A Melatonina

                    
            Além de induzir o sono, a Melatonina é um poderoso agente antioxidante que, como outros  antioxidantes, pode
            retardar o processo de envelhecimento.
            Como antioxidante a Melatonina possivelmente reduz o nível do hormônio catabólico 
cortisolExistem também
            evidencias de que a Melatonina estimula a produção de HGH - 
Hormônio do Crescimento.

            É um neuro-hormônio produzido pelas glândula pineal e, acredita-se, apresenta como principal função regular o sono. Esse hormônio
            é produzido a partir do momento em que fechamos os olhos. Na presença de luz, entretanto, é enviada uma mensagem neuro-endócrina
            bloqueando a sua formação, portanto, a secreção dessa substância é quase exclusivamente determinada por estruturas fotossensíveis, 
            principalmente a noite.
            A Melatonina é uma substância classificada como indolamina e tem como precursora a serotonina, um importante neurotransmissor.
            Especula-se que a as estruturas fotoreceptivas, da retina e da glândula pineal, produzem a Melatonina, modificando a via de síntese da
            serotonina através de uma enzima, a serotonina-N-acetiltransferase.

           
            A Melatonina circulante atuaria nos diversos sistemas do organismo preparando e 
induzindo o sono.               
            Ter uma boa noite de sono pode se tornar mais difícil com a idade.
            Estudos mostraram  que quase 1/3 de idosos relataram dificuldade em manter o sono e mais da 
metade relataram problemas  ao dormir.
            A profundidade e continuidade do sono muda com a idade 
porque há uma pequena porcentagem do sono gasta nos estágios mais profundos
            do sono não-REM, 
causando mais alertas e o despertar durante o sono freqüentes. O Próprio relógio biológico interno do corpo envolvido na
            produção da melatonina pode 
ser o obstáculo para uma boa noite de sono nos idosos

           
 Principal tarefa da melatonina no organismo é regular noite e de dia ou ciclos de sono-vigília ciclos. A escuridão faz com  que o organismo a
            produzir mais melatonina, que sinaliza o corpo para se preparar para dormir.
Luz diminui a produção de melatonina e sinaliza o corpo para se
            preparar para estar acordado.
Algumas pessoas que têm problemas para dormir têm baixos níveis de melatonina. Pensa-se que a adição de
            suplementos de melatonina pode ajudá-los a dormir.
           
            O declínio da produção de Melatonina pode ter várias causas, entre elas: 
            > desnutrição;
            > interação de drogas e medicamentos;
            > stress; (uma pessoa sob stress produz normalmente mais adrenalina e cortisol)
            > envelhecimento;         
            > Para termos um sono reparador é necessário que a Melatonina seja secretada adequadamente pela pineal e supõe-se que outras
               funções sejam exercidas pela Melatonina, tais como a de 
regulação térmica do organismo e alterações do comportamento sexual.

           Outras funções desempenhadas pela Melatonina: 
           > Tem influência significativa na velocidade de síntese e manutenção dos ossos em idosos;
           > É um 
agente de manutenção da harmonia e do funcionamento do Sistema Imunológico.

           Fontes Naturais:
           A melatonina existe em pequenas quantidades em frutos e vegetais como a cebola, a cereja e a banana, em cereais como o milho, a aveia e o
           arroz, em plantas aromáticas como a hortelã, a verbena, a salva e o
 tomilho, e no vinho tinto.

           Conseqüências do Declínio da Melatonina 
            Uma pessoa sob stress produz normalmente mais adrenalina e cortisol. Sabemos que para cada molécula  de adrenalina formada, quatro moléculas 
            de Radicais Livres irão ser produzidas e com isto a probabilidade de lesão nas células aumenta. Além disto a adrenalina e o cortisol induzem a 
            formação de uma enzima "a Triptofano pirolase" capaz de destruir o Triptofano antes que este atinja a Glândula Pineal. Com isto, nem a Melatonina
            é fabricada e nem a Serotonina (o que pode gerar compulsão a hidrato de carbono, com tendência a aumento de peso e depressão)
            A Melatonina é uma substância anti-radical livre, portanto, antioxidante.

            Ela é capaz de atravessar a 
barreira hematoencefálica (membrana que protege o cérebro), portanto, capaz de desempenhar funções à nível neuronal.
            Essa ação é de fundamental importância na proteção dos neurônios contra as lesões dos radicais livres. Nosso tecido cerebral é muito mais suscetível
            à ação dos radicais livres que qualquer outra parte do nosso
organismo e na medida em que os níveis de Melatonina vão caindo pode haver um
            concomitante declínio na 
função cerebral.

