ambiente aquático, é necessário o entendimento das modificações decorrentes na diversidade biológica destes ambientes, utilizando-a como ferramenta para a indicação da qualidade ambiental. Dessa forma, baseando-se na capacidade destes organismos de responder de diferentes formas às alterações ambientais, grupos funcionais de macroinvertebrados bentônicos foram escolhidos como organismos-modelos como bioindicadores em uma microbacia de Minas Gerais. O projeto tem como objetivo investigar como a ocupação antrópica pode influenciar a riqueza e abundância de organismos susceptíveis e tolerantes. Investigando como a diversidade biológica é moldada por diferentes mecanismos nos grupos funcionais em ambientes com modificações antropogênicas e ainda compreender o investimento de recursos em ambientes impactados. Esse projeto será realizado em uma das unidades de planejamento de recursos hídricos da Bacia Hidrográfica do Rio Grande, denominada UPGRH D2 Rio das Mortes que se localiza na região sul do Estado de Minas Gerais.

Projeto de doutorado do Marcos Mendes