Formação de banco de dados sobre espécies exóticas naturalizadas e invasoras no Brasil

Introduções de espécies mediadas por humanos são um dos fatores determinantes do Antropoceno. Espécies exóticas podem formar populações invasoras que afetam a biodiversidade, serviços ecossistêmicos e agropecuária. Atualmente, no Brasil, são conhecidas 525 plantas exóticas naturalizadas (Zenni 2015) e 117 plantas exóticas invasoras distribuídas em todos os biomas (Zenni & Ziller 2011). Contudo, afora a presença dessas espécies, pouco ou nada se sabe sobre a biologia e ecologia dessas espécies exóticas no Brasil, incluindo seus impactos e meios de disseminação. O objetivo deste trabalho é estruturar um banco de dados com os dados conhecidos sobre a biologia e ecologia das espécies exóticas naturalizadas e invasoras no Brasil que nos permita analisar as características que propiciam que espécies exóticas se tornem invasoras em determinados ecossistemas. Para tanto, revisamos a literatura científica em busca de informações sobre as espécies e as estruturamos em um banco de dados para posterior análise.

Publicações oriundas do projeto:

Ziller SR, Zenni RD, Rosse VP; Bastos LS; Wong LJ, Pagad S. 2018. Global Register of Introduced and Invasive Species- Brazil. Global Biodiversity Information Facility (GBIF).

Zenni RD, Dechoum MdS, Ziller SR. 2016. Dez anos do informe brasileiro sobre espécies exóticas invasoras: avanços, lacunas e direções futuras. Biotemas 29:133-153.

Zenni RD. 2015. The naturalized flora of Brazil: a step towards identifying future invasive non-native species. Rodriguésia 66:1137-1144.

Zenni RD. 2014. Analysis of introduction history of invasive plants in Brazil reveals patterns of association between biogeographical origin and reason for introduction. Austral Ecology 39:401-407.

Zenni RD, Ziller SR. 2011. An overview of invasive plants in Brazil. Brazilian Journal of Botany 34:431-446.