JOSÉ RODRIGUES (J.R.)

(1910-____)


< voltar  

Biografia

Autor da versão do hino 001 da Harpa Cristã "Chuvas de Graça" (dentre outros), o pastor José Rodrigues, de 97 anos, um dos pioneiros da Assembléia de Deus, amigo de Daniel Berg e Gunnar Vingren – fundadores da Assembléia de Deus – José Rodrigues, mais conhecido como J.R. ou “Jotinha”, é o único da 1ª geração da AD que permanece vivo.

Nasceu em Cafarnaum da Galiléia, Israel, em 24 de junho de 1910, no mesmo ano que se iniciava a Igreja Evangélica Assembléia de Deus. Em 1911 seus pais vieram refugiados para o Brasil. Seu nome de origem é Josefus Rerullu.

Autor de diversos corinhos cantados na AD, como o “Eu quero ser senhor amado como um vaso na mão do oleiro...”, que compôs em 1950, muitos hinos da harpa cristã também levam as iniciais J.R. 01, 05, 08, 84, 96, além de outros.

Dentre os hinos de sua autoria, J.R. afirma que o mais cantado é o número 1 da Harpa Cristã Chuvas de Graça. “Todos foram escritos em momentos marcantes da minha vida, mas o 01 é o mais lembrado. Esse hino até os ímpios cantam”. J.R. explicou ainda o segredo que faz os hinos da harpa, apesar de muito antigos, sobreviverem às inovações. “Os hinos avulsos vêm e passam, mas os clássicos da harpa cristã permanecerão até a eternidade. Foi Deus quem inspirou os autores que compuseram em constante oração”.

O Pastor José Rodrigues é uma prova viva da obra que Deus tem realizado ao longo da história e um rico patrimônio da Assembléia de Deus que vai ficar marcado na memória de todos. Um comentário do pastor chama a atenção: não se casou e nunca teve sequer namorada.

Uma vida de inteira dedicação à obra de Deus!

Hinos que traduziu ou adaptou:

001-Chuvas de Graça
005-Ó desce fogo santo
008-Cristo, o fiel amigo
084-O grande "Eu sou"
096-Deixa penetrar a luz


Testemunho

Em 1932, J.R. e um grupo de irmãos passaram por uma experiência inusitada. Enquanto caminhavam pelo sertão de Pernambuco para evangelizar os vilarejos, sem alimento adequado há dias, foram surpreendidos por um bando de cangaceiros que lhes indagaram quem eram e para onde iam. J.R. disse que iriam evangelizar vilarejos. O cangaceiro perguntou se eram eles os missionários da “nova seita” que pregavam o bem, o que foi confirmado.

No mesmo instante o cangaceiro mandou seus capangas retirarem da bagagem farinha de mandioca, rapadura e carne seca e oferecer aos missionários itinerantes. Após orarem agradecendo a Deus pela provisão de alimentos, pregaram o evangelho. Perguntaram ao cangaceiro seu nome e tiveram uma resposta imprevista: “Virgolino Ferreira da Silva – mais conhecido como Lampião” - bando que atuou no sertão nordestino por 20 anos.

Deus usou até o cangaceiro para alimentar seus servos na jornada missionária pelo Brasil!

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Recentemente foi publicada uma NOTA DE ESCLARECIMENTO, pelo site
http://dicionariomovimentopentecostal.blogspot.com, onde levanta dúvidas com relação à autencidade das declarações do pastor "Jotinha", que tem 97 anos de idade, com relação à autoria das letras dos hinos 1,5,8,84 e 96. Aqui está, resumidamente, a referida Nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE AUTORIA DOS HINOS DA HARPA CRISTÃ, DE JOSÉ RODRIGUES, INICIAIS J.R., A PROPÓSITO DAS AFIRMAÇÕES DO “PASTOR JOTINHA”

O nome “José Rodrigues” aparece mencionado em duas edições do extinto jornal Boa Semente (publicado pela Assembléia de Deus de Belém do Pará, de 1919 a 1930).

Na edição de 16 de abril de 1919, o pastor Gunnar Vingren, diretor do Boa Semente, no Expediente, página 1, faz um pedido de oração aos leitores para um irmão chamado “José Rodrigues” nas seguintes palavras:

"Orem pelo nosso amado irmão José Rodrigues, nosso auxiliar para que o Senhor lhe dê graça, força e saúde, para que ele continue a dar-nos tão importante auxílio como o que nos vem prestando."

