Perfil
 

Foto: Luís A. Santos (15/02/2007)


            

Fernando Zamith (1964, Luanda) é Doutorado em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais e Professor Auxiliar do Departamento de Jornalismo e Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP).

 

Frequentou a Escola Superior de Jornalismo, Porto, entre 1984 e 1988, com um interregno de 15 meses para cumprir o Serviço Militar Obrigatório. Em 1996, completou a Licenciatura em Comunicação Social na Universidade do Minho, onde, em 2007, concluiu o Mestrado em Ciências da Comunicação, com a tese “As potencialidades da Internet nos ciberjornais portugueses”. Em 2011, obteve o grau de Doutor em Informação e Comunicação em Plataformas Digitais, plano doutoral conjunto das Universidades de Aveiro e do Porto, ao defender na FLUP a tese "A contextualização no ciberjornalismo".

 

É docente na Licenciatura (desde 2002) e no Mestrado (desde 2009) em Ciências da Comunicação da Universidade do Porto, lecionando Jornalismo online/Ciberjornalismo, Jornalismo Comparado, Jornalismo Especializado e Comunicação Política.


Em 2014, foi eleito Presidente do Departamento de Jornalismo e Ciências da Comunicação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, com mandato de quatro anos.


De 1988 a 2011, foi jornalista da Agência Lusa, quase permanentemente na delegação do Porto, à exceção dos quatro meses em que frequentou em Lisboa um curso intensivo de Jornalismo de Agência (de setembro a dezembro de 1988) e dos dois anos (1996 e 1997) em que foi delegado da Lusa em Maputo, Moçambique. No início da carreira, foi ainda redator do jornal Vida Económica e da revista Metro e chefe de redação da revista Empresário.


É, desde 2005, colaborador/investigador do Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação (CETAC.MEDIA), integrando desde 2012 a Direção da unidade de investigação, a partir de 2014 como Coordenador Científico.

 

Fez parte da equipa fundadora do JPN – JornalismoPortoNet, ciberjornal da Licenciatura em Ciências da Comunicação da UPorto, e pertence, desde o seu lançamento, em 2004, à coordenação editorial, tendo desempenhado funções de coordenador geral até março de 2011.


Em 2006, integrou o Conselho Editorial da UPorto - Revista dos Antigos Alunos da Universidade do Porto.

 

Em 2008, fundou o Observatório do Ciberjornalismo (ObCiber), de que é coordenador, tendo integrado as Comissões Organizadora e Científica das quatro primeiras edições do Congresso Internacional de Ciberjornalismo (2008, 2010, 2012 e 2014), bem como o júri dos Prémios de Ciberjornalismo (2008-2014).

 

É autor dos livros “Vilar de Mouros: 35 Anos de Festivais” (2003, Edições Afrontamento), "Ciberjornalismo: As potencialidades da Internet nos sites noticiosos portugueses" (2008, Ed. Afrontamento/CETAC.MEDIA) e "A Contextualização no Ciberjornalismo" (2013, Ed. Afrontamento/CETAC.MEDIA), e de vários artigos publicados em livros e revistas científicas e apresentados em congressos de âmbito nacional, lusófono, iberoamericano e internacional sobre ciberjornalismo, jornalismo de agência, jornalismo alternativo, e blogues e jornalismo. É ainda coorganizador do livro "Ciberjornalismo, modelos de negócio e redes sociais" (2012, Ed. Afrontamento/CETAC.MEDIA).

 

Integrou a Comissão Promotora do I Encontro Nacional sobre Weblogs, realizado em setembro de 2003 na U.Minho, e foi coordenador da Comissão Organizadora do 3º Encontro Nacional e 1º Encontro Luso-Galaico sobre Weblogs, realizado em outubro de 2006 na U.Porto.

 

Foi, desde a sua fundação, em julho de 2006, membro da equipa do Nireblog, sistema multilingue de criação e alojamento de blogues, com a responsabilidade pela versão em Português.


Em 2002, criou o JornalismoPortoNet Weblog, um dos mais antigos blogues portugueses em atividade. No ano seguinte, criou os blogs A Tenda dos Índios e Vilar de Mouros.