             As desordens do sono podem ser também um dos efeitos do decréscimo da Melatonina. Com o envelhecimento a glândula pineal funcionaria menos e
             haveria uma queda na produção da Melatonina. Isso acaba fazendo com que 
alguns pacientes idosos reclamem da qualidade do sono ou de insônia,
             porém, pode ser que durmam com facilidade 
quando não deveriam, durante o dia, assistindo televisão, etc.
                
             Influência no Sistema Imunológico
          
  Na medida em que envelhecemos nosso Sistema Imunológico vai perdendo o desempenho vigilante, diminuindo 
as defesas e permitindo que nosso
             organismo fique mais vulnerável às constantes agressões. 
             As pesquisas atuais têm nos sugerido haver uma importante relação entre alguns hormônios:
             >>> Estrogênio;
             >>> Testosterona;
             >>>  DHEA;
             >>>  Melatonina; 
             >>> Pregnenolona
             >>> HGH - Hormônio do Crescimento
             >>> e o Sistema Imunológico  - nesse ponto a Melatonina vem se destacando como um agente de manutenção da harmonia e do funcionamento do
                    Sistema Imunológico. Ela parece ser capaz de aumentar a mobilidade e atividade das células de defesa, fortalecer a formação dos anticorpos,
                    facilitar a defesa contra os vírus, moderar a superprodução de corticóides gerados pelo stress  prolongado ou repetitivo e equilibrar a função 
                    tireoideana, a qual atua diretamente na produção de importantíssimas células de defesa, os linfócitos T.                           

             Produção e Ação
             Assim como acontece com a serotonina, a Melatonina também é produzida a partir de um aminoácido chamado Triptofano, normalmente ingerido
             numa alimentação equilibrada. Dessa forma a seqüência seria o Triptofano se transformar em Serotonina, e esta em Melatonina. É por isso que a
             concentração de Serotonina fica aumentada na glândula pineal durante o dia, enquanto há luz, inversamente ao que ocorre com a  Melatonina.
             Como vimos, a produção da Melatonina esta diretamente ligada à presença da luz. Quando a luz incide na retina o nervo óptico e as demais conexões
             neuronais levam até a glândula pineal essas informações inibindo a produção da Melatonina. A maior produção da Melatonina ocorre à noite,
             entre 2:00 e 3:00 horas da manhã,  num ritmo de vida normal, e esta produção aumentada produz sono.
        
   
             Durante o sono normal, onde grande parte da energia e do equilíbrio orgânico se restabelece, além da adequada produção de Melatonina outros

             fenômenos concomitantes acontecem e dentre eles podemos citar:
             > Diminuição significativa da produção de cortisol e de adrenalina

             > Restauração das moléculas de DNA lesada  
             > Bloqueio dos canais de cálcio

       A Melatonina apresenta o seu pico máximo de produção aos 3 anos de idade, e declina de forma importante entre os 60 e 70 anos o que
            faz com que o idoso tenha um sono de má qualidade
.
           
            Aos 60 anos temos metade da quantidade de Melatonina que tínhamos aos 20 e por volta dos 70 os níves são baixíssimos em muitas pessoas, quase nulos.

CONCENTRAÇÃO DE MELATONINA NO SANGUE EM ng/ml

 Idade

Diurno

Noturno

 PRÉ-PUBERDADE

21,8

97,2

 ADULTA

18,2

77,2

 SENIL

16,2

36,2

 Concentração de melatonina no sangue nas diferentes fases da vida, em homens chineses. Observa-se importante diferença entre a produção noturna e diurna e as variações de produção noturna entre o grupo da Pré-puberdade, da fase Adulta e da Senil.

 

       A Melatonina também pode ser secretada, causando sonolência e relaxamento, quando:
            > se faz uma refeição muito rica em carboidratos;
            > se toma um banho quente prolongado
            > há exposição do sol.


        
  A Glândula Pineal
          Nos animais a glândula pineal determina muito do comportamento sazonal, de acordo com as estações climáticas. Graças a essa atividade
          pineal eles migram no inverno, hibernam, se acasalam, enfim 
mantém comportamentos típicos que se repetem a cada ano. O funcionamento da
          pineal é importante para que 
o corpo se mantenha adaptado às condições de necessidade, como por exemplo atividades durante o dia e repouso
          durante a noite.