Nesta mesma edição de 1919, foi publicado um hino sob o título “Victoria do Crente”. Abaixo do título aparece, entre parênteses, “Musica: Psalmos e Hymnos, n° 401”. Após a última estrofe, aparecem as informações “Pará-1919” e “José Rodrigues”. A letra não é a mesma criada por Justus Nelson e que fora publicada há alguns anos no hinário Salmos e Hinos, mas por meio da informação citada abaixo do título, obviamente, a música é a mesma do N° 401 do Salmos e Hinos, que, por sua vez, tinha a música do “Beulah Land” escrito pelo pastor norte-americano Edgar Page Stites em 1876. A menção “José Rodrigues” no final do texto dá-nos a entender que é o nome de quem criou a nova letra em português e intitulou o hino de “Victoria do Crente”. Esta letra é a mesma que aparece na 2ª edição da Harpa Cristã, publicada em 1923 e a mesma impressa nas atuais edições sob o título “O Grande ‘Eu Sou’ ”, N° 84, que o “Pastor Jotinha” afirma ser o autor.

Três meses após a essas duas menções do nome “José Rodrigues” no Boa Semente de abril, no Expediente da edição do mesmo jornal em 27 de julho de 1919, pastor Gunnar Vingren dá a notícia de que o irmão “José Rodrigues” para o qual ele havia pedido orações anteriormente, morrera no dia 2 de junho daquele ano. Eis a nota do jornal:

"Em nosso penúltimo número deste jornal pedimos as orações de todos os crentes em Jesus Cristo pelo nosso auxiliar, o irmão José Rodrigues, que o Senhor lhe desse graça, força e saúde para continuação de tão importante auxílio que nos vinha prestando. Mas aprovou a Deus tomar para si o nosso irmão, que dormiu alegre no Senhor no dia 2 de junho. Agora nós viemos pedindo aos nossos irmãos orar ao Senhor nos dê outro auxiliar para suprir a falta do nosso amado irmão em tão importante serviço que nos prestava".

Prossegue a Nota do Blog:

"Parece-me, pelas duas notas transcritas, que o “irmão José Rodrigues” havia sido um importante auxiliar de Gunnar Vingren e dos outros recém-chegados missionários, para a redação do jornal Boa Semente. Pois estes, nessa ocasião, ainda dependiam muito de brasileiros para lhes ajudar a redigir corretamente textos e hinos no idioma português. Por esta razão, também parece a mim e a Eliézer Cohen que este “José Rodrigues”, que morreu, bem pode ter sido o mesmo “José Rodrigues” que aparece como autor da letra do hino “Victoria do Crente” impresso na edição de 16 de abril de 1919 do Boa Semente, e, por sua vez, também autor das versões dos hinos 1, 5, 8 e 96. Por outro lado, se este autor “José Rodrigues” é o mesmo José Rodrigues (Pastor Jotinha), nascido em 1910, que vive atualmente no Espírito Santo, ele, então, com apenas nove anos de idade, compôs uma bela letra e fez todo o trabalho de adaptação à métrica da música “Beulah Land”, para que os crentes assembleianos viessem a cantar uma versão em português deste hino americano. Além disso, ele conta em seu testemunho gravado em vídeo na Internet que, por volta de 1915, com 5 anos de idade, retornou com os seus país para Israel, mas não informa quando voltaram para o Brasil."



OBSERVAÇÃO: ESTA NOTA NÃO ESTÁ MAIS NO AR. Como pode ser constatado no seguinte endereço: http://dicionariomovimentopentecostal.blogspot.com/2008_08_19_archive.html 

Transcrição:

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE AUTORIA DOS HINOS DA HARPA CRISTÃ, DE JOSÉ RODRIGUES, INICIAIS J.R., A PROPÓSITO DAS AFIRMAÇÕES DO “PASTOR JOTINHA”

Aviso aos visitantes deste blog.
Durante 33 dias publiquei as informações que possuo até o momento sobre a autoria dos hinos 1 (Chuva de Graça), 5 (Ó Desce, Fogo Santo), 8 (Cristo, o Fiel Amigo), 84 (O Grande "Eu Sou") e 96 (Deixa Penetrar a Luz) da Harpa Cristã constando o nome "José Rodrigues" como autor das
respectivas versões.
A referida nota de esclarecimento foi postada aqui tendo em vista o crescente número de telefonemas, e-mails e contatos pessoais, nos últimos meses, solicitando-me confirmação da veracidade histórica das afirmações do pastor José Rodrigues, conhecido como Pastor Jotinha,
nascido em 1910, vivendo atualmente no Estado do Espírito Santo, que são de sua autoria os hinos acima mencionados.
Elaborei a referida nota como pesquisador da história das Assembléias de Deus há 28 anos e como autor do Dicionário do Movimento Pentecostal.
Reitero mais uma vez, seguindo o meu rigor técnico-científico, imparcial e impessoal, com o qual tenho pautado até hoje todo o meu trabalho de pesquisas e de redação de textos, que as informações publicadas foram as que possuo sobre o assunto até o momento.