Pompéia


Viagens & Imagens, um guia fotográfico

Coberta por toneladas de cinzas e pedras-pomes causadas pela erupção do vulcão Vesúvio, em 79 DC, Pompéia ressurgiu, após séculos de sono, proporcionando uma rara oportunidade de se conhecer como era a vida em uma cidade romana há 2.000 anos.

Em meio a uma moderna cidade, a área da antiga Pompéia é um museu ao ar livre e sítio arqueológico onde escavações ainda estão em curso. A antiga cidade está a 45 minutos de trem de Nápoles. A exploração do local só pode ser feita a pé. Durante o dia, a região pode ser bastante quente, como pude constatar em minha viagem em Maio de 2006.

A distante silhueta do Vesúvio, que pode ser visualizada de quase toda Pompéia, é uma presença constante a nos lembrar que o destino da região pode mudar a qualquer momento.

Espalhadas pela cidade, podem-se encontrar ruínas de 2.000 anos de ricas moradias com obras de arte bem preservadas de artistas para sempre desconhecidos.

Uma das construções mais bem preservadas é o grande anfiteatro que abrigava mais de 20.000 pessoas.

O grande ginásio, um local utilizado para a prática de esportes, situa-se ao lado do grande anfiteatro e está também bem preservado.

 

Em locais mais isolados de Pompéia ainda é possível imaginar a cidade na antiguidade como se, a qualquer momento, um antigo morador fosse sair de uma das construções. As vias principais estão quase sempre tomadas por hordas de turistas.

 

O registro de imagens de qualidade em Pompéia é um desafio para o fotógrafo, devido às peculiaridades de iluminação das construções, à grande quantidade de turistas, calor demasiado e poeira. Estes desafios, contudo, não costumam desanimar o fotógrafo dedicado.