             A Melatonina é o mais importante hormônio produzido pela nossa glândula pineal, uma pequeníssima glândula existente no cérebro, situada
             aproximadamente atrás da região dos olhos, responsável pelo controle do ritmo de harmonia entre o dia e a noite, a luz e o escuro.
             Nas crianças a glândula pineal é muito pequena e sua secreção de Melatonina não está regularizada. Talvez seja esta uma das explicações sobre
             o sono imprevisível das crianças. A melhor produção da Melatonina se dá na adolescência e no adulto jovem, começando a decair após os trinta ou
             quarenta anos e na idade de setenta ou oitenta anos a secreção do hormônio está severamente diminuída. 
Recentes estudos demonstraram que os níveis de
             Melatonina são maiores na mulher, tornando-a mais sensível 
às mudanças sazonais da luz que os homens. No outono e inverno, a mulher está mais exposta 
             os distúrbios 
sazonais psíquicos, ganho de peso, do que no verão. Porém o suplemento hormonal tanto no homem quanto na mulher é igual: decresce e
             torna-se semelhante em perdas lá pela mesma idade.

            USO CLÍNICO DE MELATONINA
            No contexto clínico, tem sido utilizada nos distúrbios do ritmo biológico, alterações relacionadas ao sono e o câncer. Ela possui vários e significativos efeitos
            biológicos.
            Foi lançada no mercado em 1993. Na área de distúrbios do sono, a melatonina tem se mostrado eficaz no tratamento de uma condição denominada síndrome
            da fase do sono retardada e na correção de alterações do ritmo circadiano ligados a mudanças de fuso horário e pelo trabalho.
            Os pesquisadores estudaram os efeitos anti-câncer da melatonina, que parece funcionar em conjunto com a vitamina B6 e o zinco, opondo-se à degradação do
            sistema imunológico proporcionada pelo envelhecimento. Um trabalho recente descreve a utilização da melatonina no tratamento dos distúrbios do sono em
            crianças hiperativas e com comprometimento neurológico: pequenas doses noturnas corrigem as alterações do sono, e os investigadores observaram uma
            melhora no humor e um posicionamento social favorável e mais estável em crianças que receberam melatonina.
            A melatonina também pareceu promissora no tratamento de problemas femininos, como a osteoporose, a síndrome pré-menstrual, e até mesmo
            o controle da natalidade. Por se tratar de um dos principais hormônios anti-estresse, participa ainda das funções adaptativas e estimulantes.

            ANTI-OXIDANTE
            A melatonina funciona como um protetor das células, agindo também como um antioxidante.
            Vejamos: ao metabolizar o oxigênio, o organismo produz moléculas altamente reativas, chamadas radicais ivres que atuam de forma lesiva nas membranas
            celulares e até no DNA (ácido desoxirribonucleico). 
            Este processo, denominado oxidação, pode comprometer seriamente a saúde, causando dezenas de moléstias, como o câncer, doenças cardíacas e até mal
            de Alzheimer e outras doenças degenerativas. Mas, além da melatonina, o organismo também produz vários outros antioxidantes, como as enzimas.
            Diversos nutrientes ( como por exemplo, as vitaminas C, E, o betacaroteno e o selênio) funcionam como um reforço extra da natureza, ingeridos pela alimentação,
            com adição de frutas e legumes ou através dos suplementos.
            Na intenção de regular o sono muitas drogas têm sido usadas, mas com efeitos colaterais danosos, além de causarem dependência e roubo da memória. Mas
            os pesquisadores ainda não encontraram qualquer problema com a melatonina como regulador do sono. Ao contrário, apenas benefícios.
 
            MELATONINA E OS OSSOS
            A quantidade de melatonina diminui conforme a idade e que o desgaste dos ossos, que leva à osteoporose, é uma  conseqüência inevitável do envelhecimento,  
            especialmente entre mulheres. 
            Receptores para melatonina estão acoplados à adenilciclase, enzima responsável pela formação do AMP cíclico, que inibe a diferenciação dos pré-osteoblastos.
            Acredita-se que a melatonina tenha a habilidade de inibir a  ação do AMP cíclico e, conseqüentemente, desencadear a diferenciação celular. A melatonina
            também aumentou a expressão da sialoproteína óssea (em inglês, BSP), bem como outras proteínas da matriz.      
         


