Esquizofrenia (F20-F20.9)

CID 10
Classificação Internacional de Doenças
Inclui:Transtornos do Desenvolvimento Psicologico
Exclui: sintomas,sinais e outros achados clínicos e laboratoriais anormais
não classificados em outra parte (R00-R99)
 
 
Este Agrupamento Contem:
Esquizofrenia(F20-F20.9)
Transtornos Esquizotipo (F21)
Transtorno Delirante Persistente (F22)
 
Os Tópicos abaixo não é um link Ancora
Tecla Ctrl+F copie o tópico na caixa para resaltar o subtopico.
Vai abrir duas correspondência a 1° é o topico que você ver logo logo abaixo.
E o  2° e o subtopico com as subdivisões no corpo de texto.
Este Agrupamento Contem:
 
Esquizofrenia(F20-F20.9)
Transtornos Esquizotipo (F21)
Transtorno Delirante Persistente (F22)
F20 Esquizofrenia Introdução
F20.0 Esquizofrenia Paranôide
F20.1 Esquizofrenia Hebefrenica
F20.2 Esquizofrenia Catatônica
F20.3 Esquizofrenia Indiferênciada
F20.4 Depressão Pós-Esquizofrênica
F20.5 Esquizofrenia Residual
F20.6 Esquizofrenia Simples
F20.8 Outras Esquizofrenias
F21 Transtorno Esquizotípico
F22 Transtornos delirantes persistentes
F22.0 Transtorno delirante
F22.8 Outros transtornos delirantes
 
Esquizofrenia(F20-F20.9)
F20 Esquizofrenia Introdução -A esquizofrenia é uma doença mental grave que se caracteriza classicamente por uma conjunto de sintomas, entre os quais destacam-se as alterações do pensamento, alucinações (sobretudo auditivas), delírios e embotamento emocional com perda de contato com a realidade, podendo causar um desfuncionamento social crônico.

É hoje encarada não como uma doença única mas sim como um grupo de patologias, atingindo todas as classes sociais e grupos humanos. Atinge 1% da população mundial, manifestando-se habitualmente entre os 15 e os 25 anos, nos homens e nas mulheres, podendo também ocorrer na infância ou na meia-idade.

Os transtornos esquizofrênicos se caracteriza em geral por distorções fundamentais e características do pensamento e da percepção, e por afetos inapropriados ou embotados.

Usualmente mantém-se clara a consciência e a capacidade intelectual, embora certos déficits cognitivos possam evoluir no curso do tempo. Os fenômenos psicopatológicos mais importantes incluem o eco do pensamento, a imposição ou o roubo do pensamento, a divulgação do pensamento, a percepção delirante, ideias delirantes de controle, de influência ou de passividade, vozes alucinatórias que comentam ou discutem com o paciente na terceira pessoa, transtornos do pensamento e sintomas negativos.

A evolução dos transtornos esquizofrênicos pode ser contínua, episódica com ocorrência de um déficit progressivo ou estável, ou comportar um ou vários episódios seguidos de uma remissão completa ou incompleta. Não se deve fazer um diagnóstico de esquizofrenia quando o quadro clínico comporta sintomas depressivos ou maníacos no primeiro plano, a menos que se possa estabelecer sem equívoco que a ocorrência dos sintomas esquizofrênicos fosse anterior à dos transtornos afetivos.

Além disto, não se deve fazer um diagnóstico de esquizofrenia quando existe uma doença cerebral manifesta, intoxicação por droga ou abstinência de droga.

