Livre VS Fechado

as principais diferenças, argumentos e pontos de vista de cada um.

 << Voltar

Comercial da Red Hat sobre Linux  // + vídeos da Red Hat aqui

Eis uma tentativa bem curta e breve de comparar duas formas que existem de produzir(e licenciar) programas de computador. A produção de softwares pode ser comparada à venda de bolos de uma confeitaria.

Quando você compra(em uma loja física/pela internet) um software proprietário é como se você comprasse um bolo de chocolate (por exemplo). Você compra apenas o bolo de chocolate. Não vem mais nada com ele. Se você quer um bolo do mesmo tipo, mas de outro sabor, você tem que comprar OUTRO bolo.

Quando você usa(baixa da internet/instala de um CD/DVD/pendrive) um software livre é como se você ganhasse um bolo de, vamos ver, CHOCOLATE(viram como eu sou criativo? rs) com o detalhe que desta vez o bolo vem com a receita*! Então se você quiser comer bolos de outos sabores você sabe como fazer! Você tem a receita completa e detalhada em mãos(o que equivaleria ao código fonte do programa) e com isto você mesmo pode fazer bolos de diferentes sabores, tipos e texturas.

* Se as licenças de software-livre(geralmente GPL 2 e GPL 3) estiverem sendo respeitadas o programa vem junto com o código-fonte em arquivos .tar.gz ou .zip ou .7z.

Atualizações (versões novas de software)

  • Software Livre : (1)o usuário possui acesso automático e (2)irrestrito às novas versões do software e pode (3)ler todas as novas mudanças de uma nova versão de software e (4)pedir recursos novos nas versões que ainda serão lançadas.
  • Software Fechado : o usuário precisa, geralmente, (1)ir até o site do fabricante de seu programa e procurar a respectiva atualização e (2)pagar pelo tipo de atualização que ele quer. (3) o usuário pode ler sobre todas as alterações que foram feitas no software (4)mas não pode submeter novos recursos que ele gostaria que fossem criadas nas novas versões de seu programa.
    • Exemplo-1 : Atualização do Internet Explorer e do Mozilla Firefox...
    • Exemplo-2 : Atualização do Adobe Photoshop e Gimp...
    • Exemplo-3 : Atualização do GNU/Linux e do MS Windows...

'Auditoria' nos códigos-fontes (para usuários finais)

  • Software Livre : (1)você tem a segurança de saber que suas informações não estão sendo enviadas para terceiros sem o seu consentimento.(2)Você pode aprender com o código-fonte, (3)e corrigí-lo, se for o caso, (4)ou adaptá-lo às suas necessidades.
  • Software Fechado : (1)você não sabe se o fabricante do programa que você usa está espionando suas informações pessoais, (2)você não pode aprender com o código fonte, (3)muito menos corrigí-lo, uma vez que você não tem acesso a ele, apenas aos arquivos binários (4). Se você quer adaptar o software ás suas necessidades ou você paga muito mais caro por isso ou reza para que o fabricante coloque tais e tais recursos nas versões futuras, senão, nada feito.
    • Exemplo-1 : Disponibilidade do código fonte do GNU/Linux;
    • Exemplo-2 : E o maior segredo da Microsoft, trancado a 7 chaves, o MS Windows.
    • Exemplo-3 : Sharewares, Trials, Freewares VS qualquer software livre (GPL, LGPL, BSD...).

Solução de novos problemas (reutilizar código)

  • Software Livre : com um projeto livre você pode estudar diversos programas que já solucionaram inúmeros problemas e se concentrar na solução de novos problemas. (2)porções de código de outros projetos podem ser reutilizados.
  • Software Fechado : apenas sabe-se de tais e tais funcionalidades de outros programas proprietários, mas a sua solução tem que ser recriada, do zero. (2)a menos que você trabalhe em uma grande empresa ou tenha produtos de áreas afins, dificilmente você reutilizará partes de um projetos em outros projetos(algoritmos, códigos...).
    • Exemplo-1 : software proprietário apenas porções de código de um mesmo projeto pode ser reutilizada. E apenas pela própria empresa. No máximo isto é feito dentro de um mesmo programa com DLLs (Dynamic Link Library).
    • Exemplo-2 : No mundo do software livre o Kernel é reutilizado por diversas distribuições Linux diferentes. Sistemas operacionais inteiros.

Compatibilidade (programas: velhos VS novos)

  • Software Livre : normalmente arquivos de softwares antigos são compatíveis com softwares novos. Se o software livre em questão não for mais compatível com a sua plataforma você ainda pode baixar a versão antiga que é.
  • Software Fechado : se o seu programa possui uma atualização e você a instala no seu PC mas ela não funciona corretamente, ou você não gostou dela, e você quer voltar para a versão anterior muitas vezes isto não é possível e você fica a ver navios caso não tenha o programa em um CD/DVD/Pen drive.
    • Exemplo-1 : Windows Vista(pesado e caro para comprar). Windows 7 é só caro;
    • Exemplo-2 : E a distribuição Mint (leve e gratuito para usar), tanto para uso pessoal/corporativo.

Continuidade do projeto (novas versões)

  • Software Livre : caso o projeto seja descontinuado pelos seus programadores você tem acesso aos fontes e você pode continuar a desenvolver o software ou pagar alguém para fazê-lo.
  • Software Fechado : se o projeto for descontinuado você senta e chora. Não há nada que você pode fazer neste caso.
    • Exemplo-1 : BeOS que foi descontinuado e Haiku que é um sistema similar ao BeOS com as mesmas funcionalidades. 
    • Exemplo-2 : Open Solaris que foi descontinuado pela Oracle (depois de adquirir a Sun Microsystems) e que agora tem o seu desenvolvimento continuado no projeto(que é um fork na verdade) chamado Open Indiana.
    • Exemplo-3 : Windows XP que foi feito em 2001 e 8 anos depois - 2009 (será descontinuado com o lançamento do Windows Vista) e ReactOS que tenta ser um clone do Windows XP(porém é altamente instável por estar em versão Alpha).