_________________________________________________________________________________________________

USO

As pessoas usam melatonina para regular o relógio interno do corpo. É utilizado para o jet lag, para ajustar o sono -vigília
ciclos em pessoas cuja diária mudanças na escala de trabalho (turno de trabalho-doença), e para ajudar as pessoas cegas a
estabelecer um ciclo de dia e noite.

A melatonina também é usado para a incapacidade de adormecer (insónia); síndrome da fase atrasada do sono (SAFS), insônia
associada com déficit de atenção e hiperatividade (TDAH); insônia devido a certas pressão arterial elevada medicamentos chamados
beta-bloqueadores, e problemas de sono em crianças com transtornos do desenvolvimento, incluindo autismo , paralisia cerebral e
retardo mental. É também utilizado como um auxiliar de sono após a descontinuação do uso de drogas benzodiazepina e para reduzir
os efeitos colaterais de parar de fumar .

Algumas pessoas usam melatonina para a doença de Alzheimer, zumbido nos ouvidos, depressão e fadiga crônica síndrome (CFS),
fibromialgia , enxaqueca e outras dores de cabeça , síndrome do intestino irritável (SII), a perda óssea ( osteoporose ), um distúrbio de
movimento chamado discinesia tardia (DT ), epilepsia , como um agente anti-envelhecimento, para a menopausa , e para controlo da natalidade .

Outros usos incluem o câncer de mama , câncer cerebral , câncer de pulmão , câncer de próstata , cabeça de câncer , o câncer de pescoço 
e câncer gastrointestinal. A melatonina é também utilizado para alguns dos efeitos secundários do tratamento do cancro (quimioterapia), incluindo 
perda de peso , a dor do nervo , fraqueza e um número reduzido de células formadoras de coágulo ( trombocitopenia ).

________________________________________________________________________________________________________________________

O tratamento dos distúrbios do sono 
Tomar L-triptofano pode diminuir a quantidade de tempo que leva para cair no sono e melhorar o humor em pessoas saudáveis ​​com problemas para
dormir. Há também algumas evidências de que tomar L-triptofano pode diminuir episódios em algumas pessoas que, periodicamente, parar de respirar
durante o sono (apnéia do sono).
Depois de absorção de L-triptofano a partir de alimentos, os nossos corpos convertê-lo para o 5-HTP (5-hyrdoxytryptophan) e, em seguida à serotonina.
A serotonina é um hormônio que transmite sinais entre as células nervosas. Ele também faz os vasos sanguíneos para diminuir. As alterações no nível
de serotonina no cérebro pode alterar o humor.

_________________________________________________________________________________
EFICÁCIA

Provavelmente eficaz para:

  • Problemas de sono em crianças com autismo e retardo mental. Tomar melatonina por via oral é útil para distúrbios de sono-vigília
    ciclos em crianças e adolescentes com retardo mental, autismo e outras centrais do sistema nervoso transtornos. A melatonina
    também parece encurtar o tempo que leva para as crianças com deficiências de desenvolvimento (paralisia cerebral, autismo e retardo
    mental) para adormecer.
  • Os distúrbios do sono em pessoas cegas.

Possivelmente eficaz para:

