Utilização dos computadores no Jardim-de- Infância
 

Início

Blog - O cantinho das crianças

Análise inicial aos Sites

Resumos

Planificação de uma actividade

Objectivos

Descrição de algumas Actividades

Utilização dos computadores no jardim de Infância

Orientações Curriculares

Papel do educador

Bibliografia

Reflexão final

Apesar da utilização do computador no Jardim de Infância não dever ser um domínio muito privilegiado, deve ser um recurso disponível para as crianças  poderem realizar as actividades que lhe propomos e poderem desenvolver o seu espírito crítico, o seu pensamento, a sua criatividade, entre outras capacidades cognitivas e motoras, para além de facilitar o desenvolvimento social das crianças e o espírito de entreajuda. “ (…) As novas tecnologias da informação contêm, claramente, um grande potencial no que diz respeito a encorajar o trabalho de grupo e o desenvolvimento social” (Siraj-Blatchford, 2004, pág. 109).

     Nesse sentido o computador deve fazer parte do ambiente educativo e estar ao alcance das crianças, de forma a ampliar, facilitar e potencializar as suas aprendizagens e competências aos mais diversos níveis. As crianças podem utilizar o computador como qualquer outro material existente na sala.

No entanto, é de salientar que damos tempo e espaço às crianças para realizarem o trabalho sem pressas,  respeitando sempre o ritmo de cada uma.

O educador tem um papel muito importante, uma vez que é (também) através dele que as crianças conhecem o computador. Ele deve primeiramente falar com as crianças sobre o funcionamento do computador, dar-lhes algumas regras de maneira a não estragarem o teclado, o rato, dizendo-lhes também que devem adoptar uma posição correcta ao sentar-se, assim como também, que não podem passar muito tempo diante do monitor.

        A maior potencialidade da utilização dos computadores na sala de Jardim de Infância é realmente proporcionar momentos de partilha entre os seus utilizadores enquanto exploram e investigam determinados problemas que surgem no quotidiano, surgindo assim como mais um meio que as crianças têm ao seu dispor para aprofundar conhecimentos sobre um determinado tema que lhes interessa desenvolver.

     Nesse sentido, o computador deve ser utilizado diariamente nas salas e para que a sua utilização seja enriquecedora para as crianças, é necessário que os adultos reflictam primeiramente sobre como podem adequar o desenvolvimento das actividades pedagógicas no computador com as tarefas que estes querem pesquisar e desempenhar.

A ida para o computador deve ser feita de forma organizada e estruturada.

O educador deve discutir com as crianças as regras de acesso, de forma a garantir a igualdade de oportunidades, uma vez que todas devem poder utilizar este recurso. Deve, juntamente com as crianças construir os pares, no entanto, estes não devem ser definitivos e sim, alterados de quando em quando para que as crianças tenham oportunidade de trabalhar e interagir com os colegas.

Para que o processo de aprendizagem seja o melhor possível, resolvemos criar gupos de duas crianças cada, porque é muito importante o trabalho entre pares, pois interagindo umas com as outras esse processo torna-se mais rico e motivador, uma vez que as crianças têm oportunidade de confrontar os seus pontos de vista, de trocar ideias e conhecimentos através da comunicação, de colaborar na resolução de problemas ou dificuldades colocadas por uma tarefa, de gerir conflitos que podem surgir, de respeitar as diferenças individuais e de trocar informação.

 

O Educador antes de proporcionar as actividades, deve inicialmente explicar como funciona às crianças o programa em que vão trabalhar e em que consiste a tarefa apoiando-as, para que estas a consigam de seguida realizar de forma autónoma ajudando-se mutuamente umas às outras.

Durante as primeiras sessões diante do computador, pretendemos que as crianças tenham a colaboração do educador, pois é este que vai educá-las sobre a sua utilização, mostrando, e esclarecendo todas as dúvidas que as crianças colocam.

É importante que as crianças tenham um papel activo na dinamização das actividades no computador e para que isso aconteça é necessário que os programas que vão utilizar e as tarefas que irão executar sejam interessantes, apelativas e acima de tudo desafiantes, que promovam a criatividade, a imaginação, a partilha, a colaboração e a exploração autónoma. Nesse sentido optamos por realizar com as crianças duas tarefas no Paint.

Na primeira tarefas, pedimos às crianças para desenhar e pintar a fruta preferida.

Para começar, o educador deve mostrar e explicar às crianças, (em pequenos grupos), como se trabalha com os diferentes materiais que têm à sua disposição, assim como, as principais funções do Paint.

Para facilitar a compreensão das crianças, o educador pode, nos primeiros momentos, colocar ao lado do computador uma cartolina a indicar todos os passos que as crianças devem seguir para chegar ao Paint. Depois das crianças perceberem o que têm a fazer, o educador dá-lhes liberdade para explorarem o programa e desenharem livremente, respeitando o ritmo de cada uma. No entanto, é importante que o educador fique por perto enquanto as crianças exploram e manipulam o computador para que possa observar, questionar e apoiar as crianças sempre que necessário incentivando-as a continuar e a ter prazer em aprender mais sobre o tema "As crianças ao explorar e manipular o computador devem ter alguém por perto que lhes possa responder, esclarecer ou ajudar em alguma dúvida que possa surgir, assim como, para incentivá-las e questioná-las, no momento em que estão a desempenhar a actividade" (Siraj-Blatchford, 2004, pág. 107).

 

Para além de apoiá-las deve questioná-las, no momento em que estão a desempenhar a actividade. “ (…) Se discutirmos os desenhos com elas durante o trabalho de concepção e elaboração, podemos ajudá-las a desenvolver a consciência da aprendizagem e a capacidade individual delas” (Siraj-Blatchford, 2004, pág. 107).

A segunda tarefa tem como objectivo pintar no Paint a Pirâmide dos Alimentos. Para facilitar as crianças, o educador abre o documento do Paint onde tem guardada a Pirâmide dos Alimentos. De seguida, pede às crianças para pintar a Pirâmide dos Alimentos. Quando terminarem a actividade as crianças imprimem o trabalho.

Estas são actividades que o educador pode realizar com as crianças ao longo da exploração do tema.

Enquanto decorrem as actividades no computador, o educador deve organizar-se com as auxiliares de acção educativa para que estas também apoiem, se necessário, as crianças que estão no computador. As outras crianças que não estão no computador, encontram-se a realizar outras actividades relacionadas com o tema, sendo apoiadas quer pela educadora quer pelas auxiliares de acção educativa.

Quando terminarem de realizar as actividades, o educador juntamente com as auxiliares e com as crianças devem reunir-se para falar e reflectir sobre as actividades que realizaram, questionando as crianças, dando-lhes oportunidade de se exprimirem dizendo o que gostaram ou não de fazer e o porquê, competindo ao educador registar as respostas das crianças.

 

 

O uso do computador desenvolve nas crianças atitudes positivas, nomeadamente:

 

o Reduzir a ansiedade;

o Desenvolver a aprendizagem;

o Aumentar a auto-estima e a confiança, em si próprios;

o Fomentar a interacção entre os colegas;

oTrocar informação e colaborar na solução dos problemas;

o Desenvolver o gosto e promover o contacto das crianças com as novas tecnologias;

o Incentivar as crianças a utilizarem o computador;

o Estimular a criatividade e a imaginação

o Desenvolver a motricidade fina;