Flexibilidade (customização)

  • Software Proprietário : algumas customizações, atalhos e plugins podem ser usados para facilitar a usabilidade e produtividade de um determinado programa.
  • Software Livre : cada aspecto do software pode ser controlada, programada e customizada pelas opções do software ou pelo desenvolvimento de soluções que sejam específicas para alguns usuários.
    • Exemplo-1 : Internet Explorer que apenas nas versões 8 e 9 começou a oferecer, de terceiros, plugins para incrementar a funcionalidade do navegador.
    • Exemplo-2 : Mozilla Firefox (ou Chromium). O Firefox possui plugins/addons, teclas de atalho e diversas opções que te permitem ajustá-lo às suas necessidades quaisquer que sejam elas... e se isto tudo não basta olhe o código fonte e adapte-o às suas vontades. De graça.

Utilidade pública (vantagens)

  • Software Fechado : costumam ser bons para quem tem PCs modernos, novos e rápidos. Quer algo para a próxima versão do programa ? Manda um email para a companhia, mas sem a garantia de que você será ouvido.
  • Software Livre :
    • Economia de dinheiro por não ter que pagar licenças de uso;
    • Algo não te agrada no programa? Inscreva-se na lista de discussão do projeto e diga tudo aquilo que você crê que seja bom para o programa e para seu futuro e tudo aquilo que você pode ajudar no desenvolvimento do programa:
      • Tradução para outros idiomas(l10n / localização);
      • Testar novos recursos(beta tester);
      • Anotar bugs da versão em teste(bug-track);
      • Sugerir melhorias ao programa(feature request);
      • Codificar novos recursos(features).
      • Contribuindo com um software livre você consegue adicionar o seu nome na tela de informações do programa, de dentro dele, geralmente no menu 'About'/'Sobre'.

Concorrência

Por incrível que pareça o software fechado impulsiona o desenvolvimento de softwares livres quando os primeiros possuem licenças de uso muito caras. Softwares livres tendem a ser muito mais inovadores e ter ciclos de desenvolvimentos mais curtos. Tome como exemplo - tudo bem, é um exemplo que foge à regra mas enfim - o:

  • Exemplo-1 : MS WindowsMS Internet Explorer, MS Office.
  • Exemplo-2 : Ubuntu, GNU/Linux Debian e Mozilla Firefox, LibreOffice.

Comunidade (ajude seus vizinhos)

  • Software Fechado: Se você empresta um CD de software fechado(proprietário. Especialmente com crack, serial, patch e outras formas de burlar o controle de quem pagou por quem não pagou pelo programa) ao seu vizinho/amigos você está cometendo pirataria. E isto é crime e pode resultar em sanções legais, multas e - em alguns casos - cadeia. :'-(

  • Software Livre: Se você empresta um CD de software livre ao seu vizinho/amigos você está agindo em comunidade. E isto é largamente aceito e incentivado. :-D

    • Exemplo-1 : Microsoft Windows (XP, Vista, 7) e Microsoft Office (2003/2007/2010)
    • Exemplo-2 : GNU/Linux Ubuntu (12.04), GNU/Linux Debian (6.0) e LibreOffice (3.5.4)

Outros motivos/razões

Software livre e proprietário são apenas 2 formas opostas de se licenciar um software. A boa convivência entre os 2 tipos de programas pode e deve acontecer.

a) Reutilização de código: Vejo como uma incrível vantagem o uso de software livre porque as pessoas/empresas não precisam perder tempo reinventando soluções, gastanto tempo em coisas que já foram resolvidas por outras companhias mas que fecham os fontes de seus programas, então ninguém pode se beneficiar destas soluções. 

Com software livre uma pessoa resolve os problemas a, b e c e a próxima pessoa continua do c e não tem que voltar para o a para depois ir para o c... a pessoa vai de c para o d e depois e, por exemplo, e assim todos avançam muito mais rapidamente! Interessante né?

b) Desenvolvimento: Como as empresas privadas vão competir com numerosos programadores, tradutores, testadores, documentadores e caçadores-de-bugs, corretores-de-bugs ao redor do mundo? É por isso que o movimento de software livre está à frente do proprietário.

c) Acessibilidade: Com softwares livres todos podem escrever documentos em texto(LibreOffice), editar fotos(Gimp), editar/criar áudio uma música/podcast(Audacity) ou ainda criar modelos em 3D(Blender) entre muitas outras coisas que podem ser feitas de forma livre, lícita e legítima.
Sem recorrer à pirataria.

d) Comunidade: Quando você copia um software pago/proprietário ao seu vizinho isto é errado pois é pirataria! Quando você copia um software livre ao seu vizinho/amigo/parentes isto é chamado de solidário e não é pirataria pois o software é livre e pode ser - inclusive - distribuído livremente para qualquer finalidade.

Outras Leituras Recomendadas
Legendas:  en = inglês. ptBR = Português do Brasil.

Hanna Arendt : texto ou PDF. (ptBR)
How to Save $1 Trillion a Year with Open Source : texto ou PDF (en)
Open Source Could Have Saved Ontario Hundreds of Millions : PDF (en)
100 years of Big Content fearing technology—in its own words : article (en)


Para ler mais artigos interessantes sobre Software Livre visite a seção de Leituras Recomendadas.


<< Voltar