Informamos que a conferência de encerramento que seria realizada pela Profa. Lilia Schwarcz foi cancelada. Desta feita, as atividades do V Encontro de História da Ufal se encerram com a palestra do prof. Ronaldo Vainfas.

Confira sua inscrição clicando no LINK

Confira os dias e a ordem das apresentações de trabalho no LINK

Confira os livros que serão lançados no evento no LINK

Anais Eletrônicos - V Encontro de História (Versão Preliminar) LINK
       

Em 2009 o curso de História da Ufal, através do Centro de Pesquisa e Documentação Histórica (CPDHis), da Universidade Federal de Alagoas, (re)iniciou suas atividades de extensão através da organização do I Encontro de História que, naquele contexto, preocupado com a própria história local, discutia a temática "História de Alagoas, Historiografia & Documentação". Foi um momento importante porque havia a necessidade de (re)pensar a historiografia alagoana e o ensino de história no Estado, tendo em vista os caminhos e as trajetórias futuras a serem aplicadas.

 No ano seguinte, 2010, o evento ganhava uma característica regional, mas o problema historiográfico ainda cercava os corredores do curso. Intitulado "Historiografia Brasileira - Problemas, Debates e Perspectivas" o evento conseguiu atingir os professores e alunos dos estados vizinhos, proporcionando uma ampliação da visibilidade da (re)organização do curso e o aprofundamento de estudos e trabalhos sobre a escrita da história. 

 Em 2011, com a mudança de perspectiva do evento, que passaria a ser gerenciado anualmente por cada um dos grupos de pesquisas do curso que compunham o CPDHis, as atividades chegaram ao nível nacional. Tendo suas atividades principais gerenciadas pelo Grupo de Pesquisa História Social do Crime, o evento "Poder, Crime e Segurança Pública" discutiu os problemas históricos da violência, do crime e das estratégias e limites da criminalidade no Brasil. 

No ano passado, 2012, o evento deu-se no bojo das reflexões realizadas em Alagoas acerca os 100 anos do episódio conhecido como "Quebra de Xangô" (1912).  Naquele ano parte dos terreiros-de-santo da Capital Maceió foi invadido e solapado por uma milícia, braço armado de políticos locais. Contribuindo para as reflexões historiográficas de tal evento, o Laboratório de História Afro-Brasileira (LAHAFRO) e o Núcleo de Estudos Afro-brasileiros (NEAB) juntaram forças e realizaram o IV Encontro Nacional "História, Racismo e Religiosidades Negras". Os debates ampliaram-se também para a discussão da problemática do racismo e das relações étnico-raciais que marcaram e marcam a vida social e comportamental brasileira, especialmente em suas formações religiosas. 

Finalmente, em 2013, o Grupo de Estudos América Colonial (GEAC) terá a responsabilidade de conduzir as atividades principais do evento. Este grupo, criado em 2008 vem ao longo destes cinco anos trabalhando no (re)pensar e na (re)escrita do passado colonial alagoano, ainda muito marcada tradicionalmente por uma aprisionamento aos escritos pernambucanos e à uma forma de escrita factual e positivista. Assim, com uso de fontes pouco trabalhadas pelos autores locais, ampliando suas relações institucionais e formando redes de pesquisa, o grupo possui uma revista eletrônica, ULTRAMARES, e realizou o I Colóquio Nacional do grupo, em 2012, discutindo Poder, Administração e Redes Políticas.

Conectado ao programa PIBID, ao CPDHis e dando continuidade a realização do II Colóquio do Grupo, que este ano o V ENCONTRO NACIONAL DE HISTÓRIA - Invenção do Brasil: Cultura, Escravidão e Mestiçagem tem em sua programação central temáticas ligadas à experiência colonial, mas não exclusivo a ela. Neste sentido, o mote central é discutir a cultura no Brasil, seja no momento colonial ou na experiência enquanto império.





http://www.ichca.ufal.br/laboratorio/cpdhis/