Os transtornos que se assemelham à esquizofrenia, mas que ocorrem no curso de uma epilepsia ou de outra afecção cerebral, devem ser codificados em F06.2

Os transtornos que se assemelham à esquizofrenia, mas que são induzidos por drogas psicoativas devem ser classificados em F10-F19 com quarto caractere comum .5

Exclui: esquizofrenia aguda (indiferenciada) (F23.2)· cíclica (F25.2) reação esquizofrênica (F23.2)

transtorno esquizo típico (F21)

F20.0 Esquizofrenia Paranôide -A esquizofrenia paranoide se caracteriza essencialmente pela presença de ideias delirantes relativamente estáveis, frequentemente de perseguição, em geral acompanhadas de alucinações, particularmente auditivas e de perturbações das percepções. As perturbações do afeto, da vontade, da linguagem e os sintomas catatônicos, estão ausentes, ou são relativamente discretos. Esquizofrenia parafrênica Exclui:estado paranoico de involução (F22.8)paranoia (F22.0)

F20.1 Esquizofrenia Hebefrenica Forma de esquizofrenia caracterizada pela presença proeminente de uma perturbação dos afetos; as ideias delirantes e as alucinações são fugazes e fragmentarias, o comportamento é irresponsável e imprevisível; existem frequentemente maneirismos. O afeto é superficial e inapropriado. O pensamento é desorganizado e o discurso incoerente. Há uma tendência ao isolamento social. Geralmente o prognóstico é desfavorável devido ao rápido desenvolvimento de sintomas "negativos", particularmente um embotamento do afeto e perda da volição. A hebefrenia deveria normalmente ser somente diagnosticada em adolescentes e em adultos jovens. Esquizofrenia desorganizada Hebefrênica.

F20.2 Esquizofrenia Catatônica A esquizofrenia catatônica é dominada por distúrbios psicomotores proeminentes que podem alternar entre extremos tais como hipercinesia e estupor, ou entre a obediência automática e o negativismo. Atitudes e posturas a que os pacientes foram compelidos a tomar podem ser mantidas por longos períodos. Um padrão marcante da afecção pode ser constituído por episódios de excitação violenta. O fenômeno catatônico pode estar combinado com um estado oniroide com alucinações cênicas vividas. Catalepsia Catatonia Esquizofrênica(o) Flexibilidade cérea Estupor catatônico.

F20.3 Esquizofrenia Indiferênciada -Afecções psicóticas que preenchem os critérios diagnósticos gerais para a esquizofrenia mas que não corresponde a nenhum dos subtipos incluídos em F20.0-F20.2, ou que exibam padrões de mais de um deles sem uma clara predominância de um conjunto particular de características diagnósticas. Esquizofrenia atípica Exclui:depressão pós-esquizofrênica (F20.4)esquizofrenia indiferenciada crônica (F20.5)transtorno psicótico agudo tipo esquizofrênico (F23.2)

F20.4 Depressão Pós-Esquizofrênica Episódio depressivo eventualmente prolongado que ocorre ao fim de uma afecção esquizofrênica. Ao menos alguns sintomas esquizofrênicos "positivos" ou "negativos" devem ainda estar presentes mas não dominam mais o quadro clínico. Este tipo de estado depressivo se acompanha de um maior risco de suicídio. Se o paciente não apresenta mais nenhum sintoma esquizofrênico, deve-se fazer um diagnóstico de episódio depressivo (F32.-). Se os sintomas esquizofrênicos ainda são aparentes e proeminentes, deve-se manter o diagnóstico da forma clínica apropriada da esquizofrenia (F20.0-.3).

F20.5 Esquizofrenia Residual -Estádio crônico da evolução de uma doença esquizofrênica, com uma progressão nítida de um estádio precoce para um estádio tardio, o qual se caracteriza pela presença persistente de sintomas "negativos" embora não forçosamente irreversíveis, tais como lentidão psicomotora; hipoatividade; embotamento afetivo; passividade e falta de iniciativa; pobreza da

quantidade e do conteúdo do discurso; pouca comunicação não-verbal (expressão facial, contato ocular, modulação da voz e gestos), falta de cuidados pessoais e desempenho social medíocre. Defeito esquizofrênico (Restzustand)Esquizofrenia indiferenciada crônica Estado esquizofrênico residual Restzustand (esquizofrênico)

F20.6 Esquizofrenia Simples -Transtorno caracterizado pela ocorrência insidiosa e progressiva de excentricidade de comportamento, incapacidade de responder às exigências da sociedade, e um declínio global do desempenho. Os padrões negativos característicos da esquizofrenia residual (por exemplo: embotamento do afeto e perda da volição) se desenvolvem sem serem precedidos por quaisquer sintomas psicóticos manifestos.