  • Jet lag. A maioria das pesquisas mostra que a melatonina pode melhorar certos sintomas de jet lag, tais como atenção e coordenação do movimento. A melatonina também parece melhorar, em menor extensão, os sintomas de jacto outros lag tais como sonolência diurna e cansaço. Mas, a melatonina pode não ser eficaz para encurtar o tempo que leva para as pessoas com jet lag para adormecer.
  • Problemas para dormir (insônia). A melatonina parece ser capaz de reduzir a quantidade de tempo que demora a adormecer, mas apenas por cerca de 12 minutos, de acordo com um estudo de investigação. A melatonina não parece melhorar significativamente "a eficiência do sono," a percentagem de tempo que uma pessoa realmente passa dormindo durante o tempo reservado para dormir. Algumas pessoas dizem que a melatonina faz dormir melhor, embora os testes não concordo. Há alguma evidência de que a melatonina é mais provável para ajudar as pessoas mais velhas do que as pessoas mais jovens ou crianças. Isso pode ser porque as pessoas mais velhas têm menos melatonina em seus corpos para começar.
    Há algum interesse em descobrir se a melatonina pode ajudar com isso é problemas para dormir que está relacionado a outras condições como a doença de Alzheimer "insônia secundária"., Depressão, esquizofrenia , internação, e "síndrome da UTI", distúrbios do sono em cuidados intensivos unidade. Investigação até à data sugere que a melatonina não pode ajudar a reduzir o tempo que demora a adormecer na insônia secundária, mas pode melhorar a eficiência do sono.
  • Cefaléia em salvas. Tomar 10 mg de melatonina pela boca toda noite pode reduzir o número de cefaléia em salvas. No entanto, tendo 2 mg de melatonina ao deitar, não parecem funcionar.
  • Reduzir a ansiedade antes da cirurgia. Melatonina utilizado debaixo da língua parece ser tão eficaz na redução da ansiedade antes da cirurgia, como o midazolam, um medicamento convencional. Ele também parece ter menos efeitos colaterais em algumas pessoas.
  • Ajudar as pessoas idosas dormem depois que parar de tomar um tipo de droga chamado benzodiazepinas. A forma de libertação controlada de melatonina é do tipo que foi mostrado para trabalhar para isso.
  • Ajudar os sintomas diminuem em pessoas que estão parando de fumar. Uma única dose oral de 0,3 mg de melatonina tomado 3,5 horas após a parada cigarros parece reduzir a ansiedade, inquietação, irritabilidade, depressão e fissura pelo cigarro nos próximos 10 horas.
  • Baixos de plaquetas (trombocitopenia).
  • Melhorar a eficácia de medicamentos para o cancro certos usados ​​para combater os tumores da mama, pulmão, rim, fígado, pâncreas, estômago, cólon, próstata, e diminuindo alguns efeitos colaterais do tratamento do cancro.
  • Sintomas decrescentes de um distúrbio do movimento chamado discinesia tardia (DT).
  • Diminuindo queimadura solar quando aplicado à pele de uma forma de creme, antes de ir para o sol.

Possivelmente ineficaz para:

  • Ajustando horário de sono em pessoas que fazem o trabalho por turnos.

Provavelmente ineficaz para:

  • Depressão. Há também alguma preocupação de que a melatonina pode agravar os sintomas em algumas pessoas.

Provas suficientes para:

  • Epilepsia. Existe alguma evidência de que a melatonina ao deitar pode reduzir o número eo comprimento de convulsões em crianças com epilepsia. Mas a melatonina deve ser usado com cautela, porque a melatonina pode aumentar o número de apreensões em algumas pessoas.
  • Sintomas da menopausa. A pesquisa limitada sugere que a melatonina não aliviar os sintomas da menopausa. No entanto, a melatonina em combinação com as isoflavonas de soja pode ajudar sintomas psicológicos associados com a menopausa.
  • Problemas de sono associados com déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). A pesquisa limitada sugere a melatonina pode melhorar insônia em crianças com TDAH que estejam a tomar estimulantes. Mas o sono melhora não parece diminuir os sintomas de TDAH.
  • Enxaqueca. Há algumas evidências de que tomar melatonina noturno antes de dormir pode evitar dor de cabeça da enxaqueca episódica. Quando dores de cabeça ocorrem, eles são mais leves e passar mais rapidamente. Algumas pesquisas sugerem que a produção de melatonina pode ser alterado em pessoas com enxaqueca.
  • Insônia causada por medicamentos usados ​​para a pressão arterial elevada (beta-bloqueadores).
  • Dor de cabeça caracterizada por dor aguda súbita (idiopática dor de cabeça stabbing).
  • Zumbido nos ouvidos (zumbido).
  • Síndrome da fadiga crônica (SFC).
  • A osteoporose.
  • Síndrome do intestino irritável (SII).
  • O controle da natalidade.
  • Fibromialgia.
  • Envelhecimento.
_________________________________________________
INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

Interação Maior  - Não tome esta combinação

  • Sedativos (depressores do SNC) interage com melatonina

    A melatonina pode causar sonolência e torpor. Medicamentos que causam sonolência são chamados de sedativos. Tomar melatonina, juntamente
    com medicamentos sedativos podem causar sonolência muito.
    Algumas medicações sedativas incluem clonazepam (Klonopin), lorazepam (Ativan), fenobarbital (Donnatal), zolpidem (Ambien), e outros.


