Filhotes

A chegada do filhote em seu novo lar

Os primeiros dias do filhote em seu novo lar devem ser tranqüilos e você deve ser paciente e compreensivo.

À noite, coloque  um cobertor na cama do filhote; isso fará com que ele se sinta protegido e não reclame a falta da mãe e do resto da ninhada. Um relógio mecânico ajuda a mantê-lo calmo, pois simula os batimentos cardíacos da mãe. Um rádio pode aliviar a tensão da solidão. Se ele choramingar, não o repreenda, mas não o leve para a cama com você, pois em poucos dias ele terá se acostumado a dormir sozinho durante toda a noite.

A alimentação do seu filhote não deve ser alterada bruscamente nos primeiros dias. Mantenha a mesma oferecida pelo criador, uma vez que, embora passageiros distúrbios intestinais são freqüentes e passageiros devido ao estresse.

Utensílios importantes para o conforto do filhote:

• Caixa de transporte.

• Cama ou cesto.

• Vasilhas para água e comedouro (de plástico ou aço inox), fáceis de lavar, inquebráveis e difíceis de virar.

• Brinquedos específicos, feitos de material adequado, ideais para divertir o cãozinho e evitar que estrague móveis, sapatos e roupas.

• Coleira e guia.

• Placa de identificação com nome e telefone.

• Escova, pente e shampoo específicos para cães.


A alimentação ideal.

Alimentar o filhote da melhor maneira possível, a fim de garantir um cão forte e saudável, é mais fácil e prático do que você imagina. Existem no mercado alimentos completos e balanceados, específicos para cães em desenvolvimento. Nessa fase da vida, os filhotinhos necessitam de teores maiores de proteína, gordura, minerais e vitaminas do que necessitam os cães adultos. Mantenha água fresca e limpa sempre à disposição de seu filhote. É recomendável dividir as quantidades diárias sugeridas nas embalagens em três a cinco refeições.

À medida que o filhote cresce, número de refeições deverá diminuir gradativamente, até duas vezes ao dia, quando adulto.

A condição física do filhote, é o melhor indicador para definir se a quantidade de alimento recomendada é ideal para ele. Os guias alimentares servem apenas como sugestão.

Em geral são considerados filhotes animais até um ano de idade, embora haja uma variação entre as raças.

 

• Não ofereça comida caseira, guloseimas e sobras, pois além de esses alimentos não serem específicos para cães, podem causar distúrbios intestinais, reações alérgicas, deficiências nutricionais e ainda levar à obesidade.

• Cuidado: ossos de galinha podem engasgar o seu cãozinho.

• Mantenha uma rotina de horários. Deixe o alimento à disposição por somente 20 minutos e depois retire o comedouro, mesmo que o filhote não tenha comido tudo. Ofereça a mesma variedade de alimento somente na próxima refeição.

• Quando seu cão atingir a maturidade, a alimentação deverá ser gradativamente substituída por uma ração para cães adultos.

• Cadelas prenhes necessitam ingerir uma quantidade aproximadamente duas vezes maior de alimento do que o normal. Cadelas amamentando necessitam até quatro vezes mais alimento do que o normal, por isso é necessário aumentar a freqüência da alimentação. Nessas fases é recomendável alimentar com rações pra filhotes.

• Qualquer mudança na alimentação deverá ser feita gradualmente, misturando o alimento já oferecido, com o novo. Tal troca deve estender-se durar em torno de cinco dias, para evitar distúrbios digestivos.

• Não ofereça comida a seu cão enquanto você estiver se alimentando, pois ele adquirirá o hábito de pedir à mesa. Além de sua comida não ser adequada, pode levá-lo à obesidade e a carências nutricionais.

• Carnes cruas ou cozidas, quando oferecidas como único alimento, não suprem as necessidades nutricionais do seu cão. Além de serem deficientes em minerais importantes, como o cálcio, podem transmitir doenças.

• Para a higiene dos dentes, dê biscoitos específicos. É um alimento nutritivo e de fácil digestão, cientificamente desenvolvido, com formato de osso e textura especial para ajudar no controle e na formação do tártaro, além disso entretém (de entreter) seu cão.

A higiene dentro e fora de casa.

Vai ser fácil educar seu filhotinho, pois os cães são higiênicos por natureza. É claro que educar o cãozinho exige atenção, paciência e perseverança, mas a maioria deles aprende rapidinho. Basta levar em consideração alguns princípios básicos. Cães costumam definir três áreas bem distintas:

• Local para dormir onde deverá estar sua caminha, caixa ou cesto.

• Local para defecar e urinar geralmente sobre folhas de jornal ou na grama.