F20.8 Outras Esquizofrenias:

 
Ataque esquizofreniforme SOE;
Esquizofrenia cenestopática;
Psicose esquizofreniforme SOE.
Transtorno esquizofreniforme; SOE
Exclui:transtornos esquizofreniformes breves (F23.2
 
F20.9-Esquizofrenia não especificada.
 
Transtornos Esquizotipo (F21)
F21 Transtorno Esquizotípico -Transtorno caracterizado por um comportamento excêntrico e por anomalias do pensamento e do afeto que se assemelham àquelas da esquizofrenia, mas não há em nenhum momento da evolução qualquer anomalia esquizofrênica manifesta ou característica. A sintomatologia pode comportar um afeto frio ou inapropriado, anedonia; um comportamento estranho ou excêntrico; uma tendência ao retraimento social; ideias paranoides ou bizarras sem que se apresentem ideias delirantes autênticas; ruminações obsessivas; transtornos do curso do pensamento e perturbações das percepções; períodos transitórios ocasionais quase psicóticos com ilusões intensas, alucinações auditivas ou outras e ideias pseudo delirantes, ocorrendo em geral sem fator desencadeante exterior. O início do transtorno é difícil de determinar, e sua evolução corresponde em geral àquela de um transtorno da personalidade.

Esquizofrenia:
-“borderline”
-latente
pré-psicótica
-prodrômica
-pseudoneurótica
-pseudopsicopática
-Reação esquizofrênica latente
-Transtorno Esquizotípico da personalidade
 
Exclui:
-personalidade esquizoide (F60.1)
-síndrome de Asperger (F84.5)
Transtorno Delirante Persistente (F22)
F22 Transtornos delirantes persistentes -Esta categoria reúne transtornos diversos caracterizados única ou essencialmente pela presença de ideias delirantes persistentes e que não podem ser classificados entre os transtornos orgânicos, esquizofrênicos ou afetivos. Quando a duração de um transtorno delirante é inferior a poucos meses, este último deve ser classificado, ao menos temporariamente,em (F23)

F22.0 Transtorno delirante Transtorno caracterizado pela ocorrência de uma ideia delirante única ou de um conjunto de ideias delirantes aparentadas, em geral persistentes e que por vezes permanecem durante o resto da vida. O conteúdo da ideia ou das ideias delirantes é muito variável. A presença de alucinações auditivas (vozes) manifestas e persistentes, de sintomas esquizofrênicos tais como ideias delirantes de influência e um embotamento nítido dos afetos, e a evidência clara de uma afecção cerebral, são incompatíveis com o diagnóstico. Entretanto, a presença de alucinações auditivas ocorrendo de modo irregular ou transitório, particularmente em pessoas de idade avançada, não elimina este diagnóstico, sob condição de que não se trate de alucinações tipicamente esquizofrênicas e de que elas não dominem o quadro clínico.

Delírio sensitivo de auto-referência [Sensitive Beziehungswahn]

-Estado paranoico
-Parafrenia (tardia)
-Paranoia
-Psicose paranoica
Exclui:
-esquizofrenia paranoide (F20.0)
-personalidade paranoica (F60.0)
-psicose paranoide psicogênica (F23.3)

-reação paranoide.

F22.8 Outros transtornos delirantes persistentes -Transtornos nos quais a ideia ou as ideias delirante(s) são acompanhadas de alucinações auditivas persistentes tipo vozes, ou de sintomas esquizofrênicos que não satisfazem os critérios diagnósticos da esquizofrenia (F20.-).

Dismorfofobia delirante

-Estado paranoico de involução

-Paranoia querulans

F22.9 Transtorno delirante persistente não especificado