Aspectos ecológicos, impacto e manejo de peixes introduzidas no sudeste brasileiro

As espécies exóticas invasoras podem causar inúmeras mudanças nos ecossistemas e, consequentemente, podem alterar seus processos, ameaçar a biodiversidade e provocar prejuízos socioeconômicos e de saúde pública. A introdução de peixes de água doce é um problema global e pode gerar graves impactos ecológicos. Estes impactos dependem do ambiente receptor e da espécie introduzida, e além disso, muitos impactos não são bem compreendidos tanto no meio científico quanto pela população em geral. Assim, o estudo e a definição dos reais impactos que estas espécies podem trazer aos ecossistemas são essenciais para a melhor comunicação entre o meio científico, gestores e população, possibilitando a implementação de programas de manejo efetivos. Portanto, o objetivo geral deste trabalho é compreender aspectos da ecologia das espécies exóticas de peixes introduzidas na região Sudeste do Brasil, bem como caracterizar seus impactos nos ecossistemas receptores. Deste modo, foi elaborada uma lista atualizada com essas espécies exóticas, seus status, categorias de impacto, tipo de introdução e continentes de origem. Além disso, espera-se entender quais fatores estão relacionados ao sucesso de invasão e aos impactos causados por introduções destes peixes e como as características físicas de riachos afetam a presença e abundância de uma espécie específica (Poecilia reticulata).

Projeto da doutoranda Marina Lopes Bueno