Paris (1)


Viagens & Imagens, um guia fotográfico.

Ao comentar com um amigo que em minha planejada viagem à Europa, desejava ir a Paris, ele me sugeriu que deixasse a cidade para o fim do roteiro. Ao perguntar a razão ele afirmou: "Porque não há nada que se compare a Paris..."

Do ponto de vista urbano, Paris é uma exposição viva composta por alguns dos mais impressionantes monumentos e marcos arquitetônicos da humanidade. Do ponto de vista cultural, há uma reunião ímpar, tanto em quantidade quanto em qualidade, de obras de arte de todas as épocas e manifestações culturais contemporâneas. Do ponto de vista histórico, há referências a cada esquina, desde evidências da ocupação romana até indicações de locais onde tombaram heróis da resistência francesa. Do ponto de vista gastronômico, há restaurantes e cafés de todos os tipos e preços que permitem ao visitante apreciar a especial culinária francesa. Realmente, pode ser que nada mesmo se compare a Paris... E, por que não dizer, essa foi a impressão deixada em Abril de 2005, na primeira vez que visitei a capital francesa.

Definir o que é imperdível em Paris é uma tarefa difícil. A quantidade de atrações a ver e experimentar é, geralmente, limitada ao tempo disponível pelo visitante. O serviço do metrô parisiense, que cobre toda a cidade, é excelente. Entretanto, tanto quanto possível, a exploração da região central de Paris, deve ser feita a pé.

Um passeio pela Ile de la Cité, leva-nos a dois monumentos arquitetônicos religiosos construídos na Idade Média. A catedral de Notre Dame (abaixo, à esquerda), um monumento arquitetônico grandioso de estilo gótico localizado junto ao rio Sena é um dos símbolos de Paris e da França. A Sainte-Chapelle (abaixo à direita), é uma jóia arquitetônica da idade média, com notáveis vitrais representando passagens do antigo e novo testamento.

 
 
 
 
No Quartier Latin, é obrigatória uma visita ao Jardim de Luxemburgo que, nos dias de sol, fica repleto de estudantes da vizinha Universidade de Sorbone. Bem próximo, encontra-se o Pantheon, um grandioso monumento onde estão localizados os túmulos de várias personalidades da história da França.
 

O Museu do Louvre contém, nos seus quilômetros de galerias, uma coleção inestimável de tesouros artísticos e artefatos de civilizações de todas as épocas da história humana. A pirâmide de vidro e um complexo subterrâneo construído no século XX atraem a atenção por seu contraste com o estilo arquitetônico do museu. O Museu d'Orsay reúne principalmente obras de artistas franceses da segunda metade do século XIX e início do século XX, e contém uma extensiva coleção de obras primas do impressionismo. 

 
 
 
 
 
 
 
Les Invalides é um complexo de construções com monumentos e museus, originalmente construídos como um hospital para veteranos de guerra. Lá encontra-se o túmulo de Napoleão, numa cripta especialmente construída e localizada sob o domo dourado. Bem próximo encontra-se o Museu Rodin, em meio a um jardim com várias obras do famoso escultor.

 
 
 
 
 
 
 
 
Um dos passeios obrigatórios é trilhar, de preferência a pé, o grande eixo que vai do Museu do Louvre até o Arco do Triunfo. Começando pelo Louvre, passando pelo Arco do Carrossel, Jardim de Tuileries, Praça da Concórdia onde se situa o Obelisco de Luxor, Avenida de Champs Elysees até o Arco do Triunfo. 

 
 
 
 
 
 
 
O grande eixo vai, na verdade, até o Grande Arco de La Defense, num bairro moderno de Paris. Para quem se cansar e desejar abreviar o passeio há uma linha de metrô que corre ao longo do grande eixo.
 
 
 
 
 
 
No alto da colina de Montmartre situa-se a grandiosa Basílica de Sacre Coeur, onde se pode avistar boa parte da cidade de Paris. Próximo à basilica, localiza-se a Praça de Tertre onde se concentram pintores populares e onde você pode ter seu próprio retrato pintado na hora. 

Um dia inteiro deve ser dedicado a uma vista ao Palácio de Versailles, a 17 km do centro de Paris, residência da realeza francesa até a revolução de 1789, situado em meio a um gigantesco jardim que se perde no horizonte. 


 
Uma visita à cidade não estaria completa sem uma visita à Torre Eiffel. Vale qualquer esforço, como enfrentar as longas filas, para subir ao topo do monumento e ter uma vista de 360 graus de toda a cidade. A vista da torre a partir do Palácio de Chaillot no Trocadero é privilegiada, especialmente para observar a iluminação noturna e o espetáculo multicolorido de flashes a cada hora cheia. 

 

 

Paris é talvez a mais fotogênica cidade do mundo e, portanto, uma fonte inesgotável de assuntos para todos os tipos de fotógrafos, e não só para os mais experientes.