• Local para se alimentar onde deverão estar o comedouro e a vasilha de água.

Tais áreas devem ter aproximadamente 1,5 m entre si, pois um filhotinho não deve defecar ou urinar próximo a sua cama ou a seu comedouro.

Mantenha uma rotina, para acostumar seu filhote a fazer as necessidades no local correto. Para tanto, ao acordar pela manhã, após as refeições, sonecas, passeios de carro e antes de dormir, leve-o para a área forrada com folhas de jornal ou para a rua.

Aprenda a reconhecer quando seu cão está prestes a fazer suas necessidades e, neste momento, leve-o imediatamente ao local correto. Quando ele tiver terminado, felicite-o calmamente. Em breve ele irá associar o ato de fazer suas necessidades com os elogios e o encorajamento.

Se você surpreendê-lo defecando ou urinando em local errado, diga NÃO com um tom de voz firme e leve-o imediatamente à área designada. Não esfregue o nariz de seu filhote no cocô ou xixi, nem bata nele durante o aprendizado.

Em apartamentos, forre uma extensa área com folhas de jornal. À medida que ele for se acostumando a urinar e a defecar no local correto, diminua gradativamente a área forrada. Em pouco tempo, o filhote saberá que esse é o local correto para fazer as necessidades.

Seja um proprietário responsável. Não deixe que seu cão suje edifícios, calçadas, jardins ou praças.

 

PELE & PÊLO

Mantenha seu cão limpo, escovando-o regularmente. Habitue-o a isso desde o início, de modo que seja um momento de prazer para você e para ele, e não uma batalha.

Comece com sessões curtas. As escovas e pentes utilizados, assim como a freqüência dos banhos, deve variar de acordo com o tipo de pêlo do seu cãozinho. Animais de pêlo longo necessitam ser escovados diariamente, diferentemente dos cães de pêlo, curto que podem ser escovados apenas uma vez por semana.

Utilize pentes e escovas, que foram especialmente desenvolvidos para seu bichinho de estimação. Nunca utilize detergentes ou desinfetantes.

Lembre-se de dar banho preferencialmente nos dias quentes, por volta das 10 horas da manhã. Após o banho, seque-o com uma toalha própria e, se necessário, utilize secador de cabelos. Se o seu cãozinho se molhar na chuva, enxugue-o e posteriormente escove-o. Não se esqueça de secar bem suas patinhas.

 

OLHOS

A limpeza deve ser feita regularmente nas raças pequenas, cujos olhos são muito sensíveis.

 

ORELHAS

É importante que o conduto auditivo esteja limpo e seco, especialmente em cães de orelhas caídas.

 

UNHAS

Você deve aprender a cortá-las ou solicitar ao veterinário que o faça.

 

DENTES

Você pode prevenir mau hálito, queda dos dentes e gengivite escovando os dentes de seu filhote e dando biscoitos especificos. Consulte o médico veterinário sobre a freqüência e a forma corretas.

 

HIGIENE DOS UTENSÍLIOS

• Limpe o comedouro após cada refeição.
• Não lave os utensílios de seu animalzinho junto com as louças de sua família.
• Muitos parasitas vivem no cão e depositam seus ovos em sua caminha e no cobertor. Lave-os separadamente e mantenha-os sempre limpos e secos.

Curiosidades sobre os cães.

  • Filhotinhos dormem aproximadamente 80% do tempo e ao nascer não enxergam. Os olhinhos irão se abrir na segunda semana de vida.
  • Dentes de leite surgem a partir de 45 dias. Os definitivos aparecem entre os 3 e 5 meses. O desconforto causado pela erupção dos dentinhos pode ser aliviado com brinquedos desenvolvidos para esse fim.
  • A pelagem é a proteção natural contra o frio e a umidade. Os cães trocam de pêlo duas vezes por ano.
  • Filhotinhos são muito curiosos. Você deve evitar que lambam seu rosto, pois, apesar de ser um gesto de carinho, você não sabe o que mais ele andou lambendo.
  • O primeiro cio de fêmeas pode ocorrer a partir de 6 meses de idade e se manifestará duas vezes por ano. Se você deseja cruzá-la, deve aguardar no mínimo até o terceiro cio.
  • A audição dos cães é muito superior à dos humanos. Portanto, não é necessário gritar com eles.
  • Nem sempre cães com focinho quente estão com febre. A maneira ideal de medir a temperatura de seu animal é pela via retal, utilizando um termômetro. A temperatura normal de um cão adulto oscila de 38,9 a 39 graus centígrados.
  • Nariz úmido é sinal de que o cão está saudável.