Interação moderada - Seja cauteloso com esta combinação

  • As pílulas anticoncepcionais (pílulas anticoncepcionais) interage com melatonina

    O corpo produz melatonina. As pílulas anticoncepcionais parecem aumentar a quantidade de melatonina que o corpo faz. Tomando melatonina
    juntamente com pílulas anticoncepcionais pode causar a melatonina demais para ser no corpo.
    Algumas pílulas anticoncepcionais incluem etinilestradiol e levonorgestrel (Triphasil), etinilestradiol e noretindrona (Ortho-Novum 1/35, Ortho-Novum
    7/7/7), e outros.

  • A cafeína interage com melatonina

    A cafeína pode diminuir os níveis de melatonina no organismo. Tomar melatonina, juntamente com a cafeína pode diminuir a eficácia de suplementos
    de melatonina.

  • A fluvoxamina (Luvox) interage com melatonina

    Tomar fluvoxamina (Luvox) pode aumentar a quantidade de melatonina que o corpo absorve. Tomar melatonina juntamente com fluvoxamina (Luvox)
    pode aumentar os efeitos e os efeitos colaterais da melatonina.

  • Remédios para diabetes (hipoglicemiantes orais) interage com melatonina

    A melatonina pode aumentar o açúcar no sangue. Medicamentos para diabetes são usados ​​para reduzir o açúcar no sangue. Ao aumentar o açúcar
    no sangue, a melatonina pode diminuir a eficácia de medicamentos para diabetes. Monitore seu açúcar no sangue de perto. A dose do seu medicamento
    para diabetes pode precisar de ser mudado.
    Alguns medicamentos usados ​​para diabetes incluem a glimepirida (Amaryl), glibenclamida (Diabeta, Glynase PresTab, Micronase), insulina, pioglitazona
    (Actos), a rosiglitazona (Avandia), clorpropamida (Diabinese), glipizida (Glucotrol), tolbutamida (Orinase) e outros .

  • Os medicamentos que diminuem o sistema imunitário (imunossupressores) interage com melatonina

    A melatonina pode aumentar o sistema imunitário. Tomando melatonina, juntamente com os medicamentos que diminuem o sistema imunitário pode
    diminuir a eficácia de medicamentos que diminuem o sistema imunitário.
    Alguns medicamentos que diminuem o sistema imunológico incluem a azatioprina (Imuran), basiliximab (Simulect), ciclosporina (Neoral, Sandimmune),
    daclizumab (Zenapax), muromonab-CD3 (OKT3, Orthoclone OKT3), micofenolato (CellCept), tacrolimus (FK506, Prograf ), sirolimus (Rapamune),
    prednisona (Deltasone, Orasone), corticosteróides (glicocorticóides), e outros.

  • Medicamentos que o sangue lento coagulação (anticoagulantes / antiplaquetários drogas) interage com melatonina

    A melatonina pode retardar a coagulação sanguínea. Tomar melatonina, juntamente com medicamentos que também retardar a coagulação pode
    aumentar as chances de hematomas e sangramento.
    Alguns medicamentos que incluem a coagulação do sangue lento aspirina, clopidogrel (Plavix), diclofenac (Voltaren, Cataflam, outros), ibuprofeno
    (Advil, Motrin, outros), naproxeno (Anaprox, Naprosyn, outros), a dalteparina (Fragmin), enoxaparina (Lovenox) , heparina, warfarin (Coumadin) e outros.

  • A nifedipina GITS (Procardia XL) interage com melatonina

    A nifedipina GITS (Procardia XL) é usado para reduzir a pressão arterial. Tomando a melatonina pode diminuir a eficácia da nifedipina GITS para redução
    da pressão arterial.

  • Sedativos (benzodiazepinas) interage com melatonina

    A melatonina pode causar sonolência e torpor. Medicamentos que causam sonolência e sonolência são chamados de sedativos. Tomar melatonina,
    juntamente com medicamentos sedativos podem causar sonolência muito.
    Alguns destes medicamentos sedativos incluem clonazepam (Klonopin), diazepam (Valium), lorazepam (Ativan), e outros.

  • Verapamil (Calan, Covera, Isoptin, Verelan) interage com melatonina

    O corpo decompõe melatonina para se livrar dele. Verapamil (Calan, Covera, Isoptin, Verelan) pode aumentar a rapidez com que o corpo se livrar de
    melatonina. Tomar melatonina junto com verapamil (Calan, Covera, Isoptin, Verelan) pode diminuir a eficácia da melatonina.


