Prolactina

Hormônio Prolactina
(antagonista da testosterona)

"A secreção de prolactina pela hipófise é, normalmente, reprimida pela Dopamina presente no cérebro."

O desequilíbrio chama-se hiperprolactinemia

O aumento dos níveis de prolactina ocorrem quando há aumento de secreção deste hormônios em estruturas
chamadas lactotrófos, situados na região anterior da hipófise, glândula cerebral responsável pela secreção de
inúmeros hormônios, dentre eles a prolactina. A inibição da prolactina é por parte do hipotálamo. A dopamina
(apesar de não ser um peptídeo hipotalâmico) inibe fortemente a prolactina; tanto quando gerada no cérebro
 ou quando aplicada no tecido hipofisário.

   O aumento dos níveis de prolactina costumam causar vários sintomas clínicos, dentre eles, distúrbios
   menstruais, infertilidade e galactorréia (saída de leite pelos bico) na mulher, e por perda de libido e potência
   no homem.

Quando elevada impede a ação da Testosterona
A prolactina tem a capacidade de inibir a secreção do hormônio luteinizante (LH) e do folículo-estimulante (FSH)
pela hipófise, que são os hormônios que agem estimulando as gônadas (testículo e ovário). Com a diminuição
do LH e do FSH, e conseqüente deficiência dos hormônios sexuais, pode ocorrer diminuição do desejo sexual
(libido), impotência, infertilidade, menstruações irregulares (oligomenorréia) ou ausência de menstruação
(amenorréia). Denomina-se síndrome galacto-amenorréia o conjunto de sinais e sintomas decorrentes do aumento
nos níveis sangüíneos de prolactina

______________________________________________________________________________________________

Que sintomas pode apresentar a pessoa com prolactina elevada?

>>> Mulheres
Alterações no fluxo menstrual com diminuição ou cessação do fluxo menstrual, 
secreção de um líquido
leitoso pela mama 
(galactorréia) num período fora da gestação ou amamentação, infertilidade, abortos 
espontâneos recorrentes, ressecamento vaginal, dor ao ato sexual, redução da libido (diminuição do
apetite sexual)
enfraquecimento dos ossos com osteopenia e risco aumentado de osteoporose,
seborréia e hirsutismo
 ( pelos pelo rosto) moderado, dor de cabeça e alterações visuais

>>> Homens 

Os homens normalmente têm níveis baixos de prolactina, mas em algumas doenças eles podem estar
aumentados, tais como em um tipo de tumor benigno chamado prolactinoma
.
podem apresentar disfunção
erétil com diminuição do apetite sexual e 
 infertilidade (oligospermia e diminuição do volume ejaculado),
dor de cabeça e alterações visuais.
Pode também ocasionar ginecomastia (desenvolvimento excessivo
das mamas no homem), redução no crescimento de pêlos, hipotrofia muscular e aumento da gordura
abdominal.

Algumas vezes, o aumento da prolactina pode não manifestar nenhum sintoma. 

Em ambos os sexos - ganho de peso, ansiedade, depressão, fadiga, instabilidade emocional,
e irritabilidade

______________________________________________________________________________________________

Como acontece o aumento dos níveis de prolactina:

Em geral está alta quando existe tumor benigno da glândula hipófise no cérebro. A hiperprolactinemia
pode ser decorrente do uso de vários medicamentos, como antipsicóticos, antidepressivos, ansiolíticos,
anti-hipertensivos, anticoncepcionais, entre outros.

Causas de Aumento de Prolactina:

1 - Fisiológicas - O próprio organismo, por necessidade, aumenta a liberação de prolactina como
durante o sono, no stress físico e psicológico, durante a gravidez, durante a amamentação e no orgasmo
sexual;

2 - FarmacológicaEstimulada pelo uso de medicamentos - Qualquer droga que modifique a liberação
dadopamina, como explicado anteriormente, pode induzir a alterações na liberação de prolactina.

Como exemplo a seguir:

- Antipsicóticos : Clorpromazina, Perfenazina e Haloperidol;

- Antieméticos ou reguladores da motilidade gástrica : metoclopramida e domperidona;

- Antihipertensivos: Alfa Metil Dopa;

- Antagonistas H2 - cimetidina e ranitidina - Usados para o controle da secreção de ácido clorídrico no
estômago;

- Opióides - São estimuladores da secreção de dopamina;

- Antidepressivos : Imipramina e Fluoxetina;

- Estrógenos - Hormônios Sexuais como o informado.

3 - Patológica - Quando envolve alterações no bom funcionamento do organismo.

- Lesões do Hipotálamo ou da Haste Hipofisária - A dopamina, como explicado anteriormente, tem a
capacidade de inibição da secreção de prolactina. Quando há um comprometimento da ligação dela
com a hipófise, ou seja, a haste hipofisária, não há inibição da secreção de prolactina pela dopamina e
assim,hipófise secreta em demasia prolactina;

- Tumores secretores de Prolactina - Tumores do tipo Prolactinomas, são produtores de Prolactina;

- Demais lesões da hipófise – Massas tumorais que não estejam relacionadas com tumores secretores de
prolactina, também podem induzir o aumento da prolactina, pois eles comprimem a haste hipofisária e
portanto, diminuem a comunicação inibitória da dopamina ( conforme explicado anteriormente) e a hipófise.

- Demais Causas - Hipotiroidismo, síndrome dos ovários policísticos, estimulação periférica neurogênica, 
falência renal ou cirrose hepática.

______________________________________________________________________________________________

Tratamento do aumento de prolactina:

- Com medicamentos para com substâncias que aumentem os níveis de dopamaina – Lembre-se que a dopamina
regula a concentração de prolactina;

- Cirurgia para retirada da hipófise;

- Radioterapia 

Comments