 

  • 2º mês: Começa aí uma fase mais susceptível a doenças. Por isso, aplique na idade de 45 a 60 dias as vacinas para cinomose, hepatite, leptospirose, parvovirose, parainfluenza e coronavirose, todas reunidas na sêxtupla. Essa vacina é muito importante! O desmame se finaliza, e os filhotes começam a se distanciar da mãe. A alimentação, a partir dos 45 dias pode ser uma ração própria para filhotes, servida de acordo com o que diz a embalagem, 4 vezes ao dia.

    Deixe bastante água disponível e exponha-os ao sol de manhã. Os primeiros exercícios (correr, andar, brincar, pular) podem ser praticados. Ainda não é aconselhável que ele saiam de casa, para que não peguem doenças. Quando os filhotes tiverem que ficar sem a companhia humana, deixe um rádio com um som bem calminho tocando, pois isso tranquiliza-os. Uns brinquedinhos ajudam a distrair os pequenos.

    Filhote fazendo a bagunça

    3º mês: A fase do filhote ainda é crítica. Aplique a 2ª dose da vacina sêxtupla com 75 a 90 dias e submeta-o a um check-up. Continue dando ração específica 4 vezes ao dia, ou conforme a indicação da embalagem ou do veterinário. Depois da 2ª dose da vacina, os filhotes ainda não estão liberados totalmente a irem à rua. É bom comprar brinquedos e ossinhos para a diversão dos filhotes.

    4º mês: É aplicada a 3ª e última dose da vacina sêxtupla com 105 a 120 dias. Uma semana após sua aplicação, o filhote já está liberado para sair de casa, e ir passear, ir em praças, parques, etc. Atenção: só saia com ele para a rua depois da 3ª dose da vacina! (Alguns veterinários indicam 4 doses da vacina, de 20 em 20 dias, com a 1ª dose aos 45 dias). Agora que a rua já está liberada, aproveite para levar seu filhotinho para as praças e parques, para que ele conheça amigos e comece a brincar com eles, fazendo grandes amizades! Alimente-o 4 vezes ao dia. O 1º banho pode ser dado, com os procedimentos próprios e equipamentos certos.

    Com essa idade, se inicia a troca de dentes, que se estende até a idade de 7 meses. Com essa troca, a gengiva do filhote começa a coçar. Para aliviar a coceira, ele começa a mastigar tudo que vê pela frente, inclusive o pé de sua mesa, seu sapato de couro, suas roupas, etc. Para que isso não aconteça, forneça ossinhos e brinquedos, que aliviarão as coceiras e as tensões.

    5º ao 12º mês: A alimentação deve ser rica, e as vacinas devem ficar em dia. A vacina contra a raiva é aplicada na idade de 4 a 6 meses. Normalmente a dentição fica completa do 9º ao 12º mês. Para retardar o acúmulo de tártaro e para a limpeza dos dentes, forneça ossinhos, brinquedos comestíveis, como os de couro cru ou nylon. Com 12 meses, a vacina sêxtupla e da anti-rábica devem ser aplicadas.

     

    Alimentação: Deve ser servida em horários certos. O que sobrar deve ser recolhido. O número de refeições diárias varia de acordo com a idade, como mostra a tabela:

    Idade

    Número de refeições diárias

    Até os 6 meses

    4

    De 7 a 9 meses

    3

    A partir dos 10 meses

    1 ou 2 ( de preferência )

     

    O ideal é servir apenas ração. Frutas e alimentos naturais, como cenoura, são aconselháveis. Biscoitos, bolos, restos de comida, doces, frituras, massas, etc., não são aconselháveis, pois, além de não serem o alimento próprio, os cães ficam pedindo comida à mesa, o que é desagradável.

       

     

    Vacinas e exames: Veja aqui o quadro-resumo das datas e todas as vacinas e exames necessários ao cão (utilizando-se 4 doses da vacina sêxtupla):

    45 dias 1ª dose da Vacina sêxtupla/óctupla
    65 dias 2ª dose da Vacina sêxtupla/óctupla
    85 dias 3ª dose da Vacina sêxtupla/óctupla
    105 dias 4ª dose da Vacina sêxtupla/óctupla
    5 meses Vacina anti-rábica (Raiva)
    8-9 meses Exame geral
    Anualmente Exame geral
    Vacina anti-rábica (Raiva)
    Vacina sêxtupla/óctupla

    Vermífugos:

    A vermifugação é indicada com as seguintes idades: 2, 4, 8 e 12 semanas; 4, 5 e 6 meses; 1 ano; e, a partir daí, ela pode ser trimestral ou semestral.