Interação Menor Esteja atento com esta combinação

  • Flumazenil (Romazicon) interage com melatonina

    Flumazenil (Romazicon) pode diminuir os efeitos da melatonina. Ainda não está claro por que essa interação ocorre ainda. Tomando flumazenil (Romazicon),
    juntamente com a melatonina pode diminuir a eficácia de suplementos de melatonina.

    _____________________________________________________________

    SEGURANCA DO USO..........LEIA COM ATENÇÃO

    A melatonina é provavelmente segura para a maioria dos adultos, quando tomado por via oral a curto prazo ou aplicado sobre a pele. Ela pode causar alguns efeitos colaterais, incluindo dores de cabeça, a curto prazo sentimentos de depressão, sonolência diurna, tonturas, cólicas e irritabilidade. Não conduzir ou utilizar máquinas durante quatro a cinco horas depois de tomar melatonina.

    Precauções especiais e avisos:

    Gravidez e amamentação: A Melatonina é possivelmente insegura durante a gravidez. Não usá-lo. A melatonina pode também interferir com a ovulação, tornando mais difícil engravidar.
    Não se sabe o suficiente sobre a segurança da utilização de melatonina durante a amamentação. É melhor não usá-lo.

    Crianças: A melatonina não deve ser usado na maioria das crianças. É possivelmente insegura. Por causa de seus efeitos sobre outros hormônios, a melatonina pode interferir com o desenvolvimento durante a adolescência.

    A pressão arterial elevada: A melatonina pode aumentar a pressão arterial em pessoas que estão a tomar certos medicamentos para controlar a pressão arterial. Evite usá-lo.

    Diabetes: A melatonina pode aumentar o açúcar no sangue em pessoas com diabetes. Monitore seu açúcar no sangue, se você tem diabetes e tomar melatonina.

    Depressão: A melatonina pode fazer sintomas de depressão pior.

    Transtornos convulsivos: Usando a melatonina pode aumentar o risco de ter uma convulsão.

    ______________________________________________________________________________________
    DOSAGEM MELATONINA

    As doses a seguir indicadas foram estudados em investigação científica:

    PELA BOCA:

    • Para insônia:
      • 0,3-5 mg ao deitar é uma dose típica.
      • Em crianças com insônia devido ao início do sono atrasado, a melatonina 5 mg às 6:00 AM diariamente.
      • Em crianças com transtornos de desenvolvimento (incluindo paralisia cerebral, autismo e retardo mental), a melatonina 5 mg às 8:00 AM diariamente. Ambas as preparações de libertação imediata e sustentada de liberação têm sido utilizados.
    • Para jet lag: 0,5-5 mg ao deitar é comumente tomada no dia da chegada ao destino, continuando por 2-5 dias. Doses baixas de 0,5-3 mg são muitas vezes utilizados para evitar as propriedades hipnóticas dos maiores doses mg de 4-5.
    • Para a discinesia tardia (DT): 10 mg por dia de uma formulação de liberação controlada.
    • Como o tratamento para tumores sólidos, em combinação com a terapia convencional: 10-50 mg juntamente com radioterapia, quimioterapia ou a
      interleucina 2 (IL-2). A melatonina é geralmente iniciado 7 dias antes do início da quimioterapia e continuou durante o curso do tratamento completo.
    • Para o tratamento de cancro da próstata que se espalhou a outros locais (cancro metastático) e é resistente a triptorelina utilizado sozinho: 20 mg tomados diariamente tem sido utilizado em combinação com 3,75 mg de triptorelina injectado no músculo, a cada 28 dias.
    • Para a prevenção e tratamento de abaixados coágulo de células formadoras (trombocitopenia) associados com a quimioterapia do cancro: 20 mg cada noite.
    • Para retirada de benzodiazepínicos em idosos com insônia: 2 mg de melatonina de liberação controlada tomado ao deitar, durante 6 semanas (a dose de benzodiazepínicos é reduzida de 50% durante a segunda semana, 75% durante as semanas 3 e 4, e parou durante as semanas 5 e 6 ) e continuou até 6 meses.
    • Para a prevenção da cefaléia em salvas: uma dose noturna de 10 mg.
    • Para reduzir a ansiedade antes da cirurgia em adultos: 0,05 mg / kg sob a língua.
    • Para reduzir os sintomas de abstinência de nicotina: 0,3 mg por via oral, 3,5 horas após parar de fumar.
              A cessação do tabagismo (ajudar as pessoas a parar de fumar). Tomando L-triptofano parece melhorar a eficácia do tratamento convencional
              para a cessação de fumar.


Comments